segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Prefeitura anuncia ampliação de estações do BRT Transoeste

18/08/2015 - O Dia

Magarça, Mato Alto e Curral Falso devem ser transformadas em terminais, informou a Secretaria Municipal de Obras

O DIA

Rio - Além das promessas de aumentar os terminais do BRT Santa Cruz e Alvorada, a Secretaria Municipal de Obras (SMO) divulgou que há estudos para ampliar as estações Magarça, Mato Alto e Curral Falso, do Transoeste, e transformá-las em terminais. As obras, que visam a amenizar os efeitos da superlotação, ainda não têm prazo para ocorrer, exceto a do Alvorada. 

O secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, comentou, em gravação de entrevista ao programa "Deles e Delas", da TV CNT, que vai ao ar no sábado, que o Terminal Alvorada será ampliado antes das reformas no corredor Transoeste.

Segundo a SMO, as intervenções no Alvorada estão em fase de mobilização de canteiro e execução da 4ª faixa da Avenida das Américas, sentido Recreio. "Com a extensão deste terminal, a área de circulação dos ônibus BRT será potencializada mediante a duplicação do número de pistas existentes no local. As baias para ônibus também serão ampliadas", afirmou a pasta em nota. A capacidade do Alvorada é de 35 mil passageiros por hora e deve dobrar.

Prefeitura divulga prazos para retirar de circulação 28 linhas de ônibus da Zona Sul

24/08/2015 - O Globo

Leia: Prefeitura adia redução de frota - O Globo

RIO — A Secretaria municipal de Transportes publicou nesta segunda-feira, no Diário Oficial, os prazos para a implementação do corte de 35% dos ônibus que circulam pela Zona Sul do Rio. Até o fim do ano, serão eliminadas 28 linhas, que serão substituídas por cinco novas. Outras 21 linhas terão o trajeto reduzido. Com o encurtamento, os passageiros precisarão fazer baldeações, o que provocou polêmica entre os usuários, conforme O GLOBO noticiou na semana passada.

O objetivo da prefeitura é resolver o problema de sobreposição de linhas e diminuir o número de ônibus que circulam vazios. As mudanças serão feitas progressivamente. No dia 3 de outubro, serão eliminadas 22 linhas. No mesmo dia, começarão a operar as linhas integradas 1 (Alvorada-Rio Sul, via Lagoa-Barra), 2 (Alvorada-Rio Sul, via Avenida Niemeyer) e 8 (Recreio-Rio Sul, via Lagoa-Barra).

A linha Troncal 1, que ligará a General Osório à Central, passando pela Nossa Senhora de Copabanaca e pelo Aterro do Flamengo, será implementada no dia 24 de outubro. Já o encurtamento no trajeto de 11 linhas será realizado a partir do dia 7 de novembro.

A estimativa da prefeitura é que a racionalização de linhas retire 700 coletivos dos cerca de dois mil que trafegam hoje pela Zona Sul. Com o corte, a velocidade dos coletivos deverá aumentar em 30% nas vias com BRS.

A segunda fase da operação começará no dia 5 de dezembro, com a extinção de 6 linhas e a implementação da Linha Troncal 3, que ligará a Gávea à Central, passando pela Nossa Senhora de Copacabana e pelo Aterro do Flamengo. O encurtamento de outras 10 linhas será feito no dia 12 de dezembro.

VEJA ABAIXO A LISTA COMPLETA

Linhas que serão extintas no dia 3 de outubro:

314 – Central x Barra da Tijuca (via Copacabana/Av. das Américas)

332 – Alvorada x Castelo (via Av. Lucio Costa)

501 – Barra da Tijuca x Gávea (via Av. das Américas) - Circular

502 – Recreio x Gávea (via Av. das Américas) - Circular

318 – Barra Sul x Castelo

177 – São Conrado x Candelária - Circular

360 – Carioca x Recreio dos Bandeirantes

504 – Piabas x Gávea (via Av. Benvindo de Novaes)

535 – Alvorada x Leme (via Av. Niemeyer/Copacabana)

120 – Central x Prado Junior – Circular

121 – Central x Copacabana – Circular

122 – Central x Prado Junior (via Praça Tiradentes) - Circular

125 – Central x General Osório (via Aterro do Flamengo) – Circular

129 – Rodoviária x Praia de Botafogo (via Túnel Santa Barbara) Circular

305 – Rodoviária x Barra da Tijuca (via Túnel Rebouças)

405 - Ramos x Cosme Velho

411 – Usina x Prado Junior - Circular

454 – Meier x Prado Junior - Circular

458 – Norte Shopping x Praia de Botafogo (via Túnel Santa Bárbara) - Circular

480 – Olaria x Prado Junior - Circular

481 – Penha x Praia de Botafogo (via Túnel Santa Bárbara) - Circular

505 – Recreio dos Bandeirantes x Gávea – Circular

Linhas que serão encurtadas no dia 7 de novembro:

404 – Cordovil x Leblon (via Av. Brasil) – Circular para Cordovil x Siqueira Campos (via Av. Brasil) - Circular

441 – Caju x Lido (via São Cristóvão) – Circular para Caju x Humaitá (via Túnel Rebouças) - Circular

442 – Maré x Copacabana (via Praça Mauá) – Circular para Maré x Candelária - Circular

455 – Meier x Copacabana (via Parque do Flamengo) para Méier x Candelária - Circular

456 – Norte Shopping x General Osório (via Túnel Santa Bárbara) para Norte Shopping X Mourisco (via Túnel Santa Bárbara) - Circular

457 – Abolição x General Osório (via Túnel Santa Bárbara) para Abolição x Mourisco (via Túnel Santa Bárbara) - Circular

475 – Meier x Prado Junior – Circular para Méier x Castelo - Circular

483 – Penha x Copacabana – Circular para Penha x Siqueira Campos (via Túnel Santa Bárbara)

484 – Olaria x Copacabana (via Parque do Flamengo) – Circular para Olaria x Candelária - Circular

485 – Penha x General Osório (via Linha Vermelha/Túnel Santa Bárbara) para Penha x Siqueira Campos (via Linha Vermelha/Túnel Santa Bárbara)

486 – General Osório x Fundão – Circular para Siqueira Campos x Fundão (via Túnel Santa Bárbara)

Linhas que serão extintas no dia 5 de dezembro:

123 - Jardim de Alah x Candelaria - Circular

132- Central x Leblon (via Aterro do Flamengo) - Circular

382 - Carioca x Piabas (via Av. Benvindo de Novaes)

402 – Engenho da Rainha x Gávea

421- Vila Isabel x Prado Junior - Circular

443 - Mare x Leblon (via Central) - Circular

Linhas que serão encurtadas no dia 12 de dezembro:

124 - Jardim Botanico (Horto) x Central (via Copacabana) para Horto x Jardim de Alah - Circular

413 - Muda x Jardim de Alah (via Aterro do Flamengo) para Muda x Castelo - Circular

415 - Usina x Leblon –Circular para Usina x Candelária -Circular

426 - Usina x Jardim de Alah (via Tunel Santa Barbara)

432 - Vila Isabel x Leblon (via Tunel Santa Barbara) para Usina x Mourisco (via Túnel Santa Bárbara - Circular

433 - Vila Isabel x Gávea (via Copacabana) para Vila Isabel x Largo do Machado - Circular

435 - Grajau x Gávea (via Tunel Santa Barbara) para Grajau x Siqueira Campos (via Tunel Santa Barbara) - Circular

464 - Maracanã x Leblon para Maracanã x Glória - Circular

474 - Jacaré x Jardim de Alah para Jacaré x Candelária - Circular

503 - Alto Leblon x Ipanema - Circular para Alto Leblon x Gávea - Circular

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Veja as linhas de ônibus do município do Rio que serão excluídas, substituídas ou alteradas

Mudanças começam a partir de outubro

POR O GLOBO

19/08/2015 - O Globo


Os coletivos da linha 433 (Vila Isabel-Leblon) terão itinerário reduzido - Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO - De outubro até o primeiro semestre de 2016, a prefeitura reduzirá em 35% o número de ônibus que circulam diariamente pela Zona Sul do Rio. O objetivo é diminuir a quantidade de linhas superpostas, que contribuem para engarrafamentos na região. Na primeira fase, que vai de outubro a dezembro, 33 linhas serão eliminadas, 21 substituídas e cinco novas linhas serão criadas. Quem sai da Zona Oeste com destino ao Centro vai ter que trocar de ônibus em Ipanema ou na Gávea. Para continuar até a Zona Norte será preciso fazer outra baldeação, na Central do Brasil.

INFOGRÁFICO: AS NOVAS LINHAS DE ÔNIBUS

AS LINHAS EXCLUÍDAS:

- 314 (Barra-Central), 332 (Alvorada-Castelo), 501 (Barra-Gávea), 502 (Recreio-Gávea), 318:(Barra Sul-Central), 177 (São Conrado-Central), 360 (Recreio-Carioca), 504 (Recreio-Gávea), 535 (Vidigal-Copacabana), 120 (Prado Júnior-Central), 121 (Copacabana-Central), 125 (General Osório-Central), 127 (Copacabana-Rodoviária), 411 (Prado Júnior-Usina), 442 (Maré-Copacabana), 129 (Praia de Botafogo-Rodoviária), 305 (Barra da Tijuca-Rodoviária), 404 (Cordovil-Leblon), 405 (Ramos-Cosme Velho), 441 (Caju-Lido), 454 (Méier-Prado Júnior), 458 (Norte Shopping-Botafogo), 480 (Olaria-Prado Júnior), 481 (Penha-Praia de Botafogo) e 505 (Recreio-Gávea).

VEJA AS NOVAS LINHAS:

- Integrada 1 (Alvorada-Rio Sul, via Lagoa-Barra), substitui as linhas 314 (Barra-Central), 332 (Alvorada-Castelo), 501 (Barra-Gávea) e 502 (Recreio-Gávea).

- Integrada 2 (Alvorada-Rio Sul, via Avenida Niemeyer) vai substituir as linhas 177 (São Conrado-Central), 360 (Recreio-Carioca), 504 (Recreio-Gávea) e 535 (Vidigal-Copacabana).

- Integrada 8 (Recreio-Rio Sul, via Lagoa-Barra) vai substituir a linha 318 (Barra Sul-Central).

- Troncal 1 (General Osório-Central, via Copacabana e Aterro do Flamengo) vai substituir as linhas 120 (Prado Jr.-Central), 121 (Copacabana-Central), 125 (General Osório-Central), 127 (Copacabana-Rodoviária), 411 (Prado Jr.-Usina), 442 (Maré-Copacabana), 129 (Praia de Botafogo-Rodoviária), 305 (Barra-Rodoviária), 404 (Cordovil-Leblon), 405 (Ramos-Cosme Velho), 441 (Caju-Lido), 454 (Méier-Prado Jr.), 458 (Norte Shopping-Botafogo), 480 (Olaria-Prado Jr.), 481 (Penha-Praia de Botafogo) e 505 (Recreio-Gávea).

- Troncal 3 (Gávea-Central, via Copacabana e Aterro do Flamengo) vai substituir as linhas 123 (Jardim de Alah-Praça Mauá), 128 (Rodoviária-Leblon), 132 (Leblon-Central), 382 (Piabas-Carioca), 402 (Engenho da Rainha-Gávea), 421 (Vila Isabel-Prado Jr.), 443 (Maré-Leblon) e 537 Rocinha-Leblon); a partir de dezembro.

LINHAS COM ITINERÁRIO REDUZIDO:

- As linhas 119 (Copacabana-Candelária), 455 (Méier-Copacabana), 456 (Norte Shopping-General Osório, via Túnel Santa Bárbara), 457 (Abolição-General Osório), 475 (Méier-Prado Júnior), 483 (Penha-Copacabana), 484 (Olaria-Copacabana, via Aterro), 485 (Penha-General Osório, via Túnel Santa Bárbara) e 486 (Fundão-General Osório) vão ser encurtadas; mas passageiros poderão usar a Troncal 1.

- As linhas 124 (Jardim Botânico-Central), 154 (Ipanema-Central), 413 (Muda-Jardim de Alah), 415 (Usina-Leblon), 426 (Usina -Jardim de Alah), 432 (Vila Isabel-Gávea), 433 (Vila Isabel-Leblon), 435 (Grajaú-Gávea), 464 (Maracanã-Leblon), 474 (Jacaré-Jardim de Alah), 503 (Alto Leblon-Ipanema) e 539 (Rocinha-Leme) serão encurtadas, mas passageiros poderão usar a Troncal 3.


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Rio vai eliminar 33 linhas de ônibus e criar 5 novas rotas, na Zona Sul

20/08/2015 - Jornal do Brasil
 
As ruas da Zona Sul terão menos ônibus a partir da primeira semana de outubro quando 33 linhas saírão de circulação. A meta é fazer com que, aproximadamente, 700 ônibus deixem de rodar na região até a Olimpíada. Hoje dois mil veículos cruzam aqueles bairros.

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes, vai encurtar também o itinerário de outras 21 linhas e criar cinco rotas. O objetivo é aumentar acabar com a sobreposição das linhas e a disputa por passageiros nos pontos, como acontece em bairros como Copacabana.

O plano será implantado gradativamente. A previsão é que até março de 2016, 35% dos ônibus da região estejam fora de operação. Os moradores da Barra da Tijuca terão que fazer integração na Zona Sul, caso o destino seja o Centro.

Segundo o subsecretário de Planejamento, Alexandre Sansão, as alterações devem encurtar o tempo de viagem e garantir mais fluidez no trânsito. As mudanças deverão impactar inclusive os corredores BRS. A meta é que o desempenho dos ônibus nas vias expressas melhore em 30%. No BRS da Nossa Senhora de Copacabana, por onde passam, em média, 300 ônibus por hora, a previsão é que o serviço seja feito por 120 veículos, após a reformulação do sistema.

Na primeira fase do projeto, que será iniciado em outubro, será criada a linha integrada 1 (Alvorada-Rio Sul, via Lagoa-Barra) para receber os passageiros das linhas 314, 332, 501 e 502, que serão eliminadas.

A integrada 8 (Recreio-Rio Sul, via Lagoa-Barra) vai atender os usuários da linha 318, a ser extinta.

A integrada 2 (Alvorada-Rio Sul, via Av. Niemeyer) substituirá as linhas 177, 360, 504 e 535, também eliminadas.

A quarta linha a ser criada será a Troncal 1 (General Osório-Central, via Copacabana e Aterro do Flamengo). Ela vai atender aos passageiros das linhas 120, 121, 125, 127, 411, 442, 129, 305, 404, 405, 441, 454, 458, 480, 481 e 505, que serão retiradas de circulação, e também dos usuários das linhas 119, 455, 456, 457, 475, 483, 484, 485 e 486, que serão encurtadas.

Já na segunda fase, que será implementada em dezembro, será implantada a Troncal 3 (Gávea-Central, via Copacabana e Aterro do Flamengo).

Esta quinta linha vai absorver os usuários das linhas 123, 128, 132, 382, 402, 421, 443 e 537, que serão eliminadas. Além dessas, os veículos que farão esse percurso vão atender a população que utiliza as linhas 124, 154, 413, 415, 426, 432, 433, 435, 464, 474, 503 e 539. Essas últimas serão encurtadas.

Melhor para todos

20/08/2015 - O Globo

Anunciado em julho como tentativa de solucionar um dos principais focos de trânsito da Barra, o projeto do novo Terminal Alvorada teve seus detalhes apresentados em audiência pública na Câmara Comunitária, na semana passada. As principais alterações serão a criação de uma alça viária para os motoristas que seguem do Recreio para a Avenida Ayrton Senna, o alargamento e a recuperação das pistas do entorno do Cebolão e o aumento do espaço interno, com a saída do posto do Detran. As obras já estão em andamento, e a previsão é que terminem até abril de 2016, ao custo de R$ 30 milhões. Ainda que satisfeitos com a perspectiva de melhora, os moradores da região pleiteiam outras mudanças: querem que os ônibus dos condomínios tenham permissão para entrar no Alvorada e que as linhas intermunicipais sigam apenas até o terminal, e não mais até o Downtown, como ocorre em muitos casos.

A grande expectativa em torno das alterações é explicada pelos números: segundo dados da CET-Rio, 30% dos carros que saem do Recreio pela Avenida das Américas fazem retorno na altura do BarraShopping para acessar a Avenida Ayrton Senna, e outros 30% descem a agulha à direita, em uma pista que só tem uma faixa. O resultado são congestionamentos constantes. Essas duas frentes, por isso, receberam maior atenção no projeto. Enquanto a nova alça, de 560m de comprimento (que será feita em via já existente porém bloqueada pelo estacionamento da Cidade das Artes) será uma nova opção para os motoristas que seguem para a Linha Amarela, a agulha ganhará mais uma faixa, numa tentativa de desafogar o trânsito.

— Já havia um problema de acessibilidade que só se agravou com as obras da Barra. Para quem vai para a Ayrton Senna, vindo do Recreio, pela Américas, o caminho mais lógico é pegar a agulha na altura da concessionária Toyota; mas, como só existe uma faixa, muitos preferem ir até o BarraShopping e fazer o retorno. No final, as duas opções ficam carregadas. Quem vem da praia também contribui para o trânsito, e nesse trecho ganharemos outra faixa — explica o subprefeito da Barra e Jacarepaguá, Alex Costa.

Ao todo, serão cinco faixas novas no entorno do terminal: uma na agulha, uma na pista entre a concessionária da Toyota e o condomínio Nova Ipanema (que passará a ter cinco), uma na pista de quem segue da praia em direção à Avenida das Américas e as duas da nova alça. O projeto também contemplará o reforço da iluminação pública e a ampliação da calçada.

— Temos de estar atentos também ao acesso a pé ao terminal. Hoje muitas pessoas atravessam irregularmente pelo canteiro central, em frente ao Carrefour, enfrentando os carros. Esse trecho será gradeado, e a passagem de pedestres já existente será ampliada — diz Costa, que prevê a conclusão das obras para janeiro de 2016, três meses antes do prazo.

Se no entorno do Alvorada haverá muitas mudanças, internamente as novidades também causarão impacto. A principal alteração será a saída do posto do Detran, o que permitirá o aumento do espaço para a circulação de ônibus convencionais e a construção de uma nova pista para o BRT. Com isso, a capacidade do terminal, que é de 35 mil pessoas por hora, deverá dobrar. Para o secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, o Alvorada hoje está "muito pequeno".

— O projeto é um benefício para todo o sistema público de transporte, e não só para os moradores da Barra. O Alvorada concentra Transoeste e Transcarioca, além das linhas de ônibus normais. Do jeito que está, temos perda de capacidade do BRT, porque os intervalos entre os ônibus precisam ser maiores.

O aumento do espaço físico do terminal permitirá a construção de mais uma pista de BRT, a ampliação das duas passarelas de pedestres e a instalação de uma nova bilheteria, bem como a criação de outros acessos para os ônibus alimentadores, além de aumento nas posições de embarque e desembarque do BRT, de 11 para 22. A parte que cabia ao Detran passará a ter um estacionamento de ônibus, com 60 vagas para BRT e 39 para os convencionais, e vias de circulação interna, o que viabilizará outra mudança: os portões de entrada e saída dos ônibus ficarão do mesmo lado, o mais próximo ao BarraShopping. Isso amenizará o trânsito no lado oposto do terminal, sempre mais congestionado.

— Atualmente, os ônibus que saem do terminal dividem espaço com os carros até chegar à Américas ou à Ayrton Senna. Vamos ganhar um pátio de manobras, e os coletivos já sairão pelo lado do BarraShopping — explica Picciani. Com a certeza de que encontrarão congestionamento no entorno do Terminal Alvorada, muitos moradores da Barra têm suas estratégias para ganhar tempo. O estudante Daniel Dayrell, por exemplo, que vive no Nova Ipanema, diz que é melhor saltar do ônibus do condomínio antes que ele contorne o Cebolão, em vez de esperar que entre no residencial.

— O trânsito é tão intenso que, quando estou chegando, salto no ponto do New York City Center e ando pela passagem subterrânea até minha casa; é mais rápido — explica.

As horas desperdiçadas no trânsito impulsionam a mobilização por melhorias. A Câmara Comunitária da Barra da Tijuca ( CCBT) é uma das associações do bairro que lutam, há anos, por mudanças na Alvorada. O presidente da instituição, Delair Dumbrosck, aprova o novo projeto, mas diz que os moradores têm mais reivindicações.

— Nós queremos limitar as linhas intermunicipais, para que elas sigam apenas até o Alvorada. Hoje os ônibus vão, na maioria dos casos, até o Downtown. É um problema, o trânsito fica impraticável. Nossa reivindicação é que a mudança seja imediata. Já falamos várias vezes com o secretário estadual de Transportes e o governador, e eles ficaram de avaliar — diz Dumbrosck, para quem os ônibus intermunicipais não precisariam mais entrar na Barra após a inauguração de todo o sistema de BRTs. — Acho que no futuro as pessoas poderão fazer baldeação em outros pontos da cidade, seja no Fundão, em Irajá ou em Deodoro. Afinal, o BRT serve para diminuir o número de linhas convencionais.

A alteração no trajeto dos ônibus intermunicipais já é "caso resolvido", segundo o secretário estadual de Transportes, Carlos Osório.

— De fato esse pedido já me havia sido feito em oportunidades anteriores, e eu me comprometi a restringir a circulação das linhas intermunicipais até o Alvorada, assim que o Lote Zero for concluído (em dezembro deste ano, segundo previsão do governo). Isso representará um ganho para a Avenida das Américas, com o BRT substituindo veículos no trânsito. Vai ser uma determinação do Estado, de uma portaria do Detro, e as empresas vão cumprir — diz Osório, que rechaça a possibilidade de impedir a chegada desses ônibus à Barra, no futuro. — Tirar de dentro do Alvorada é inviável. Ele é um terminal rodoviário, e precisa ser o ponto de chegada ou partida para as linhas da Baixada, inclusive porque o BRT não vai até lá.

A outra reivindicação dos moradores implicaria em mais um ajuste no projeto do novo terminal.

— Queremos que haja alguma forma de desembarque dos ônibus de condomínio dentro do Alvorada, o que facilitaria a baldeação para pegar o BRT. A intenção não é tirar carros da rua? Então, quanto mais facilidades para os ônibus de condomínios, que são utilizados pela maioria dos moradores, melhor — defende Dumbrosck. — Também recebi sugestões de que seja implantado um ponto de táxi dentro do Alvorada e que o limite de velocidade nos mergulhões passe de 40 km/h para 50 km/h.

Na audiência pública que apresentou os detalhes do projeto, na CCBT, estiveram presentes o subprefeito Alex Costa e o secretário municipal de Coordenação de Governo, Pedro Paulo Carvalho. Costa diz que o assessor do prefeito Eduardo Paes recebeu bem as reivindicações e prometeu avaliar sua viabilidade mais profundamente. Rafael Picciani, secretário municipal de Transportes, porém, acredita que a entrada de ônibus de condomínio no terminal não seja necessária.

— Eu não estava sabendo desse pleito, mas não vejo muito sentido, já que quase todos os condomínios terão BRT nas suas portas, com as aberturas das novas estações do Lote Zero. Acho que, no geral, essa cultura de não usar tanto o transporte público pode mudar na Barra; as pessoas vão precisar cada vez menos do serviço privado com a melhora do sistema. Será um ganho para a cidade.

O futuro do posto do Detran, que será deslocado, não está definido. Segundo o subprefeito Alex Costa, uma das possibilidades é sua transferência para um terreno atrás do Via Parque. Outra é a ida para o Recreio, entre a Estrada Vereador Alceu de Carvalho, a Avenida Teotônio Vilela e a Avenida das Américas.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Rio vai eliminar 33 linhas de ônibus a partir de outubro

19/08/2015 - O Dia

Prefeitura vai eliminar 33 rotas, encurtar 21 e criar cinco novos serviços de coletivos

MARIA LUISA BARROS

Rio - A partir da primeira semana de outubro, 33 linhas de ônibus que cruzam a Zona Sul serão retiradas de circulação. A medida, implantada pela Prefeitura do Rio, através da Secretaria Municipal de Transportes, vai encurtar o itinerário de outras 21 linhas e criar cinco rotas. A expectativa é aumentar a eficiência do sistema de transporte, acabando com a sobreposição das linhas e a disputa por passageiros nos pontos, como acontece em bairros como Copacabana. Hoje, dois mil veículos cruzam a Zona Sul. A meta é fazer com que, aproximadamente, 700 ônibus deixem de rodar na região até a Olimpíada. 
A racionalização da frota será feita gradativamente. A previsão é que, até o fim da implementação de todo o projeto, em março de 2016, 35% dos ônibus da região estejam fora de operação. Os moradores da Barra da Tijuca terão que fazer integração na Zona Sul, caso o destino seja o Centro. 


A Linha 121 (Copacabana-Central) será eliminada na primeira fase, entre outubro e novembro. Ela será substituída pela Linha Troncal 1
Foto:  João Laet / Agência O Dia

Segundo o subsecretário de Planejamento, Alexandre Sansão, as alterações devem encurtar o tempo de viagem e garantir mais fluidez no trânsito. "Racionalizar é evitar a sobreposição de linhas. Se você tem rotas muito longas sobrepondo as mais curtas e tem a finalidade de atendimento àquela região, essa linha longa deixa de existir para fazer integração com essas curtas. É algo parecido com o que fizemos com o BRT, que também usa a lógica da integração", explica Sansão. 
As alterações deverão impactar inclusive os corredores BRS. A meta é que o desempenho dos ônibus nas vias expressas melhore em 30%. No BRS da Nossa Senhora de Copacabana, por onde passam, em média, 300 ônibus por hora, a previsão é que o serviço seja feito por 120 veículos, após a reformulação do sistema.

A primeira fase de racionalização das linhas de ônibus na Zona Sul terá início na primeira semana de outubro e será concluída em dezembro. Confira as alterações nos itinerários.

PRIMEIRA FASE 

Criação da linha integrada 1 (Alvorada-Rio Sul, via Lagoa-Barra) para receber os passageiros das linhas 314, 332, 501 e 502, que serão eliminadas. A integrada 8 (Recreio-Rio Sul, via Lagoa-Barra) vai atender os usuários da linha 318, a ser extinta. A integrada 2 (Alvorada-Rio Sul, via Av. Niemeyer) substituirá as linhas 177, 360, 504 e 535, também eliminadas. A quarta linha a ser criada será a Troncal 1 (General Osório-Central, via Copacabana e Aterro do Flamengo). Ela vai atender aos passageiros das linhas 120, 121, 125, 127, 411, 442, 129, 305, 404, 405, 441, 454, 458, 480, 481 e 505, que serão retiradas de circulação, e também dos usuários das linhas 119, 455, 456, 457, 475, 483, 484, 485 e 486, que serão encurtadas. 

SEGUNDA FASE 

Em dezembro, começa a segunda etapa do planejamento, quando será implantada a Troncal 3 (Gávea-Central, via Copacabana e Aterro do Flamengo). Esta quinta linha vai absorver os usuários das linhas 123, 128, 132, 382, 402, 421, 443 e 537, que serão eliminadas. Além dessas, os veículos que farão esse percurso vão atender a população que utiliza as linhas 124, 154, 413, 415, 426, 432, 433, 435, 464, 474, 503 e 539. Essas últimas serão encurtadas.

Prefeitura adia redução de frota

19/08/2015 - O Globo

A prefeitura adiou para outubro o projeto de reduzir de 2.000 para 1.300 os ônibus da Zona Sul. Até dezembro, 33 linhas serão suspensas, e o restante em 2016. A prefeitura precisará de mais tempo para cumprir a promessa de reduzir em 35% o número de ônibus que circulam diariamente pela Zona Sul. Inicialmente previsto para começar a ser implementado em julho, o projeto, que visa a diminuir o número de linhas superpostas, que contribuem para os engarrafamentos na região, atrasou. Agora, as transformações começarão em outubro e só terminarão no primeiro semestre de 2016. As mudanças serão feitas progressivamente: até dezembro, serão eliminadas 33 linhas, dando origem a cinco novas, chamadas alimentadoras ou radiais.

As alterações incluem o corte de linhas que fazem a ligação Zona NorteZona Sul e outras que conectam — via Zona Sul — a Barra da Tijuca ao Centro e à Zona Norte. Entre as que deixarão de circular até o fim do ano, estão 481 ( Penha- Praia de Botafogo), 443 ( MaréLeblon), 129 ( Rodoviária- Praia de Botafogo), 382 ( Piabas- Carioca) e 332 ( AlvoradaCastelo). Também haverá diminuição de itinerários do Grande Méier e da Tijuca até a Zona Sul — os ônibus passarão a ter ponto final no Centro.

Segundo o subsecretário municipal de Planejamento de Transportes, Alexandre Sansão, a negociação com as empresas de ônibus demorou mais do que a prefeitura imaginava. Sansão disse que "o tempo do setor privado não é o mesmo do público''. No entanto, ressaltou, as mudanças são necessárias.

— Quem mora na Maré ou no Jacaré e precisa ir até o Leblon vai continuar tendo opções. Basta fazer baldeação no Centro e pegar uma integração para a Zona Sul. Da mesma forma, quem pega o ônibus no Terminal Alvorada ( na Barra) descerá no RioSul ( em Botafogo) para seguir viagem até o Centro. A questão é a distância. Linhas muito longas deixam de existir para fazer integração com outras mais curtas. Há hoje um excesso de linhas superpostas. Não houve mudança de estratégia. Acabamos precisando de mais tempo para fazer um detalhamento melhor — justificou Sansão.

SERÃO ELIMINADAS 78 LINHAS

Anunciado pelo GLOBO em março, o projeto é ousado: o número de ônibus com trajetos por bairros da Zona Sul cairá dos atuais dois mil para 1.300. Serão eliminadas 78 linhas ( ou 63% do total). Além disso, outras 24 terão o trajeto reduzido. Serão criados 29 itinerários e mantidos 21.

As mudanças, defende a prefeitura, devem aumentar a eficiência do sistema, melhorando o trânsito. Nos corredores BRS, a estimativa é que a velocisobre dade média dos ônibus aumente 30%.

— Nossa meta é que as mudanças sejam implementadas antes das Olimpíadas, no primeiro semestre de 2016. O consórcio Intersul deu sugestões, acolhemos parte delas. Temos que fazer uma coisa consensual — acrescentou Sansão. — Há um entendimento por parte dos empresários de ônibus de que as mudanças serão favoráveis. É um jogo de ganha- ganha. A cidade ganha, o morador ganha, o empresário também, pois vai transportar mais passageiros com mais eficiência. Hoje, no BRS da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, temos 300 ônibus por hora. Muitos vazios. Vamos passar para 120 ônibus por hora.

Especialistas ressaltam que as mudanças são bem- vindas, desde que discutidas previamente com a população e precedidas de ampla divulgação. Professor da PUC- Rio e especialista em transporte e logística, Hugo Varela Repolho afirma que, de fato, a demanda é muito menor do que a oferta de coletivos em bairros da Zona Sul — situação inversa à da Zona Oeste, por exemplo.

— Fizemos na universidade estudos algumas linhas, e foi comprovado o que já sabíamos: a otimização é necessária. Apesar de os consórcios já estarem operando, as empresas continuam a competir umas com as outras, cada uma com uma estratégia de negócios — avalia Hugo.

Ele coordenou um trabalho mostrando que 80 linhas municipais, em operação hoje entre Zona Sul e Centro, costumam rodar com apenas 15% de sua capacidade fora dos horários de pico e com aproximadamente 50% no rush.

Segundo Paulo Cezar Martins Ribeiro, professor da Coppe/ UFRJ, algumas linhas que ligam o subúrbio à Zona Sul, como a 474 ( Jacaré- Jardim de Alah) e a 455 ( Méier- Copacabana), são importantes opções de transporte barato para o lazer da população.

— De repente, é interessante estudar a manutenção de algumas dessas linhas nos fins de semana, para fins de recreação. Toda mudança deve ser feita com muito critério, mas não há dúvida de que esse otimização é necessária. São Paulo e Belo Horizonte já aplicam sistemas mais eficientes — afirmou.

AS LINHAS QUE SERÃO EXCLUÍDAS ATÉ DEZEMBRO

314: 332: Barra- Alvorada- Central Castelo

501: Barra- Gávea

502: Recreio- Gávea

318: Barra Sul- Central

177: São Conrado- Central

360: Recreio- Carioca

504: Recreio- Gávea

535: Vidigal- Copacabana

120: Prado Júnior- Central

121: Copacabana- Central

125: General Osório- Central

127: Copacabana- Rodoviária

411: Prado Júnior- Usina

442: Maré- Copacabana

129: Praia de Botafogo- Rodoviária

305: Barra da Tijuca- Rodoviária

404: Cordovil- Leblon

405: Ramos- Cosme Velho

441: Caju- Lido

454: Méier- Prado Júnior

458: Norte Shopping- Botafogo

480: Olaria- Prado Júnior

481: Penha- Praia de Botafogo

505: Recreio- Gávea

sábado, 15 de agosto de 2015

Transoeste ganhará novas estações até o segundo trimestre de 2016

Três das sete unidades da extensão da linha até o Jardim Oceânico estão quase prontas

POR DARLAN DE AZEVEDO

15/08/2015 - O Globo


Quase pronta. A nova estação do Transoeste, na altura do Freeway: obra é extensão do BRT até o Jardim Oceânico - Custódio Coimbra / Agência O Globo

RIO - Três das sete novas estações do BRT Transoeste, que vão ligar o Terminal da Alvorada ao Jardim Oceânico, através da Avenida das Américas, estão quase prontas. As obras de extensão do corredor em seis quilômetros fazem parte do lote Zero, o último trecho da linha que ainda falta ser finalizado, hoje com 66% dos trabalhos concluídos. A previsão é que o traçado fique pronto até o segundo trimestre de 2016.

Obra ficou 25% mais cara

O formato das estações, que começaram a ser construídas em julho, já pode ser visto na altura da Avenida Jornalista Ricardo Marinho, do Freeway e do Barra Garden. Quem passa pelo local vê que os transtornos comuns à obra estão com os dias contados. Devido às intervenções, uma faixa da via costuma ser interditada, e o trânsito, segundo moradores, piora nos horários de pico.

— É muito difícil sair de casa no horário de rush. Infelizmente, precisamos passar por este sacrifício para termos um benefício no futuro. Perco, todos os dias, duas horas só para chegar ao Centro da cidade. Só quero que fique logo pronto — diz Manoel Bulhosa, presidente da Associação de Moradores do Bosque Marapendi.

Ao todo, são seis as estações sob responsabilidade da prefeitura: além das três citadas, também estão em construção as que ficam perto do BarraShopping, do Parque das Rosas, e do Bosque Marapendi. A exceção é a estação de integração do Jardim Oceânico, cujo projeto está sendo desenvolvido pelo Consórcio Rio-Barra e o estado.

— Poucas pessoas têm a conscientização de que é preciso evitar o uso do carro. Temos que continuar investindo em transporte público de qualidade, senão o trânsito não vai diminuir — ressalta Azaury Alencastro, morador do bairro, que tem casa nas imediações do Supermercado Extra.

Segundo a Secretaria municipal de Obras, a revisão do projeto, em 2013, elevou os custos. Os gastos, agora, estão estimados em R$ 114 milhões, cerca de 25% a mais do que havia sido planejado. O traçado completa os 52 quilômetros da via, em operação atualmente entre a Barra e Paciência, com 55 estações.

Com a ampliação, o Transoeste passará a transportar 230 mil pessoas por dia. Atualmente, cerca de 154 mil passageiros utilizam o BRT diariamente.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/transoeste-ganhara-novas-estacoes-ate-segundo-trimestre-de-2016-17193769#ixzz3itXfSdPv 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Niterói já conta com aviso sonoro nos ônibus para ajudar no desembarque

11/08/2015 - O Dia

Semelhante ao modelo utilizado no metrô, dispositivo foi desenvolvido para auxiliar deficientes visuais e oferecer mais conforto ao usuário em geral

GUSTAVO RIBEIRO

Rio - Quantos pontos faltam para eu chegar ao meu destino? Por onde estamos passando? A cada dia, os passageiros de ônibus de Niterói precisam fazer menos perguntas como essas ao motorista. Pelo menos 120 ônibus da Viação Pendotiba, na Região Oceânica, estão circulando com dispositivos sonoros que informam a localização e as paradas durante o trajeto. E a empresa pretende instalar o aplicativo em toda a frota até o final de 2016.

A tecnologia já está presente em 100% da frota das linhas 38B (Charitas – Itaipu), 40 (Maceio – Niterói), 52 (Baldeador – Itaipu) e 37 (Parque da Colina- Niterói). "Através da central de monitoramento via satélite, temos cadastrados os principais pontos de ônibus que a viação serve. Como é acoplado ao sistema de GPS, o dispositivo informa automaticamente para os passageiros a próxima parada antes de chegar aos pontos", explica o gerente operacional da Viação Pendotiba, Sebastião Pessanha.

O modelo, semelhante ao utilizado no metrô, foi desenvolvido para auxiliar deficientes visuais e oferecer mais conforto ao usuário em geral. Outras linhas da empresa já têm o dispositivo em alguns ônibus. Reclamações por falta de informações foram o que motivou a viação a investir na tecnologia.

"O nosso cliente, de modo geral, perguntava muito ao cobrador sobre os pontos por onde estava passando e onde ele precisava saltar. Com esse sistema, solucionamos o problema da falta de informação e procuramos atender às necessidades do deficiente visual", comenta Pessanha.

Do total de 255 ônibus da frota da Viação Pendotiba, 178 possuem ar-condicionado. Como 65 veículos são substituídos por ano, todos deverão ter ar também até o final do ano que vem, segundo o gerente operacional.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Conexão expressa

29/07/2015 - O Globo

Luiz Ernesto MagalhãeS

A pouco mais de um ano das Olimpíadas, a prefeitura entrou em contagem regressiva para concluir as obras do BRT Transolímpico (Deodoro- Recreio dos Bandeirantes), que, além de serviço de ônibus articulados, prevê a implantação da segunda via expressa da cidade em parceria com a iniciativa privada e com cobrança de pedágio, como acontece na Linha Amarela. Segundo a Secretaria municipal de Obras, 65% dos serviços já foram executados ao longo de 25 quilômetros. A escavação de dois novos túneis da via expressa, que serão paralelos à Estrada do Catonho (ligando Taquara a Sulacap), está em fase final, e a expectativa é concluir os serviços até o fim do mês que vem. A prefeitura trabalha com o prazo de 30 de junho de 2016 para a entrega de todo o projeto.

As intervenções incluem também a duplicação da Avenida Salvador Allende, entre a Avenida das Américas e a Estrada dos Bandeirantes (Curicica), onde tem início o trecho com pedágio. Nessa etapa, 55% dos trabalhos já terminaram, e já é possível visualizar o traçado do corredor de BRT. Os operários trabalham ainda na construção de quatro novos retornos com sinal de trânsito, para veículos de passeio, nas proximidades da Avenida das Américas, do 31 º BPM (Recreio), do Riocentro e da comunidade Asa Branca (Curicica). Ao todo, o projeto prevê a construção de 31 viadutos e pontes. A maioria das obras dessas estruturas ainda está em andamento, como as dos viadutos sobre a Estrada Outeiro Santos (Taquara) e sobre a Avenida Duque de Caxias (Deodoro).

VIA TERÁ DOIS PONTOS DE PEDÁGIO

O Transolímpico vai conectar dois polos importantes dos Jogos de 2016: a Barra (onde ficarão o Parque dos Atletas e a Vila dos Atletas) e Deodoro (onde vão ser disputadas 11 modalidades olímpicas e quatro paralímpicas). O corredor contará com quatro terminais: Recreio, Parque Olímpico da Barra, Sulacap e Deodoro, este compartilhado com o BRT Transbrasil, que está em construção e fará conexão com o Centro. Também haverá 18 estações ao longo do trajeto, que cruza os bairros de Jacarepaguá, Sulacap e Magalhães Bastos. Entre as estações em construção, estão pontos nas proximidades da Vila Olímpica e da Vila Militar. O projeto prevê que o Transolímpico tenha integrações com os trens da SuperVia e com os demais corredores de BRTs - além do Transbrasil, o Transoeste (no Recreio) e o Transcarioca (na Barra, com a implantação de um transporte especial até o Terminal Alvorada).

O Consórcio Via Rio (Invepar, Odebrecht Transport e CCR), que venceu a concessão para explorar o serviço por 35 anos, divulgou ontem alguns detalhes da operação para veículos comuns. Em valores atuais, o pedágio deve ficar em R$ 5,90 (o mesmo da Linha Amarela). A via terá quatro saídas: avenidas Brasil e Marechal Fontenelle, Estrada do Rio Grande e Avenida Salvador Allende. Os motoristas que circularem entre a Marechal Fontenelle e Deodoro não vão pagar pedágio. Serão dois pontos de cobrança. A praça principal, com 12 cabines, ficará em Sulacap. Ali, motoristas que trafegarem nos dois sentidos precisarão pagar a tarifa. No trecho expresso entre Curicica e Taquara, haverá pedágio na Estrada do Rio Grande, mas apenas no sentido Recreio.

Ao longo dos três últimos anos, o projeto - hoje orçado em quase R$ 2,2 bilhões, incluindo a criação de uma alça de ligação com o BRT Transbrasil e a duplicação da Avenida Salvador Allende - passou por uma série de modificações. As mudanças elevaram os custos em R$ 130 milhões, sem contar gastos com desapropriações, que passaram de R$ 40 milhões. O Consórcio Via Rio entrou com R$ 520 milhões.

Segundo o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, muitas mudanças ocorreram para reduzir os custos com desapropriações e também para criar um novo acesso em Sulacap, não previsto no projeto inicial. Em Curicica, um viaduto foi construído para reduzir de 876 para 300 o número de famílias da Favela Vila União a serem reassentadas.

- Nós também alteramos o traçado da via em Magalhães Bastos e nas imediações da Colônia Juliano Moreira - detalhou Alexandre Pinto.

A exemplo do Transcarioca (que liga a Barra ao Aeroporto Tom Jobim), inaugurado às vésperas da Copa do Mundo de 2014, o BRT Transolímpico também não estará plenamente operacional para as Olimpíadas. O plano da Secretaria municipal de Transportes é abrir as estações de forma gradual, mas esse cronograma ainda está em estudos.

Galeria do Túnel Transolímpico chega à última fase de construção

05/08/2015 - O Globo

RIO - O governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito Eduardo Paes acompanharam, na manhã desta terça-feira, a última fase da construção da galeria do Túnel Transolímpico, que marca a etapa final da obra da via de 25 quilômetros que ligará os bairros do Recreio, Barra, Deodoro, Curicica, Colônia, Taquara, Jardim Sulacap, Vila Militar e Magalhães Bastos.

Com a conclusão da obra, estima-se que o tempo médio de viagem no percurso seja reduzido em 60%, passando de duas horas e meia para apenas meia hora. Cerca de 55 mil veículos deverão trafegar diariamente na via, que também servirá de corredor para o BRT, beneficiando ao menos 70 mil passageiros por dia, quando estiver em plena atividade.

Após a detonação cenográfica, com direito a barulho de explosão e o uso de uma retroescavadeira para desobstruir uma espécie de parede, construída por operários na noite desta segunda-feira, já que a galeria estava completamente escavada há 20 dias, Paes e Pezão surgiram em meio à passagem e atravessaram o túnel a pé, seguindo até o trecho onde será erguida a praça de pedágio. Resultado de uma Parceria Público Privada (PPP), a obra tem custo previsto de R$ 2,2 bilhões.

Depois de percorrer o túnel, o prefeito Eduardo Paes disse que a obra vai tornar a cidade mais integrada e justa e ressaltou que o Rio não vai parar de gerar obras e empregos. Paes agradeceu a parceria com o governador Pezão e a presidente Dilma Rousseff.

O quinto maior túnel da cidade tem duas galerias, totalizando 1,5 quilômetro de extensão. Todo o trecho será monitorado por câmeras com imagens transmitidas em tempo real para o Centro de Controle e Operações da prefeitura. O túnel contará com gerador próprio para alimentar iluminação de LED e um sistema à prova de apagões e prevenção contra incêndio.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Tecnologia embarca nos ônibus do Rio

30/07/2015 - O Dia

Conheça os equipamentos de última geração que permitem saber desde a localização dos coletivos em tempo real até carregar o celular no trânsito

O DIA

Rio - A tecnologia embarcou junto com os passageiros nos ônibus. Desde que o serviço de transporte urbano foi licitado pela Prefeitura do Rio, em 2010, os veiculos foram equipados com instrumentos de última geração que permitem saber desde a localização do coletivo, em tempo real, até a captação de imagens internas e externas. Na região de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Tanguá e Maricá, sistema wi-fi gratuito, conexão USB para carregar o celular e biometria são algumas das novidades.

Conheça as tecnologias que viajam nos ônibus todos os dias.

A modernidade no município do Rio

GPS (Global Position System ) – está presente em todos os ônibus que circulam na cidade e fornece localização em tempo real. Os sinais dos aparelhos são enviados para o Centro de Controle e Operação do Rio Ônibus. Todas as informações dos GPS das empresas são unificadas e repassadas para a Prefeitura e para o Centro de Operações Rio. Este equipamento é uma exigência do Edital da licitação feita em 2010.

Tacógrafo – verifica a velocidade do ônibus. Em caso de acidente, fornece informações importantes que auxiliam no esclarecimento dos casos. O uso do tacógrafo é obrigatório de acordo com o Edital de licitação.


BRT tem os equipamentos mais modernos do sistema de transporte de passageiros da cidade
Foto:  Divulgação

Bilhetagem Eletrônica – permitiu a integração de tarifas entre os sistemas que operam na região metropolitana. A cobrança eletrônica começou a ser feita em 2005. Atualmente são disponibilizados o Bilhete Único Carioca, Bilhete Único Intermunicipal e a Integração Convencional com o Metrô. Essa tecnologia dá condições ao passageiro de pegar até dois ônibus, pagando apenas uma passagem, na região metropolitana. No BRT, é possível embarcar em até três ônibus.

Sistema de TV – tecnologia usada para entretenimento e informação do usuário. Os aparelhos estão em expansão nas linhas e empresas. O canal tem conteúdo próprio voltado também para divulgação de campanhas, alertas de alteração de itinerário e pontos de ônibus.

Câmeras de Segurança – os ônibus são equipados com duas câmeras que captam imagens internas e externas do veículo. O arquivo é descarregado nas empresas, que são obrigadas a armazená-los por até três dias.

Equipamentos de última geração no BRT

No BRT, que encurtou o tempo de viagem para os passageiros do Transcarioca e do Transoeste, os ônibus utilizam os equipamentos mais modernos do sistema de transporte de passageiros na cidade.

Câmeras de Segurança – as imagens internas e externas dos ônibus são transmitidas em tempo real para o Centro de Controle e Operação (CCO).

Computador de Bordo – controla os avisos sonoros de paradas nas estações, faz a comunicação do motorista com o CCO e também gerencia o envio de sinal do GPS com o posicionamento do ônibus.

Sistemas de freio – O BRT tem cinco sistemas de freios que trabalham em paralelo (freio de serviço a ar comprimido, freio motor, freio de cabeçote tipo top break, freio hidráulico e ABS (sistema anti-bloqueio). Além disso, um equipamento chamado Retarder funciona da seguinte maneira: assim que o motorista tira o pé do acelerador, automaticamente o freio motor já é acionado.

Câmbio automático - permite trocas de marchas mais suaves e aumenta o conforto do motorista e dos passageiros.

Motor com tecnologia EURO V – motor de alta tecnologia com menor nível de emissão de poluentes.

Painel com imagens das câmeras – no painel, o motorista recebe as imagens das câmeras de ré e das portas dos ônibus.

Combustível – o BRT usa o diesel padrão S10 com adição de 5% de biodiesel. Essa combinação permite reduzir o aumento da concentração de gás carbônico, que ocasiona o efeito estufa na atmosfera.

Novidades em toda a Região Metropolitana

Avisos sonoros - Presente em sete linhas - o que equivale a 120 ônibus - que circulam em Pendotiba e na região oceânica. A tecnologia avisa sobre as próximas paradas dos ônibus, modelo semelhante ao já utilizado no metrô. O serviço auxilia os deficientes visuais e também ajuda os passageiros que não estão habituados com os itinerários dos coletivos.

Sistema Wi-Fi gratuito para passageiros e conexão USB para carregar celular - em quatro linhas da Viação Araçatuba, em Niterói: Linha 30, Linha 47, Linha 47 A e Linha 47 B.

Biometria - Os ônibus da região do Setrerj (Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Tanguá e Maricá) foram os primeiros a contar com a biometria digital em todo o estado do Rio de Janeiro. O sistema de biometria é utilizado para embarcar os passageiros portadores de gratuidade com presteza e segurança, comprovando que o portador é, realmente, a pessoa que tem direito ao benefício

BRT modifica estações para evitar calote

30/07/2015 - O Dia

Além da medida, policiais do Proeis atuam para combater pessoas que se arriscam para entrar no transporte sem pagar

RIO - O Consórcio BRT adaptou duas estações para evitar que pessoas tentem entrar de graça nos ônibus. Além de cometer fraude, esses usuários colocam em risco a própria vida, porque se arriscam nas pistas exclusivas de ônibus e se penduram na extremidade das platafaformas, pelo lado de fora das portas de embarque e desembarque das estações.



BRT modifica estações para evitar calotes
Foto:  Divulgação~BRT

As modificações estruturais foram feitas nas estações de Curicica, do corredor Transcarioca, e Curral Falso, do Transoeste. Os degraus localizados nas pontas das plataformas, que serviam de acesso para as pessoas que invadiam a estação, foram eliminados. Além disso, foram colocadas placas de metal nas extremidades e nas portas de embarque e desembarque de usuários.

No dia 28, um passageiro que realizava o embarque irregular pelas portas de vidro foi atingido pelo retrovisor de um ônibus na estação do Mato Alto. Segundo o consórcio, além da medida anticalote, policiais do Proeis, que são pagos para trabalhar nos dias de folga no sistema BRT,  têm atuado para evitar as evasões. Quem for pego viajando no transporte público sem pagar passagem pode pegar de 15 dias a dois meses de prisão e pagar multa, conforme artigo 176, do Código Penal.

Transolímpica: estação de Sulacap já muda o visual do bairro

28/07/2015 - O Dia

Estrutura é a primeira de 18 que serão construídas no traçado entre o Recreio dos Bandeirantes e Deodoro

O DIA

Rio - A maior estação do BRT Transolímpica ficou pronta nos últimos dias em Jardim Sulacap e já é a responsável por mudar o visual do bairro. Localizada na altura da Avenida Marechal Fonetelle, a estrutura é a primeira de 18 que serão executadas no traçado que ligará o Recreio dos Bandeirantes a Deodoro.

Segundo a Secretaria Municipal de Obras, a estação, construída em seis meses, conta com 141 metros de comprimento, dois acessos com bilheterias e oito plataformas, no total. Ela fica em um ponto estratégico do corredor, ampliando o acesso também aos usuários de Bangu, Realengo e Vila Valqueire. A Transolímpica tem conclusão prevista para o primeiro semestre de 2016, sob investimento de R$ 2,2 bilhões.


Estação Sulacap ficou pronta em menos de seis meses e será a maior do corredor
Foto:  Divulgação

O BRT Transolímpica é a esperança da prefeitura para desafogar o Transoeste, que recebe 184 mil passageiros por dia. Com uma faixa exclusiva para ônibus articulados e duas para carros em cada sentido, o corredor tem 65% das obras executadas.

Para a Secretaria Municipal de Transportes, os moradores de bairros entre Bangu e Campo Grande, que trabalham no Recreio e na Barra, deverão utilizar o novo BRT, tirando a sobrecarga existente hoje na Estação Mato Alto, do Transoeste. Para isso, eles poderão fazer conexão entre as linhas de ônibus comuns e os serviços da Transolímpica nos futuros terminais de Sulacap ou de Deodoro.