terça-feira, 21 de novembro de 2017

Viação Continental em 1946


segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Amarante

Viação Amarante Ltda.
1948 - 1954


Resumo Histórico

Empresa de lotações, fundada em 12 de abril de 1948, por dois irmãos portugueses, Agostinho Nogueira Cardoso e Adelino Nogueira Cardoso. A garagem  da empresa localizava-se na rua Apia, 466, na Vila da Penha.


Em fevereiro de 1949, operava a linha de lotação S-20 (Cascadura-Penha). Em 1950 a mesma linha  já era operada por ônibus, junto com os lotações. No entanto, em 1951, a linha só contava com cerca de 3 ônibus, sendo a maior parte da frota composta por micro-ônibus.

Em janeiro de 1952, com frota de 17 ônibus, sendo 10 da Fábrica Nacional de Motores, a Empresa explorava sua única linha, a S-20 (Cascadura-Penha) via Madureira, transportando cerca de 7 mil passageiros por dia.

Em outubro de 1952, a Empresa entra em concordata preventiva, depois  em processo de  falência, sendo extinta em 1953.


Gazeta de Notícias, 03/01/1952



REFERÊNCIAS:

A Manhã. 1949, fevereiro, 22.

“As vítimas dos autos”. Correio da Manhã. 1950, setembro, 14. Primeiro Caderno, página 5.

“Violenta colisão na estrada Vicente de Carvalho”. Correio da Manhã. 1952, fevereiro, 7. Primeiro Caderno, página 3.

“Viação Amarante Ltda.” Correio da Manhã. 1952, outubro, 2. Primeiro Caderno, página 4. 

“A brincadeira acabou em navalhadas”. A Noite. 1952, julho, 11. Página 5.

“Escandaloso monopólio no negócio dos micro-ônibus”. Imprensa Popular. 1951, abril, 10. Página 5. 







sexta-feira, 10 de novembro de 2017

BRT afirma que tem prejuízo de R$ 1,4 milhão por mês com vandalismo, mas não tem data para fim de trecho na Transoeste

10/11/2017- Bom Dia Rio

De acordo com a representante do consórcio, os problemas na área de segurança são mais graves do que a administração do sistema poderia resolver.

BRT Transoeste terá estações fechadas

O consórcio que administra o BRT Transoeste afirma que tem um prejuízo de cerca de R$ 1,4 milhão por mês para consertar objetos depredados em estações e ônibus. Eles afirmam que quase ninguém paga passagem na Avenida Cesário de Melo. Assim, 22 estações serão desativadas no trecho entre Santa Cruz e Campo Grande.

“Nós vamos encerrar as operações em todo o eixo da Avenida Cesário de Melo, que vai de Curral Falso até o Terminal Campo Grande”, explicou Suzy Ballousier, gerente de Relações Institucionais do BRT-Rio.

De acordo com a representante do consórcio, os problemas na área de segurança são mais graves do que a administração do sistema poderia resolver.

“A gente tem que entender que existem diferentes problemas relacionados à segurança. A segurança prevista no contrato é uma segurança patrimonial. A gente chega e vê esse pessoal uniformizado tomando conta, ajudando na organização das estações do BRT. Mas é tiro, é incêndio. Isso não é uma questão patrimonial, isso é uma questão de segurança pública e os nossos apelos têm sido nesse sentido”, destacou Suzy.

A desativação das estações ainda não tem data, segundo o BRT. Mas de acordo com a representante, isso poderia acontecer em dias ou semanas. A gerente de Relações Institucionais do sistema mais uma vez afirmou que as empresas de transporte estariam em crise e disse que a Secretaria Municipal de Transportes foi notificada várias vezes.

“O que você tem reparado que as linhas alimentadoras estão deixando de circular, isso é por causa da crise das empresas. O BRT não tem frota, ela é das empresas. Na medida em que a gente não recebe a frota suficiente, nós temos dificuldade de operar o sistema inteiro. Nós estamos operando no limite dos ônibus”, afirmou Suzy Ballousier.

A representante do BRT afirmou ainda que aguarda a Secretaria Municipal de Transportes entrar em contato com as empresas de ônibus e sugira alternativas para o sistema.