quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Transcarioca: prefeitura publica nesta quinta-feira edital de licitação da segunda etapa

29/12/2010 - O Globo - Natanael Damasceno


RIO - A prefeitura do Rio publica nesta quinta-feira no Diário Oficial o edital de licitação para o segundo lote da Transcarioca, o corredor expresso para ônibus que ligará a Barra ao Aeroporto Internacional Tom Jobim. As obras, que vão mudar a paisagem da Zona Norte, preveem a construção de três viadutos e duas pontes. Uma delas, no Fundão, será a primeira ponte estaiada (suspensa por cabos de aço presos a um grande pilar) da cidade. De acordo com a prefeitura, o custo da implantação do corredor exclusivo está estimado em R$ 548,3 milhões. O vencedor da concorrência deve ser conhecido em março, e as obras devem começar, segundo o Secretaria municipal de Obras, em maio.

- A Transcarioca é um compromisso da prefeitura e, por isso, há um esforço para que seja tudo feito segundo o cronograma estipulado. Tivemos inclusive uma reunião com representantes do Comitê Olímpico Internacional, que se mostraram muito satisfeitos com o andamento do projeto - contou o secretário Alexandre Pinto.

O segundo lote do corredor expresso tem 11 quilômetros de extensão e, segundo Alexandre, tem o projeto mais simples do que o primeiro por ter menos desapropriações. Seu trajeto começa no Largo da Penha, seguindo pelas Rua Monsenhor Alves Rocha, Rua Ibiapina, Rua Uranos, Estrada Engenho da Pedra, Rua Ismael Rocha, Rua Sargento Peixoto, e Avenida Brigadeiro Trompovski. Na Ilha do Fundão, o corredor passa pelas avenidas Um e Vinte e Quatro (formando um sistema binário neste pequeno trecho), segue pela Avenida Vinte e Nove até a Ilha do Governador, passa pela Estrada do Galeão e segue a Rua 20 de Janeiro até o aeroporto internacional.

- Apesar de este lote ter mais obras de grande porte, o primeiro era mais complexo, pois atravessa uma rea com uma densidade populacional mais alta, o que obriga a um número muito maior de desapropriações - diz o secretário.

De acordo com o edital, os viadutos serão erguidos sobre a estação de trem de Olaria, a Avenida Brasil (em Ramos) e a Estrada do Galeão (na Ilha). Já as pontes ficarão sobre o Canal do Cunha (na entrada da Ilha do Fundão) e sobre a Baía da Guanabara (ligando as ilhas do Governador e do Fundão).

Alexandre contou que as obras do primeiro lote, que terá 28 quilômetros e o custo estimado em R$ 730,4 milhões, começam em janeiro pelo mergulhão da Avenida Intendente Magalhães e pelo Viaduto de Madureira. Serão quatro frentes de obras e, além da ampliação da via, a obra inclui dois mergulhões, quatro viadutos, uma passagem inferior e a urbanização da área adjacente.

Investimento total será de R$ 1,3 bilhão

O investimento total nas obras para a Transcarioca será de R$ 1,3 bilhão, sendo R$ 1,1 bilhão financiado pelo Governo Federal. Segundo a prefeitura, a construção dos dois lotes deve ser concluída em três anos. Com 39 quilômetros de extensão, a Transcarioca terá uma faixa segregada ao corredor expresso que vai se integrar aos outros modais (trem, metrô e ciclovias) ao longo da via. Segundo a prefeitura, vai reduzir em mais de 60% o tempo gasto no trajeto entre a Barra e a Ilha do Governador. Junto com a a Transolímpica, a Transbrasil, e a Transoeste - cujo canteiro de obras deve ser visitado hoje pelo o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge -, a Transcarioca integra o conjunto de obras viárias planejadas pela prefeitura para viabilizar a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

http://oglobo.globo.com/rio/transito/mat/2010/12/29/transcarioca-prefeitura-publica-nesta-quinta-feira-edital-de-licitacao-da-segunda-etapa-923390207.asp

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Cai liminar e Prefeitura derruba casas no Recreio

18/12/2010 - O Globo Ruben Berta

Após conseguir revogar uma liminar na Justiça, a prefeitura retomou ontem a derrubada de imóveis da comunidade da Restinga, no Recreio dos Bandeirantes. Os trabalhos fazem parte do processo de implementação do BRT Transoeste (corredor expresso de ônibus articulados que ligará a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande), primeira grande obra viária a ser construída na cidade para os Jogos Olímpicos de 2016. A resistência de alguns moradores e a retirada dos objetos causaram lentidão: foram demolidas apenas cinco construções.

A comunidade da Restinga fica na altura do Km 18.830 da Avenida das Américas, próximo ao Recreio Shopping. A remoção de ontem contou com o apoio de cerca de 50 homens de Guarda Municipal, Comlurb, Coordenadoria de Controle Urbano, secretarias municipais de Habitação e de Conservação, polícias Civil e Militar e Light. As equipes chegaram por volta das 11h, com caminhões para a retirada dos objetos. Na demolição, foi usada uma retroescavadeira.

Defensoria reclama de operação e recorre

A revogação da liminar que impedia a derrubada das casas ocorreu na noite de anteontem e libera a retirada de cerca de 50 imóveis. A defensora pública Marília Farias, uma das advogadas que representam os moradores, disse ontem que já recorreu da decisão. Ela reclamou do modo como foi feita a operação da prefeitura.

- Houve a revogação da liminar, mas os moradores sequer foram intimados oficialmente por um oficial de Justiça. A prefeitura já chegou com todo o maquinário para a derrubada - disse ela. 

Durante a operação, houve momentos de tensão, mas sem confronto entre agentes e moradores. Uma senhora chegou a se acorrentar ao portão da casa durante boa parte do dia, mas acabou sendo convencida a se retirar no fim da tarde. Houve protestos com cartazes contra a prefeitura.

Algumas pessoas que perderam as casas se queixaram da falta de indenizações adequadas. A Secretaria municipal de Habitação informou que foram cadastradas na Restinga 94 famílias: 18 aceitaram ir para um imóvel do programa Minha Casa Minha Vida, em Campo Grande; 38 concordaram com os valores de ressarcimento; e outras 38 não concordaram até agora com nenhuma das duas formas de restituição. Ao todo, 523 famílias de cinco comunidades (quatro no Recreio e uma em Guaratiba) terão de ser removidas para as obras do BRT.

O Transoeste custará R$800 milhões à prefeitura. A previsão é que 220 mil passageiros sejam transportados diariamente quando as obras terminarem, em junho de 2012.

Terminais de ônibus no Rio ganharão biblioteca gratuita

19/12/10 - Agência Brasil

RIO DE JANEIRO - A experiência bem sucedida da biblioteca que há quatro anos empresta livros aos usuários do metrô do Rio de Janeiro deverá ser estendida em 2011 ao sistema de ônibus da cidade, responsável pela maior parte dos deslocamentos de passageiros na capital fluminense. A informação é do Instituto Brasil Leitor (IBL), que comemora este mês o quarto aniversário da Biblioteca Livros & Trilhos, instalada na Estação Central do metrô carioca, com resultados expressivos: quase 8 mil sócios e quase 80 mil livros emprestados.

“Nós temos no Rio de Janeiro um dos melhores índices de leitura por sócio, uma média de 1,5 livro por mês, ou seja, 14 a 15 livros por ano”, informou William Nacked, diretor-geral do IBL, organização responsável pela criação e gestão de bibliotecas em estações de metrô e de trem e terminais de ônibus em todo o país.

Além do Rio, o instituto mantém unidades em São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Piracicaba, no interior paulista. Segundo Nacked, a meta do IBL é implantar cinco bibliotecas no Rio de Janeiro até 2014.

Na biblioteca que funciona no metrô do Rio, chama a atenção o respeito do usuário ao livro que pega emprestado. “Em todas as nossas bibliotecas, é baixo o índice de não devolução, mas, no Rio, a taxa de não retorno é quase zero”, diz Nacked. A inscrição na Livros & Trilhos é gratuita, bastando ao interessado apresentar comprovante de residência, carteira de identidade, CPF e uma foto 3x4.

O diretor do IBL ressalta o fato de que dois terços dos leitores são mulheres, não apenas no Rio, mas em todas as unidades mantidas pelo instituto. “O perfil da usuária é o da mulher que trabalha, leitora de todos os gêneros de livros, e não só de autoajuda e poesia”.

Para William Nacked, um dos mais importantes êxitos da iniciativa é a incorporação de novos leitores, principalmente de menor poder aquisitivo, que não compram livros nem frequentam bibliotecas convencionais. “No início, quem vem é o já leitor, aquela pessoa ávida de leitura, mas que não está podendo comprar livros”, diz, lembrando que as bibliotecas do IBL contam com um acervo de alto padrão, formado por livros que podem ser encontrados nas vitrines das livrarias comerciais.

“Aos poucos, porém, começam a chegar pessoas de origem mais humilde, que percebem que podem tirar dúvidas sobre o que ler, escolher o livro pela vitrine, pelo catálogo ou com a ajuda do bibliotecário”.

Segundo Nacked, pesquisas feitas pelo IBL mostram que, após seis meses como sócio da biblioteca, esses novos leitores dobram seu índice de leitura. Considerada um dos maiores projetos do mundo de leitura gratuita, a iniciativa do IBL, que conta com patrocínios e parcerias de empresas privadas e de todos os níveis de governo, já contabiliza 1 milhão de livros emprestados em todo o país.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Linhas de ônibus do Rio ganham telas com as notícias do Globo

17/12/2010 - O Globo 

RIO - As notícias do jornal O GLOBO chegam este mês aos passageiros de 150 ônibus de 14 linhas do consórcio Intersul. As telas foram instaladas nos coletivos, exibindo reportagens que deixam os leitores em dia com sua cidade, com o Brasil e o mundo. O sucesso já pôde ser comprovado. Estudante de design, Miguel Leite, de 19 anos, gostou da concepção do projeto noticioso.

- O design dos monitores ficou leve, facilitando a leitura - disse ele.

As notícias são apresentadas em textos curtos para facilitar a leitura dentro do ônibus. Segundo Ana Lucia Selvatici, coordenadora da área de Novos Negócios, a linguagem é própria.

- Somos os únicos com conteúdo atualizado ao longo de todo o dia - afirma.

Tudo foi feito criteriosamente. O Ibope Inteligência, uma empresa do Ibope, realizou pesquisa na qual foram ouvidas 600 pessoas, 300 da Zona Sul e 300 da Zona Norte, que utilizam ônibus pelo menos três vezes por semana.

Uma das questões era relativa ao design. Foram mostrados quatro tipos, e o que mais agradou aos entrevistados foi o que tinha figuras geométricas.

- Eles preferiram o design mais original - diz Marcelo Casé, responsável pelo desenho do site junto com Richard Vignais.

A bancária Anaile Cardoso leu com atenção as notícias.

- A ideia é muito boa. E faz o tempo de viagem passar bem mais rápido - atestou ela, que ressaltou o fato de o conteúdo dos monitores ter espaço para o horóscopo.

Na pesquisa do Ibope, as pessoas destacaram ainda como positivo o fato de o design não recorrer a muitas animações, no intuito de facilitar a leitura das notícias.

Foram testados também o tempo de leitura (15 segundos) e as diferentes distâncias entre o monitor e as pessoas dentro do ônibus.

A previsão é que, até o fim de 2011, sejam 500 ônibus com as notícias em tempo real.

O GLOBO tem uma parceria com a Onbus para implantação da nova mídia nos ônibus. Segundo Kleber Hollinger, sócio da Onbus, foram investidos R$ 3 milhões na operacionalização.

- É uma tecnologia inédita no Brasil, e a Infoglobo representa uma parceria de qualidade - afirma.

Uma das metas futuras é incorporar o uso do georreferenciamento para prover informações relativas ao local em que o ônibus está passando no momento.

- Será a segmentação total - prevê Kleber Hollinger.

Ana Lucia completa:

- Para isso, precisamos que as empresas instalem GPS nos ônibus, o que não deverá demorar muito pra acontecer, em função de uma exigência da própria prefeitura.

O objetivo do projeto é expandir o serviço para outros locais, como aeroportos, farmácias e outros ambientes nos quais se pode ler uma notícia. Cada local vai exigir adaptações pontuais.

Anunciantes têm opções para falar com clientes

A expectativa é que o novo produto, chamado Geomídia, chegue a três milhões de passageiros por mês.

- O projeto Geomídia reforça a meta de deixar o leitor com acesso cada vez mais facilitado ao conteúdo do GLOBO, que já conta com site, celular, iPad, Kindle e redes sociais. Além disso, oferece aos nossos anunciantes alternativas para falar com seus clientes de forma georreferenciada - afirma Carla Esteves, gerente geral de Novos Negocios da Infoglobo.

Transoeste: liminares impedem demolição de 210 casas e lojas em favelas na Avenida das Américas no traçado do BRT

17/12/2010 - O Globo - Luiz Ernesto Magalhães


RIO - O BRT Transoeste (corredor expresso de ônibus articulados que ligará a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande), primeira grande obra viária que começou a ser construída na cidade para os Jogos Olímpicos de 2016, está na Justiça. Quatro liminares obtidas nas últimas semanas pelo Núcleo de Terras e Habitação da Defensoria Pública impedem a demolição de 210 casas e lojas comerciais (como bares e borracharias) em três favelas na Avenida das Américas, no Recreio, que estão no traçado da via. A última liminar foi obtida no plantão do Judiciário no fim da noite de anteontem para impedir a demolição de 30 imóveis que restaram na Vila Harmonia, localizada atrás do Recreio Shopping.

Assim como nas outras três ações, os moradores alegam pertencer a famílias estabelecidas há décadas nessas comunidades. Eles reivindicam acesso ao projeto do Transoeste para se convencerem a deixar suas casas. Segundo a prefeitura, ao todo 119 famílias (sem contar os comerciantes) viviam na Vila Harmonia e nas demais comunidades, e a resistência seria de uma minoria. Desse total, 95 famílias escolheram entre viver em casas de um condomínio do programa Minha Casa Minha Vida na Estrada dos Caboclos, em Campo Grande, ou receber indenizações da Secretaria municipal de Habitação.Bittar lembra compromisso firmado com COI

O secretário municipal de Habitação, Jorge Bittar, disse que as remoções atendem ao interesse público e são um compromisso com o Comitê Olímpico Internacional (COI). Ele lembra que o BRT Transoeste faz parte dos projetos de reorganização e racionalização do transporte público de massa. O Transoeste custará R$ 800 milhões à prefeitura. A previsão é que 220 mil passageiros sejam transportados diariamente quando as obras terminarem, em junho de 2012.

- Nós oferecemos opções para os moradores e estamos sempre dispostos a negociar. No caso de indenizações, chegamos a pagar 40% a mais pelo que os imóveis valem. Mas obviamente, ninguém se sente satisfeito de ter que sair do local onde mora. Isso acontece não apenas nas áreas informais, mas também nas formais. Em boa parte das obras viárias previstas até os Jogos de 2016 também haverá demolições de casas no asfalto - disse Bittar.

A defensora pública Adriana Britto, por sua vez, argumenta que, sem que as comunidades tenham acesso ao projeto, não pode confirmar que as remoções são necessárias. Segundo ela, uma audiência pública chegou a ser convocada na Câmara dos Vereadores para a apresentação do projeto, mas os técnicos do município não enviaram representantes. Além disso, observou a defensora, a prefeitura não prevê indenização para os comerciantes.

Adriana acrescentou que outras duas liminares impedem a demolição de 150 imóveis na Favela da Restinga e 30 na Vila Recreio 2, no sentido Barra-Guaratiba. A quarta liminar também protege a Vila Harmonia.

- A lei garante o direito à moradia. A solução ideal para essas comunidades é que não houvesse remoções. E, caso as remoções sejam indispensáveis, que os valores pagos pelos imóveis sejam justos. Ao avaliar os imóveis, a prefeitura toma como base uma regra geral para a cidade. Não leva em conta que as casas foram construídas numa área valorizada - diz a defensora.

Segundo a Secretaria de Habitação, sem contar o comércio informal, o Transoeste prevê a remoção de 523 famílias de cinco comunidades (quatro no Recreio e uma em Guaratiba), já que há necessidade de duplicar as avenidas das Américas e Dom João VI (Guaratiba). Deste total, 210 famílias concordaram em ser transferidos para dois condomínios do Minha Casa Minha Vida na Zona Oeste. Cerca de R$ 2,9 milhões foram pagos a 148 famílias que optaram por serem indenizadas (média de R$ 19.594 por imóvel). As 165 famílias restantes nas comunidades não fizeram suas escolhas.

- É muita pressão. Eu desisti de brigar porque a corda sempre arrebenta do lado mais fraco e aceitei R$ 19.150 de indenização - disse o pedreiro João Várzea da Cruz, de 45 anos, que na segunda-feira se mudará da Vila Harmonia para Pedra de Guaratiba.Com impasses judiciais, demolições a conta-gotas

A enfermeira Suely Afonso da Costa, de 53 anos, resiste a sair da Vila Harmonia:

- Os imóveis oferecidos pela prefeitura ficam muito longe de onde moramos hoje. E as indenizações são irrisórias.

Com os impasses judiciais, as demolições no Recreio passaram a ocorrer a conta-gotas. Em todas as comunidades existem casas demolidas total ou parcialmente e outras intactas. Na tarde da última quarta-feira, por exemplo, a subprefeitura da Barra da Tijuca conseguiu demolir apenas uma casa no Recreio 2.

Numa tentativa de conseguir a liberação do terreno da Vila Harmonia, funcionários da subprefeitura da Barra entregaram intimações aos moradores na tarde de quarta-feira exigindo que deixassem os imóveis até a meia-noite. Pela manhã, quando os fiscais da prefeitura chegaram com reforço policial e retroescavadeiras para demolir os imóveis, encontraram os moradores amparados pela liminar. Moradores de outras favelas da região como Vila Autódromo e Vila Taboinhas acompanhavam a movimentação.

Apesar do impasse, a Secretaria de Obras informou ontem que o cronograma do Transoeste, que inclui a construção de túnel na Grota Funda e a duplicação da Avenida das Américas, está sendo cumprido. Uma das intervenções importantes iniciadas esta semana é a instalação das primeiras vigas do novo viaduto que que ligará a Avenida Salvador Allende à Baltazar da Silveira.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Vila Cruzeiro ganha três linhas de transporte alternativo

12/12/2010 - R7 RJ

Ao todo, serão seis linhas com cerca de 120 kombis

O prefeito Eduardo Paes entregou três das seis linhas de transporte complementar nos complexos do Alemão e na Vila Cruzeiro, ambos na zona norte do Rio de Janeiro, na manhã deste domingo (12). Ao todo, as seis linhas, com uma frota de cerca de 120 kombis, podem transportar 10.600 passageiros por semana, percorrendo cerca de 34 Km de ida e volta.

Duas linhas vão circular no Complexo do Alemão: uma opera no trecho Nova Brasília/Alvorada, com frota de 11 veículos; e a outra, também com 11 kombis, fará o itinerário Canitá/Piancó, no morro do Adeus.

Uma terceira linha fará o trecho Penha/Vila Cruzeiro, com uma frota de nove veículos. De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes, em um mês, as outras três linhas estarão circulando no Alemão.

As viagens estão estimadas em 10 minutos, na Vila Cruzeiro, e 30 minutos, nas comunidades do Alemão.

Consórcios: a nova realidade do Transporte CariocaEscrito por Fetranspor

30/11/2010 - Fetranspor

Cidade do Rio é dividida em regiões e empresas de ônibus são agrupadas em consórcios para operar o sistema de transportes

Após a assinatura do contrato, em 17 de setembro, com os vencedores da licitação para operar os ônibus municipais do Rio nos próximos 20 anos, as empresas de ônibus cariocas terão, pela primeira vez, status de concessionárias, com obrigações legais e passíveis de sanções por parte do poder concedente em caso de descumprimento de regras.

Os quatro consórcios, que representam 41 empresas de ônibus que já operam no Rio de Janeiro, entrarão em operação em até 60 dias, após aquela data. De acordo com o edital, em 20 anos de concessão das linhas, as passagens pagas pelos usuários somarão R$ 15,9 bilhões.

Nesse período, os concessionários deverão investir R$ 1,8 bilhão na melhoria do serviço. O edital inclui os três corredores expressos (Bus Rapid Transit ou BRTs): Transcarioca, ligando a Barra à Penha; Transoeste, entre Barra e Guaratiba; e Trans Olímpica, entre Barra e Deodoro.

Assim, serão feitos acordos entre os vencedores para operar Consórcios: a nova realidade do os BRTs que interligarão áreas distintas da licitação. Os consórcios assumem também a remodelação e a manutenção dos terminais, bem como a implantação de novos pontos de ônibus.

Há cronogramas a serem cumpridos para todas as mudanças, fixando as metas anuais de renovação da frota, com a obrigação de chegar a 2016 com cem por cento dos veículos dentro do novo padrão. Até as Olimpíadas, os ônibus terão de ter direção hidráulica, suspensão a ar, escadas de acesso rebaixadas, elevador para pessoas com deficiência, motor traseiro (para reduzir a poluição sonora dentro dos coletivos) e carroceria dupla articulada.

Dentre as mudanças que já serão percebidas pelos usuários, logo nos primeiros meses de operação, estão: a nova identificação dos veículos (com cores padronizadas por região de exploração); o uso de GPS, que permite acessar em tempo real a movimentação da frota; e a instalação de dispositivos de segurança como câmeras de vídeo. Outra novidade que também já poderá ser usufruída pelos passageiros é o Bilhete Único Carioca, no valor de R$ 2,40, que permite a utilização de duas viagens num intervalo de duas horas entre os embarques, proporcionando economia de R$ 2,30 para cada segunda viagem realizada.


MARCO HISTÓRICO

De acordo com o secretário Municipal de Transportes, Alexandre Sansão, “agora nós não temos mais de 40 empresas. Temos apenas quatro, que serão as responsáveis por operar as áreas e isso facilita o processo de racionalização.

Como são concessionárias, não concorrem mais umas com as outras. Elas vão dar mais eficiência à operação. Isso vai melhorar o trânsito, diminuir a quantidade de ônibus e racionalizar o sistema. Nossa previsão é de que, em no máximo um ano, todos os ônibus da cidade estejam padronizados”.

Para o prefeito do Rio, Eduardo Paes, depois de 50 anos com o mesmo sistema de transportes, a cidade do Rio vive um de seus momentos mais importantes. “É um marco fundamental de algo que nunca tinha acontecido na cidade: uma concessão para a operação dos ônibus municipais, um contrato estabelecendo regras claras de quais são os direitos e as obrigações do concessionário. Isso é uma mudança no marco regulatório”, afirmou.

Para o presidente da Rio Ônibus, Lélis Teixeira, a assinatura do contrato vai ficar na história do Rio. “Esse fato é histórico, não só para o setor de transportes, mas para a cidade. A Prefeitura está criando um grande marco para o setor e está se posicionando sobre a situação do transporte coletivo”, disse.

Para aumentar o poder de fiscalização do município, a Secretaria Municipal de Transportes criou o novo Código Disciplinar do Serviço Público de Transporte de Passageiros por Ônibus, que prevê penalidades ainda mais rígidas às concessionárias em caso de não cumprimento das exigências.


PAPÉIS BEM DEFINIDOS

A SMTR
O poder público tem a obrigação de fiscalizar o funcionamento do sistema. Quando alguma atividade não estiver dentro das normas de operação, a Secretaria deverá prover medidas e investimentos, caso o problema esteja relacionado à falta de recurso.

Os Consórcios
Ficarão encarregados de fazer os ajustes junto às operadoras de uma determinada Rede de Transportes Regionais e administrarão os terminais, modernizando e oferecendo maior conforto aos passageiros e aos profissionais que trabalham nesses locais.

As Empresas
Têm a obrigação de respeitar o contrato e tratar bem o passageiro. Elas deverão investir em melhorias, como: modernização de seus equipamentos; implantação de câmeras de vídeo e GPS em todos os ônibus; adaptação às normas de acessibilidade na frota e nos terminais; treinamento dos motoristas; operação dos corredores de BRT; inclusão do Bilhete Único; aquisição de novos veículos equipados com suspensão a ar, motor traseiro, câmbio automático, direção hidráulica e piso baixo. Para aumentar o poder de fiscalização do município, em breve, será anunciado o novo Código Disciplinar do Serviço Público de Transporte de Passageiros por Ônibus, que prevê penalidades mais rígidas aos operadores – maus serviços prestados, por exemplo, podem levar até a anulação da concessão.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Ônibus híbrido elétrico é apresentado no Rio

06/12/2010 - O Globo - Ronaldo Braga

RIO - Com o objetivo de incentivar a adoção pelo mercado de transporte coletivo urbano, de tecnologias limpas, capazes de reduzir a emissão de gases do efeito estufa em mais de 30%, foi apresentado, nesta segunda-feira, no Restaurante Porcão Rio's, no Aterro do Flamengo, um ônibus híbrido elétrico, financiado pela Fundação Clinton, do ex-presidente dos EUA Bill Clinton, com recursos de US$ 1,5 milhão do Banco Interamericano de Desenvolvimento. O coletivo da Volvo será testado na linha 172 (Rodoviária - Leblon), operada pelo Consórcio Intersul.

A parceria, inédita no campo do desenvolvimento sustentável, é da Prefeitura do Rio de Janeiro, da Federação das Empresas de transportes de passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), da Volvo e da Fundação Clinton, através da Clinton Climate Initiative.

Foi assinado também no encontro, um convênio de cooperação técnica entre a Prefeitura do Rio de Janeiro, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e da Fetranspor. O convênio visa à elevação do desempenho ambiental do setor de transportes; à promoção de experiências com combustíveis alternativos e de tecnologias mais limpas. Além disso, o acordo vai tratar de temas como o monitoramento e controle da poluição sonora; o licenciamento ambiental das empresas de ônibus e o apoio à implantação de um núcleo de educação ambiental no Parque Municipal da Catacumba.

Segundo a Volvo, testes na Europa revelaram economia de 35% no consumo e corte de 80% a 90% no lançamento de gases poluentes no ar. As negociações entre a Fetranspor e a Fundação Clinton duraram cerca de um ano. Segundo o diretor de operações da Fetranspor, Guilherme Wilson, o teste deve durar, no mínimo, dez semanas, período em que serão avaliados emissão de gases poluentes, consumo e performance do veículo. Os ônibus híbridos são 40% mais caros do que os comuns, porém a sua vida útil pode ultrapassar os 25 anos.

Metrô Rio: ônibus acessível para todos

29/09/2010 - Postado por Rede de Mobilização Social


O Metrô Rio oferece nas linhas do Metrô na Superfície dois novos ônibus totalmente adaptados com rampa reclinável para pessoas com deficiência motora. Os novos ônibus dispõem do balaústre táctil, um instrumento que auxilia o deficiente visual a se localizar durante todo o percurso. 

Além disso, os ônibus contam com suspensão de ar, câmbio eletrônico e motor traseiro para proporcionar ao usuário um baixo nível de ruído em seu interior e maior conforto durante o trajeto. 

A frota das linhas do Metrô na Superfície já conta com 32 ônibus, sendo 4 com rampas reclináveis e com balaústre táctil. Ate o final do ano todos os outros veículos receberão também balaústre táctil. Para saber mais acesse o site Metrô Rio.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Impacto profundo

01/12/2010 - O Globo Barra

Iniciadas em 8 de julho deste ano, as obras do corredor Transoeste avançam paulatinamente sobre a Avenida das Américas. Em quase cinco meses, máquinas pesadas e um batalhão de funcionários transformaram a paisagem do Recreio, onde um viaduto está sendo construído a toque de caixa para o verão. Com a multiplicação dos canteiros de obra, no entanto, vieram também os transtornos. Além do impacto no trânsito e da poeira, dois acidentes se sucederam em apenas cinco dias. No mais grave, em 14 de setembro, uma retroescavadeira rompeu a tubulação de gás natural em frente ao condomíno San Remo, próximo ao supermercado Mundial, onde será construída a pista lateral.

Desde então, segundo moradores, o movimento de operários no local é pouco ou nenhum. Ao mesmo tempo em que deixam claro que a obra é fundamental e o incômodo, inevitável, moradores temem que novas falhas comprometam sua segurança, durante os dois anos necessários para a conclusão do trabalho.

O gerente administrativo Flávio Senedo estava em casa com a mulher e os dois filhos, de 4 e 9 anos, às 16h45m do dia 14 se setembro, quando ouviu um forte estrondo. Pela varanda do apartamento, no sétimo andar do condomínio San Remo, avistou um jato de gás subindo aos céus.

— O gás começou a vir na nossa direção — conta. — Descemos e fomos para a rua, por temermos uma explosão e porque não conseguíamos respirar dentro de casa. Deu até uma certa ardência nos olhos.


Ao lado de vizinhos que também haviam saído de casa, Senedo filmou o vazamento (veja o vídeo ao final do post). Quase uma hora depois, apareceu um supervisor da CEG, que, sem um caminhão para fechar a tubulação, nada pôde fazer. Três horas e meia mais tarde, o problema foi finalmente resolvido. O abastecimento, porém, só foi restabelecido durante a madrugada. 

Síndico do condomínio Sea Coast, que fica ao lado do San Remo, Mauro Araújo (foto) também testemunhou o acidente:

— O despreparo era tamanho que, quando a tubulação estourou, os operários saíram correndo e deixaram a retroescavadeira ligada, em cima do local onde o gás estava vazando.

sábado, 27 de novembro de 2010

“Ônibus vão continuar circulando”, garante Fetranspor

26/11/2010 - Portal CNT

Foto: Reprodução TV Brasil

A onda de violência no Rio de Janeiro, que teve início no último domingo (21), tem causado inúmeros prejuízos para o setor de transporte do estado. Segundo boletim divulgado pela Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), 31 ônibus foram incendiados por criminosos até às 16h desta sexta-feira (26). 

De acordo com o diretor de Comunicação e Marketing da Federação, João Augusto Monteiro, cada veículo custa, em média, R$ 300 mil. O que totalizaria um prejuízo de quase R$ 10 milhões. “Confiamos nas ações do governo e acreditamos que a situação se normalizará em breve. Os ônibus vão continuar circulando normalmente”, disse Monteiro em entrevista à CNT.

De acordo com ele, essa é a recomendação da Fetranspor. “A rota só é modificada em pontos específicos e se houver necessidade disso”, garantiu, reconhecendo que muitos motoristas e cobradores estão receosos de passar por certas localidades com medo da violência.

Ele explicou ainda que a instituição tem conversado constantemente com a Secretaria de Segurança Pública e com a Polícia Militar do estado, com o intuito de garantir a segurança de passageiros, motoristas e cobradores.

Atualmente, o Estado do Rio de Janeiro conta com uma frota de 20 mil ônibus, sendo oito mil apenas no município carioca. A Fetranspor representa 10 sindicatos de empresas de ônibus responsáveis por transporte urbano, interurbano e fretamento. Tais sindicatos reúnem 192 empresas de transporte coletivo e 19 de fretamento e turismo que, juntas, respondem por mais de 80% do transporte público regular no estado.

Motivos

A violência registrada no Rio de Janeiro nesta semana é motivada, de acordo com o governo carioca, pela reação às medidas de implantação das UPPs (Unidade de Polícia Pacificadora) em diversas áreas antes dominadas por criminosos. Desde 2008, 13 unidades foram instaladas.

Com isso, os criminosos têm realizado arrastões, ataques a forças de segurança e incendiado inúmeros veículos, prejudicando a rotina dos cariocas.

Aerton Guimarães
Redação CNT

TransOeste

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Projetos de BRT terão auditoria para reduzir riscos de acidentes

23/11/2010 - Extra Online - O Globo

RIO - Prevista no Termo de Cooperação Técnica, será realizada uma auditoria nos projetos de Bus Rapid Transit (BRT) em andamento, preparando a cidade como uma das sedes dos jogos da Copa do Mundo em 2014 e dos Jogos Olímpicos em 2016. O objetivo é melhorar a segurança viária e reduzir as mortes no trânsito. O projeto a ser avaliado será o da linha Transcarioca, que ligará as zonas Norte e Oeste do Rio. O termo foi assinado pela prefeitura com a Rede EMBARQ e seu Centro de Transporte Sustentável do Brasil (CTS-Brasil).

Para realizar o trabalho, promovido pela prefeitura, o dinamarquês especialista em segurança viária, Carsten Wass, será assessorado pela engenheira de transporte do CTS-Brasil, Brenda Medeiros. A auditoria de segurança viária analisa o traçado, paradas de ônibus e sinalização das vias ainda na fase de projeto e propõe alterações de layout para reduzir o risco de acidentes de trânsito.

http://extra.globo.com/rio/plantao/2...-923091613.asp

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

BNDES aprova R$ 1,2 bi para o BRT Transcarioca, que ligará a Barra da Tijuca ao Galeão

22/11/2010 - BNDES

• Obra melhorará mobilidade urbana do Rio, sede da final da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 O BNDES aprovou financiamento no valor de R$ 1,2 bilhão para o município do Rio de Janeiro. Os recursos serão utilizados na implantação do Sistema BRT (Bus Rapid Transit) Transcarioca, que ligará a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, ao Aeroporto Internacional do Galeão, na Zona Norte.

O projeto do Transcarioca, além de atender a diretrizes do Plano Diretor de Transportes da Cidade do Rio de Janeiro, é uma das principais intervenções de competência do município, no que se refere à mobilidade urbana, para preparar a cidade para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Os recursos do BNDES correspondem a 74,5% do investimento total destinado às obras de infraestrutura (viário, estações e terminais de integração, entre outras) necessárias à operação do BRT. O sistema contemplará um corredor viário de duas faixas segregadas, uma em cada sentido, e terá aproximadamente 39 km de extensão (28 km na ligação Barra – Penha e 11 km na ligação Penha – Ilha do Governador).

A princípio, os ônibus utilizados serão movidos a diesel. Melhorias tecnológicas nos veículos (em motores, catalisadores, filtros, etc.), aliadas à redução de frota propiciada pela racionalização da oferta de transporte decorrente do projeto, deverão diminuir significativamente as emissões no entorno. A utilização de carros híbridos ou elétricos é uma possibilidade ainda em estudo.

Uma vez implantado, o BRT Transcarioca reduzirá o tempo de deslocamento entre a Zona Norte do Rio de Janeiro e as regiões da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá. Também deverão diminuir os acidentes de trânsito e os congestionamentos nas principais vias do seu entorno.

O objetivo da prefeitura é utilizar este projeto como piloto para a racionalização e o ordenamento do sistema de transporte coletivo municipal, por meio de ações estruturais, que permitam integrar os diversos modos (trem, metrô, ônibus, barca e bicicleta).

Estima-se que, durante as obras de implantação, o BRT Transcarioca gere cerca de 4 mil empregos diretos. Na fase de operação, a estimativa é de 1.460 novos postos de trabalho.
 

Transcarioca: obra deve ter início em janeiro

22/11/2010 - O Globo -Martha Neiva Moreira e Luiz Ernesto Magalhães

RIO - O prefeito Eduardo Paes disse ontem que a primeira etapa das obras do Transcarioca, corredor de ônibus articulado (BRT) Barra-Ilha do Governador, deverá começar em janeiro. O resultado da licitação do trecho inicial (Barra -Penha) será conhecido esta semana.

O cronograma original da prefeitura previa que as obras começassem em abril passado. Mas problemas burocráticos atrasaram o processo. O Tribunal de Contas do Município (TCM) entendeu que a licitação só poderia ser concluída após a prefeitura fechar o contrato de financiamento, no valor de R$ 1,2 bilhão, com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O empréstimo foi autorizado somente na semana passada. Com o atraso, a prefeitura decidiu concentrar os esforços este ano nas obras do Transoeste (BRT que ligará Campo Grande a Barra).

Prefeitura realizará mais de três mil desapropriações

O custo total do projeto, incluindo pagamentos de mais de três mil desapropriações totais e parciais de imóveis, é estimado em R$ 1,6 bilhão. A prefeitura decidiu priorizar as desapropriações no trecho entre o Campinho e Madureira, onde as obras serão mais complexas. Uma das intervenções prevê a construção de um mergulhão sob um dos pontos de maior volume de tráfego da Zona Norte: o quadrilátero entre as ruas Cândido Benício, Domingos Lopes, Avenida Ernani Cardoso e Estrada Intendente Magalhães.

Segundo o prefeito, o edital para a licitação do segundo trecho, que ligará a Penha ao Aeroporto Tom Jobim (Lote 2), será feito ainda este ano. Ontem, além de inaugurar as primeiras ruas reformadas pelo Programa Bairro Maravilha, em Cavalcanti e Quintino, Paes foi ao lançamento das obras do Morar Carioca nas comunidades Vila Amizade, Vila Caramuru e Morro dos Mineiro, em Tomás Coelho. O investimento total está orçado em R$ 23,3 milhões.

Entre as melhorias, estão a construção de reservatório com capacidade para 200 mil litros de água, 8.806 metros de esgoto sanitário com 823 ligações domiciliares; 2.329 metros de redes de drenagem pluvial; além de pavimentação de becos, ruas, rampas e escadarias. Também há previsão de construção de uma creche, praças, centros esportivos, um bosque e um pomar comunitário . 
 

domingo, 21 de novembro de 2010

Prefeitura do Rio remove 11 famílias de comunidade no Recreio

17/11/2010 - G1 RJ
 
Casas ficam no traçado da Transoeste, um dos corredores para ônibus BRT.
Parte dos moradores foi contemplada pelo programa 'Minha casa, minha vida'.

Começou na manhã desta quarta-feira (17) a remoção de 11 famílias que vivem em casas construídas na Avenida das Américas, na comunidade Vila Harmonia, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. As casas ficam dentro do traçado da via Transoeste, um dos corredores exclusivos para ônibus BRT, sistema inteligente de transporte que o município promete construir até as Olimpíadas de 2016.

De acordo com a Subprefeitura da Barra e de Jacarepaguá, a remoção ocorre sem problemas. A Guarda Municipal deslocou dez homens para acompanhar o trabalho. A prefeitura disponibilizou caminhões para fazer a mudanças dessas famílias.

Parte dos moradores foi contemplada com casas do programa “Minha casa, minha vida”, e estão de mudança para o Conjunto Terni, em Campo Grande, na Zona Oeste. Outras optaram por receber indenização pelos imóveis.

De acordo com o 31º BPM (Barra da Tijuca), até o momento não foi registrado qualquer incidente. A Subprefeitura acredita que o trabalho de remoção seja concluído até o final da tarde desta quarta-feira. 
 

Cresce o número de carros particulares piratas que fazem lotadas

19/11/2010 - O Globo - Paulo Roberto Araújo e Selma Schmidt
RIO - Com a repressão às vans intermunicipais não licenciadas e a economia propiciada pelo uso do gás natural veicular (GNV), milhares de carros particulares passaram a ser usados para fazer lotadas. De janeiro até sexta-feira, o Departamento de Transportes do estado (Detro) apreendeu 2.569 automóveis transportando irregularmente passageiros, 15 vezes mais (175 veículos) que em 2008, antes de as vans licitadas começarem a rodar. 

O presidente do Detro, Rogério Onofre, diz que o problema está contribuindo para agravar os engarrafamentos que infernizam os motoristas nas horas de pico no Rio. Onofre afirma que a fiscalização desses carros é difícil, porque depende da colaboração dos usuários. Os fiscais do Detro estão sendo treinados para a nova situação e passaram a usar veículos descaracterizados, a fim de conseguir flagrantes. 

- Há pessoas que insistem em agir à margem da lei e, entre os setores mais visados, está o transporte ilegal de passageiros, cujo combate continua uma guerra de guerrilha. É impossível que, numa cidade como o Rio, que sediará a Copa do Mundo e as Olimpíadas, motoristas utilizem veículos sem condições de segurança e manutenção. Isso sem falar nos prejuízos causados ao trânsito pelas bandalhas feitas - diz Onofre. 

Mesmo usando veículos caracterizados, fiscais do Detro conseguiram apreender, na tarde de quinta-feira, um Vectra preto, próximo ao setor de desembarque da Rodoviária Novo Rio, que fazia lotada para Macaé. O motorista teve de devolver o dinheiro pago pelos passageiros. 

Segundo a major Marly Souza, chefe de Fiscalização do Detro, o entorno da Novo Rio é um dos pontos mais visados. De lá saem carros para Niterói, São Gonçalo, Baixada, Macaé e Cabo Frio. Nas esquinas da Rua Sete de Setembro com as ruas Uruguaiana e Primeiro de Março, no Centro, também são encontrados vários desses veículos. Outros locais em que os automóveis de passeio disputam passageiros com ônibus e vans legalizadas são as avenidas Bartolomeu Mitre (Leblon), Presidente Vargas e Rio Branco (Centro). 

Estado defende ação conjunta com município
 
Para o presidente do Detro, Rogério Onofre, a estrutura da prefeitura para combater o transporte clandestino de passageiros é acanhada. Ele pretende procurar o prefeito Eduardo Paes, a fim de pedir apoio para combater o uso de carros particulares em lotadas: 

- Há necessidade de uma ação eficaz e conjunta dos poderes no combate a essa prática, que vem crescendo - diz Onofre. - O município do Rio tem pouca estrutura. Mas o problema é grave. Tem que haver envolvimento do município. O Rio é o principal destino do transporte pirata, e o Detro sozinho não tem como resolver o problema. 

A Subsecretaria de Fiscalização da Secretaria municipal de Transportes informa que a fiscalização de automóveis particulares não está entre suas atribuições. O órgão fiscaliza veículos regulares que prestam serviço de transporte, como táxis, vans e ônibus. No entanto, durante as operações realizadas nos dez meses de funcionamento da subsecretaria, foram flagrados dez carros piratas caracterizados como táxis. 

Em Niterói, usuários embarcam no meio da rua Onofre lembra que a abordagem na fiscalização de automóveis particulares tem que ser diferente, para se conseguir constatar a infração: 

- No começo, o Doblò era muito usado. Agora, são todos os tipos de carros - diz ele.
Em Niterói, veículos particulares, em sua maioria Meriva, faziam lotadas sexta para a Região dos Lagos. Os passageiros embarcavam na rua, entre um supermercado e o Terminal de Coletivos Norte, próximo à estação das barcas. 

Chefe de Fiscalização do Detro, Marly Souza diz que o uso de carros descaracterizados pelos agentes do órgão é fundamental para flagrar infratores: 

- Em geral, quando ocorre a apreensão, os passageiros protestam porque querem o dinheiro de volta. Aí se caracteriza o flagrante. 

Os 2.569 automóveis de passeio apreendidos pelo Detro este ano receberam 6.466 multas (pelo transporte ilegal de passageiros e outras infrações, como mau estado de conservação e documentação irregular). Ano passado, foram 3.802 apreensões e 12.722 infrações. Já os 175 carros apreendidos em 2008 receberam 622 multas. 

Onofre quer ainda que, a exemplo de Brasília, os motoristas sejam punidos por exercício ilegal da profissão. Ele sugeriu ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, a criação de núcleos nas delegacias para cuidar desses casos. 

- O artigo 47 da Lei das Contravenções Penais prevê prisão simples, de 15 dias a três meses, ou multa pelo exercício ilegal da profissão. O mais importante é que haja punição, e não o tempo e o valor da multa. O que estimula a contravenção e o crime é a impunidade - diz o advogado Mário Mesquita. 

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

BRT do Rio deverá ganhar financiamento

18/11/2010 - Transporte Idéias
 
A prefeitura do Rio de Janeiro obteve nesta semana confirmação de empréstimo para obras importantes de transporte e urbanismo. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) confirmou o financiamento de R$ 1,3 bilhão para o BRT Transcarioca, que vai ligar a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim. As informações são do jornal “O Globo”.

O prefeito Eduardo Paes, que esteve nos Estados Unidos, recebeu também outra boa notícia: o sinal verde do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que se dispôs a repassar US$ 150 milhões para o projeto de urbanização das favelas, o”Morar Carioca”. O prefeito ainda fez outros dois pedidos ao BID. O primeiro se refere ao “Morar Carioca”, e o segundo é o financiamento de duas das quatro linhas previstas de BRTs.

O objetivo do prefeito é conseguir o financiamento da Transbrasil (ao longo da Avenida Brasil) e da Transolílimpica (Barra-Deodoro). O custo estimado é de R$ 2,5 bilhões, e o prefeito espera obter, até 2016, R$ 1 bilhão.

“Fizemos uma proposta olímpica ao BID, de R$ 4 bilhões em 10 anos. Acredito que temos chances de conseguir os recursos”, observou o prefeito do Rio de Janeiro.

O otimismo do prefeito é reforçado pelas palavras do diretor do BID no Brasil, José Carlos Miranda. “O Rio tem todas as chances de obter os recursos. Há um comprometimento do BID em apoiar as cidades-sedes da Copa do Mundo e das Olimpíadas”, disse. 
 

Prefeitura apresenta projeto de construção da Transolímpica

17/05/2010 - Prefeitura do Rio de Janeiro
 
Via expressa terá BRT para interligar bairros desde Deodoro arté a Barra da Tijuca.

A Prefeitura apresenta hoje, às 14h30, no auditório do Centro Administrativo São Sebastião, na Cidade Nova, o projeto de construção da Transolímpica, via que fará a ligação direta entre a Barra da Tijuca e Deodoro, dois importantes pólos de competições das Olimpíadas Rio 2016.

Contando com um corredor expresso de ônibus (BRT - Bus Rapid Transit), a Transolímpica vai encurtar o tempo de deslocamento entre duas regiões importantes da cidade, contectando-se ainda com a estação de trens de Deodoro, da Supervia, e a Transoeste, na Barra, garantindo a integração de diferentes meios de transportes. A via, antes denominada Ligação C, consta do caderno de encargos assinado pela Prefeitura com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para os Jogos de 2016.
 
http://www.rio.rj.gov.br/web/guest/exibeconteudo?article-id=797625

Prefeitura apresenta o modelo dos ônibus articulados que circularão na Transoeste

09/11/2010 - Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

Com capacidade para transportar 160 passageiros, primeiro BRT do Rio ligará a Barra da Tijuca a Campo Grande


J. P. EngelbrechtO prefeito Eduardo Paes apresentou na manhã desta terça-feira, dia 9, o modelo de ônibus articulado que será utilizado na Transoeste, o primeiro BRT (Bus Rapid Transit) da cidade. Os ônibus articulados ligarão a Barra da Tijuca a Campo Grande, passando pelo Túnel da Grota Funda. O veículo tem piso elevado a 90 cm do solo, portas do lado esquerdo, capacidade para 160 passageiros e não tem catraca interna. Participaram da apresentação - no local onde estão sendo realizadas as obras de abertura do Túnel da Grota Funda, no Recreio dos Bandeirantes - o ministro dos Esportes, Orlando Silva, dos secretários municipais de Transportes, Alexandre Sansão; de Obras, Alexandre Pinto e da Casa Civil, Pedro Paulo, e do presidente do Rio Ônibus, Lélis Teixeira.

J.P. Engelbrecht- Sempre falamos muito que as pessoas no Rio têm que andar menos de carro e usar bastante transporte público. Os passos para permitir que as pessoas façam isso estão sendo dados agora. Primeiro, com a contratação do Bilhete Único no sábado (dia 6) e agora com um transporte público de qualidade. Isso é um metrô de superfície - disse Paes.

O primeiro BRT da cidade fará o trajeto Campo Grande-Santa Cruz-Guaratiba-Recreio-Barra da Tijuca, gerando mais conforto aos passageiros e uma economia de mais de uma hora no tempo de viagem. Os veículos atendem aos critérios estabelecidos no contrato de licitação das linhas de ônibus, que regulamentou a operação do sistema de transporte rodoviário da cidade e implantou o Bilhete Único Carioca, cuja operação começou no último dia 6.

O prefeito também ressaltou as intervenções municipais para melhoria do transporte público na cidade:

J.P. Engelbrecht- É uma revolução nos transportes o que estamos fazendo no Rio. Licitação de linhas de ônibus, licitação de vans, bilhete único, implantação de quatro corredores de BRT. São intervenções complexas na cidade, que o Rio nunca viu e que vai diminuir enormemente o trânsito nas ruas e dar conforto à população. Esse é o padrão que a gente quer. Quem conhece o TGV francês pode até comparar um pouquinho. Tem a velocidade, a estética, a qualidade e o conforto para o passageiro. É tratar o carioca com dignidade.

A apresentação do modelo do ônibus articulado foi feita no local onde está sendo aberto o Túnel da Grota Funda - uma das etapas mais importantes da implantação da Transoeste. As obras desse corredor de BRT, que vai ter 56 km de extensão, estão orçadas em R$ 800 milhões, começaram há mais de dois meses e fazem parte do pacote viário que vai preparar a cidade para a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.


Texto: Anna Beatriz Cunha
Fotos: J.P. Engelbrecht

http://www.rio.rj.gov.br/web/guest/exibeconteudo?article-id=1287289

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Praça Tiradentes

01/11/2010 - Photographias do Rio Antigo - Lavra



PRAÇA TIRADENTES c. 1950 Post Duplo 2/2

A imagem foi enviada pelo nosso amigo Renato Libeck e mostra o lado leste da praça. O fotógrafo posicionou-se , na esquina de Rua Pedro I, de costas para a Rua da Carioca e de frente para a Av. Visconde de Rio Branco, no outro extremo. Em último plano, vemos um prédio em estilo eclético, onde já esteve instalado durante algum tempo, o DETRAN.

sábado, 30 de outubro de 2010

Ônibus com novas cores é aprovado por passageiros

30/10/2010 - O Dia

Em uma semana, começam a valer o Bilhete Único Carioca e o código disciplinar de transporte

Rio - Os novos ônibus municipais do Rio foram aprovados pelos passageiros no primeiro dia de testes, ontem. Um veículo da linha 232 (Lins-Praça 15) circulou com a pintura-padrão (fundo prata em verde, cor que vai caracterizar os que circulam na Zona Norte) que passará a ser adotada pela frota municipal no sábado dia 6, data em que também começa a funcionar o Bilhete Único Carioca. A estreia da nova frota foi anunciada ontem no ‘Informe do DIA’.


A expectativa é que 7,5% da frota municipal (600 ônibus) sejam renovados por mês | Foto: Paulo Araújo / Agência O Dia

“Ficou mais bonito. No início, as pessoas devem estranhar, mas eu aprovei”, opinou a ambulante Lenir de Lima, 60 anos. O corretor de seguros Anderson Tavares Celeste, 33 anos, tem a mesma opinião, mas espera que a frota que liga a Zona Norte ao Centro aumente. O início da operação dos quatro consórcios vencedores da licitação para operar os ônibus municipais, antes marcado para hoje, foi adiado em uma semana. 

Sábado que vem, as seis empresas encerram as atividades. As 80 linha das viações Amigos Unidos, Breda, Auto Diesel, Zona Oeste e Top Rio serão absorvidas pelos consórcios. Inicialmente, os ônibus desses trajetos circularão com adesivos sobre o nome das antigas empresas. Segundo a Fetranspor, não haverá redução da frota. “Espero que o número de ônibus aumente”, afirmou a auxiliar administrativa Elaine Mesquita, 35, uma das passageiras do novo coletivo testado ontem. 

A expectativa é que 7,5% da frota municipal (600 ônibus) sejam renovados por mês. Os veculos terão câmeras e GPS. As empresas também passam a ser regidas por um Código Disciplinar de Transporte de Passageiros a partir do dia 6.

Interessados em adquirir o Bilhete Único Carioca devem se apressar. O cadastro pode ser feito pelo site www.riobilheteunico.com.br. O benefício só pode ser usado 48 horas após o cadastramento.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Novas regras para ônibus do Rio começam a valer a partir do dia 6

29/10/2010 - G1, com informações do RJTV

Fetranspor estima que frota estará totalmente modificada dentro de um ano.
Consórcios vencedores farão trajetos de empresas que deixarão de existir.

Video:

A partir de 6 de novembro passam a valer as novas regras para os ônibus da cidade do Rio de Janeiro. Entre as mudanças previstas, além da identificação das frotas por cores padrão, estão a implantação de câmeras de vídeo, tacógrafos eletrônicos e o uso do rastreador GPS para acompanhar a movimentação da frota. Algumas linhas de ônibus também devem ser remanejadas de áreas onde há excesso de veículos para regiões onde o transporte é precário.

Os primeiros coletivos a se adequarem às novas regras são os da linha Lins-Praça XV, que já circulam pelo Rio de cara nova. A mudança no novo visual da frota municipal, no entanto, deve acontecer gradualmente. As concessionárias têm que adequar 7,5% da frota por mês para que em um ano todos os ônibus estejam de cara nova, de acordo com estimativas da Fetranspor.
saiba mais
Passageiros reclamam de motoristas de ônibus que param fora da hora

Os ônibus municipais foram divididos por quatro grandes áreas, administradas por quatro diferentes concessionárias. Cada uma delas terá detalhes em uma cor predominante na frota: na Zona Oeste, o concessionária Santa Cruz usará o vermelho; na região da Barra e Jacarepaguá, a Transcarioca usará azul; na Zona Sul, a Intersul terá o amarelo em destaque; e na Zona Norte, o consórcio Internorte usará a cor verde. Já o Centro será a região de destino de todas as áreas.

Algumas empresas vão desaparecer
Nessa reformulação, algumas empresas de ônibus que não participaram da licitação vão desaparecer: Breda, Auto Diesel, Erig, Amigos Unidos, Feital, Zona Oeste e Top Rio.

De acordo com a Fetranspor, os consórcios que venceram a licitação vão assumir todos os trajetos feitos por essas empresas. A única diferença, por enquanto, ainda segundo a Fetranpor, é que será usado um adesivo para esconder o nome dessas empresas nos ônibus, já que elas não poderão mais atuar a partir do próximo dia 6.
Modelo de Ônibus novo no Rio
Cor dos ônibus é definida de acordo com área de circulação (Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio)

Bilhete Único Carioca

Dia 6 de novembro também é a data escolhida para a implantação do Bilhete Único Carioca(BUC), o sistema de integração das linhas de ônibus municipais do Rio. A partir desta data, o passageiro poderá pegar dois ônibus em um intervalo máximo de duas horas pagando uma passagem de R$ 2,40.

O usuário só poderá usufruir da tarifa do Bilhete Único Carioca, após seu cadastramento no site do RioCard, vinculando o CPF ao número do cartão.

Quem já possui o Bilhete Único Intermunicipal e o Vale Transporte RioCard não precisa se cadastrar.


quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Em teste, ônibus ‘verde’ parador gera polêmica

26/10/2010 - O Dia - Diogo Dias

Dispositivo que desliga motor nos sinais e pontos reduz poluição e prolonga viagem

Rio - Em teste na cidade, um sistema que promete reduzir a quantidade de ruídos e gases poluentes emitidos pelos ônibus está dividindo a opinião dos passageiros. O dispositivo desliga automaticamente o motor do coletivo quando ele para em sinais de trânsito ou nos pontos. Apesar da contribuição para o meio ambiente, muitos usuários reclamam que aviagem está mais demorada.

Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia
O motor do ônibus é desligado em paradas longas, superiores a dez segundos | Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia

Por enquanto, a experiência está sendo feita pela Viação Breda em três dos 30 ônibus da linha 497 (Cosme Velho x Penha). O motor é desligado em paradas longas, superiores a dez segundos. 

A novidade não agradou a alguns passageiros. “Não concordo. De paradinha em paradinha, a gente perde pelo menos 10 minutos. Trabalho com pessoas doentes e não posso me atrasar de jeito nenhum”, reclama a enfermeira Maria da Graça de Paula, 60 anos. 

O estudante Severino Macena, 21 anos, tem opinião parecida. “Quando você está no ônibus, só quer chegar logo ao seu destino. Esta novidade ainda vai causar muita confusão”, aposta. 

Para testar o sistema, O DIA percorreu o trecho entre Cosme Velho e Praça da Cruz Vermelha nos dois modelos de ônibus. As viagens foram feitas no mesmo horário, mas em dias diferentes. O veículo convencional demorou 27 minutos para percorrer 6,5 km. Já o equipado com a nova tecnologia fez o mesmo trajeto em 33 minutos — uma diferença de cinco minutos.

Especialistas creem que a novidade não vai gerar engarrafamentos. Segundo o engenheiro de transportes Alexandre Rojas, o veículo pode arrancar rapidamente após o motor ser religado. “A diferença na viagem é mínima ou nenhuma”, explica. Ele ressalta que, com a tecnologia, o passageiro terá mais conforto. 

“Tem menos barulho e menos calor do motor. Este tipo de ônibus é interessante tanto para a sociedade quanto para empresários, que economizam combustível”, afirma. De acordo com ele, o motor dos veículos equipados com o novo sistema funcionam na rotação ideal. Por isso, consomem menos combustível e emitem menos gases poluentes. 

Segundo Guilherme Wilson, gerente de operações de mobilidade da Fetranspor, se a eficácia da novidade for comprovada, outras empresas serão estimuladas a adotá-la.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Ônibus de cara nova só no dia 6

27/10/2010 - Extra Online - Ana Carolina Torres e Luiz Ernesto Magalhães

MUDANÇAS NO TRANSPORTE

Pablo Jacob

A Prefeitura do Rio decidiu adiar, para o próximo dia 6, a entrada em circulação dos primeiros ônibus com as cores dos consórcios que venceram a licitação organizada pela Secretaria municipal de Transportes para reorganizar o sistema e implantar o bilhete único. Inicialmente, a previsão era que isso acontecesse a partir da próxima semana.

Oficialmente, a decisão foi tomada para que haja coincidência de datas entre a circulação dos ônibus com cores novas e a entrada em operação do bilhete único com o novo padrão. A razão, porém, seria outra: as empresas têm dúvidas sobre as tonalidades que devem ser adotadas e ainda discutem tema com a prefeitura.

Resolução no Diário Oficial com regras para a padronização será publicada hoje. A orientação será para que os concessionários adotem o novo padrão dentro de um ano. Por mês, em média, 7,5% da frota seriam pintadas. Ou seja, cerca de 700 coletivos por mês. 
Os quatro consórcios que ganharam a licitação para operar as linhas do município do Rio não se adaptaram ainda às regras da prefeitura — que prevê pintura padrão para os coletivos e aparelhos de segurança, como câmeras, tacógrafos eletrônicos e GPS. 

Das cinco garagens onde o EXTRA esteve nesta terça-feira, em apenas uma havia dois ônibus com a pintura nova. 


— Não podemos simplesmente mudar a frota toda da noite para o dia. Estamos aguardando os ônibus novos — disse uma funcionária da Transurb, no Engenho de Dentro, que faz parte do consórcio Internorte, que vai operar na Zona Norte.

Na Viação Redentor, integrante do consórcio Transcarioca, o funcionário Jorge Cerqueira informou que os ônibus ainda não foram pintados porque a própria prefeitura mudou quatro vezes as cores padrão.

As viagens integradas vão custar R$ 2,40 

O Bilhete Único Carioca (BUC) faz parte da integração das linhas de ônibus municipais da cidade. Com ele, os passageiros poderão realizar duas viagens num período de duas horas, a um custo de R$ 2,40.

Até o momento, cerca de 1,8 milhão de usuários já estão aptos a utilizar o BUC. Quem quiser se inscrever pode fazê-lo pelo site www.riobilheteunico.com.br ou num dos oito postos: terminal rodoviário Alvorada; shopping Bangu; Secretaria municipal de Saúde; Rio Poupa Tempo, na Rua da Ajuda 5,; Central do Brasil; Regional Administrativa de Irajá, na Avenida Monsenhor Felix 512; Terminal Rodoviário de Madureira e Regional Administrativa de Santa Cruz, na Rua Fernanda 155.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Prefeitura adia início de operação de novos ônibus

26/10/2010 - Extra Online - Luiz Ernesto Magalhães

RIO - A prefeitura decidiu adiar para o próximo dia 6 de novembro a entrada em circulação dos primeiros ônibus com as cores dos consórcios que venceram a licitação organizada pela Secretaria municipal de Transportes para reorganizar o sistema e implantar o bilhete único. Inicialmente, a previsão era que isso acontecesse a partir da próxima semana.

Oficialmente, a decisão foi tomada para que haja uma coincidência de datas da entrada em operação dos bilhete único com o novo padrão. A razão, porém, seria outra: as empresas ainda têm dúvidas sobre as tonalidades que devem ser adotadas e ainda discutem o tema com a prefeitura.

Nesta quarta-feira, a prefeitura publica no Diário Oficial do Município as regras para implantação do novo padrão visual dos consórcios que venceram a licitação para operar as novas linhas de ônibus na cidade. A substituição das cores tradicionais das empresas pelos novos modelos será feita em cerca de um ano. A cada mês, pelo menos 7,5% da frota terão que adotar o novo visual. Isso equivale a cerca de 700 carros por mês.

domingo, 24 de outubro de 2010

Prefeitura do Rio vai instalar radares para fiscalizar corredores de ônibus em Copacabana

22/10/2010 - O Globo - Selma Schmidt

MONITORAMENTO



RIO - A circulação nos dois primeiroscorredores exclusivos de ônibus que a prefeitura implantará em janeiro em Copacabana será controlada por radares, anunciou, nesta sexta-feira, o prefeito Eduardo Paes. Automóveis, táxis, vans e veículos de carga e descarga só poderão usar as seletivas até a primeira rua que dê mão à direita. Durante reunião com técnicos da Secretaria municipal de Transportes e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), o secretário Alexandre Sansão bateu o martelo sobre medidas operacionais para a implementação desses corredores. Segundo Sansão, deixarão de passar na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e na Rua Barata Ribeiro 120 ônibus, em média, por hora. Ou seja, uma redução de 30% na quantidade dos coletivos (400/hora) que trafegam pelas duas principais vias do bairro.

- Com a diminuição dos coletivos em Copacabana, pretendemos melhorar o desempenho dos ônibus. Nossa estimativa é que a velocidade deles, que hoje é de menos de 15km/h, passe a 20, 25km/h - prevê Sansão.

Além da delimitação de duas faixas - de um total de quatro - para ônibus, o projeto de criação dos corredores também reorganiza e sinaliza os pontos. A exemplo das estações do metrô, eles ganharão nomes - de uma rua, uma praça ou um local importante próximo - e cores, para facilitar a identificação pelo passageiro. Serão criados três grupos de linhas, cada um deles com uma cor, que estará nos veículos e nos pontos.

- A distância entre um ponto e outro será de cem metros. Mas cada grupo de linhas terá pontos de 300 em 300 metros - explica Sansão.Táxis à esquerda; vans sem espaço

De acordo com a presidente da CET-Rio, Cláudia Secin, a rede de monitoramento da circulação nos corredores será formada por 23 câmaras. A tecnologia do equipamento permitirá acompanhar e multar os veículos que deixarem de dobrar na primeira direita a dar mão. Já a fiscalização da parada irregular para embarque e desembarque, acrescenta Cláudia, será feita por guardas municipais e agentes da CET-Rio.

Duas linhas azuis serão pintadas nas bordas dos dois corredores exclusivos. Segregadores amarelos, com cerca de quatro centímetros de altura, vão separar os corredores das faixas destinadas aos demais veículos. Em forma de trapézio, os tachões serão dispostos de forma a dificultar e a facilitar o acesso, dependendo do trecho do corredor.

- Não haverá barreiras. Usaremos os segregadores de forma não agressiva - diz Cláudia, acrescentando que os tachões serão intercalados com placas de led para facilitar a visualização dos corredores à noite.

As duas faixas dos corredores exclusivos serão delimitadas por pintura branca. A palavra "ônibus" estará escrita na pista. A sinalização será complementada por placas, que indicarão as ruas onde será possível dobrar à direita. E, ainda, por quatro painéis luminosos com mensagens informativas.

O dia de janeiro em que os corredores de Copacabana serão inaugurados ainda depende de definição:

- O certo é que será em janeiro, para coincidir com as férias escolares - diz Sansão.

Para os veículos que não são ônibus, haverá as duas faixas da esquerda dos corredores. Aos táxis só será permitido parar à esquerda. Como não possuem portas dos dois lados, as vans só poderão embarcar e desembarcar passageiros em vias transversais ou paralelas aos corredores.

A primeira semana deve ser de adaptação, sem a aplicação de multas. Em seguida, segundo o secretário, a fiscalização será rígida. Não será feito cadastramento, mas o secretário garante que os carros poderão usar a seletiva para entrar e sair de garagens.

Os detalhes sobre os ônibus que deixarão de passar em Copacabana estão sendo finalizados. O secretário informou apenas que "algumas linhas serão seccionadas", ou seja, terão o trajeto encurtado.

Na opinião do presidente da Sociedade Amigos de Copacabana, Horácio Magalhães, a fiscalização é o grande desafio para a implementação dos corredores:

- Dependendo do volume de ônibus, que criam barreiras físicas, o motorista pode precisar percorrer mais de um quarteirão para entrar e sair de sua garagem.

Contagem feita pela Sociedade Amigos de Copacabana identificou 44 prédios com garagem na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e 58 na Rua Barata Ribeiro.

Mais uma preocupação de Horácio é quanto aos táxis:

- Eles poderão formar um grande paredão na faixa da esquerda, sobrando uma única faixa para a circulação dos demais veículos.

As vias exclusivas para ônibus em Copacabana são parte do corredor de tráfego que a prefeitura pretende implantar ligando o bairro ao Centro. Ao todo estão planejados 20 corredores (entre eles Saens Peña-Centro e Penha-Centro) com prioridade para o ônibus. Além de quatro BRTs (vias expressos para ônibus articulados): o TransOeste, ligando o Jardim Oceânico (Barra da Tijuca) à Santa Cruz, que terá 56 quilômetros; o TransCarioca, entre a Barra e o Aeroporto Internacional Tom Jobim; o da Avenida Brasil, do Centro até Santa Cruz; oTransOlímpíco, com 26 quilômetros, entre a Barra e Deodoro.

- O prefeito quer que os corredores de Copacabana sejam um modelo que possa ser expandido pelo resto da cidade - afirma a presidente da CET-Rio.

Consórcios podem suprimir linhas de ônibus na cidade do Rio

22/10/2010 - O Globo

TRANSPORTES

RIO - A estreia dos quatro consórcios que venceram a licitação da prefeitura para a operação dos ônibus municipais (Intersul, Internorte, Transcarioca e Santa Cruz), no próximo dia 30, pode dar início ao processo de reordenamento do sistema. A assessoria do Rio Ônibus (sindicato que reúne as empresas de ônibus da capital) informou que os empresários estão estudando uma proposta de supressão de algumas linhas e serviços (variações da mesma linha), que fazem trajetos sobrepostos a outros. O estudo será apresentado na semana que vem ao secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão a quem cabe tomar a decisão. A Rio Ônibus garantiu que a retirada imediata de alguns veículos de circulação, se aprovada, não prejudicará os passageiros.

A Rio Ônibus assegurou ainda que as linhas das seis empresas que deixarão de funcionar no dia 30 serão absorvidas pelos consórcios. Segundo a entidade, os consórcios estão se organizando para operar esses trajetos. Sansão lembrou que, formalmente, os consórcios assumiram a responsabilidade jurídica por essas linhas.

- Elas poderão adquirir os ônibus das empresas que deixarão de operar, colocar ônibus novos, usar veículos de empresas do consórcios. Elas têm a liberdade de escolher como vão fazer. No caso de usarem os veículos das empresas que vão sair, terão de cobrir o nome delas. O número e o trajeto das linhas também tem de estar no ônibus - explica Sansão.

Entre as seis empresas que deixarão de operar no dia 30 está a Amigos Unidos, que atualmente é responsável por linhas como a 107 (Central-Urca), a 176 (Central-São Conrado) e a 521 (Vidigal-Metrô Botafogo). A Breda, a Auto Diesel e a Zona Oeste são outras empresas que não participam dos consórcios. Deixarão de operar ainda os ônibus municipais a Erig e a Top Rio. A Santa Sofia e a Ocidental já não fazem parte do sistema municipal atual, sendo as suas linhas operadas por um pool de empresas.

No primeiro dia de operação dos consórcios deverão circular 200 ônibus - todos novos - com a nova padronização externa fixada por resolução da Secretaria de Transportes. Brancos, os coletivos terão detalhes em outra cor, para identificar a região onde trafegam. Já a implantação do Bilhete Único Carioca acontecerá no dia 6 de novembro, no sábado posterior ao segundo turno das eleições.

sábado, 23 de outubro de 2010

Lotação na Década de 1950

23/10/2010 - o OutRo MunDo - OutStAnDinGs - Condi di Lido




Acervi Renato Acervo Renato Libeck

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Subprefeitura derruba construções irregulares no trajeto da Transoeste

22/10/2010 - O Globo 

CORREDOR EXPRESSO

Trator derruba contrução irregular. Foto: Divulgação/ Subprefeitura da Barra e Jacarepaguá

RIO - A Subprefeitura da Barra e Jacarepaguá removeu, nesta sexta-feira, seis construções comerciais irregulares dentro do traçado do projeto de duplicação da Avenida das Américas, no Recreio. A ação faz parte das obras da Transoeste, corredor expresso que fará a ligação entre a Barra da Tijuca e Santa Cruz . Foram retiradas duas oficinas mecânicas, uma marcenaria, uma loja de móveis de vime, uma lanchonete e uma loja de bicicletas.

Os estabelecimentos foram notificados e, segundo a subprefeitura, a maioria estava desocupada. A operação contou com apoio de equipes da Secretaria Municipal de Obras, Defesa Civil, Comlurb, Guarda Municipal, Cedae, Light e polícias Militar e Civil.