quinta-feira, 26 de maio de 2011

Procura por transporte público cai 17% na capital fluminense nos últimos 28 anos

25/05/2011 - R7, Evelyn Moraes

Estudo do Ipea aponta que uso de automóvel subiu 17% no mesmo período 

Gráfico mostra desaparecimento de bondes, busca por ônibus e aumento da demanda por transporte individual (Fonte: Ipea)

A demanda por transporte público na cidade do Rio de Janeiro diminuiu 17% (passando de 68% para 51%) entre 1977 e 2005, e do uso de automóvel cresceu 17% (passando de 32% para 49%), segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira (25) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O estudo “A mobilidade urbana no Brasil” revela que, apesar da população ter aumentado aproximadamente 37% neste período, a capital mudou de uma mobilidade essencialmente pública e movida à eletricidade para outra que mistura a mobilidade pública e privada e que depende de combustíveis fósseis. 

Segundo Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho, técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea, além da baixa procura por trem, metrô e ônibus, o aumento do preço do diesel em relação ao valor da gasolina vem encarecendo o preço das tarifas dos transportes públicos. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o preço do diesel subiu 50% a mais do que o da gasolina nos últimos dez anos. 

- De 1999 para cá, o valor do diesel aumentou muito. Desta forma, o transporte particular fica cada vez mais barato, porque o transporte público é movido a diesel. 

Carlos Henrique critica o aumento do preço do diesel, apesar de considerar que o valor acompanha a política de alinhamento internacional.

- É preciso criar subsídios para a tarifa do diesel ficar mais barata, sem atrapalhar o alinhamento com os preços internacionais. 

Outro fator relacionado à queda pela procura dos serviços ferroviários é a política de tarifação da energia que penaliza os grandes consumidores nos horários de maior demanda, que justamente coincide com o período em que as operadoras têm que trabalhar com carga máxima para atender a população. 

Segundo Maria da Piedade Morais, coordenadora de Estudos Setoriais Urbanos do IPEA, a queda na demanda por transporte público está ligada ao crescimento desordenado dos grandes centros urbanos. 

- As cidades no Brasil cresceram desordenadamente, o que aumentou o número de vans e outros tipos de transportes, como mototáxis, por exemplo. Estes veículos são mais rápidos e acabam substituindo os serviços sobre trilhos. Não dá para colocar troncos estruturais (estações de metrô e trem) nos centros urbanos, se não houver estrutura para outras localidades.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Ipanema e Leblon ganharão sistema BRS até o fim do ano

25/05/2011 - O Globo, Duilo Victor

RIO - O subsecretário municipal de Transportes, Carlos Maiolino, anunciou na tarde desta quarta-feira, num seminário no Centro da cidade, que a Zona Sul vai ganhar até o fim do ano mais quatro faixas do sistema BRS (Bus Rapid System), a exemplo do que já existe em Copacabana . Os futuros trajetos serão nas avenidas Visconde de Pirajá e Prudente de Moraes, em Ipanema; e nas avenidas Ataulfo de Paiva e San Martin, no Leblon. Já na Zona Norte, o plano é implantar duas faixas no Méier, nas avenidas Vinte Quatro de Maio e Marechal Rondon.

De acordo com o subsecretário, os estudos para a implantação das faixas em Ipanema já estão avançados. Para o fim da atual administração municipal, a prefeitura planeja implantar o sistema também nas ruas São Clemente e Voluntários da Pátria, em Botafogo. No Centro, o sistema deve ser implantado nas avenidas Presidente Vargas, Rio Branco e Primeiro de Março. A Tijuca também será contemplada, nas ruas Conde de Bonfim e Hadock Lobo.

Segundo Maiolino, o cronograma de implantação do BRS dependerá de ações de outras secretarias, a exemplo da de Obras, que está realizando o programa Asfalto Liso na cidade. Só em Copacabana, o BRS trouxe o benefício de reduzir a frota de ônibus em 24%, aumentando o rendimento dos veículos que permaneceram circulando nas vias onde o sistema foi implantado.

O corredor exclusivo de ônibus começou em fevereiro, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana. Na Rua Barata Ribeiro o BRS começou a funcionar em abril.


© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

sábado, 14 de maio de 2011

Terminais rodoviários do Rio serão climatizados pela iniciativa privada

13/05/2011 - G1


Governo do Rio autorizou abertura de concorrência pública dos serviços. Revitalização acontecerá em duas unidades do Centro e duas da Baixada.

Quatro terminais rodoviários do estado do Rio serão privatizados e receberão climatização. O governador Sérgio Cabral autorizou a Secretaria de Transportes e a Companhia de Desenvolvimento Rodoviário e Terminais (Coderte) a promover a abertura de concorrência pública dos serviços de operação, administração, manutenção, conservação, reforma e exploração comercial dos terminais Américo Fontenelle e Menezes Cortes, ambos no Centro do Rio, além das unidades de Nilópolis e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

No programa de concessão à iniciativa privada consta a climatização e a informatização das estações. A ação visa melhoria na prestação do serviço aos usuários de transportes coletivos.

O decreto foi publicado na terça-feira (10). A assinatura do contrato acontece nos próximos 180 dias. A revitalização dos terminais está prevista para 2013.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Eduardo Paes autoriza integração ônibus-trem no Bilhete Único Carioca com tarifa de R$ 3,70

11/05/2011 - O Globo 

RIO - O prefeito Eduardo Paes autorizou, em decreto publicado no Diário Oficial do Município desta quarta-feira, a integração ônibus-trem no Bilhete Único Carioca (BUC) , em até duas horas, com tarifa no valor de R$ 3,70. A integração ônibus-trem começa seis meses depois do lançamento do BUC .

Agora, as concessionárias de transporte devem firmar acordo com a Supervia. Segundo o site oficial da prefeitura, a Secretaria Municipal de Transportes poderá baixar normas complementares ao decreto.

Hoje, 110 linhas já oferecem uma integração a R$ 3,70. Com o BUC, todos os cerca de 800 itinerários estarão conectados às estações da Supervia. Com a integração, o número de passageiros pode passar de 14,5 mil por dia para 101,5 mil.


© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Universitários terão meia passagem em ônibus no Rio

05/05/2011 - R7

Benefício não valerá aos sábados, domingos e feriados

Os universitários terão direito a meia passagem nos ônibus municipais do Rio de Janeiro. O projeto lei que aprova o benefício foi sancionado nesta quinta-feira (5) pelo prefeito Eduardo Paes, no Palácio da Cidade, em Botafogo, zona sul. O desconto será válido a bolsistas do Programa Universidade Para Todos, o ProUni e alunos cotistas.

Cada estudante poderá usar o desconto duas vezes por dia, sem contar sábados, domingos e feriados. O benefício não poderá ser transferido a terceiros ou comercializado. Quem não utilizar o limite o limite ficará impedido de repassar o saldo para os meses seguintes.

As instituições de educação superior devem ser reconhecidas e autorizadas pelo Ministério da Educação. A condição de estudante será comprovada mediante apresentação de documento de matrícula e da Carteira de Identidade Estudantil, emitida pela União Nacional dos Estudantes (UNE) ou pela União Estadual dos Estudantes do Rio de Janeiro (UEE-RJ).

Caso alguma empresa descumpra a lei será penalizada com uma multa de R$1.100, que poderá dobrar em caso de reincidência.

O projeto foi aprovado pela Câmara Municipal do Rio na noite do último dia 23 de março.

A lei foi uma promessa de Eduardo Paes durante campanha eleitoral para a prefeitura do Rio em 2008. Ele chegou a assinar um termo de compromisso para a implantação da meia-passagem com representantes da UNE (União Nacional dos Estudantes).

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Rio apresenta ônibus com tecnologia flex GNV+Diesel

10/05/2011 - Agência Rio


O protótipo de um ônibus com tecnologia inovadora flex GNV+Diesel foi apresentado nesta terça-feira (10) no Monumento aos Pracinhas, no Aterro do Flamengo. O projeto visa economia de gastos e menos poluição do ar. A tecnologia pioneira de propulsão de veículos pesados, como ônibus e caminhões, foi desenvolvida por iniciativa do Governo do Estado do Rio de Janeiro: um motor flex alimentado tanto por GNV (gás natural veicular), como por diesel, com a mesma eficiência.

O projeto, a exemplo da tecnologia criada há alguns anos no país para carros leves, igualmente pioneira no mundo e já importada por alguns países, foi desenvolvido pelas filiais na América Latina de duas multinacionais: a fábrica da MAN Latin America, em Resende, na Região do Médio Paraíba, que produz caminhões e ônibus Volkswagen, e a Robert Bosch América Latin, a responsável pelo sistema de injeção dos combustíveis no motor do veículo, permitindo que o ônibus rode com até 90% de GNV.

O protótipo, que será testado durante um ano nas ruas do Rio, faz parte do Programa Rio Transporte Sustentável, cujo objetivo é buscar alternativas de transporte mais limpo para o estado que vai sediar grandes eventos nos próximos anos, como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Representando o governador Sérgio Cabral, na cerimônia de apresentação do ônibus GNV + diesel, o secretário de Transportes, Julio Lopes, mostrou-se entusiasmado com o projeto.

"Se for aprovado em todos os testes, naturalmente as empresas de ônibus que fazem transporte de passageiros se atrairão por este modelo que é bastante compensador, por conta do menor custo operacional. De nossa parte, vamos estimular esta troca de frota. O importante é que possamos chegar a 2016 com uma frota de ônibus limpa que é o nosso objetivo olímpico", afirmou o secretário.

Segundo Lopes, o compromisso do Governo do Estado e da Prefeitura do Rio firmado junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI) para sediar as Olimpíadas é de colocar para o transporte dos participantes dos Jogos veículos movidos por combustível alternativo.

" Vamos ter uma frota limpa até 2016 e para esta razão estamos fazendo vários esforços para buscar os caminhos que nos levem a isto. Temos várias outras iniciativas de energia limpa alternativa, como o biodiesel, o motor elétrico, o ônibus híbrido, mas certamente o ônibus GNV + diesel certamente é um dos caminhos mais promissores para atingirmos a meta ", apostou o secretário, acreditando que, dependendo do monitoramento dos testes, parte da frota de ônibus já possa usar o sistema na Copa de 2014.

Sistema contribuirá para formação de um grande mercado de gás natural

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, ressaltou o esforço conjunto de várias instituições públicas e privadas para tornar viável o ônibus GNV + diesel: além do Governo do Estado e das duas multinacionais, a Petrobras, a CEG e a Faperj participam do projeto. Ele acredita que o sistema contribuirá para formação de um grande mercado de gás natural no país.

"Esta tecnologia, comprovada a sua eficiência, vai causar uma revolução no mercado no Estado do Rio e no Brasil, porque o uso do gás natural desloca o diesel, o grande vilão da área de transportes para o meio ambiente, devido à emissão de poluentes poderosos, como enxofre e particulado (resultados da queima do diesel), e pelo fator econômico, já que o custo do gás natural é menor que o do diesel, compensando os investimentos iniciais das empresas para a adaptação de suas frotas", argumentou Bueno.

O sistema emite 20% a menos de gás carbônico e 80% menos que o particulado em relação ao diesel e, numa projeção otimista, a economia será em média de 25%, comparando o preço atual do litro do diesel, a R$ 1,70, ao metro cúbico de gás natural, a R$ 1,20, numa rodagem de 350 quilômetros diários, segundo os cálculos do vice-presidente executivo da Robert Bosch América Latina, Besaliel Botelho. Ele disse que acredita no sucesso do projeto, da mesma forma quando, há 10 anos, participou do lançamento do carro a passeio com motor flex.

"O bicombustível revolucionou a matriz energética e a indústria automobilística brasileiras, ao trazer o livre arbítrio para o consumidor final. E hoje aqui é outro golaço que estamos trazendo para o veículo pesado, uma novidade tecnológica desenvolvida pela engenharia genuinamente brasileira, como foi o etanol. E com uma novidade: este sistema já atende às leis de emissões de gases que entrarão em vigor em 2012, ou seja, um sistema eletrônico, moderno, tão eficiente quanto o uso do diesel", explicou Botelho.

A CEG, empresa do Grupo Gás Natural Fenosa, vai garantir o fornecimento de GNV durante a fase de testes do ônibus. A empresa, segundo o presidente Bruno Armbrust, está preparada para investir na construção do sistema de abastecimento para suprir a futura demanda de veículos com a nova tecnologia. O Rio de Janeiro é o estado brasileiro que concentra a maior frota de veículos leves com tecnologia GNV – cerca de 748 mil veículos – e o maior número de postos de abastecimento deste combustível – 421 na Região Metropolitana e 93 no interior.

Durante a fase de testes, o ônibus protótipo será usado em trajeto a ser definido pela Secretaria de Transportes. No mesmo período, a MAN, em conjunto com o Programa de Engenharia de Transportes da Coppe/UFRJ, acompanhará o desempenho do veículo por meio da medição de sua eficiência energética, taxa de substituição e viabilidade econômica do projeto. O veículo possui motor traseiro de seis cilindros e 17 toneladas de peso bruto total. Este é o primeiro ônibus com tecnologia flex GNV + diesel homologado pelo Inmetro.

Também participaram da cerimônia a presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, e o presidente da MAN Latin America, Roberto Cortes, entre outros.





sexta-feira, 6 de maio de 2011

Ônibus com ar condicionado da cidade do Rio ficam mais caros

06/05/2011 - Agência Rio

As tarifas dos ônibus urbanos com ar condicionado do município do Rio de Janeiro ficam mais caros a partir deste sábado (7), quando entrará também em vigor a nova tarifa das linhas que utilizam o Bilhete Único Carioca (BUC), que passa a valer R$ 2,50.

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), através de Resolução publicada no Diário Oficial, o reajuste varia de acordo com o percurso percorrido, conforme está abaixo:

Até 30 Km - R$ 2,60

De 30,1 a 50 Km - R$ 2,80

De 50,1 a 70 Km - R$ 3,00

De 70,1 a 90Km - R$ 3,10

Acima de 90 Km - R$ 4,90

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Bilhete Único Carioca será reajustado no sábado

05/05/2011 - Agência Rio

A nova tarifa do Bilhete Único Carioca (BUC), que entrará em vigor no primeiro minuto de sábado (7), custará R$ 2,50. A informação foi publicada nesta quinta-feira (5) no Diário Oficial do Município.

O valor foi obtido com base na fórmula prevista no edital de licitação do serviço de transporte coletivo por ônibus, realizada no ano passado. Essa cláusula inclui projeções de preços de mercado do óleo diesel, pneus, componentes para veículos, mão-de-obra, entre outros itens.

A fórmula de cálculo tem como fontes indicadores da Fundação Getílio Vargas e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a Resolução 2105 da SMTR, a regra do reajuste considera a variação dos índices entre os meses de março de 2010 a março de 2011. A Secretaria estabelecerá a tabela das demais tarifas do sistema, na mesma proporção.

Com o Bilhete Único Carioca, o usuário pode realizar duas viagens ao preço de uma, num intervalo de duas horas, nos ônibus das linhas municipais. Trata-se da integração tarifária mais barata do Brasil.





quarta-feira, 4 de maio de 2011

Linhas ganham mais pontos em Copa

04/05/2011 - Destak

Após um mês e meio de reclamações, a prefeitura abriu mais um ponto de ônibus do grupo BRS3 na avenida Nossa Senhora de Copacabana, diminuindo a distância entre as paradas. 

Agora, as linhas do BRS3, que servem os bairros mais distantes das zonas norte e oeste têm cinco pontos na avenida, assim como os do BRS2 - o BRS1 tem seis. 

O novo ponto foi instalado em 12 de abril na altura da rua Raimundo Correia. Além disso, o ponto que ficava antes da rua Francisco Sá foi adiantado para o quarteirão seguinte. 

Na estréia do corredor exclusivo para ônibus, em 21 de fevereiro, o BRS3 tinha apenas três pontos em toda a avenida, de 3,5 km. 

Na primeira semana, foi aberto mais um ponto, mas a distância continuou grande entre as paradas das ruas Xavier da Silveira e Siqueira Campos: 800 metros. O ponto da Raimundo Correia, entre as outras duas transversais, reduziu esse espaço pela metade. 

A Secretaria Municipal de Transportes confirmou ao Destak que o aumento para cinco pontos foi "um ajuste no projeto original, para melhor distribuir a demanda de passageiros".
Linha 484 (Olaria-Copa) é uma das que ganharam novo ponto 
angelo cuissi/destak

terça-feira, 3 de maio de 2011

Santa Teresa ganha novo serviço noturno de ônibus

03/05/2011 - O Globo 

RIO - A região de Santa Teresa ganhou um serviço de ônibus noturno, feito pela linha 006 (Silvestre-Castelo), antiga 206 A. Denominado 006 SN, ele liga o bairro ao Centro do Rio, em intervalos de uma hora, das 22h às 4h. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes(SMTR), a frota usada é composta por micro-ônibus.

O 006 SN pertencente ao consórcio Intersul e foi concebido após licitação de ônibus urbanos realizada pela prefeitura, em setembro do ano passado. O novo serviço tem um raio operacional mais amplo, pois beneficia usuários das linhas 006; 007 (Silvestre-Central, circular), que é um antigo serviço da linha 206A, e da 014 ( Paula Matos- Castelo, circular), ex-214, que circulam no bairro.

O novo serviço de ônibus que atende a moradores, principalmente estudantes, trabalhadores do setor de serviços e frequentadores de bares, restaurantes e das atividades culturais noturnas do bairro, percorre um itinerário mais versátil pelas principais ruas e logradouros de Santa Teresa, passando, na ida, pela Central do Brasil, Praça Tiradentes, Avenida Rio Branco, Avenida Presidente Vargas, entre outras vias de movimento.


© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Corredores BRT serão integrados com tarifa única

02/05/2011 - O Dia - Christina Nascimento

Usuário poderá fazer baldeações no novo sistema, que será semelhante ao do metrô e terá cinco pontos de cruzamento...POR CHRISTINA NASCIMENTO
Rio - Os corredores exclusivos de ônibus BRT, veículos articulados que circularão apenas nessas vias expressas, prometem não só encurtar trajetos até os eventos esportivos que o Rio sediará. A novidade é que as linhas serão todas integradas, e o usuário poderá fazer baldeações no novo sistema pagando apenas uma passagem.

Os trajetos dos quatro corredores de faixa exclusiva para ônibus — Transoeste (Barra da Tijuca-Santa Cruz), Transcarioca (Barra da Tijuca-Galeão), Transbrasil (Avenida Brasil) e Transolímpica (Barra da Tijuca-Deodoro) — se cruzam em cinco pontos distintos. Com isso, uma variedade de linhas será criada, abastecendo o cruzamento entre as vias expressas.


Arte: O DiaA proposta, que animou o Comitê Olímpico Internacional (COI) durante a última visita, na semana passada, vai possibilitar que, futuramente, um passageiro saia de BRT do Jardim Oceânico, na Barra, e chegue à Penha usando apenas a linha exclusiva de ônibus. Ou ainda que ele faça a viagem no mesmo veículo indo de Santa Cruz até Taquara, em Jacarepaguá. 

Os trajetos serão feitos em veículos articulados, com ar-condicionado — semelhantes a vagões de metrô — e, como serão em pistas exclusivas, vão representar economia de até 50% no tempo que o usuário gasta hoje, usando dois coletivos diferentes. 

São 5 os pontos de cruzamento entre percursos: Terminal Alvorada; Av. Salvador Allende com Estrada dos Bandeirantes; Av. Salvador Allende com Av. Abelardo Bueno; Av. Salvador Allende com Av. das Américas e na Av. Brasil.

“Em todos os pontos de encontro dos corredores, haverá linhas unindo os quatro BRTs. Por exemplo: o Transoeste, que vem de Santa Cruz, quando chega ao Terminal Alvorada, se encontra com o Transcarioca. Isso significa que pode ter um linha BRT fazendo o percurso Santa Cruz até Deodoro. A equipe do COI achou o máximo a ideia”, disse o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão.

A implantação de novas linhas seguirá parâmetro de estudos baseado na demanda de usuários de ônibus. No entanto, já se sabe que haverá a necessidade de criar trajetos de corredores expressos fazendo Galeão-Santa Cruz; Central do Brasil-Madureira e Galeão-Deodoro. “A gente não tinha pensado nisso no projeto inicial: de que um corredor poderá usar o outro. Mas o bom é que não vai precisar ocorrer mudanças por conta dessas conexões”, explicou Sansão.

Prefeitura calcula que 50% dos cariocas usarão ônibus

A prefeitura calcula que a construção dos quatro corredores expressos de ônibus vai fazer saltar de 15% para 50% a quantidade da população que usa transporte de alta velocidade na cidade.

“Os ônibus articulados funcionam como vagão de metrô. Haverá faixa exclusiva para o trânsito desses veículos, o bilhete será comprado na estação fora dos ônibus, e os veículos serão mais confortáveis”, afirmou o prefeito Eduardo Paes, no sábado, na inauguração do viaduto Capitão de Mar e Guerra Orlando Raso, na Av. das Américas, primeira obra do Transoeste.

O viaduto elimina o cruzamento e os sinais de trânsito das avenidas das Américas e Salvador Allende, possibilitando a passagem direta dos veículos e reduzindo as retenções diárias ocasionadas pela parada nos sinais. A elevação da via também ajuda a amenizar os congestionamentos.

Linhas poderão percorrer mais de uma via exclusiva

As linhas que vão surgir pela ligação dos trajetos de dois BRTs terão pontos de partida e chegada em terminais, mas o passageiro que não quiser fazer o itinerário tradicional do corredor poderá pegar o ônibus em qualquer uma de suas paradas. A intenção é transformar o BRT em um sistema exatamente igual ao do metrô, mas no asfalto.

Dessa forma, dependendo do local, o usuário pode pegar um coletivo no Terminal Alvorada, e, devido à conectividade entre os corredores expressos, optar por seguir pela rota da Transoeste ou da Transolímpica. Na Avenida Brasil, o passageiro pode seguir pelo trajeto da Transbrasil ou decidir por uma linha de BRT que entre na Transcarioca. 

Até todas as obras que permitirão toda essa integração saírem do papel, a população vai ter que esperar um pouco. A Transoeste deve ser a primeira a ser concluída, em 2012. O projeto inicial prevê a construção de 53 estações ao longo de 56 quilômetros de extensão. Estima-se que só esse corredor atenderia 220 mil passageiros por dia. Um dos entraves à obra é a quantidade de desapropriações que estão sendo feitas no percurso.

A Transcarioca e a Transolímpica devem ficar prontas apenas para a Copa de 2014. A primeira terá 45 estações, entre o Cebolão, na Barra, e o Galeão. E, por causa das construções, deve desapropriar cerca de quatro mil imóveis. Já a Transolímpica prevê quatro quilômetros — dos seus 26 quilômetros de extensão — de túneis.

O último a ficar pronto, pelos cálculos da Prefeitura do Rio, é o corredor Transbrasil, que vai criar uma via exclusiva de BRT ao longo dos 60 quilômetros da Avenida Brasil, entre o Caju e Santa Cruz.
Topiqueiros ainda não têm autorização para circular. Para prefeitura, processo está no final

Enquanto os corredores expressos caminham para trazer rapidez ao usuário de ônibus, o carioca que precisa do transporte alternativo ainda vai ter que aguardar. Apesar de a Secretaria Municipal de Transportes informar que o processo de licitação de vans entrou na reta final, nenhum topiqueiro obteve ainda autorização da prefeitura para começar a operar nas ruas da cidade. A concorrência já dura mais de um ano.

No entanto, todos que ganharam a concorrência pública têm que pagar as cotas ao município sob o risco de perder a autorização para circular. Na semana passada, foram publicados os editais referentes aos lotes de São Cristóvão, Maracanã, São Conrado, Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Rio das Pedras, Gardênia Azul, Cidade de Deus, Freguesia e Taquara
.
A previsão, segundo a Secretaria Municipal de Transportes, é que até o fim do ano todo o processo licitatório, que começou na região de Santa Cruz e Paciência, esteja concluído. Nove licitações já foram concluídas para o transporte alternativo.

A Secretaria de Transportes informou que as cooperativas foram avisadas de que haveria atraso e que, apesar de o contrato começar a valer a partir da assinatura do mesmo, ajustes serão feitos posteriormente para resolver pendências na execução.

Para participar das licitações, os candidatos precisam estar vinculados a cooperativas ou a empresas. Ainda pelo regulamento da prefeitura, estará proibida a circulação de vans e Kombis, que serão substituídas por micro-ônibus com pelo menos 25 lugares. Pela primeira vez também os veículos devem ser equipados com bilhetagem eletrônica. Assim, os passageiros vão poder usar o vale-transporte (RioCard) eletrônico.
http://odia.terra.com.br/