sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Sete linhas de ônibus do Rio mudarão trajeto e uma será extinta no sábado


Mudanças fazem parte do processo de racionalização dos coletivos na cidade
   
 26/02/2016 - O Globo

A linha 438 (Vila Isabel x Leblon - via Jóquei) será eliminada - Fabiano Rocha / Agência O Globo


RIO - Os passageiros de ônibus vão enfrentar, a partir de sábado, mais uma etapa de mudança nas linhas. Na quinta etapa da segunda fase do plano de racionalização, sete linhas terão o trajeto modificado, uma será eliminada e duas novas linhas serão criadas. Como alternativa para linha 438 (Vila Isabel x Leblon - via Jóquei), que deixará de existir, a opção é o 439 (Vila Isabel – Leblon - via Túnel Rebouças x Jóquei). Já as novas linhas 218 (Vila Isabel x Candelária) e 508 (Horto x Botafogo - via Jardim Botânico) passarão a circular a partir de sábado.


Segundo a Secretaria municipal de Transportes, assim como nas etapas anteriores, as informações sobre as mudanças nas linhas estarão disponíveis no site da pasta e agentes da prefeitura estarão nas ruas distribuindo panfletos aos usuários e tirando todas as dúvidas sobre as alterações.

Para as mudanças deste sábado, os agentes serão distribuídos em pontos-chave dos seguintes bairros: Botafogo, Jardim Botânico, Horto, Cosme Velho e Tijuca.

De acordo com dados da CET-Rio, a primeira fase da racionalização das linhas da Zona Sul, de outubro a dezembro de 2015, já reduziram mais de 20% no tempo de viagem pelas faixas preferenciais do BRS em Copacabana e no Centro.

SETE LINHAS ALTERADAS

A linha 201 (Santa Alexandrina x Praça Quinze - circular) passa a ser 201 (Santa Alexandrina x Castelo - via Lapa - circular).

A linha 409 (Saens Peña x Jardim Botânico - via Horto) passa a ser 409 (Saens Peña x Praia de Botafogo - via Lapa - circular).

A linha 410 (Saens Peña x Gávea) passa a ser 410 (Saens Peña x Gávea - via Túnel Santa Bárbara).

A linha 422 (Grajaú x Cosme Velho) passa a ser 422 (Grajaú x Largo do Machado - circular).

A linha 497 (Penha x Cosme Velho) passa a ser 497 (Penha x Largo do Machado).

A linha 498 (Circular da Penha x Cosme Velho) passa a ser 498 (Circular da Penha x Largo do Machado).

A linha 509 (Horto x Jardim de Alah - circular) passa a ser 509 (Horto x General Osório - via Leblon - circular).


LINHA EXTINTA

A linha 438 (Vila Isabel x Leblon - via Jóquei - circular) não vai mais circular. A opção para os passageiros é pegar a linha 439 (Vila Isabel x Leblon - via Túnel Rebouças x Jóquei - Circular).

DUAS NOVAS LINHAS

Linha 218 (Vila Isabel x Candelária - circular) terá o seguinte itinerário de ida e volta: Praça Barão de Drummond, Rua Visconde de Santa Isabel, Rua Mendes Tavares, Rua Teodoro da Silva, Avenida Professor Manuel de Abreu, Rua Dona Zulmira, Rua São Francisco Xavier, Avenida Heitor Beltrão (pista direita), Rua Silva Ramos, Rua Gonçalves Crespo, Largo Frei Cassiano Villarosa, Rua Felisberto de Menezes, Rua Mariz e Barros, Praça da Bandeira, Viaduto dos Fuzileiros, Avenida Presidente Vargas (pista lateral), agulha acesso pista central após Rua Carmo Neto, Avenida Presidente Vargas (pista central), Praça Pio X, Praça da Candelária, Praça Pio X, Avenida Presidente Vargas (pista central), Viaduto dos Marinheiros, Avenida Osvaldo Aranha, Rua Pará, Rua Senador Furtado, Rua Mariz e Barros, Rua Ibituruna, Rua General Canabarro, Rua Mata Machado, Avenida. Maracanã, Praça Varnhagem, Rua Felipe Camões, Boulevard Vinte e Oito de Setembro, Praça Barão de Drummond (ponto terminal).

Linha 5088 (Horto x Botafogo - via Jardim Botânico - circular) terá como itinerário de ida e volta: Rua Pacheco Leão, Rua Jardim Botânico (sentido Botafogo), Rua Humaitá, Rua Voluntários da Pátria, acesso à Praia de Botafogo (sob o Viaduto Álvares Cabral), Praia de Botafogo (pista lateral), agulha de acesso à pista central, Praia de Botafogo (pista central), retorno altura da Rua Farani, Praia de Botafogo (sentido Copacabana), Rua São Clemente, Rua Humaitá, Largo dos Leões, Rua Humaitá, Rua Jardim Botânico, Rua Lopes Quintas, Rua Corcovado, Rua Van Martins, Rua Pacheco Leão (ponto terminal próximo à Rua Dona Castorina).



Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/sete-linhas-de-onibus-do-rio-mudarao-trajeto-uma-sera-extinta-no-sabado-18753906#ixzz41JYeKIHr 
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Nova etapa da racionalização contará com uma troncal na Região Portuária

16/02/2016 - SMTR, Prefeitura

A Prefeitura do Rio, através da Secretaria Municipal de Transportes, dará prosseguimento à racionalização das linhas da Zona Sul da cidade a partir do próximo sábado, 20 de fevereiro. A nova linha Troncal 8 (Cosme Velho - Rodoviária- via Praça Mauá) teve o itinerário alterado e passará a circular pela Zona Portuária a fim de garantir melhor atendimento do serviço aos moradores da região. Nesta quarta etapa da segunda fase, outras duas linhas serão criadas: Troncal 7 (Central - Cosme Velho - via Túnel Santa Bárbara) e 517 (Gávea PUC - Botafogo - via Lagoa- Epitácio Pessoa -circular). As linhas 157 (Gávea – Central- via Lagoa/ Leblon), 180 (Cosme Velho-Central - via Largo do Machado), 183 (Laranjeiras - Central - via Túnel Santa Bárbara), 184 (Laranjeiras - Central) e 405 (Ramos - Cosme Velho) serão extintas. Já a linha 580 (Largo do Machado -Cosme Velho), terá seu trajeto alterado para Laranjeiras para atender à Rua General Glicério.

A 1ª fase da racionalização das linhas da Zona Sul da cidade (de outubro a dezembro de 2015) já tem resultados comprovados, como a redução de mais de 20% no tempo de viagem pelas faixas preferenciais do BRS em Copacabana e no Centro da cidade, segundo dados da CET-Rio. O objetivo das mudanças é reorganizar o sistema, garantir transporte público mais eficiente para a população, com diminuição no tempo de deslocamento e melhoria na fluidez do trânsito.

Informações aos usuários

O detalhamento das etapas posteriores, a exemplo da primeira fase da racionalização, será apresentado na sequência da implementação das mudanças programadas para o dia 20. A cada nova fase, as informações estarão disponíveis no Diário Oficial e no site da Secretaria Municipal de Transportes (http://www.rio.rj.gov.br/web/smtr), além das redes sociais da SMTR (facebook/mobilidadeRJ).

O trabalho de comunicação direta aos usuários, com a distribuição de panfletos, cartazes e a presença de agentes de divulgação nas ruas será feito pelo Rio Ônibus, mantendo a determinação da SMTR. Para as mudanças do dia 20, os agentes serão distribuídos em pontos-chave dos seguintes bairros: Botafogo, Laranjeiras, Centro e Largo do Machado.


Veja abaixo o detalhamento das mudanças

Dia 20 de fevereiro


Alteração de 1 linha

OBS: Alteração de características operacionais, conforme abaixo discriminado:

Vista atual
Nova vista
580 (Largo do Machado -Cosme Velho)
Laranjeiras - Largo do Machado (circular)

Itinerário atual
Ida: Largo do Machado, Rua das Laranjeiras, Rua das Laranjeiras sob o Viaduto Engenheiro Noronha, Rua das Laranjeiras, Rua Cosme Velho, retorno sob o Viaduto José de Alencar, Rua Cosme Velho

Volta: Rua Cosme Velho, Rua das Laranjeiras, Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Conde de Baependi, Praça José de Alencar, Rua do Catete, Largo do Machado

Novo itinerário

Ida / Volta: Rua General Cristóvão Barcelos, Rua General Glicério, Rua Professora Estelita Lins, Rua das Laranjeiras (sentido Largo do Machado), Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Conde de Baependi, Praça José de Alencar, Rua do Catete, Largo do Machado, Rua das Laranjeiras, Rua das Laranjeiras sob o Viaduto Engenheiro Noronha, Rua das Laranjeiras, Rua General Glicério, Rua Professor Ortiz Monteiro, ponto terminal próximo à edificação nº 512

Extinção de 5 linhas

Linha extinta
Nova opção aos passageiros
157 (Gávea – Central- via Lagoa/ Leblon)
517 (Gávea PUC - Botafogo - via Lagoa- Epitácio Pessoa -circular) + Troncal 5 (Alto Gávea- Central (via Praia de Botafogo / Praia do Flamengo / 1º de Março)

180 (Cosme Velho- Central - via Largo do Machado)
Troncal 8 ( Cosme Velho - Rodoviária- via Praça Mauá)

183 (Laranjeiras - Central - via Túnel Santa Bárbara)
580 (Largo do Machado – Cosme Velho) + Troncal 7 (Central - Cosme Velho - via Túnel Santa Bárbara)

184 (Laranjeiras - Central)
580 (Largo do Machado – Cosme Velho) + Troncal 8 ( Cosme Velho - Rodoviária- via Praça Mauá) ou 580 + Troncal 7 (Central - Cosme Velho  - via Túnel Santa Bárbara)
405 (Ramos - Cosme Velho)
Troncal 7 (Central - Cosme Velho  - via Túnel Santa Bárbara)+ 483 (Penha- Siqueira Campos- circular)


Criação de 3 linhas

Linha criada
Vista
Troncal 7
Central - Cosme Velho - via Túnel Santa Bárbara
Troncal 8
Cosme Velho - Rodoviária- via Praça Mauá
517
Gávea PUC - Botafogo - via Lagoa- Epitácio Pessoa -circular

Itinerários

► Troncal 7 ( Central - Cosme Velho  - via Túnel Santa Bárbara)

Itinerário de ida: Terminal Procópio Ferreira, Av. Marechal Floriano, Rua Visconde da Gávea, Av. Presidente Vargas (pista lateral - sentido Praça da Bandeira), Rua Pereira Franco, acesso à Av. 31 de Março pela Praça Noronha Santos, Av. 31 de Março, Túnel Santa Bárbara, Rua Engenheiro Fernando Nascimento Silva, Praça Del Prete, Rua das Laranjeiras, Rua Cosme Velho, Terminal de Cosme Velho (ponto terminal)

Itinerário de volta: Terminal de Cosme Velho, Rua Cosme Velho, Rua das Laranjeiras, Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Ipiranga, Rua das Laranjeiras, Rua Efurt, Túnel Santa Bárbara, Av. 31 de Março, acesso à pista lateral da Av. 31 de Março, Av. 31 de Março (lateral), acesso de saída para a Rua Benedito Hipólito, Rua Benedito Hipólito, Rua Frederico Silva, Rua General Caldwell, Rua Moncorvo Filho, Praça da República, Terminal Procópio Ferreira (ponto terminal)


► Troncal 8 (Cosme Velho -Rodoviária- via Praça Mauá)

Itinerário de ida: Terminal de Cosme Velho, Rua Cosme Velho, Rua das Laranjeiras, Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Conde de Baependi, Praça José de Alencar, Rua do Catete, Rua Antônio Mendes Campos, Rua do Russel, Av. Beira Mar, Av. Antonio Carlos, Rua Primeiro de Março, Av. Presidente Vargas, Praça Pio X, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Rua Uruguaiana, Rua Acre, Praça Mauá, Rua Sacadura Cabral, Rua do Livramento, Rua Rivadavia Correa, Via Binário do Porto (sentido Rodoviária), Av. Professor Pereira Reis, Av. Cidade de Lima, Via D1, Rua General Luís Mendes de Moraes, Terminal Padre Henrique Otte (ponto terminal)


Itinerário de volta: Terminal Padre Henrique Otte, Rua Santo Cristo, Rua da América, Rua Barão da Gamboa, Rua Cardoso Marinho, Rua Santo Cristo, Praça Santo Cristo, Av. Professor Pereira Reis, Via Binário do Porto (sentido Praça Mauá), Av. Venezuela, Praça Mauá, Av. Rio Branco, Av. Nilo Peçanha, Av. Graça Aranha, Av. Calógeras, Av. Presidente Wilson, Rua Mestre Valentim, Av. Augusto Severo (pista central), agulha acesso pista lateral, Av. Augusto Severo (pista lateral), Praça Nossa Senhora da Gloria, Rua do Catete, Rua Pedro Américo, Rua Bento Lisboa, Largo do Machado, Rua das Laranjeiras, Rua das Laranjeiras sob o Viaduto Engenheiro Noronha, Rua das Laranjeiras, Rua Cosme Velho, Terminal do Cosme Velho (ponto terminal)


► 517 (Gávea PUC - Botafogo - via Lagoa- Epitácio Pessoa -circular)

Itinerário de ida / volta: Terminal da PUC, Av. Padre Leonel Franca, acesso sob Viaduto de acesso ao Túnel acústico Rafael Mascarenhas, Av. Padre Leonel Franca, Av. Visconde de Albuquerque, Av. Delfim Moreira, Av. Vieira Souto, Av. Henrique Dumont, Av. Epitácio Pessoa, Rua Fonte da Saudade, Rua Humaitá, Rua Voluntários da Pátria, acesso à Praia de Botafogo, (sob o Viaduto Álvares Cabral), Praia de Botafogo (pista lateral), agulha de acesso à pista central, Praia de Botafogo (pista central), retorno altura da Rua Farani, Praia de Botafogo (sentido Copacabana), Rua São Clemente, Rua Humaitá, Largo dos Leões, Rua Humaitá, acesso à Rua Fonte da Saudade, Rua Fonte da Saudade, Rua Frei Soriano, acesso sob Viaduto Saint Hilaire, Av. Epitácio Pessoa, Praça Almirante Saldanha da Gama, Av. General San Martin, Av. Visconde de Albuquerque, Av. Bartolomeu Mitre, acesso à Rua Marquês de São Vicente, Rua Marquês de São Vicente, Rua Vice governador Rubens Berardo, Av. Padre Leonel Franca, Terminal da PUC (ponto terminal)


Itinerário especial (domingos e feriados, no horário da área de lazer na orla): Terminal da PUC, Av. Padre Leonel Franca, acesso sob Viaduto de acesso ao Túnel acústico Rafael Mascarenhas, Av. Padre Leonel Franca, Av. Visconde de Albuquerque, Av. Delfim Moreira (pista junto às edificações), Av. Vieira Souto (pista junto às edificações), Av. Henrique Dumont, Av. Epitácio Pessoa, Rua Fonte da Saudade, Rua Humaitá, Rua Voluntários da Pátria, acesso à Praia de Botafogo (sob o Viaduto Álvares Cabral), Praia de Botafogo (pista lateral), agulha de acesso à pista central, Praia de Botafogo (pista central), retorno altura da Rua Farani, Praia de Botafogo (sentido Copacabana), Rua São Clemente, Rua Humaitá, Largo dos Leões, Rua Humaitá, acesso à Rua Fonte da Saudade, Rua Fonte da Saudade, Rua Frei Soriano, acesso sob Viaduto Saint Hilaire, Av. Epitácio Pessoa, Av. General San Martin, Av. Visconde de Albuquerque, Av. Bartolomeu Mitre, acesso à Rua Marquês de São Vicente, Rua Marquês de São Vicente, Rua Vice governador Rubens Berardo, Av. Padre Leonel Franca, Terminal da PUC (ponto terminal)

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Rio terá que refrigerar 100% da frota de ônibus até o fim do ano

23/02/2015 - Jornal do Brasil

O titular da 8ª Vara de Fazenda Pública da Capital, juiz Leonardo Grandmasson Ferreira Chaves, determinou nesta terça-feira (23), que a Prefeitura do Rio cumpra a meta anteriormente estabelecida de climatizar 100% da frota de ônibus até o fim de 2016, sob pena de multa de R$ 5 milhões em caso de descumprimento. A prefeitura deverá apresentar, no prazo de 20 dias, um cronograma com definição de etapas mensais que possibilite o atingimento da meta. A decisão suspende os efeitos do Decreto n° 41.190/2015 apenas no que se refere à redução da meta para 70% das viagens (e não da frota) com ar condicionado, mantendo-se a tarifa estabelecida.

O magistrado acolheu os argumentos do Ministério Público e entendeu que houve violação do acordo firmado em fevereiro de 2014 no processo que se destina a traçar planos compensatórios para a população em razão da derrubada do Elevado da Perimetral e das mudanças no trânsito do Centro do Rio. Segundo os autos, no acordo, a Prefeitura do Rio assumiu voluntariamente o compromisso de adquirir 2.233 coletivos climatizados em 2015, bem como a instalação de refrigeração em toda a frota até o final deste ano. No entanto, as metas fixadas no decreto foram redefinidas com o objetivo de não onerar os consórcios que operam as linhas de ônibus, que já terão de renovar a frota por ocasião da implantação total do sistema BRT.

“Pelas razões expostas, entendo que as novas metas traçadas no Decreto n.º 41.190/2015, violam o acordo celebrado nos autos, e não podem prosperar, sob pena de caracterizar gravíssima violação ao manto da coisa julgada. Cumpre observar que o MRJ somente teve a autorização judicial de prosseguir no "Projeto Porto Maravilha" quando apresentou o plano mitigatório/compensatório homologado pelo Juízo. Assim, seria muito fácil ao MRJ se comprometer judicialmente em atingir as metas, e, após lograr obter autorização para realizar as obras, irreversíveis, diga-se de passagem, alterá-las de forma unilateral, defendendo nos autos, em seguida, a impossibilidade de cumprimento do acordado. Tal situação é inadmissível ao ver deste Juízo”, justifica o juiz Leonardo Grandmasson Ferreira Chaves.

Ainda segundo o magistrado, no ano passado foram adquiridos somente 1.553 novos veículos refrigerados, o que também infringe a meta estabelecida no acordo. As empresas concessionárias do serviço alegaram que a falta de reajuste no ano de 2013, a crise econômica que se abateu no país e as mudanças nas regras de financiamento do BNDES contribuíram para o não cumprimento da meta.

“A população já se encontra por demais sacrificada. As viagens de ônibus são cansativas e duram horas, principalmente para aqueles que residem nos bairros mais distantes, sendo necessário lhes proporcionar um pouco mais de conforto, compensando-se a população pelos inconvenientes decorrentes de todas as obras públicas realizadas simultaneamente ao longo desses anos”, concluiu o magistrado.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Passageiros enfrentam 1º dia útil de novas mudanças nas linhas de ônibus


Laranjeiras é o bairro mais atingido pelas alterações
   
POR GUILHERME RAMALHO 22/02/2016 7:49 / atualizado 22/02/2016 8:02

Usuário enfrentam mais uma mudança das linhas - Fabiano Rocha / Agência O Globo


RIO - Os passageiros de ônibus sentirão nesta segunda-feira o impacto de mais uma etapa do processo de racionalização das linhas de ônibus da cidade. No sábado, cinco linhas foram extintas, três criadas e uma teve o trajeto alterado. O bairro mais atingido pelas alterações, desta vez, é Laranjeiras. As mudanças também atingem usuários que circulam pela Gávea.

MUDANÇA NO ITINERÁRIO

- 580 (Largo do Machado - Cosme Velho) passa a circular por Laranjeiras - Largo do Machado

LINHAS EXTINTAS

- 157 (Gávea – Central- via Lagoa/ Leblon). A nova opção é o 517 (Gávea PUC - Botafogo - via Lagoa- Epitácio Pessoa - circular) + Troncal 5 (Alto Gávea - Central (via Praia de Botafogo / Praia do Flamengo / Primeiro de Março).

- 180 (Cosme Velho- Central - via Largo do Machado), que será substituído pelo Troncal 8 (Cosme Velho - Carioca - via Lapa / Castelo - circular).

- 183 (Laranjeiras - Central - via Túnel Santa Bárbara), que será trocado pelo 580 (Largo do Machado – Cosme Velho) + Troncal 7 (Central - Cosme Velho - via Túnel Santa Bárbara).

- 184 (Laranjeiras - Central), que será trocado pelo 580 (Largo do Machado – Cosme Velho) + Troncal 8 ( Cosme Velho - Carioca - via Lapa / Castelo -circular) ou 580 + Troncal 7 (Central - Cosme Velho - via Túnel Santa Bárbara)

- 405 (Ramos - Cosme Velho). A nova opção é o Troncal 7 (Central - Cosme Velho - via Túnel Santa Bárbara) + 483 (Penha - Siqueira Campos - circular)

PUBLICIDADE

LINHAS CRIADAS

Troncal 7 - Central - Cosme Velho - via Túnel Santa Bárbara

Troncal 8 - Cosme Velho - Rodoviária- via Praça Mauá

517 - Gávea PUC - Botafogo - via Lagoa - Epitácio Pessoa - circular



Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/passageiros-enfrentam-1-dia-util-de-novas-mudancas-nas-linhas-de-onibus-18720745#ixzz40tnLWIYP 
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Prefeito alerta para risco de atraso na Linha 4 e propõe corredor de ônibus

20/02/2016 - O Globo

Paes pede o COI que considere possível esquema de contingência pelo município
   
POR ROBERTO MALTCHIK / COLABOROU LUIZ ERNESTO MAGALHÃES  

Obra da Linha 4 do metrô na Barra da Tijuca - Marcelo Carnaval / Agência O Globo

RIO - Em um e-mail enviado na sexta-feira pela manhã ao Comitê Olímpico Internacional (COI), o prefeito Eduardo Paes afirmou que existe um “risco elevado” de a Linha 4 do metrô não ficar pronta para as Olimpíadas, o que comprometeria todo o plano de transportes traçado para os Jogos, que terão início em agosto. Na mensagem, obtida pelo GLOBO e tratada como “estritamente confidencial", Paes pede ao COI que considere a possibilidade de uso de um esquema de contingência elaborado pelo município — esta alternativa consistiria na implantação de um sistema provisório de BRT na Zona Sul.
O principal obstáculo para a entrega da obra dentro do prazo, que termina em julho, seria a demora da União para liberar um novo financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que incrementaria em R$ 1,3 bilhão o orçamento da Linha 4. O gasto total da construção do novo trecho do metrô, a cargo do estado, passaria para R$ 10,3 bilhões, segundo o governo federal.

Em e-mail, pedido de reunião

Email enviado pelo prefeito Eduardo Paes ao COI - Reprodução


O novo trajeto ligará a Praça General Osório, em Ipanema, ao Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, passando por seis estações. Cinco estariam operando durante a competição (a da Gávea não ficará pronta este ano). A expectativa é que a Linha 4 receba 300 mil passageiros por dia, proporcionando a retirada de dois mil carros das ruas nos horários de pico. Vale destacar que o deslocamento do público das competições olímpicas só poderá ser feito em transportes públicos.

“Nas últimas semanas, estive tentando descobrir o que realmente está acontecendo na construção da Linha 4 do metrô. Prazos e cronogramas... Ouvi de algumas pessoas que o projeto está com nível elevado de risco. Tudo que posso dizer é que a informação não está clara (...). O secretário municipal (de Transportes) Rafael Picciani já preparou uma alternativa, e penso que precisamos começar a estudá-la agora e submetê-la à avaliação do Comitê Olímpico Internacional”, escreveu Paes no e-mail que tem, entre os destinatários, Phillip Bovy, principal consultor do COI para transportes.

Canteiro de obras na estação Antero de Quental - Divulgação/Linha 4

Na mensagem, Paes lembra que Bovy estará segunda-feira no Rio e sugere a realização de uma reunião de emergência para a verificação do que está acontecendo. Ele complementa: “Continuamos trabalhando duro. Posso garantir mais uma vez que todas as entregas sob responsabilidade do município serão feitas no prazo”.

Procurado pelo GLOBO, o comitê organizador Rio-2016 admitiu que conhece o plano de contingência elaborado pela prefeitura. No entanto, informou não ter “elementos para acreditar que o governo do estado não cumprirá seu compromisso de viabilizar o funcionamento do metrô durante as Olimpíadas".

Faixas exclusivas em avenidas

Linha 4 do Metrô, que está sendo construído para ligar a Barra da Tijuca a São Conrado - Márcia Foletto / O Globo

O plano B do município consiste numa expansão provisória do BRT até a Zona Sul, com implantação de corredores exclusivos para ônibus. Assim, em vez de embarcarem no Jardim Oceânico com destino à região, passageiros da Barra da Tijuca entrariam no metrô na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, ou no Jardim de Alah (na divisa com o Leblon). A prefeitura considera a primeira opção a melhor, já que a estação do Jardim de Alah não teria capacidade para absorver uma demanda estimada em 27.800 usuários por dia.

Os corredores provisórios do BRT seriam implantados em vias nas quais estão previstas faixas exclusivas para o deslocamento de delegações olímpicas. Entre elas, o Elevado do Joá e as avenidas Vieira Souto e Niemeyer. As adaptações custariam R$ 7,4 milhões — incluindo gastos para a construção de uma plataforma de 360 metros de extensão para embarque em ônibus na Praça Nossa Senhora da Paz.

A proposta, porém, tem obstáculos a serem superados. A começar pela necessidade de o município dispor de uma frota de 115 ônibus articulados para fazer a ligação Zona Sul-Parque Olímpico, na Barra. Fontes ligadas ao sindicato das empresas do setor adiantaram que não têm recursos para adquirir os veículos nem tempo hábil para encomendá-los.

Ontem, o prefeito Eduardo Paes e o governador Luiz Fernando Pezão preferiram não quiseram dar entrevistas sobre o assunto. Por intermédio de sua assessoria de imprensa, Paes disse que não discutiria documentos de circulação interna. Já o Palácio Guanabara afirmou que a obra da Linha 4 do metrô “segue dentro do cronograma e com previsão de entrega para julho”.

Seis anos de trabalhos e imprevistos

Obras de perfuração do túnel em São Conrado da Linha 4 do metrô em 03/05/2012 - Simone Marinho / O Globo


As dúvidas em relação às obras da Linha 4 do metrô ganham força em um momento no qual o estado negocia com o BNDES um novo financiamento, no valor de R$ 1,3 bilhão, para sua conclusão. A liberação do dinheiro depende de aprovação da Secretaria do Tesouro Nacional. O governador Luiz Fernando Pezão esteve ontem em Brasília para pedir os recursos. A Secretaria estadual de Transportes informou que espera recebê-los até o próximo dia 29.

O estado calcula que, até a inauguração da Linha 4, terá investido R$ 8,5 bilhões no projeto. Já a Concessionária Rio-Barra (que será responsável pela operação do trecho) entra na parceria com R$ 1,2 bilhão.

De acordo com a Secretaria estadual dos Transportes, o cronograma das obras não sofreu alterações e cada etapa de execução do projeto vem sendo acompanhada pelo COI.

Os trabalhos para a implantação da Linha 4 já duram seis anos. As obras começaram em março de 2010, com escavações de túneis na Barra da Tijuca. No fim de 2013, o governo do estado admitiu que não haveria tempo para entregar a estação da Gávea antes das Olimpíadas, que começarão no dia 8 de agosto. A promessa, agora, é terminá-la em 2017.

Em Ipanema, houve um grande contratempo. As manobras do chamado Tatuzão, máquina que escava os túneis da Linha 4, foram suspensas em maio de 2014 devido à abertura de duas crateras na Rua Barão de Ipanema. O equipamento só foi religado seis meses depois.

Em junho de 2015, foi divulgado o primeiro alerta sobre a possibilidade de a Linha 4 não ser concluída a tempo: o Tribunal de Contas do Estado apresentou uma auditoria na qual apontou atrasos nas obras. E, no dia 11 de dezembro, O GLOBO publicou reportagem na qual o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio, deixou claro que o cumprimento de prazos dependia da liberação de R$ 445 milhões do financiamento do BNDES para o projeto e de um acréscimo de R$ 500 milhões para a solução de imprevistos.

O secretário acabou sendo repreendido pelo governador Luiz Fernando Pezão que, no dia 3 de janeiro, negou a possibilidade de atrasos e disse em entrevista ao GLOBO: “O Osorio, se abrir uma geladeira, acha que é flash e começa a falar”.



Read more: http://oglobo.globo.com/rio/prefeito-alerta-para-risco-de-atraso-na-linha-4-propoe-corredor-de-onibus-18714434#ixzz40i4t29H3

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Nova etapa da racionalização das linhas da Zona Sul começa dia 20 de fevereiro

 16/02/2016 - Jornal do Brasil

Nova troncal passará a circular pela Zona Portuária para atender moradores da região.

A Prefeitura do Rio, através da Secretaria Municipal de Transportes, dará prosseguimento à racionalização das linhas da Zona Sul da cidade a partir do próximo sábado, 20 de fevereiro. A nova linha Troncal 8 (Cosme Velho - Rodoviária- via Praça Mauá) teve o itinerário alterado e passará a circular pela Zona Portuária a fim de garantir melhor atendimento do serviço aos moradores da região. Nesta quarta etapa da segunda fase, outras duas linhas serão criadas: Troncal 7 (Central - Cosme Velho - via Túnel Santa Bárbara) e 517 (Gávea PUC - Botafogo - via Lagoa- Epitácio Pessoa -circular). As linhas 157 (Gávea – Central- via Lagoa/ Leblon), 180 (Cosme Velho-Central - via Largo do Machado), 183 (Laranjeiras - Central - via Túnel Santa Bárbara), 184 (Laranjeiras - Central) e 405 (Ramos - Cosme Velho) serão extintas. Já a linha 580 (Largo do Machado -Cosme Velho), terá seu trajeto alterado para Laranjeiras para atender à Rua General Glicério.

A 1ª fase da racionalização das linhas da Zona Sul da cidade (de outubro a dezembro de 2015) já tem resultados comprovados, como a redução de mais de 20% no tempo de viagem pelas faixas preferenciais do BRS em Copacabana e no Centro da cidade, segundo dados da CET-Rio. O objetivo das mudanças é reorganizar o sistema, garantir transporte público mais eficiente para a população, com diminuição no tempo de deslocamento e melhoria na fluidez do trânsito.

Informações aos usuários

O detalhamento das etapas posteriores, a exemplo da primeira fase da racionalização, será apresentado na sequência da implementação das mudanças programadas para o dia 20. A cada nova fase, as informações estarão disponíveis no Diário Oficial e no site da Secretaria Municipal de Transportes (http://www.rio.rj.gov.br/web/smtr), além das redes sociais da SMTR (facebook/mobilidadeRJ).

O trabalho de comunicação direta aos usuários, com a distribuição de panfletos, cartazes e a presença de agentes de divulgação nas ruas será feito pelo Rio Ônibus, mantendo a determinação da SMTR. Para as mudanças do dia 20, os agentes serão distribuídos em pontos-chave dos seguintes bairros: Botafogo, Laranjeiras, Centro e Largo do Machado.

Alteração de 1 linha

580 (Largo do Machado -Cosme Velho)

Laranjeiras - Largo do Machado (circular)

Itinerário atual

Ida: Largo do Machado, Rua das Laranjeiras, Rua das Laranjeiras sob o Viaduto Engenheiro Noronha, Rua das Laranjeiras, Rua Cosme Velho, retorno sob o Viaduto José de Alencar, Rua Cosme Velho

Volta: Rua Cosme Velho, Rua das Laranjeiras, Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Conde de Baependi, Praça José de Alencar, Rua do Catete, Largo do Machado

Novo itinerário

Ida / Volta: Rua General Cristóvão Barcelos, Rua General Glicério, Rua Professora Estelita Lins, Rua das Laranjeiras (sentido Largo do Machado), Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Conde de Baependi, Praça José de Alencar, Rua do Catete, Largo do Machado, Rua das Laranjeiras, Rua das Laranjeiras sob o Viaduto Engenheiro Noronha, Rua das Laranjeiras, Rua General Glicério, Rua Professor Ortiz Monteiro, ponto terminal próximo à edificação nº 512

Extinção de 5 linhas

As linhas que serão extintas

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Usuários seguem confusos com alterações de linhas de ônibus

14/02/2016 - O Globo

De acordo com projeto, o Rio terá 700 coletivos a menos nas ruas e 78 linhas extintas, até março
   
POR RENAN FRANÇA 

Um ônibus da linha 464, que deveria circular do Maracanã a Botafogo, passa por Copacabana - Domingos Peixoto


 RIO - Troncal 4, Integrada 8, Circular 2. Podem soar estranhos, mas esses são alguns dos nomes que o carioca teve que aprender para andar de ônibus pela cidade. Tudo começou em outubro, quando a prefeitura deu início a um plano para reorganizar itinerários. De lá para cá, o município vem tirando linhas de circulação e encurtando trajetos, para proporcionar maior eficiência ao sistema. De acordo com o projeto, até março, o Rio terá 700 coletivos a menos nas ruas — ou 35% dos cerca de dois mil que circulavam na época — e 78 linhas estarão extintas. O problema é entender essa nova configuração: com tantos nomes e números diferentes, sobram dúvidas entre passageiros. E empresas estão se aproveitando da confusão: com uma fiscalização ainda ineficiente, algumas alteraram itinerários por conta própria, sem autorização do poder público.

Nos últimos quatro meses, 19 linhas tiveram seus trajetos alterados pela prefeitura. O GLOBO constatou que os itinerários de pelo menos duas delas foram “esticados” pelas empresas: a 433 (Vila Isabel-Praia de Botafogo, antiga Vila Isabel-Leblon) e a 464 (Maracanã-Praia de Botafogo, antiga Maracanã-Leblon). Ônibus de ambas foram flagrados circulando por Copacabana. Funcionários justificam a mudança ilegal afirmando que 80% dos passageiros da Zona Norte desejam ir para a Zona Sul em um só ônibus. Para atender aos que não querem fazer baldeação em frente ao shopping RioSul, em Botafogo, essas linhas estão “cruzando a fronteira”, como dizem motoristas e cobradores.

TRAJETO MUDA COM LOTAÇÃO

De acordo com passageiros que utilizam diariamente a 433 e a 464, três semanas atrás os ônibus seguiam até a Avenida Prado Júnior, em Copacabana. Mas, como a equipe de reportagem verificou na sexta-feira, o itinerário das duas já foi ampliado até a Rua Siqueira Campos.

— Eu perguntei a um motorista, e ele disse que era algo extraoficial. Achei bom, porque saio todos os dias de Vila Isabel e vou para Copacabana. O único problema é que alguns deles mudam o itinerário de acordo com o horário e o trânsito — conta a estudante Elisa Barreto.

Há também casos de pequenos desvios de trajeto. Os ônibus da 434 (Grajaú-Botafogo, antiga Grajaú-Leblon), segundo passageiros, depois que passa pela Lapa, seguem para a Glória por um caminho que varia de acordo com o humor do motorista. Se o veículo está cheio, geralmente vai pela Rua da Lapa. Se não está, pela Augusto Severo.

Mas nenhum caso é mais curioso que o da 011 (Cinelândia-Rodoviária Novo Rio). Antes do processo de racionalização, a linha, oficialmente, circulava entre a Novo Rio e o Bairro de Fátima. Moradores antigos do bairro, porém, afirmam que ela só existia no papel, pois não era vista nem ali, nem na rodoviária. Depois da mudança, no entanto, o 011 passou a circular pelo Bairro de Fátima, fazendo ponto final na Avenida Nossa Senhora de Fátima.

— Quando a prefeitura divulgou que a linha 011 não ia passar mais pelo bairro, eu não entendi. Essa linha nunca existiu — afirma Odete Carvalho, moradora do bairro há 22 anos. — As pessoas acabam não usando a linha porque não sabem onde vão parar.

O esvaziamento de algumas linhas fica evidente quando se olha para os números. A 213 (Muda-Castelo, antiga Muda-Leblon), por exemplo, transportava oito mil passageiros de manhã em dias úteis. Depois da mudança, o número não passa de dois mil, segundo uma fonte da empresa, que pediu anonimato. Os passageiros estão evitando linhas com trajetos encurtados, porque são obrigados a pegar outro ônibus para chegar ao destino. Quem usa o Bilhete Único não paga a segunda passagem caso a baldeação aconteça em até duas horas e meia.

As alterações atingiram as zonas Norte, Oeste e Sul. No entanto, é difícil apontar o bairro mais prejudicado. Quem mora no Leme, por exemplo, não consegue ir ao Centro sem antes passar por algumas ruas de Copacabana. A 190 (Rodoviária Novo Rio-Leme) foi extinta. Restou apenas a 472 (Leme-Triagem), que deixou de entrar na Avenida Princesa Isabel para seguir viagem pelo Túnel Velho (que dá acesso a Botafogo). Passageiros que fazem todo o percurso dizem que passaram a levar mais de duas horas para chegar ao ponto final.

— Se eu quiser chegar mais rapidamente ao Centro ou à Zona Norte, preciso caminhar alguns quarteirões até a Avenida Princesa Isabel, onde há outras opções — diz a psicanalista Phrygia Arruda, que deixou de ser uma passageira assídua da 472.

Em alguns casos, a retirada de antigas linhas provocou uma superlotação em ônibus das novas. Em Copacabana, como a 162 (Leblon-Lapa) saiu de circulação, moradores tiveram de migrar para a Troncal 2, que vai da Praça General Osório, em Ipanema, até a Novo Rio. Para muitos passageiros, a linha recém-criada se tornou a única opção para bairros como Lapa e Centro.

No Leblon, há problemas semelhantes. Como a ligação com o Centro ficou restrita, moradores têm que optar pela Troncal 3 ou fazer baldeação em Botafogo. Segundo o engenheiro Luiz Antonio Ferigotti, morador do Leblon, a viagem para chegar ao trabalho no Centro ficou mais demorada:

PUBLICIDADE

— Não vejo vantagem. Eu tinha à disposição ônibus com ar-condicionado e agora não é sempre que viajo em coletivos refrigerados. O pior é demorar mais de uma hora até o trabalho.

As linhas troncais têm esse nome porque circulam por grandes corredores da Zona Sul e fazem ligação com o Centro. Já as integradas saem da Zona Oeste com destino ao RioSul — para seguir para o Centro, é preciso pegar uma troncal.

TRÂNSITO NÃO MELHOROU

As mudanças reservaram “pegadinhas”. A Circular 1 (Leblon-Cosme Velho) é um exemplo. Quem embarca no Largo do Machado tem a impressão de que o ônibus vai para o Leblon, via Copacabana, como indica o letreiro. E fica surpreso ao ver que, antes, o coletivo dá uma esticada até a Urca.

— Eu estava com pressa para ir para o trabalho e, ao ver no letreiro que o ônibus ia para Copacabana, embarquei. Mas ele vai até a Urca antes e não há informação sobre isso. — diz o empresário Renato Campos. — Nos pontos, não há nada que indique a nova configuração. Além disso, há cartazes com informação defasadas, que ajudam a confundir ainda mais.

Uma das maneiras de driblar a falta de informações poderia ser o aplicativo Vá de Ônibus. Mas o sistema trava constantemente, prejudicando a busca por informações.

O Rio Ônibus, sindicato das empresas municipais, distribui folhetos com informações sobre as mudanças a cada nova etapa. O problema é que a divulgação começa uma semana antes e termina logo na seguinte. Segundo a prefeitura, o Rio Ônibus já foi multado em R$ 50 mil por falhas na comunicação.

Para especialistas, era preciso mesmo reorganizar o sistema de transporte. Eles destacam, porém, que a mudança não foi bem planejada. Paulo César Ribeiro, engenheiro de transporte da Coppe/UFRJ, diz que as alterações estão sendo feitas na base da tentativa:

— Do jeito que está, não vão conseguir implementar mais mudanças, pois o sistema não está dando certo. A cidade precisava eliminar as linhas sobrepostas, mas o planejamento, como todos estão vendo, está falhando.

O especialista em sistema de inteligência em transporte Alexandre Rojas, professor da Uerj, afirma que está reunindo dados para a publicação de um estudo sobre o impacto das mudanças no trânsito da cidade, incluindo os corredores BRS. Mesmo sem a conclusão do estudo, ele diz que não sentiu qualquer alteração:

— De acordo com a prefeitura, há menos ônibus nos corredores exclusivos, mas isso não quer dizer que o trânsito vá melhorar. A minha impressão é que está a mesma coisa.

MUDANÇAS COM PROBLEMAS

No primeiro dia útil das primeiras mudanças, há quatro meses, passageiros que moravam na Zona Oeste tiveram muitos problemas. Como a viagem para fazer a baldeação no RioSul em muitos casos excedia o tempo-limite do Bilhete Único, vários usuários precisaram pagar duas passagens. No dia seguinte, a prefeitura divulgou que o Fashion Mall, em São Conrado, seria o novo ponto de troca de linhas.

A vereadora Teresa Bergher (PSDB) diz que fará uma reunião com o secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, nas próximas semanas. Segundo ela, estarão em pauta reivindicações de moradores de vários bairros prejudicados com as mudanças nos ônibus.

— O grave é que as alterações foram feitas sem consultar a população. Eu concordo que deveria haver uma racionalização, mas, pela quantidade de reclamações, é possível ver que a maioria dos usuários teve suas vidas impactadas de maneira negativa.

PUBLICIDADE

O secretário Rafael Picciani não deu entrevista. A prefeitura, porém, divulgou uma nota afirmando que equipes de fiscalização vão checar se os itinerários determinados para as linhas estão sendo desrespeitados. Caso a irregularidade seja confirmada, os consórcios estão sujeitos a multa.

O Rio Ônibus informou que vai orientar as empresas a conversarem com seus motoristas sobre a necessidade de cumprir os itinerários. Em relação à divulgação das mudanças, disse que já foram distribuídos mais de 600 mil folhetos informativos em 94 pontos de grande movimentação de passageiros.

No dia 20, começa mais uma fase de mudanças. Cinco linhas serão extintas; três, criadas; e uma, alterada.



Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/usuarios-seguem-confusos-com-alteracoes-de-linhas-de-onibus-18670803#ixzz4092eGIKn 
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Nova etapa da racionalização das linhas da Zona Sul começa dia 20 de fevereiro



10/02/2016 - SMTR, Prefeitura

A Prefeitura do Rio, através da Secretaria Municipal de Transportes, dará prosseguimento à racionalização das linhas da Zona Sul da cidade a partir do próximo sábado, 20 de fevereiro. Na quarta etapa da 2ª fase, as linhas 157 (Gávea – Central- via Lagoa/ Leblon), 180 (Cosme Velho-Central - via Largo do Machado), 183 (Laranjeiras - Central - via Túnel Santa Bárbara), 184 (Laranjeiras - Central) e 405 (Ramos - Cosme Velho) serão extintas. Outras três linhas serão criadas: Troncal 7  (Central - Cosme Velho - via Túnel Santa Bárbara), Troncal 8 (Cosme Velho - Carioca - via Lapa / Castelo -circular) e 517 (Gávea PUC - Botafogo - via Fonte da Saudade -circular). Já a linha 580 (Largo do Machado -Cosme Velho), terá seu trajeto alterado para Laranjeiras para atender à Rua General Glicério.

A 1ª fase da racionalização das linhas da Zona Sul da cidade (de outubro a dezembro de 2015) já tem resultados comprovados, como a redução de mais de 20% no tempo de viagem pelas faixas preferenciais do BRS em Copacabana e no Centro da cidade, segundo dados da CET-Rio. O objetivo das mudanças é reorganizar o sistema, garantir transporte público mais eficiente para a população, com diminuição no tempo de deslocamento e melhoria na fluidez do trânsito.

Informações aos usuários

O detalhamento das etapas posteriores, a exemplo da primeira fase da racionalização, será apresentado na sequência da implementação das mudanças programadas para o dia 20. A cada nova fase, as informações estarão disponíveis no Diário Oficial e no site da Secretaria Municipal de Transportes (http://www.rio.rj.gov.br/web/smtr), além das redes sociais da SMTR (facebook/mobilidadeRJ).

O trabalho de comunicação direta aos usuários, com a distribuição de panfletos, cartazes e a presença de agentes de divulgação nas ruas será feito pelo Rio Ônibus, mantendo a determinação da SMTR. Para as mudanças do dia 20, os agentes serão distribuídos em pontos-chave dos seguintes bairros: Botafogo, Laranjeiras, Centro e Largo do Machado.

Veja abaixo o detalhamento das mudanças

Dia 20 de fevereiro

Alteração de 1 linha
OBS: Alteração de características operacionais, conforme abaixo discriminado:

Vista atual
Nova vista
580 (Largo do Machado -Cosme Velho)
Laranjeiras - Largo do Machado (circular)

 Itinerário atual

Ida: Largo do Machado, Rua das Laranjeiras, Rua das Laranjeiras sob o Viaduto Engenheiro Noronha, Rua das Laranjeiras, Rua Cosme Velho, retorno sob o Viaduto José de Alencar, Rua Cosme Velho 

Volta: Rua Cosme Velho, Rua das Laranjeiras, Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Conde de Baependi, Praça José de Alencar, Rua do Catete, Largo do Machado

Novo itinerário 

Ida / Volta: Rua General Cristóvão Barcelos, Rua General Glicério, Rua Professora Estelita Lins, Rua das Laranjeiras (sentido Largo do Machado), Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Conde de Baependi, Praça José de Alencar, Rua do Catete, Largo do Machado, Rua das Laranjeiras, Rua das Laranjeiras sob o Viaduto Engenheiro Noronha, Rua das Laranjeiras, Rua General Glicério, Rua Professor Ortiz Monteiro, ponto terminal próximo à edificação nº 512

Extinção de 5 linhas


Linha extinta
Nova opção aos passageiros

157 (Gávea – Central- via Lagoa/ Leblon) 
517 (Gávea PUC - Botafogo - via Fonte da Saudade - circular) + Troncal 5 (Alto Gávea - Central (via Praia de Botafogo / Praia do Flamengo / 1º de Março)

180 (Cosme Velho- Central - via Largo do Machado) 
Troncal 8 ( Cosme Velho - Carioca - via Lapa / Castelo -circular)

183 (Laranjeiras - Central - via Túnel Santa Bárbara)
580 (Largo do Machado – Cosme Velho) + Troncal 7 (Central - Cosme Velho  - via Túnel Santa Bárbara)

184 (Laranjeiras - Central)
580 (Largo do Machado – Cosme Velho) + Troncal 8 ( Cosme Velho - Carioca - via Lapa / Castelo -circular) ou 580 + Troncal 7 (Central - Cosme Velho  - via Túnel Santa Bárbara)

405 (Ramos - Cosme Velho)
Troncal 7 (Central - Cosme Velho  - via Túnel Santa Bárbara)+ 483 (Penha- Siqueira Campos- circular)

Criação de 3 linhas


Linha criada
Vista

Troncal 7
Central - Cosme Velho  - via Túnel Santa Bárbara

Troncal 8
Cosme Velho - Carioca - via Lapa / Castelo -circular

517
Gávea PUC - Botafogo - via Fonte da Saudade -circular


 Itinerários

► Troncal 7 ( Central - Cosme Velho  - via Túnel Santa Bárbara)

Itinerário de ida: Terminal Procópio Ferreira, Av. Marechal Floriano, Rua Visconde da Gávea, Av. Presidente Vargas (pista lateral - sentido Praça da Bandeira), Rua Pereira Franco, acesso à Av. 31 de Março pela Praça Noronha Santos, Av. 31 de Março, Túnel Santa Bárbara, Rua Engenheiro Fernando Nascimento Silva, Praça Del Prete, Rua das Laranjeiras, Rua Cosme Velho, Terminal de Cosme Velho (ponto terminal)

Itinerário de volta: Terminal de Cosme Velho, Rua Cosme Velho, Rua das Laranjeiras, Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Ipiranga, Rua das Laranjeiras, Rua Efurt, Túnel Santa Bárbara, Av. 31 de Março, acesso à pista lateral da Av. 31 de Março, Av. 31 de Março (lateral), acesso de saída para a Rua Benedito Hipólito, Rua Benedito Hipólito, Rua Frederico Silva, Rua General Caldwell, Rua Moncorvo Filho, Praça da República, Terminal Procópio Ferreira (ponto terminal)

► Troncal 8 (Cosme Velho - Carioca - via Lapa / Castelo -circular)

Itinerário de ida / volta: Terminal de Cosme Velho, Rua Cosme Velho, Rua das Laranjeiras, Rua Soares Cabral, Rua Almirante Sodré, Viaduto Jardel Filho, Rua Conde de Baependi, Praça José de Alencar, Rua do Catete, Rua Antônio Mendes Campos, Largo da Glória, Av. Augusto Severo, Rua Mestre Valentim, Av. Luís de Vasconcelos, Rua do Passeio, Av. Mem de Sá, Rua do Lavradio, Av. República do Chile, Av. Almirante Barroso, Av. Presidente Antônio Carlos (sentido Candelária), Rua da Assembleia, Rua da Carioca, Praça Tiradentes, Rua Visconde do Rio Branco, Av. Gomes Freire, Rua do Riachuelo, Av. Mem de Sá, Rua Visconde de Maranguape, Rua Teixeira de Freitas, Av. Augusto Severo (pista central), Praça Nossa Senhora da Gloria, Rua do Catete, Rua Pedro Américo, Rua Bento Lisboa, Largo do Machado, Rua das Laranjeiras, Rua das Laranjeiras sob o Viaduto Engenheiro Noronha, Rua das Laranjeiras, Rua Cosme Velho, Terminal de Cosme Velho (ponto terminal)

► 517 (Gávea PUC - Botafogo - via Fonte da Saudade -circular)

Itinerário de ida / volta: Terminal da PUC, Av. Padre Leonel Franca, acesso sob Viaduto de acesso ao Túnel acústico Rafael Mascarenhas, Av. Padre Leonel Franca, Av. Visconde de Albuquerque, Av. Delfim Moreira, Av. Vieira Souto, Av. Henrique Dumont, Av. Epitácio Pessoa, Rua Fonte da Saudade, Rua Humaitá, Rua Voluntários da Pátria, acesso à Praia de Botafogo, (sob o Viaduto Álvares Cabral), Praia de Botafogo (pista lateral), agulha de acesso à pista central, Praia de Botafogo (pista central), retorno altura da Rua Farani, Praia de Botafogo (sentido Copacabana), Rua São Clemente, Rua Humaitá, Largo dos Leões, Rua Humaitá, acesso à Rua Fonte da Saudade, Rua Fonte da Saudade, Rua Frei Soriano, acesso sob Viaduto Saint Hilaire, Av. Epitácio Pessoa, Praça Almirante Saldanha da Gama, Av. General San Martin, Av. Bartolomeu Mitre, acesso à Rua Marquês de São Vicente, Rua Marquês de São Vicente, Rua Vice governador Rubens Berardo, Av. Padre Leonel Franca, Terminal da PUC (ponto terminal)

Itinerário especial (domingos e feriados, no horário da área de lazer na orla): Terminal da PUC, Av. Padre Leonel Franca, acesso sob Viaduto de acesso ao Túnel acústico Rafael Mascarenhas, Av. Padre Leonel Franca, Av. Visconde de Albuquerque, Av. Delfim Moreira (pista junto às edificações), Av. Vieira Souto (pista junto às edificações), Av. Henrique Dumont, Av. Epitácio Pessoa, Rua Fonte da Saudade, Rua Humaitá, Rua Voluntários da Pátria, acesso à Praia de Botafogo (sob o Viaduto Álvares Cabral), Praia de Botafogo (pista lateral), agulha de acesso à pista central, Praia de Botafogo (pista central), retorno altura da Rua Farani, Praia de Botafogo (sentido Copacabana), Rua São Clemente, Rua Humaitá, Largo dos Leões, Rua Humaitá, acesso à Rua Fonte da Saudade, Rua Fonte da Saudade, Rua Frei Soriano, acesso sob Viaduto Saint Hilaire, Av. Epitácio Pessoa, Av. General San Martin, Av. Bartolomeu Mitre, acesso à Rua Marquês de São Vicente, Rua Marquês de São Vicente, Rua Vice governador Rubens Berardo, Av. Padre Leonel Franca, Terminal da PUC (ponto terminal)

Pistas do BRT Transoeste já têm buracos e ondulações no asfalto

 
10/02/2016 - O Globo

RIO — A sensação de circular dentro de um ônibus do BRT Transoeste, de Santa Cruz até a Barra, é comparável à de estar dentro de um liquidificador, tamanha é a quantidade de buracos, calombos e remendos no meio do caminho. Há problemas tanto em frente às estações quanto em outros pontos das pistas, o que torna as viagens mais longas e perigosas. A má qualidade da via já deixou gente ferida dentro dos ônibus e provocou defeitos nos veículos. Quando chove, a situação do asfalto só piora — as fendas parecem se multiplicar e se tornam ainda maiores.

PROBLEMAS DESDE A INAUGURAÇÃO

Inaugurado em 2012, com 52 quilômetros de extensão, entre Campo Grande e o Terminal Alvorada, o corredor expresso coleciona problemas. Passageiros contam que, logo após o início do funcionamento do BRT, as pistas já apresentaram sinais de que não suportariam os veículos. E os trabalhos de recapeamento em alguns trechos não têm dado jeito na buraqueira. No asfalto recente, já é possível ver verdadeiros "quebra-molas”. Em todo o percurso, o quadro é mais dramático entre as estações Pingo D’Água e Ilha de Guaratiba, ambas em Guaratiba. Lá, é difícil encontrar cem metros de pista que não apresentem qualquer problema, que incluem a falta de divisória entre a via exclusiva e a destinada aos demais veículos.

— Já aconteceu de eu estar num ônibus e o eixo de uma das rodas traseiras se quebrar por causa de um buraco. O pneu também estourou. Foi entre as estações Magarça e Mato Alto, em Guaratiba. As pistas estão horríveis — reclama a passageira Rita de Cássia Moutinho, de 61 anos, cuidadora de idosos que usa diariamente o transporte para ir de casa, em Guaratiba, até o trabalho, na Barra. — Se não fosse essa buraqueira, seria uma transporte muito bom.

ESPECIALISTA APONTA ERRO DE PROJETO

Ana Lúcia Serra, de 50 anos, outra usuária diária do sistema, teme um acidente.

— Fico preocupada de o ônibus cair num buraco ou dar uma freada por causa de uma dessas falhas e levar todos os passageiros para frente. O asfalto está muito esburacado — diz ela, que trabalha como empregada doméstica na Barra e mora em Ilha de Guaratiba

Um motorista do Transoeste conta que se machucou uma vez ao passar por uma cratera em frente à estação de Ilha de Guaratiba.

— Estava chovendo, e eu precisei frear bruscamente para não quebrar o carro num buraco, nem ferir os passageiros. Acabei machucando a mão na pancada com o volante, sofri uma luxação. Mas um colega meu passou por algo parecido e destroncou um dos dedos, indo parar no hospital — relata ele, que prefere não se identificar. — A questão é que usaram asfalto aqui em vez de concreto, que seria muito mais resistente. Tanto que agora, no trecho do BRT que estão fazendo entre o Alvorada e o Jardim Oceânico, o piso é de concreto, assim como no Transcarioca (entre o Terminal Alvorada e o Aeroporto Internacional Tom Jobim).

O funcionário diz que é só chover para o asfalto ceder ainda mais. Embora em Santa Cruz e Guaratiba as falhas sejam mais recorrentes, Recreio e Barra não estão livre de calombos e buracos.

— A prefeitura não vem recapear com constância o asfalto. O que fazem é jogar asfalto por cima dos buracos, criando calombos parecidos com quebra-molas. Nem máquinas usam para nivelar a pista, cabendo esse trabalho aos ônibus e seu peso sobre o asfalto — diz o motorista.

Para Eva Vider, engenheira e professora da Escola Politécnica da UFRJ, as pistas teriam mais qualidade se fossem de concreto no lugar de asfalto.

— Não existe ali infraestrutura para suportar aquele tipo de veículo. O material usado não é apropriado para aguentar o peso dos carros, que passam geralmente lotados, nem o nosso calor tropical. É comum o asfalto se deslocar para o alto devido a essas condições — afirma Eva, confirmando que, no segundo trecho do Transoeste, até o Jardim Oceânico, está sendo aplicado mesmo concreto, material mais resistente para esse tipo de sistema. — Acho que foi um erro de projeto. A qualidade da pavimentação não é boa. Só que concreto é mais caro e faz a obra levar mais tempo.

FALHAS NO AR-CONDICIONADO

A especialista lembra que cerca de 20% da frota do BRT já quebrou antes do previsto em decorrência do mau estado das vias. Ela ressalta ainda outro problema do Transoeste: em Santa Cruz, a pista exclusiva é inexistente, o que leva os veículos do BRT a circularem entre carros de passeio. Na tarde da última segunda-feira, mais de um ônibus do sistema podia ser visto trafegando fora da faixa da esquerda. por onde deveria circular. Por volta das 15h, em frente à estação Cajueiros, um coletivo do BRT avançou o sinal vermelho.

— O serviço no asfalto não foi bem feito, e o material usado é de má qualidade. Viajamos chacoalhando dentro do ônibus. E ainda sofremos com os carros sem ar-condicionado. Alguns circulam de portas abertas porque o calor lá dentro é insuportável — queixou-se na tarde de segunda a empresária Flávia Amado, de 38 anos, apontando, na chegada à estação Cajueiros, um ônibus com as portas abertas.

A Secretaria municipal de Obras informou, sobre a pavimentação do Transoeste, que a pista foi feita com SMA (Stone Mastic Asphalt), "um revestimento resistente e adequado para cargas pesadas”. De acordo com o órgão, o SMA tem, entre seus benefícios, permitir a rápida liberação da via após a sua aplicação, feita a frio, "fundamental no sistema de BRT para que os ônibus possam continuar operando na pista exclusiva”. A opção por usar o material foi técnica, disse a secretaria, porque o solo da região é mole, e o concreto não seria adequado. A construção das pistas custou R$ 1,1 bilhão.

Quanto ao sistema de refrigeração, o consórcio que opera o BRT disse que ele foi "dimensionado para suportar o verão carioca”. "As empresas que constituem o consórcio operacional realizam a manutenção regular do equipamento e recebem assessoria técnica direta dos fabricantes. Ainda assim, falhas podem ocorrer”, admitiu, em nota, pedindo aos usuários que denunciem falhas usando canais como o Facebook.

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Ônibus atrasam até 5 horas para sair da rodoviária


Interdições em vias na região central causam retenções, ampliando o tempo de trajeto entre a garagem das empresas de ônibus e a Novo Rio
   
POR BRUNO CALIXTO

 06/02/2016 - O Globo


Trânsito lento na chegada ao Rio perto da rodoviária Novo Rio atrapalha os passageiros - Gabriel de Paiva / Agência O Globo 

RIO - Retenções em vias com acesso ao Centro por conta dos desfiles das escolas de samba na Sapucaí testaram a paciência de cariocas e turistas que utilizaram a Rodoviária Novo Rio no primeiro dia oficial do carnaval. Ônibus com destino a diferentes regiões do Brasil demoraram até cinco horas para dar a partida, prejudicando centenas de passageiros e causando tumulto na rodoviária. Os motoristas culpam a lentidão no trajeto entre a garagem das empresas e a rodoviária. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, a lentidão ficou ainda maior após um carro alegórico enguiçar na pista lateral da Avenda Brasil, na altura da Rua Santos Lima, São Cristóvão, entre 8h e 9h.

Em 2011, os animais começaram a ser retirados do zoológico pelo Ibama, por conta de uma decisão judicial. Na foto, o leão Dengo, de 8 anos de idade, foi separado da namorada, Elza, que foi levada para BrasíliaZoo permanece fechado no carnaval

— Nunca houve isso. Saí da garagem às 8h e só cheguei às 13h na Novo Rio. Frequentemente realizo estre trajeto em 15 ou 20 minutos, no máximo. Era para ter embarcado às 9h com destino a Parnaíba (PI). Estou molhado de suor, cansado e ainda tenho que encarar três mil quilômetros — relata o motorista Leonardo Salles, da Itapemirim, que só deu partida às 14h.

A garagem da Itapemirim fica na Avenida Brasil 12.417, altura da passarela 17, em Duque de Caxias. Um dos 20 passageiros conduzidos por Salles, a lavadeira Maria da Conceição, 43 anos, lamentou perder tanto tempo de espera com os filhos, ainda pequenos.

— Era para passarmos o carnaval em São Luís (MA), onde está minha família, mas o passeio foi encurtado pela desorganização do trânsito — ressalta.

Outro motivo apontado pelo Centro de Operações pelo engarrafamento nos arredores da rodoviária foi o fechamento do Viaduto do Gasômetro, que dá acesso à Binário, às 11h. A interdição, que não estava prevista, foi um "ajuste operacional necessário para a passagem de carros alegóricos", como justifica o Centro de Operações. A Avenida Francisco Bicalho, principal via de acesso à Novo Rio, também foi fechada, nos dois sentidos.

Com destino à Uruguaiana (RS), cidade na fronteira com a Argentina e o Uruguai, o motorista Leal Fernandes também partiu com muitas horas de atraso. 

— O negócio mais confuso é no fim da Brasil, altura da Ponte (Rio-Niterói), próximo ao antigo "Jornal do Brasil". Simplesmente parou — diz Fernandes, funcionário da Pluma, cuja garagem fica em Bonsucesso, a 11km da rodoviária.

Além do nó no trânsito, a falta de passagens deu um chá de cadeira nos pasageiros, principalmente com aqueles que optaram por pular o carnaval na Região dos Lagos.

— Cheguei ao guichê às 11h30, mas passagem mesmo só para as 19h35 — conta a cuidadora de idosos Mônica dos Santos, 36, que vai para Cabo Frio pela empresa 1001. 

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/onibus-atrasam-ate-5-horas-para-sair-da-rodoviaria-18625322#ixzz3zQfhvFNg 
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

O futuro do Bilhete Único no Rio

04/02/2016 - O Globo 

Uma das propostas de mudança no bilhete único intermunicipal prevê um limite de valor para a segunda condução utilizada pelo usuário. Hoje, esse teto não existe, e as despesas com tarifa que excedam o valor do bilhete único são integralmente subsidiadas pelo estado.

O segundo trecho de viagem — de ônibus, trem ou metrô — não pode ser superior a R$ 5,60. Acima disso, o usuário terá que pagar. Ontem, a Secretaria estadual de Transportes não soube estimar o total de pessoas atendidas pelo bilhete único que seriam atingidas pela medida.

Há ainda a hipótese, em estudo porque há dificuldades técnicas para operacionalizar, de direcionar o bilhete único para pessoas de baixa renda. Hoje, o estado gasta cerca de R$ 600 milhões por ano com subsídios para o transporte. A ideia é que, futuramente, os aumentos de despesas com subsídios sejam custeados pelos próprios usuários do sistema, o que pode impactar a tarifa. Seja qual for o modelo adotado, as novas regras deverão ser aprovadas pela Assembleia Legislativa e só valerão a partir de 2017.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Operação especial de carnaval oferece serviços especiais de ônibus rodiviários

02/02/2016 - Jornal do Brasil

Linhas com trajetos via Arco-metropolitano partirão direto de terminais da Baixada e de Campo Grande

Jornal do Brasil

O Departamento de Transportes Rodoviários (Detro), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Transportes, dá início a partir da próxima quarta-feira (03/02) a Operação Carnaval. Até o próximo dia 15, serão disponibilizados horários extras e ônibus com trajetos via Arco Metropolitano. Além disso, moradores da Baixada Fluminense e da Zona Oeste do Rio poderão embarcar diretamente nos terminais rodoviários de Campo Grande, Nilópolis e Nova Iguaçu. Com a ação, reduz-se o fluxo na Rodoviária Novo Rio, evitando deslocamentos desnecessários para a região. As passagens já estão disponíveis para venda.

As linhas via Arco Metropolitano reduzem, em cerca de uma hora, o tempo de viagem para as cidades da Região dos Lagos, Costa Verde e Região Serrana. A Operação Carnaval ainda tem impacto positivo no trânsito de vias saturadas como Avenida Brasil, Presidente Dutra e Ponte Rio-Niterói.

Além disso, para reduzir o tempo de deslocamento, foram alterados itinerários de linhas intermunicipais que partem do Vale do Paraíba, com destino à Costa Verde. Essas linhas acessarão o Arco Metropolitano, na Via Dutra, em direção à Rodovia Rio-Santos.

O presidente do Detro, Carlos Luiz Mantins, explica que as operações especiais de feriado, que tiveram início há um ano, continuarão em 2016. “Vamos manter o projeto lançado no Carnaval de 2015, com o objetivo de oferecer maior conforto à população. Com o sucesso da primeira edição, repetimos os serviços especiais nos demais feriados prolongados, facilitando a vida dos moradores da Baixada e da Zona Oeste, evitando um deslocamento desnecessário até o Centro do Rio”, afirma o Carlos Luiz.

Confira as linhas especiais, via Arco Metropolitano:

Partindo do Terminal de Campo Grande: 

Campo Grande/Cabo Frio, Campo Grande/Rio das Ostras, Campo Grande/Mangaratiba.

Partindo do Terminal de Nilópolis:

Nilópolis/Cabo Frio (via Duque de Caxias), Nilópolis/Macaé (via Duque de Caxias e Rio das Ostras).

Partindo do terminal de Nova Iguaçu: 

Nova Iguaçu/Petrópolis, Nova Iguaçu/Cabo Frio, Nova Iguaçu/Macaé (via Rio das Ostras), Nova Iguaçu/Campus e Nova Iguaçu/Friburgo.

Partindo da Rodoviária Novo Rio:

As cidades da Costa Verde terão autorizados horários extras, expressos, via Arco Metropolitano nas linhas: Rio de Janeiro/Angra dos Reis e Rio de Janeiro/Paraty.

Partindo do Médio Paraíba:

Serão autorizados horários extras, expressos, via Arco Metropolitano partindo da Rodoviária de Barra Mansa, nas linhas: Barra Mansa /Itaguaí, via Volta Redonda e Piraí e Barra Mansa/Mangaratiba, via Volta Redonda e Piraí.