sábado, 27 de novembro de 2010

“Ônibus vão continuar circulando”, garante Fetranspor

26/11/2010 - Portal CNT

Foto: Reprodução TV Brasil

A onda de violência no Rio de Janeiro, que teve início no último domingo (21), tem causado inúmeros prejuízos para o setor de transporte do estado. Segundo boletim divulgado pela Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), 31 ônibus foram incendiados por criminosos até às 16h desta sexta-feira (26). 

De acordo com o diretor de Comunicação e Marketing da Federação, João Augusto Monteiro, cada veículo custa, em média, R$ 300 mil. O que totalizaria um prejuízo de quase R$ 10 milhões. “Confiamos nas ações do governo e acreditamos que a situação se normalizará em breve. Os ônibus vão continuar circulando normalmente”, disse Monteiro em entrevista à CNT.

De acordo com ele, essa é a recomendação da Fetranspor. “A rota só é modificada em pontos específicos e se houver necessidade disso”, garantiu, reconhecendo que muitos motoristas e cobradores estão receosos de passar por certas localidades com medo da violência.

Ele explicou ainda que a instituição tem conversado constantemente com a Secretaria de Segurança Pública e com a Polícia Militar do estado, com o intuito de garantir a segurança de passageiros, motoristas e cobradores.

Atualmente, o Estado do Rio de Janeiro conta com uma frota de 20 mil ônibus, sendo oito mil apenas no município carioca. A Fetranspor representa 10 sindicatos de empresas de ônibus responsáveis por transporte urbano, interurbano e fretamento. Tais sindicatos reúnem 192 empresas de transporte coletivo e 19 de fretamento e turismo que, juntas, respondem por mais de 80% do transporte público regular no estado.

Motivos

A violência registrada no Rio de Janeiro nesta semana é motivada, de acordo com o governo carioca, pela reação às medidas de implantação das UPPs (Unidade de Polícia Pacificadora) em diversas áreas antes dominadas por criminosos. Desde 2008, 13 unidades foram instaladas.

Com isso, os criminosos têm realizado arrastões, ataques a forças de segurança e incendiado inúmeros veículos, prejudicando a rotina dos cariocas.

Aerton Guimarães
Redação CNT

TransOeste

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Projetos de BRT terão auditoria para reduzir riscos de acidentes

23/11/2010 - Extra Online - O Globo

RIO - Prevista no Termo de Cooperação Técnica, será realizada uma auditoria nos projetos de Bus Rapid Transit (BRT) em andamento, preparando a cidade como uma das sedes dos jogos da Copa do Mundo em 2014 e dos Jogos Olímpicos em 2016. O objetivo é melhorar a segurança viária e reduzir as mortes no trânsito. O projeto a ser avaliado será o da linha Transcarioca, que ligará as zonas Norte e Oeste do Rio. O termo foi assinado pela prefeitura com a Rede EMBARQ e seu Centro de Transporte Sustentável do Brasil (CTS-Brasil).

Para realizar o trabalho, promovido pela prefeitura, o dinamarquês especialista em segurança viária, Carsten Wass, será assessorado pela engenheira de transporte do CTS-Brasil, Brenda Medeiros. A auditoria de segurança viária analisa o traçado, paradas de ônibus e sinalização das vias ainda na fase de projeto e propõe alterações de layout para reduzir o risco de acidentes de trânsito.

http://extra.globo.com/rio/plantao/2...-923091613.asp

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

BNDES aprova R$ 1,2 bi para o BRT Transcarioca, que ligará a Barra da Tijuca ao Galeão

22/11/2010 - BNDES

• Obra melhorará mobilidade urbana do Rio, sede da final da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 O BNDES aprovou financiamento no valor de R$ 1,2 bilhão para o município do Rio de Janeiro. Os recursos serão utilizados na implantação do Sistema BRT (Bus Rapid Transit) Transcarioca, que ligará a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, ao Aeroporto Internacional do Galeão, na Zona Norte.

O projeto do Transcarioca, além de atender a diretrizes do Plano Diretor de Transportes da Cidade do Rio de Janeiro, é uma das principais intervenções de competência do município, no que se refere à mobilidade urbana, para preparar a cidade para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Os recursos do BNDES correspondem a 74,5% do investimento total destinado às obras de infraestrutura (viário, estações e terminais de integração, entre outras) necessárias à operação do BRT. O sistema contemplará um corredor viário de duas faixas segregadas, uma em cada sentido, e terá aproximadamente 39 km de extensão (28 km na ligação Barra – Penha e 11 km na ligação Penha – Ilha do Governador).

A princípio, os ônibus utilizados serão movidos a diesel. Melhorias tecnológicas nos veículos (em motores, catalisadores, filtros, etc.), aliadas à redução de frota propiciada pela racionalização da oferta de transporte decorrente do projeto, deverão diminuir significativamente as emissões no entorno. A utilização de carros híbridos ou elétricos é uma possibilidade ainda em estudo.

Uma vez implantado, o BRT Transcarioca reduzirá o tempo de deslocamento entre a Zona Norte do Rio de Janeiro e as regiões da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá. Também deverão diminuir os acidentes de trânsito e os congestionamentos nas principais vias do seu entorno.

O objetivo da prefeitura é utilizar este projeto como piloto para a racionalização e o ordenamento do sistema de transporte coletivo municipal, por meio de ações estruturais, que permitam integrar os diversos modos (trem, metrô, ônibus, barca e bicicleta).

Estima-se que, durante as obras de implantação, o BRT Transcarioca gere cerca de 4 mil empregos diretos. Na fase de operação, a estimativa é de 1.460 novos postos de trabalho.
 

Transcarioca: obra deve ter início em janeiro

22/11/2010 - O Globo -Martha Neiva Moreira e Luiz Ernesto Magalhães

RIO - O prefeito Eduardo Paes disse ontem que a primeira etapa das obras do Transcarioca, corredor de ônibus articulado (BRT) Barra-Ilha do Governador, deverá começar em janeiro. O resultado da licitação do trecho inicial (Barra -Penha) será conhecido esta semana.

O cronograma original da prefeitura previa que as obras começassem em abril passado. Mas problemas burocráticos atrasaram o processo. O Tribunal de Contas do Município (TCM) entendeu que a licitação só poderia ser concluída após a prefeitura fechar o contrato de financiamento, no valor de R$ 1,2 bilhão, com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O empréstimo foi autorizado somente na semana passada. Com o atraso, a prefeitura decidiu concentrar os esforços este ano nas obras do Transoeste (BRT que ligará Campo Grande a Barra).

Prefeitura realizará mais de três mil desapropriações

O custo total do projeto, incluindo pagamentos de mais de três mil desapropriações totais e parciais de imóveis, é estimado em R$ 1,6 bilhão. A prefeitura decidiu priorizar as desapropriações no trecho entre o Campinho e Madureira, onde as obras serão mais complexas. Uma das intervenções prevê a construção de um mergulhão sob um dos pontos de maior volume de tráfego da Zona Norte: o quadrilátero entre as ruas Cândido Benício, Domingos Lopes, Avenida Ernani Cardoso e Estrada Intendente Magalhães.

Segundo o prefeito, o edital para a licitação do segundo trecho, que ligará a Penha ao Aeroporto Tom Jobim (Lote 2), será feito ainda este ano. Ontem, além de inaugurar as primeiras ruas reformadas pelo Programa Bairro Maravilha, em Cavalcanti e Quintino, Paes foi ao lançamento das obras do Morar Carioca nas comunidades Vila Amizade, Vila Caramuru e Morro dos Mineiro, em Tomás Coelho. O investimento total está orçado em R$ 23,3 milhões.

Entre as melhorias, estão a construção de reservatório com capacidade para 200 mil litros de água, 8.806 metros de esgoto sanitário com 823 ligações domiciliares; 2.329 metros de redes de drenagem pluvial; além de pavimentação de becos, ruas, rampas e escadarias. Também há previsão de construção de uma creche, praças, centros esportivos, um bosque e um pomar comunitário . 
 

domingo, 21 de novembro de 2010

Prefeitura do Rio remove 11 famílias de comunidade no Recreio

17/11/2010 - G1 RJ
 
Casas ficam no traçado da Transoeste, um dos corredores para ônibus BRT.
Parte dos moradores foi contemplada pelo programa 'Minha casa, minha vida'.

Começou na manhã desta quarta-feira (17) a remoção de 11 famílias que vivem em casas construídas na Avenida das Américas, na comunidade Vila Harmonia, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. As casas ficam dentro do traçado da via Transoeste, um dos corredores exclusivos para ônibus BRT, sistema inteligente de transporte que o município promete construir até as Olimpíadas de 2016.

De acordo com a Subprefeitura da Barra e de Jacarepaguá, a remoção ocorre sem problemas. A Guarda Municipal deslocou dez homens para acompanhar o trabalho. A prefeitura disponibilizou caminhões para fazer a mudanças dessas famílias.

Parte dos moradores foi contemplada com casas do programa “Minha casa, minha vida”, e estão de mudança para o Conjunto Terni, em Campo Grande, na Zona Oeste. Outras optaram por receber indenização pelos imóveis.

De acordo com o 31º BPM (Barra da Tijuca), até o momento não foi registrado qualquer incidente. A Subprefeitura acredita que o trabalho de remoção seja concluído até o final da tarde desta quarta-feira. 
 

Cresce o número de carros particulares piratas que fazem lotadas

19/11/2010 - O Globo - Paulo Roberto Araújo e Selma Schmidt
RIO - Com a repressão às vans intermunicipais não licenciadas e a economia propiciada pelo uso do gás natural veicular (GNV), milhares de carros particulares passaram a ser usados para fazer lotadas. De janeiro até sexta-feira, o Departamento de Transportes do estado (Detro) apreendeu 2.569 automóveis transportando irregularmente passageiros, 15 vezes mais (175 veículos) que em 2008, antes de as vans licitadas começarem a rodar. 

O presidente do Detro, Rogério Onofre, diz que o problema está contribuindo para agravar os engarrafamentos que infernizam os motoristas nas horas de pico no Rio. Onofre afirma que a fiscalização desses carros é difícil, porque depende da colaboração dos usuários. Os fiscais do Detro estão sendo treinados para a nova situação e passaram a usar veículos descaracterizados, a fim de conseguir flagrantes. 

- Há pessoas que insistem em agir à margem da lei e, entre os setores mais visados, está o transporte ilegal de passageiros, cujo combate continua uma guerra de guerrilha. É impossível que, numa cidade como o Rio, que sediará a Copa do Mundo e as Olimpíadas, motoristas utilizem veículos sem condições de segurança e manutenção. Isso sem falar nos prejuízos causados ao trânsito pelas bandalhas feitas - diz Onofre. 

Mesmo usando veículos caracterizados, fiscais do Detro conseguiram apreender, na tarde de quinta-feira, um Vectra preto, próximo ao setor de desembarque da Rodoviária Novo Rio, que fazia lotada para Macaé. O motorista teve de devolver o dinheiro pago pelos passageiros. 

Segundo a major Marly Souza, chefe de Fiscalização do Detro, o entorno da Novo Rio é um dos pontos mais visados. De lá saem carros para Niterói, São Gonçalo, Baixada, Macaé e Cabo Frio. Nas esquinas da Rua Sete de Setembro com as ruas Uruguaiana e Primeiro de Março, no Centro, também são encontrados vários desses veículos. Outros locais em que os automóveis de passeio disputam passageiros com ônibus e vans legalizadas são as avenidas Bartolomeu Mitre (Leblon), Presidente Vargas e Rio Branco (Centro). 

Estado defende ação conjunta com município
 
Para o presidente do Detro, Rogério Onofre, a estrutura da prefeitura para combater o transporte clandestino de passageiros é acanhada. Ele pretende procurar o prefeito Eduardo Paes, a fim de pedir apoio para combater o uso de carros particulares em lotadas: 

- Há necessidade de uma ação eficaz e conjunta dos poderes no combate a essa prática, que vem crescendo - diz Onofre. - O município do Rio tem pouca estrutura. Mas o problema é grave. Tem que haver envolvimento do município. O Rio é o principal destino do transporte pirata, e o Detro sozinho não tem como resolver o problema. 

A Subsecretaria de Fiscalização da Secretaria municipal de Transportes informa que a fiscalização de automóveis particulares não está entre suas atribuições. O órgão fiscaliza veículos regulares que prestam serviço de transporte, como táxis, vans e ônibus. No entanto, durante as operações realizadas nos dez meses de funcionamento da subsecretaria, foram flagrados dez carros piratas caracterizados como táxis. 

Em Niterói, usuários embarcam no meio da rua Onofre lembra que a abordagem na fiscalização de automóveis particulares tem que ser diferente, para se conseguir constatar a infração: 

- No começo, o Doblò era muito usado. Agora, são todos os tipos de carros - diz ele.
Em Niterói, veículos particulares, em sua maioria Meriva, faziam lotadas sexta para a Região dos Lagos. Os passageiros embarcavam na rua, entre um supermercado e o Terminal de Coletivos Norte, próximo à estação das barcas. 

Chefe de Fiscalização do Detro, Marly Souza diz que o uso de carros descaracterizados pelos agentes do órgão é fundamental para flagrar infratores: 

- Em geral, quando ocorre a apreensão, os passageiros protestam porque querem o dinheiro de volta. Aí se caracteriza o flagrante. 

Os 2.569 automóveis de passeio apreendidos pelo Detro este ano receberam 6.466 multas (pelo transporte ilegal de passageiros e outras infrações, como mau estado de conservação e documentação irregular). Ano passado, foram 3.802 apreensões e 12.722 infrações. Já os 175 carros apreendidos em 2008 receberam 622 multas. 

Onofre quer ainda que, a exemplo de Brasília, os motoristas sejam punidos por exercício ilegal da profissão. Ele sugeriu ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, a criação de núcleos nas delegacias para cuidar desses casos. 

- O artigo 47 da Lei das Contravenções Penais prevê prisão simples, de 15 dias a três meses, ou multa pelo exercício ilegal da profissão. O mais importante é que haja punição, e não o tempo e o valor da multa. O que estimula a contravenção e o crime é a impunidade - diz o advogado Mário Mesquita. 

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

BRT do Rio deverá ganhar financiamento

18/11/2010 - Transporte Idéias
 
A prefeitura do Rio de Janeiro obteve nesta semana confirmação de empréstimo para obras importantes de transporte e urbanismo. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) confirmou o financiamento de R$ 1,3 bilhão para o BRT Transcarioca, que vai ligar a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim. As informações são do jornal “O Globo”.

O prefeito Eduardo Paes, que esteve nos Estados Unidos, recebeu também outra boa notícia: o sinal verde do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que se dispôs a repassar US$ 150 milhões para o projeto de urbanização das favelas, o”Morar Carioca”. O prefeito ainda fez outros dois pedidos ao BID. O primeiro se refere ao “Morar Carioca”, e o segundo é o financiamento de duas das quatro linhas previstas de BRTs.

O objetivo do prefeito é conseguir o financiamento da Transbrasil (ao longo da Avenida Brasil) e da Transolílimpica (Barra-Deodoro). O custo estimado é de R$ 2,5 bilhões, e o prefeito espera obter, até 2016, R$ 1 bilhão.

“Fizemos uma proposta olímpica ao BID, de R$ 4 bilhões em 10 anos. Acredito que temos chances de conseguir os recursos”, observou o prefeito do Rio de Janeiro.

O otimismo do prefeito é reforçado pelas palavras do diretor do BID no Brasil, José Carlos Miranda. “O Rio tem todas as chances de obter os recursos. Há um comprometimento do BID em apoiar as cidades-sedes da Copa do Mundo e das Olimpíadas”, disse. 
 

Prefeitura apresenta projeto de construção da Transolímpica

17/05/2010 - Prefeitura do Rio de Janeiro
 
Via expressa terá BRT para interligar bairros desde Deodoro arté a Barra da Tijuca.

A Prefeitura apresenta hoje, às 14h30, no auditório do Centro Administrativo São Sebastião, na Cidade Nova, o projeto de construção da Transolímpica, via que fará a ligação direta entre a Barra da Tijuca e Deodoro, dois importantes pólos de competições das Olimpíadas Rio 2016.

Contando com um corredor expresso de ônibus (BRT - Bus Rapid Transit), a Transolímpica vai encurtar o tempo de deslocamento entre duas regiões importantes da cidade, contectando-se ainda com a estação de trens de Deodoro, da Supervia, e a Transoeste, na Barra, garantindo a integração de diferentes meios de transportes. A via, antes denominada Ligação C, consta do caderno de encargos assinado pela Prefeitura com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para os Jogos de 2016.
 
http://www.rio.rj.gov.br/web/guest/exibeconteudo?article-id=797625

Prefeitura apresenta o modelo dos ônibus articulados que circularão na Transoeste

09/11/2010 - Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

Com capacidade para transportar 160 passageiros, primeiro BRT do Rio ligará a Barra da Tijuca a Campo Grande


J. P. EngelbrechtO prefeito Eduardo Paes apresentou na manhã desta terça-feira, dia 9, o modelo de ônibus articulado que será utilizado na Transoeste, o primeiro BRT (Bus Rapid Transit) da cidade. Os ônibus articulados ligarão a Barra da Tijuca a Campo Grande, passando pelo Túnel da Grota Funda. O veículo tem piso elevado a 90 cm do solo, portas do lado esquerdo, capacidade para 160 passageiros e não tem catraca interna. Participaram da apresentação - no local onde estão sendo realizadas as obras de abertura do Túnel da Grota Funda, no Recreio dos Bandeirantes - o ministro dos Esportes, Orlando Silva, dos secretários municipais de Transportes, Alexandre Sansão; de Obras, Alexandre Pinto e da Casa Civil, Pedro Paulo, e do presidente do Rio Ônibus, Lélis Teixeira.

J.P. Engelbrecht- Sempre falamos muito que as pessoas no Rio têm que andar menos de carro e usar bastante transporte público. Os passos para permitir que as pessoas façam isso estão sendo dados agora. Primeiro, com a contratação do Bilhete Único no sábado (dia 6) e agora com um transporte público de qualidade. Isso é um metrô de superfície - disse Paes.

O primeiro BRT da cidade fará o trajeto Campo Grande-Santa Cruz-Guaratiba-Recreio-Barra da Tijuca, gerando mais conforto aos passageiros e uma economia de mais de uma hora no tempo de viagem. Os veículos atendem aos critérios estabelecidos no contrato de licitação das linhas de ônibus, que regulamentou a operação do sistema de transporte rodoviário da cidade e implantou o Bilhete Único Carioca, cuja operação começou no último dia 6.

O prefeito também ressaltou as intervenções municipais para melhoria do transporte público na cidade:

J.P. Engelbrecht- É uma revolução nos transportes o que estamos fazendo no Rio. Licitação de linhas de ônibus, licitação de vans, bilhete único, implantação de quatro corredores de BRT. São intervenções complexas na cidade, que o Rio nunca viu e que vai diminuir enormemente o trânsito nas ruas e dar conforto à população. Esse é o padrão que a gente quer. Quem conhece o TGV francês pode até comparar um pouquinho. Tem a velocidade, a estética, a qualidade e o conforto para o passageiro. É tratar o carioca com dignidade.

A apresentação do modelo do ônibus articulado foi feita no local onde está sendo aberto o Túnel da Grota Funda - uma das etapas mais importantes da implantação da Transoeste. As obras desse corredor de BRT, que vai ter 56 km de extensão, estão orçadas em R$ 800 milhões, começaram há mais de dois meses e fazem parte do pacote viário que vai preparar a cidade para a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.


Texto: Anna Beatriz Cunha
Fotos: J.P. Engelbrecht

http://www.rio.rj.gov.br/web/guest/exibeconteudo?article-id=1287289

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Praça Tiradentes

01/11/2010 - Photographias do Rio Antigo - Lavra



PRAÇA TIRADENTES c. 1950 Post Duplo 2/2

A imagem foi enviada pelo nosso amigo Renato Libeck e mostra o lado leste da praça. O fotógrafo posicionou-se , na esquina de Rua Pedro I, de costas para a Rua da Carioca e de frente para a Av. Visconde de Rio Branco, no outro extremo. Em último plano, vemos um prédio em estilo eclético, onde já esteve instalado durante algum tempo, o DETRAN.