domingo, 29 de julho de 2018

Irmãos Almeida

Viação Irmãos Almeida Ltda.
1953 - 1963

Resumo Histórico

Empresa de lotações formada em 13 de outubro de 1953, como firma social, com mais de um proprietério, sob o registro nº 28.441-53 da Divisão de Registro do Comércio do  Departamento Nacional da Índústria e Comércio.

Em 1955 explorava a linha de lotações Praça XV – Encantado.

Por volta de 1957, a linha de lotações Praça XV – Encantado, tem sua frota parcialmente substituída por ônibus, sendo transformada na Linha 67 (Praça XV – Encantado). Em junho de 1958, a empresa contava com frota de 12 ônibus, de 34 e 36 passageiros.  Ainda em 1962 , no entanto, a linha era operada com ônibus e lotações.

Em maio de 1959 o 12º Cível ordenou o processamento de concordata preventiva da Empresa.




Sede da Empresa: Praça Sargento Eudóxio Passos, 13, no bairro do Encantado.




REFERÊNCIAS:

“Departamento Nacional da Índústria e Comércio”. Jornal do Commercio. 1953, outubro, 16. Página 13.

“É uma afronta à memória de meu esposo”. Diário da Noite. 1955, março, 17. Página 7.

“Parte Comercial”. Jornal do Commercio. 1956, agosto, 24. Página 12.

“Só com o preto no branco podem confiar na Prefeitura”. Diário da Noite. 1958, março, 12. Primeira Seção, página 2.

"Considerada ilegal a greve dos ônibus". O Globo. 1958, junho, 3. Matutina, Geral, página 6

“Falências e Concordatas”.  Correio da Manhã. 1959, maio, 19. Segundo Caderno,página 9.

“Empresários de ônibus tomam posição hoje”. Última Hora. 1962, novembro, 13. Página 2.

“Estado intervém em 6 empresas de ônibus que recusam 35%”. Jornal do Brasil. 1962, novembro, 13. Primeiro Caderno, Classificados, página 4.










quarta-feira, 18 de julho de 2018

Algarve

Empresa de Viação Algarve Ltda.
1996 - 2016

Resumo Histórico

Empresa de ônibus fundada em outubro de 1996, com 12 linhas e 85 carros oriundos da Viação Jabour:


Linhas e respectivas frotas:

838 - 10 
852 - 6
866 - 6
870 - 17
871 - 8
872 - 9
873 - 9
880 - 1
887 - 3
888 - 4
889 - 2
S03A - 10



No dia 3 de abril de 2014, em função do mal serviço prestado, é anunciada a cassação do direito de operação das linhas 261 (Marechal Hermes – Centro) e 2304 (Sepetiba – Carioca) via Avenida Padre Guilherme Decaminada, ambas operadas pelo Consórcio Santa Cruz, sendo a 261 pela Via Rio Class/City Rio, e a 2304 pela Viação Algarve.



Sede: avenida Cesário de Melo, 11.800, Paciência, Rio de Janeiro - RJ.










segunda-feira, 16 de julho de 2018

Empresas em atividade em 1940














Novacap

Viação Novacap S.A.
Desde 1961

Resumo Histórico

Em julho de 1966, é inaugurada a Linha 624 (Mariópolis-Praça da Bandeira), beneficiando os moradores do bairro de Anchieta, com ponto final na rua Leopoldina Borges.

Linha 624 na Avenida Suburbana em 1967, na divisa entre os bairros de Maria da Graça e Higienópolis. Foto Arquivo Nacional, acervo Correio da Manhã.








Linhas da Empresa no período 1968 -1977:

284 - Tiradentes - Praça Seca
624 - Praça da Bandeira - Mariópolis
723 - Cascadura - Mariópolis
916 - Sulacap - Bonsucesso
917 - Mallet - Bonsucesso

Linha 916 (Bonsucesso - Sulacap) na década de 1980. 
Foto Waldemar Pereira de Freitas Junior.


Dados Operacionais da Empresa em dezembro de 1982:

Frota autorizada: 130
Linhas em operação: 5
Passageiros/mês: 2.494.215


Fonte: "Transporte Urbano Rodoviário na Cidade do Rio de Janeiro". Superintendência Municipal de Transportes urbanos. 1982, dezembro.


No dia 14 de novembro de 2013, a  Viação Novacap inicia a operação, em testes, de um ônibus padron (motor traseiro) modelo Sam Marino Neobus Mega IV carroceria Mercedes Benz (Brasil) OH-1621 EURO V, carro número C 51 646.


Prefixo da Frota: 51 500

Garagem: Estrada Intendente Magalhães , 1.154, Vila Valqueire.


REFERÊNCIAS:

“Cidade”. Jornal do Brasil. 1966, julho, 15. Classificados, página 4.











domingo, 15 de julho de 2018

Plano de Transportes de 1955














EMO

Empresa Municipal de Ônibus
1948 - 1978

Resumo Histórico


Em 1950, inaugura a Linha de ônibus S-87 (Ribeira - Galeão), junto com a pavimentação da Estrada do Galeão. A linha interligava as pontes da Ribeira e do Galeão, pontos de atracação das barcas da Cantareira.

Ainda em 1950, vende a concessão de uma linha de ônibus entre a Ilha do Governador e o centro da cidade, colaborando na formação da empresa Transportes Paranapuan.


Inauguração da nova garagem em 20 de janeiro de 1949. Foto Arquivo Nacional

Em junho de 1958, com 44 carros, operava 3 linhas:

9 (Harmonia – Bairro Peixoto)
102 (Largo do Machado – Sáenz Peña), futura linha 405
115 (Laranjeiras – Estrada de Ferro), futura linha 184






Em abril de 1965, explorava também a Linha 334 (Braz de Pina-Tiradentes). 

Sede da Empresa: Rua Guilherme Maxwell, 210, Bonsucesso.







REFERÊNCIAS:

"Situação da Greve em cada uma das emprêsas de ônibus." Jornal do Brasil. 1958, junho, 6. Primeiro Caderno, página 7.

“Prejudicados passageiros da Linha 334”. Correio da Manhã. 1965, abril, 11. Página 12.












sexta-feira, 13 de julho de 2018

Coesa

Companhia de Ônibus Encontro S.A.

Desde 1974

Resumo Histórico

No dia 13 de novembro de 1973, é lavrada a Escritura Pública de constituição da Companhia de Ônibus Encontro S.A.-COESA, formada por 50 empresas permissionárias de ônibus do Estado da Guanabara.

Em 1974, no dia primeiro de agosto, são inauguradas 3 linhas intermunicipais, todas via Ponte Rio-Niterói: 

Bangu - Venda da Cruz, prolongada até a Covanca
Madureira - Fonseca
Vila Isabel - Neves




Marcelo Almirante
Página lançada em 13 de julho de 2018














Linhas e Empresas em 1981






Marcelo Almirante
Página lançada em 13 de julho de 2018










quinta-feira, 12 de julho de 2018

Linhas Especiais

Desde 1966


Resumo Histórico

Em 1961, no dia 18 de janeiro, a Breda Turismo inaugura uma linha especial de ônibus para o Aeroporto do Galeão. A licença para exploração da linha foi solicitada pela primeira vez em outubro de 1959, gerando o protesto de taxistas. No dia 20 de janeiro a empresa de Turismo Saturin lança o serviço de ônibus do Galeão para os Hotéis da Zona Sul, com tarifa de 200 cruzeiros. A Saturin Turismo começou a operar em outubro de 1951,  com uma frota de cinco ônibus franceses, do tipo Chausson, com capacidade para 40 passageiros cada um.

Em 1966, no dia 11 de março, através do Decreto número 1.042, é criado o serviço de ônibus especiais,  estabelecendo o uso de veículos com capacidade mínima para 36 passageiros sentados. No dia 19 de abril são abertas as propostas para a operação das primeiras duas linhas: Mauá-Santa Cruz e Mauá-Campo Grande.

Em 1966 é realizada apenas uma concorrência para adjudicação de uma nova linha de ônibus no sistema municipal de ônibus do Rio de Janeiro. A concorrência é ganha pela empresa Expresso Pégaso, que no dia 29 agosto, com frota de 6 ônibus rodoviários, inaugura a  linha Praça Mauá - Santa Cruz, via Avenida Brasil, iniciando também a operação da empresa. O bairro de Santa Cruz, que até então, era atendido para o Centro  somente por trens suburbanos, ganhava sua primeira linha de ônibus com acesso direto ao centro da cidade. O tempo de viagem era de 1h30, cobrava tarifa de 940 reais, a mais cara da cidade. O itinerário seguia pela Avenida Brasil, Estrada do Mendanha, Campo Grande e Santa Cruz. A frota era composta por ônibus Mercedes LPO, com capacidade para 40 passageiros,  o mesmo tipo de veículos das linhas interestaduais, sem trocador. Era proibido transportar passageiros em pé.




Em 1969, a companhia de turismo Anatur inicia o serviço de ônibus fretados especiais com música ambiente, ar-condicionado e poltronas reclináveis entre a Zona Sul e o centro da cidade. Em 1971 o sistema contava com frota de 20 ônibus especiais com linhas para a Zona Sul, Meyer, Grajaú e Tijuca. O serviço foi inspirado em cidades estadunidenses e europeias e foi o percursor das futuras linhas especiais com ar-condicionado (frescões) inauguradas a partir  de 1973.

No dia 10 de maio de 1970, são demolidas as 3 coberturas do Terminal Erasmo Braga,  para o início das obras de construção do Edifício Garagem Menezes Cortes.

Em maio de 1970, é inaugurada a segunda linha da empresa, a linha especial Sepetiba – Praça Mauá, via Avenida Brasil, também explorada com ônibus rodoviários, com tarifa de 2 cruzeiros novos. 

Em junho de 1971, são iniciados os estudos de implantação de uma nova linha de ônibus entre Santa Cruz e Sepetiba com o centro da cidade, passando pela Rodovia Rio-Santos, Barra da Tijuca, e pela nova Auto-Estrada Lagoa-Barra. Até então a empresa já operava as linhas Santa Cruz – Praça Mauá  e Sepetiba – Praça Mauá.


No dia 30 de outubro de 1971, seguindo determinação da Secretaria de Serviços Públicos, a Pégaso,  inaugura sua terceira linha de ônibus especial, a Base Aérea de Santa Cruz – Aeroporto de Santos Dumont, via Rodovia Rio-Santos e Copacabana, cm tarifa de 3 cruzeiros. Inicialmente com frota de 5 ônibus deslocados das linhas Santa Cruz-Mauá e Sepetiba-Mauá. 

No dia 30 de janeiro de 1972, a Expresso Pégaso inaugura a linha Base Aérea de Santa Cruz – Aeroporto de Santos Dumont, via Rodovia Rio-Santos, servindo os bairros do Recreio, Barra da Tijuca, São Conrado, Leblon e Copacabana.


Em julho de 1972, visando a implantação de um novo Plano de Transportes, o Governador Chagas Freitas entrega a minuta do edital para dividir a cidade em 16 áreas seletivas, com a fusão das então 59 empresas de ônibus em apenas 13. Assim que as novas empresas estivessem formadas teriam o direito de exploração de uma linha de ônibus especial com ônibus rodoviários com ar-condicionado, para o centro da cidade, sendo uma alternativa mais econômica que o uso de carro particular ou táxi, contribuindo para diminuir os congestionamentos. Até então a cidade contava com as seguintes linhas especiais, sem ar-condicionado: 

Mauá – Sepetiba (Praia do Cardo)
Mauá – Santa Cruz
Mauá – Campo Grande
Base Aérea de Santa Cruz – Aeroporto Santos Dumont (via Zona Sul)

No dia 13 de novembro de 1972, é apresentado ao governador Chagas Freitas o modelo do ônibus de luxo, com carroceria da firma Metropolitana, a ser operado na primeira linha de ônibus especial com ar-condicionado da cidade, previsto para ligar Jacarepaguá ao Centro. O mesmo ônibus é exposto no Salão do Automóvel em São Paulo.

Em 1973, no dia 27 de fevereiro, o governador Chagas Freitas assina o decreto aprovando o serviço de ônibus especiais com ar-condicionado, estabelecendo para o novo serviço, entre outras características, motor traseiro de 200 HP e lotação de 38 passageiros sentados.  As linhas só poderiam ser radiais.

Em fevereiro de 1973, é inaugurada a linha especial Campo Grande - Aeroporto Santos Dumont, via Autoestrada Lagoa-Barra.

No dia 25 de abril de 1973, é publicado do Diário Oficial do Estado da Guanabara a relação das 16 áreas seletivas para exploração do serviço de linhas especiais com ar-condicionado.



O Globo 25/04/1973


O serviço de transporte especial com ônibus rodoviário providos de ar-condicionado foi iniciado com a criação de 3 linhas , servindo aos bairros mais afastados, Taquara, Praça Seca e Campo Grande. O novo serviço foi criado com o objetivo de criar uma opção atraente de transporte coletivo, diminuindo o número de automóveis em circulação, economizando-se combustível, que na época era importado, além de melhorar as condições de circulação da cidade, já prejudicada pelas obras do metrô e inúmeras intervenções viárias. A segunda linha de “frescão”, Campo Grande – Castelo, operada pela empresa Pégaso, é inaugurada em 1974. A Pégaso nessa época já operava linhas especiais, sem ar-condicionado,  entre Sepetiba, Santa Cruz e o centro da cidade. Nota-se que, em março,  das 57 empresas permissionárias, apenas as empresas  Transportes Pégaso e Viação Redentor não concordaram com a aprovação de uma única empresa para operação do serviço de ônibus de luxo. A empresa única era uma proposta do Sindicato das empresas permissionárias de ônibus do então  Estado da Guanabara. A empresa foi formada como o nome de Companhia de Ônibus Especiais (Coesa). Na época foram até comprados novos ônibus de luxo, mas ela nunca chegou a operar nenhuma linha especial, passando a operar linhas convencionais no município de São Gonçalo. Por volta de março de 1973 as firmas Metropolitana e Marcopolo apesentam seus modelos de ônibus de luxo ao Sindicato das Empresas, para eventual operação no futuro sistema de ônibus de luxo.

No dia primeiro de maio de 1973, é inaugurado o Terminal Garagem Coronel Menezes Cortes no Castelo, com 16 andares de estacionamento e duas plataformas para ônibus, com  investimento de Cr$ 40 milhões. O edifício foi construído sobre o antigo terminal rodoviário construído na década de 1950 e que também abrigou linhas de ônibus elétricos no período 1962-1969. O governador deu a denominação Menezes Cortes em homenagem ao antigo Diretor do Trânsito do Estado da Guanabara. Em setembro o terminal abrigava o ponto final das linhas 101 (Castelo – Jardim de Alá) e 219 (Praça XV – Usina).

No dia 24 de junho de 1973, é inaugurada a linha especial, sem ar-condicionado,  Aeroporto Santos Dumont – Restinga de Marambaia, via Zona Sul e Barra de Guaratiba, com tarifa de 3 cruzeiros. A linha era a única opção direta da Barra de Guaratiba para  o Centro. Na época, já estavam em operação duas linhas especiais, a partir do Aeroporto Santos Dumont, um para Santa Cruz (1966) e outra para Campo Grande, ambas via Barra da Tijuca. O ponto final das três linhas foram transferidos para o Terminal Menezes Cortes.

No dia primeiro de outubro de 1973, é inaugurada a linha de ônibus especial, com poltronas reclináveis, entre os aeroportos do Galeão e Santos Dumont. Os carros ainda não contavam com ar-condicionado.  A linha era explorada por uma empresa de turismo, que planejava estender a linha até Copacabana e adquirir novos ônibus com ar-condicionado.

No dia 20 de outubro de 1973, inauguração da primeira linha do serviço de ônibus de luxo, logo apelidados pela população de "frescões". Inicialmente com 6 ônibus com ar-condicionado, música ambiente e poltronas reclináveis, operados pela Viação Redentor, na linha Castelo –Praça Seca, via Grajaú. A linha contava com 36 km de extensão, tempo de viagem de 50 minutos e tarifa de Cr$ 4,20.  A Redentor na época também operava duas linhas convencionais, a 240 (Carioca-Taquara) e 241 (Praça Mauá-Taquara), ambas com tarifa de Cr$ 1,25.

No dia 13 de novembro de 1973, é lavrada a Escritura Pública de constituição da  Companhia de Ônibus Encontro S.A.-COESA, formada por 50 empresas permissionárias de ônibus.

Em agosto de 1974, é inaugurada a segunda  linha especial com ar-condicionado  (“frescão”) da cidade, entre Campo Grande e Castelo, explorada pela Expresso Pégaso. No período de 29 de outubro a 14 de novembro a Secretaria de Serviços Públicos recebeu as propostas das empresas para a exploração de 11 áreas seletivas com ônibus de luxo. Após o julgamento das propostas no dia 14 de novembro de 1974 as empresas contavam com 120 dias para iniciar a operação das linhas. Estavam excluídas da licitação as áreas 11 (Jacarepaguá) e 13 (Campo Grande, Santa Cruz), por já estarem sendo operadas pelas empresas Redentor e Pégaso, e as áreas 3 (Centro, Glória, Santa Teresa, Catumbi), 15 (Barra da Tijuca) e 16 (São Cristóvão), por serem áreas de uso comum de todas as empresas.

Em setembro de 1974, é formada a cooperativa COESA composta por 50 das 54 empresas de ônibus permissionárias do transporte coletivo  do então Estado da Guanabara. A cooperativa foi criada para operar 13 áreas seletivas o novo sistema de linhas especiais com ônibus de luxo com ar-condicionado. Apesar da empresa, na época, já estar legalizada, contando com garagem, funcionários e até 40 novos ônibus especiais  ele nunca chegou a operar nenhuma linha de ônibus especial. As áreas seletivas acabaram sendo entregues  através de licitação. No mesmo mês a Secretaria de Serviços Públicos publica o edital convocando as empresas apresentarem propostas para a exploração de linhas especiais entre o centro da cidade e as 12 áreas seletivas das 16 em que foi dividido o sistema de transporte coletivo. Até então apenas duas áreas seletivas contavam com linhas especiais com ar-condicionado: Jacarepaguá e Campo Grande. Em novembro, é realizada a concorrência pública para exploração do transporte especial – ônibus seletivo -  em 11 áreas. 




Novas empresas com "frescões" em 1975: Real, São Silvestre, Alpha, Três Amigos, Caprichosa, Matias, Paranapuan, Acari, Forte. Em janeiro de 1975 as empresas Expresso Pégaso e Viação Redentor já exploravam linhas especiais. 





O ano de 1983 marca a extinção da maioria das linhas especiais com ar-condicionado -“frescões”- da zona norte. O espaço vago deixado  pelas linhas no terminal Menezes Cortes passa a ser ocupado, em parte, pelas linhas especiais sem ar-condicionado da  Expresso Pégaso, cujos pontos finais de suas 4 linhas são transferidos do Aeroporto Santos Dumont e da  Praça Mauá. 


Em maio de 2005,  Expresso Pégaso reativa a linha 1133 (Castelo-Recreio), com frota de 15 novos micro-ônibus.

No dia primeiro de junho de 2014, início das atividades da Expresso Recreio, com duas linhas executivas adquiridas da Expresso Pégaso: 2329 e 2333.






Marcelo Almirante
Página lançada em 12 de julho de 2018