quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Zona sul do Rio deverá ter faixa para ônibus entre Jardim Botânico e Botafogo

19/01/2011 - Transporte Idéias

A prefeitura do Rio de Janeiro definiu os prazos para a implantação das faixas preferenciais que serão instaladas na cidade após a implementação da faixa na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, marcada para 19 de fevereiro. Em março será a vez da Rua Barata Ribeiro, também em Copacabana, zona sul do Rio. As informações são do jornal “O Globo”.

O objetivo da prefeitura é implantar também uma faixa preferencial entre os bairros Jardim Botânico e Botafogo ainda no primeiro semestre deste ano. E, na segunda metade de 2011, a meta é levar o projeto para a zona norte da cidade, implantando a faixa na Radial Oeste, Vinte e Quatro de Maio, Marechal Rondon, Vinte e Oito de Setembro e Teodoro da Silva.

Para garantir o fluxo do tráfego, serão proibidas paradas para carga e descarga em qualquer horário em toda a Avenida Nossa Senhora de Copacabana. Agentes de trânsito e radares vão garantir que os veículos utilizem a pista da direita somente para entrar em garagens, centros comerciais ou para dobrar nas ruas que dão mão à a direita.

“Temos tecnologia mais moderna e reorganizamos os ônibus, que deixarão de concorrer entre si. Antes, tínhamos 45 empresas concorrendo pelos passageiros. Agora, são quatro consórcios, a concorrência é inútil. Vamos acabar com ciclo vicioso no qual havia mais ônibus, que andavam vazios e causavam engarrafamentos”, afirmou o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão.

A Secretaria municipal de Transportes espera que a velocidade dos coletivos passe de 13km/h para 24km/h. Nos BRTs, nos quais os ônibus transitam em corredores exclusivos, a velocidade média é de aproximadamente 30km/h. O número de viagens, além disso, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana deverá passar de 419 para 320 por hora, o que significa uma redução de 24%. Por outro lado, a prefeitura estima que o número de passageiros por viagem aumentará 30%, de 23 para 30. Os ônibus também vão parar em menos pontos.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Linha Mauá - Fátima

Década de 1960. Extraído do blog Saudades do Rio, de Luiz Dacry, em 17/01/2011.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Corredor expresso Barra-Galeão entra em obras no mês que vem

11/01/2011 - O Dia

Faixa exclusiva para ônibus em Copa será inaugurada em fevereiro

Rio - Dois projetos que prometem desafogar o trânsito da cidade, criando corredores exclusivos para ônibus, sairão do papel em fevereiro. Depois de assinar, ontem, contrato de financiamento com o BNDES, a prefeitura iniciará as obras do corredor expresso BRT Transcarioca, que vai ligar a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim. Também está prevista, para o próximo mês, a implantação das pistas exclusivas para coletivos em Copacabana.

Com investimento de R$ 1,3 bilhão — R$ 1,1 bi do governo federal e R$ 200 milhões do município — a Transcarioca será concluída em 3 anos. Os ônibus que circularão na via usarão combustíveis ‘limpos’, ou seja, ecológicos. Segundo o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, a tecnologia será desenvolvida em parceria com o setor privado e a intenção é de que seja motor elétrico híbrido. A prefeitura estuda como tornar a medida viável sem pesar na tarifa. “Queremos um veículo articulado grande, que possa no futuro substituir os motores atuais de forma competitiva”, explica Coutinho.

CINE VAZ LOBO RECUPERADO

Segundo o prefeito Eduardo Paes, a previsão é de que outros corredores, como o Transoeste (Barra-Campo Grande), operem com o combustível ecológico. Paes disse que as obras da Transcarioca vão reorganizar o subúrbio carioca. “Teremos obras de urbanização de áreas degradadas da cidade. Nós vamos resgatar o Cine Vaz Lobo”, prometeu. 

Segundo o secretário de Transportes, Alexandre Sansão, em fevereiro, será implantado o corredor exclusivo para ônibus na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e, logo depois, na Barata Ribeiro. Serão reservadas duas das 4 faixas das vias para ônibus. O projetoprevê ainda redução em 30% de coletivos que passam pelas vias.

Início pelo Viaduto do Campinho

A concorrência para o segundo lote da Transcarioca (Penha-Galeão) acontece dia 8 de fevereiro. As obras nesse trecho estão orçadas em R$ 548,3 milhões. A primeira etapa da obra (Barra-Penha) começa pela construção do viaduto do Campinho. A previsão é de que 400 passageiros utilizem o corredor todos os dias e gastem a metade do tempo no trajeto. Serão 39 km de extensão, 45 estações, três terminais para embarque e desembarque, além de 2 mergulhões e 10 viadutos. Haverá integração física e tarifária com metrô e trens, além do BRT da Av. Brasil. O traçado das atuais linhas de ônibus será redesenhado.

Nos BRTs, bilhete será validado nas estações, para acelerar embarque e desembarque de passageiros

11/01/2011 - O Globo - Luiz Ernesto Magalhães


RIO - Assim como nas estações de trens e do metrô, o usuário não pagará a passagem ou descontará seus créditos do vale transporte eletrônico no interior dos ônibus articulados dos quatro corredores exclusivos (BRTs) que a prefeitura pretende implantar até a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016. O controle de acesso às plataformas do BRTs Transcarioca (Barra-Penha-Tom Jobim), Transoeste (Barra-Santa Cruz-Campo Grande), Transbrasil (Avenida Brasil) e Transolímpico (Barra-Deodoro) será feito na entrada das estações, onde também haverá guichês para a venda de bilhetes individuais. O objetivo, conforme explicaram na segunda-feira técnicos da prefeitura, é acelerar o embarque e o desembarque dos passageiros.

- A própria plataforma das estações e dos terminais do BRT foi planejada para isso. Elas ficarão a 90cm do solo para ficar na altura das portas de embarque dos coletivos - informou o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto.

As futuras estações e terminais serão mantidos e administrados pelos quatro consórcios que operam o Bilhete Único Carioca (BUC). O projeto das estações foi desenvolvido por consultores contratados pela Secretaria de Obras. As estruturas metálicas serão modulares. O número de módulos, com 120 metros cada, dependerá da demanda de usuários em cada estação.

O custo para implantar cada estação ou terminal ainda está em fase de orçamento. Mas, segundo Pinto, ficará entre R$ 800 mil e R$ 1,5 milhão, dependo do número de módulos.

- As estações terão isolamentos térmico e acústico. Mas contarão com aberturas no teto para permitir uma ventilação cruzada, reduzindo a sensação de calor.

As informações foram divulgadas no mesmo dia em que o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, fechou um contrato com o prefeito Eduardo Paes para financiar R$ 1,1 bilhão do projeto. Os recursos fazem parte de uma linha de financiamento do chamado PAC da Mobilidade Urbana para as 12 cidades-sede da Copa. As obras devem começar já em fevereiro, pelo trecho Barra-Penha. A prefeitura planeja concluir os 39km do Transcarioca até dezembro de 2013.

O Transcarioca fará com que o usuário dos ônibus mude suas rotinas, à medida em que as estações fiquem prontas. Cerca de 90 linhas e roteiros (cerca de 10% do total existente na cidade) sofrerão mudanças ou serão extintas por conta do sistema. Pelo menos 30 linhas que hoje cobrem o mesmo percurso do Transcarioca serão transformadas em circulares. Elas apenas levarão os passageiros de áreas mais distantes até um terminal do Transcarioca, onde será possível embarcar com o BUC. Das 57 restantes, 18 terão o percurso alterado e 39, modificados.


Corredores seletivos de Copacabana, na zona sul do Rio, devem ser implantados em fevereiro

11/01/2011 - Transporte e Idéias

O secretário municipal de Transportes do Rio de Janeiro, Alexandre Sansão, afirmou nesta última segunda-feira que a implantação dos corredores seletivos de ônibus em Copacabana, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e Rua Barata Ribeiro, deverá acontecer apenas em fevereiro. A informação é do jornal “O Globo”.

De acordo com Sansão, a previsão inicial era que o novo sistema, chamado de BRS (Bus Rapid System, em inglês), começasse a operar em janeiro. O objetivo é reduzir o número de coletivos que circulam pelo bairro.

O sistema BRS prevê que duas faixas de tráfego das vias sejam destinados exclusivamente para coletivos. Os carros particulares serão proibidos de transitarem pelo espaço, e a invasão será coibida por radares eletrônicos.

Segundo o secretário municipal de Transportes, o projeto será levado adiante após a conclusão do programa Asfalto Liso, de recuperação de pavimentação das vias. O programa foi iniciado no início do ano.

“O Asfalto Liso está preparando a via para o BRS. A obra fica pronta no início de fevereiro e, em seguida, nós entramos com a sinalização e a demarcação das faixas. Primeiro vamos implantar na Nossa Senhora de Copacabana e, em seguida, na Barata Ribeiro”, disse Sansão.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

BNDES vai incentivar implantação de motor híbrido em ônibus da Transcarioca


10/01/2010 - R7 - Sérgio Vieira

O investimento na obra será de R$ 1,3 bilhão, dos quais R$ 200 milhões são da prefeitura

André Muzell / R7
André Muzell / R7
Prefeito Eduardo Paes assina acordo para financiamento das obras do corredor da Transcarioca

O presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), em evento realizado nesta segunda-feira (10) no Palácio da Cidade, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro afirmou que quer utilizar o projeto do veículo BRT (sigla em inglês para Bus Rapid Transit) para incentivar a criação do motor elétrico híbrido que reduz ou substitui por completo a utilização do diesel na frota de transporte em massa.

- Nós gostaríamos de tornar o projeto BRT exemplar, o BNDES está empenhado em transformar essa obra em exemplo sustentável, por meio da utilização de tecnologias alternativas para transportes de massa. Queremos desenvolver o sistema de tração elétrico híbrido para ajudar a retirar veículo individual de rua aliado a um meio integrador de transporte que seja feito de forma sustentável, para agregar qualidade ambiental ao Rio.

Segundo Coutinho, este é um projeto para que em 2014 e em 2016 o Rio possa mostrar uma obra que agrega qualidade de vida à sua população mas também tenha um cunho ambiental.

Embora o presidente da instituição não tenha citado o nome de nenhuma empresa, ele confirmou que há conversações com companhias nacionais e internacionais para viabilizar a criação de motores que utilizem a tecnologia hibrida (combustível mais eletricidade) e que esteja pronta para ser implementada em até três anos.

No entanto, ele não garantiu que essa tecnologia fique pronta a tempo da Olimpíada de 2016 pois pode haver obstáculos técnicos.

- Vai depender da capacidade tecnológica de desenvolver uma solução adequada e competitiva dentro do prazo. Vai depender da capacidade privada.

O presidente do BNDES reiterou que para a viabilização desse financiamento foi necessário realizar muitas adaptações, não só para que o BRT da Transcarioca se integrasse de forma plena a outros modais (metrô, ciclovias, trem, importantes vias da cidade, como a avenida Brasil e a avenida Ayrton Senna) - o que permitirá que a população carioca consiga deslocar-se pela cidade de forma mais adequada - mas também houve uma demanda de ajustes para que fossem respeitados os centros dos bairros e que todas as curvas do trajeto valorizassem o entorno, contribuindo com melhorias e reurbanização das áreas pelas quais a via irá percorrer.

A prefeitura do Rio assinou hoje com o BNDES o contrato de financiamento das obras da Transcarioca que vai ligar a Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, passando por uma série de bairros da zona norte e zona oeste.

O investimento total na Transcarioca será de R$ 1,3 bilhão, sendo R$ 1,1 bilhão financiados pelo governo federal e R$ 200 milhões dos cofres da prefeitura. De acordo com Alexandre Sansão, secretário municipal de transportes, esta é a maior obra de transporte já feita pela prefeitura do Rio de Janeiro.

O projeto da Transcarioca já era conhecido pelo BNDES. Segundo o prefeito Eduardo Paes, assim que ele foi apresentado como subprefeito de Jacarepaguá em 1999, o atual BRT já estava BA pauta de obras imprescindíveis, mas era apresentado sob a alcunha de T5, que há décadas vem sendo prometida para reestruturar o trânsito na região da zona norte e oeste da cidade.

- Não é apenas uma obra de transporte, é uma obra que estrutura o subúrbio carioca.

Se levado a cabo como prometido, o BRT da Transcarioca ficará pronto em três anos após a construção de 39 quilômetros de extensão, com nove pontes e dez viadutos, diminuindo, segundo promete a prefeitura, o percurso entre o aeroporto Tom Jobim à Barra da Tijuca à metade do tempo, passando de 946 minutos para 49 minutos.

- O mais interessante será possibilitar que os turistas que chegarem ao Galeão consigam ir direto para seus hotéis na Barra da Tijuca não só de forma ágil mas também com segurança.




Transcarioca sai do papel no mês que vem

09/01/2011 - O Globo, Luiz Ernesto Magalhães

A prefeitura planeja concluir até dezembro de 2013 a construção do BRT Transcarioca (corredor exclusivo para ônibus que ligará a Barra até o Aeroporto Internacional Tom Jobim, atravessando Jacarepaguá, Madureira e Penha), a tempo da Copa do Mundo de 2014. As obras começam no mês que vem - quase um ano após o prazo previsto - com pelo menos seis frentes de trabalho. O prefeito Eduardo Paes assinará amanhã o contrato com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar o projeto. Somente as obras físicas (sem contar as despesas com desapropriações, consultorias e projetos) custarão R$1,3 bilhão, dos quais R$1,1 bilhão financiados pelo BNDES.

Opção de transporte para cariocas e turistas

O Transcarioca terá 39km de extensão e 45 estações entre o Cebolão e o aeroporto, incluindo viadutos e pontes com faixas exclusivas. No caminho, passará por vias atualmente saturadas, como as avenidas Ayrton Senna (Barra), Nelson Cardoso e Cândido Benício (Jacarepaguá) e Edgard Romero (Madureira). Em várias paradas haverá integrações com outros meios de transporte de massa: o BRT Transoeste (já em construção, ligando a Barra a Santa Cruz e Campo Grande), estações de trem, linhas de ônibus convencionais e a Linha 2 do metrô.

- A solução mais rápida e barata de transporte público nessas áreas é o BRT. Hoje uma viagem de ônibus apenas entre a Barra e a Penha leva 96 minutos. Com o BRT, a previsão é que o usuário gaste quase a metade do tempo (49 minutos). O prazo de implantação é relativamente curto e a demanda é de 400 mil passageiros por dia. As linhas 1 e 2 do metrô, por exemplo, têm 600 mil usuários por dia - diz o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão.

Com base na experiência de outros países, Sansão aposta ta que não apenas os cariocas, mas também os turistas, usarão o Transcarioca como opção para circular pela cidade.

- Os turistas poderão se deslocar entre o hotel e o aeroporto não apenas durante a Copa, como no dia a dia - observa o secretário.

Sansão lembra que, em outros países, a integração entre os sistemas de transportes estimulou turistas a usarem o serviço para se deslocar pelas cidades. Na Europa, por exemplo, é comum que os visitantes deixem os aeroportos de metrô, trem ou ônibus. Em Lisboa e Paris, existem linhas circulares entre os aeroportos e o Centro.

A Federação das Empresas de Transportes do Rio (Fetranspor) adiantou que estuda o modelo de veículo de ônibus que será usado no Transcarioca. Mas considera provável que os ônibus que cheguem ao Aeroporto Internacional pelo BRT disponham de áreas para as malas.

O projeto agradou também as equipes do Comitê Olímpico Internacional (COI) que acompanham os preparativos do Rio para os Jogos de 2016.

- Philippe Bovy (consultor do COI para transportes) considera que o corredor Transcarioca será o legado urbano mais importante para o Rio de Janeiro com a Copa e as Olimpíadas, pela possibilidade que cria para integrar melhor a cidade - diz o presidente do Instituto Municipal Rio 2016, Bernardo Carvalho.

O prefeito Eduardo Paes vai além:

- O Transcarioca vai requalificar o subúrbio por ser uma solução para gargalos do trânsito. Ao garantir a mobilidade da população, também ajudará a revitalizar o comércio de rua em bairros como o Largo do Tanque, a Praça Seca e Vaz Lobo.

O cronograma das obras do Transcarioca sofreu mudanças. a exemplo de outras intervenções planejadas para a Copa e as Olimpíadas. O projeto inicial da prefeitura era implantar o BRT apenas entre a Barra e a Penha, com 28km de extensão e demanda de 300 mil passageiros até 2012. As obras começariam no ano passado. A Casa Civil da presidência da República, porém, condicionou a liberação do empréstimo pelo BNDES à prefeitura à extensão do projeto até o Aeroporto Tom Jobim. Estudos mostravam que os 11km adicionais entre a Penha e o aeroporto fariam com que o sistema passaria a atender mais cem mil usuários por dia.

Prefeitura terá 10 anos para quitar empréstimo

O contrato com o BNDES prevê que a prefeitura terá dez anos para quitar o empréstimo, com três anos de carência. Com as modificações, a estimativa é que serão necessárias cerca de quatro mil desapropriações (mais de 3.600 apenas entre a Barra e a Penha) totais e parciais, que devem custar mais de R$300 milhões. Em 2010, cerca de R$30 milhões foram pagos, principalmente para proprietários de imóveis do Campinho e Madureira, considerados os pontos mais críticos do projeto.

O secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, explica que alguns pontos do traçado estão sendo revistos:

- Um dos casos é na Taquara, onde devemos ter menos desapropriações do que o previsto na Estrada dos Bandeirantes. Para isso, o trânsito de carros de passeio pelo bairro será reordenado.

As obras serão feitas em dois lotes. O primeiro deles, no valor de R$780,3 milhões (Barra-Penha), terá o vencedor conhecido no mês que vem. Três consórcios disputam a fase final da concorrência. Ainda no primeiro trimestre deve ser conhecido o consórcio que fará o segundo lote (Penha-Aeroporto), com custo estimado de R$548,3 milhões.

No Transoeste, o avanço dos tratores

Enquanto as obras do Transcarioca não começam, os tratores avançam nos canteiros de outro BRT também de responsabilidade da prefeitura. No trecho final do Recreio, já é possível observar o contorno das entradas dos dois túneis que estão sendo construídos no maciço rochoso para a passagem do Transoeste (corredor para ôninus articulados que farão a ligação Barra-Guaratiba-Santa Cruz-Campo Grande). Além de contar com corredores exclusivos para BRT, o túnel servirá de opção à Serra da Grota Funda para os motoristas que circulam entre Guaratiba e Recreio.

A abertura dos túneis é feita com o uso de dinamite nas duas vertentes. São feitas até três detonações por dia. Os materiais retirados na escavação serão reaproveitados como aterro na própria obra.

Segundo o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, a previsão é que as escavações sejam concluídas até o fim de março. A etapa seguinte consistirá na implantação dos sistemas de segurança, ventilação e iluminação e de drenagem para evitar infiltrações.

A prefeitura promete concluir as obras do Transoeste até meados de 2012. O projeto prevê a construção de 53 estações (que não estão no orçamento das obras) ao longo de 56km de extensão para atender 220 mil passageiros/dia. No Recreio, quatro favelas estão sendo removidas, mas há resistências de parte dos moradores, que entraram na Justiça reivindicando a permanência em suas casas.

O projeto original previa que o BRT só fosse implantado entre a Barra (no Cebolão, onde se integraria ao Transcarioca) e Guaratiba. Mas, no ano passado, a prefeitura decidiu ampliar a área atendida pelo projeto. As duas licitações para complementar o projeto deverão sair ainda neste semestre. No trecho da Barra, o corredor será levado até o Jardim Oceânico. Lá, a estação terminal será construída no terreno do antigo motel Maxim's, onde será integrada à futura Linha 4 do metrô (Barra-Zona Sul).

Paes assina com BNDES contrato de financiamento do Transcarioca

09/01/2011 - Agência Rio

O prefeito Eduardo Paes e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, assinam nesta segunda-feira (10) o contrato de financiamento das obras da Transcarioca, corredor expresso de BRT (Bus Rapid Transit) que vai ligar a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, passando por Madureira e Penha.

Junto com os corredores Transoeste (Barra-Campo Grande) e Transolímpica (Barra-Deodoro), a Transcarioca faz parte do conjunto de obras viárias que está preparando a cidade para a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, constituindo um dos principais legados para os cariocas. O investimento total na Transcarioca será de R$ 1,3 bilhão, sendo R$ 1,1 bilhão financiados pelo Governo Federal e R$ 200 milhões de contrapartida da prefeitura. O corredor terá 39 quilômetros de extensão e vai reduzir em pelo menos metade o tempo gasto no trajeto.

A assinatura do contrato acontece a partir das 11 horas no Palácio da Cidade, na Rua São Clemente, 360, Botafogo, Zona Sul do Rio.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Detro vai licitar duas linhas de ônibus ligando a Barra à Baixada Fluminense

05/01/2011 - Extra

RIO - O Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) vai abrir uma licitação para conceder de novas linhas de ônibus de trajeto intermunicipal nos dois primeiros meses deste ano. Em 17 de janeiro serão licitadas as ligações entre Nilópolis-Barra da Tijuca (via Mesquita) e São João do Meriti-Barra da Tijuca. No dia 2 de fevereiro acontece a concorrência para a linha Maricá-Itaboraí, que atenderá ao crescimento da demanda de passageiros na região, em função da instalação do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj).

O Detro encaminhará ao governador Sérgio Cabral toda a documentação que embasará o modelo para licitação das atuais 1.139 linhas intermunicipais, processo que deverá ser concluído em 2013, conforme determinação do Ministério Público. Estima-se que a administração estadual arrecade cerca de R$ 2,5 bilhões neste processo. No caso das linhas intermunicipais. os contratos renderão R$ 6,5 milhões aos cofres estaduais.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Detro inicia em janeiro licitação para concessão de novas linhas intermunicipais

05/01/2011 - O Globo 

RIO - O Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) vai iniciar este mês o processo de licitação para a concessão de novas linhas de ônibus de trajeto intermunicipal que renderão em outorga cerca de R$ 6,5 milhões ao governo. Em 17 de janeiro serão licitadas as ligações entre Nilópolis-Barra da Tijuca (via Mesquita) e São João do Meriti-Barra da Tijuca. Em 02 de fevereiro acontece a concorrência para a linha Maricá-Itaboraí, que atenderá ao crescimento da demanda de passageiros na região, em função da instalação do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj) na região.

O Detro também vai encaminhar ao governador Sérgio Cabral toda a documentação que embasará o modelo para licitação das atuais 1139 linhas intermunicipais, processo este que deverá estar concluído em 2013, conforme determinação do Ministério Público. Estima-se que a administração estadual venha a arrecadar cerca de R$ 2,5 bilhões em outorga neste processo.

A entrega das propostas para a exploração dos trajetos Nilópolis-Barra da Tijuca (via Mesquita) e São João do Meriti-Barra da Tijuca, ligando de forma direta a Baixada Fluminense à Zona Oeste do Rio, acontece no próximo dia 17. Atualmente, a empresa Expresso Cruzeiro do Sul já opera nestas linhas mas, segundo o modelo proposto pelo Detro, a operação deve ser dividida entre duas empresas, por este motivo, será feita a concorrência.

A demanda estimada para a linha Nilópolis-Barra da Tijuca (via Mesquita) é de 3.322 passageiros/dia com passagens a R$ 5,30. Já para o trecho São João de Meriti - Barra da Tijuca, são calculados 2.110 passageiros/dia com tarifa de R$ 5.

Os ônibus circularão com intervalo de 30 minutos, diminuido para 15 minutos nos horários de pico. O prazo da concessão é de 15 anos, prorrogáveis por igual período, se o governo julgar necessário e desde que comprovada a excelência do serviço.

Já a licitação da linha Maricá-Itaboraí vai escolher duas empresas para operar o trajeto, numa concessão de 15 anos renováveis por igual período se comprovada a excelência do serviço prestado.A concorrência deve ser na modalidade de maior oferta pela outorga, cujo valor mínimo será R$ 705 mil, equivalente a 5% do valor projetado da receita da empresa durante o período da concessão. O pagamento de 50% deste montante deverá ser feito na assinatura do contrato e os outros 50% poderão ser divididos em até 36 meses.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Largada para corredores em Copacabana

04/01/2011 - O Dia 

Rio - A prefeitura deu o primeiro passo para implantar corredores exclusivos para ônibus em Copacabana. Em 45 dias, tempo estimado para a conclusão da Operação Asfalto Liso que começou ontem, a Avenida Nossa Senhora de Copacabana começará a receber pintura e sinalização das faixas especiais. 

A Rua Barata Ribeiro também vai receber asfalto novo e pintura para o corredor. Serão reservadas duas faixas (de quatro) das vias para ônibus. Outros veículos só poderão transitar nas pistas especiais até a primeira rua que dê mão à direita. O controle será feito por radares. O projeto prevê a redução, em 30%, de coletivos que passam pelas vias.