quarta-feira, 4 de março de 2015

Governador não descarta a Linha 3, mas afirma que ônibus expresso é opção mais rápida e barata para ligar Niterói a São Gonçalo e quer que a população se manifeste

04/03/2015 - O Fluminense

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, disse ontem, durante evento no Centro do Rio, que trabalha para atrair o interesse de empresas no estabelecimento de parcerias público-privadas (PPPs) para a implantação da Linha 3 do metrô, que ligará os municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. O governador também anunciou que quer as parcerias para as áreas de saneamento e tratamento de esgoto de São Gonçalo e da Baixada, além de melhorias no setor de telecomunicações.

"Tem uma série de PPPs que a gente quer lançar. Quero ver se, neste primeiro semestre, ainda lanço pelo menos os editais para manifestação de interesse", afirmou Pezão, durante evento na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Sobre o metrô, Pezão informou que pretende fazer audiências públicas para que a população de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí possa se manifestar. O governador já se reuniu com prefeitos e quer ouvir os presidentes das Câmaras de Vereadores dos municípios.

Pezão disse que o projeto da Linha 3 está mantido e atribuiu a demora da construção ao momento delicado na economia do País. O governador também falou a respeito da construção do BRT como opção ao metrô. 

"Grande parte da Linha 3 é financiada pelo Governo Federal. Nós vivemos um momento de crise econômica grande, no Estado e no País. Estou colocando o BRT como uma opção para ser discutida com a sociedade. Se a população não quiser o BRT, vamos esperar recursos federais para fazer o metrô", explicou Pezão.

A nova opção dada por Pezão diminuiria o tempo e os custos com a construção do metrô. 

"Estamos falando de um quinto do investimento do metrô. Além disso, a obra seria feita em bem menos tempo. Se o BRT serve para a Barra da Tijuca, Recreio e para tantos outros bairros do Rio, por que não serve para Niterói, São Gonçalo e Itaboraí? Vamos aguardar a votação do orçamento do governo federal", complementou. O governador ressaltou ainda que o Governo do Estado teve cerca de R$ 2,6 bilhões de perda na arrecadação no ano passado. Segundo ele, as projeções indicam nova perda de R$ 2,4 bilhões também para este ano. "Teremos R$ 5 bilhões de perda, no mínimo. Estamos fazendo grandes esforços, mas não se repõe um montante de um dia pro outro", concluiu.

BRT Transbrasil: interdições no trânsito na Avenida Brasil serão ampliadas a partir de sábado

Intervenções vão ocupar área de 1.300 metros, entre Caju e Manguinhos. Via já tem 350 metros fehcados

03/03/2015 - O Globo

Obras do BRT na Avenida Brasil - Gustavo Stephan / Agência O Globo


RIO - O trecho em obras na Avenida Brasil, destinado à construção das faixas de circulação e estações do sistema BRT Transbrasil, entre Caju e Manguinhos, será ampliado e os motoristas devem ficar atentos às mudanças. De acordo com a prefeitura, além dos 350 metros onde já ocorrem intervenções viárias desde janeiro, uma nova área de cerca de 1.300 metros será ocupada, entre a obra inicial e a Passarela 4. As alterações começam a valer a partir das 8h do próximo sábado. A ação envolve as secretarias municipais de Transportes e Obras e a CET-Rio.

INFOGRÁFICO: A INTERDIÇÃO NA AVENIDA BRASIL

Seguindo o padrão anterior, serão ocupadas duas faixas de circulação na pista central sentido Zona Oeste e meia faixa no sentido Centro. A CET-Rio informou que a operação para o esquema especial de trânsito contará com 45 painéis com mensagens variáveis, 52 câmeras de monitoramento, 12 reboques (para desobstrução das vias em caso de enguiço ou acidente) e 60 operadores de tráfego, por turno.

FAIXAS EXCLUSIVAS PARA ÔNIBUS CONTINUAM

Segundo a CET-Rio, o transporte público continuará a ser priorizado. Dessa forma, os espaços exclusivos aos ônibus permanecerão em funcionamento na via expressa, ainda contornando a área ocupada pelo canteiro da obra, mas a ocupação de parte das pistas fará com que as faixas exclusivas funcionem de dois modos distintos, sempre priorizando o sentido de tráfego com maior volume.

Nos dias úteis, das 15 às 21h, a prioridade é para o sentido Zona Oeste, que, no momento, será o mais impactado pelas obras. A faixa exclusiva para ônibus será desviada por uma faixa reversível que será implantada no trecho da obra.

Já nos demais dias e horários, as faixas exclusivas funcionarão nas pistas centrais, ocupando, entre as faixas disponíveis, as que estiverem à esquerda, no sentido do fluxo, sempre contornando a área ocupada pela obra.

IMPACTOS PREVISTOS NO TRÂNSITO

A CET-Rio, afirmou que, devido às mudanças, a capacidade de escoamento do tráfego estará reduzida em alguns pontos da Avenida Brasil, e a sobrecarga pode acontecer também em rotas alternativas de circulação. É previsto que o sentido Centro da via expressa seja afetado, principalmente no horário de rush matutino. Também deverá sofrer mudanças no tráfego o sentido Zona Oeste da Avenida Brasil, devido à redução de capacidade da via e da proximidade da área de interferência pode ocorrer impacto no sentido Rio da Ponte Rio-Niterói, na região da rodoviária, na Via Binário, na Avenida Francisco Bicalho, com possíveis reflexos em determinados horários na Avenida Presidente Vargas e nos túneis Rebouças e Santa Bárbara. Além disso, está prevista também uma migração de parte do fluxo para a Linha Vermelha, mas, como a via já apresenta sobrecarga em boa parte do dia, as retenções podem se ampliar.

ROTAS ALTERNATIVAS PARA OS MOTORISTAS

Quem quiser fugir do trânsito poderá seguir pela Linha Vermelha e também estudar novas rotas. Por exemplo, a partir da Penha: Avenida Lobo Júnior, Avenida Brás de Pina, Rua Ibiapina, Rua Uranos, Avenida Democráticos, Avenida Dom Heldér Câmara e Viaduto de Benfica. A sugestão a partir de Bonsucesso: Avenida Teixeira de Castro, Rua Cardoso de Morais e Rua Leopoldo Bulhões.

PUBLICIDADE
 
As rotas próximas às saídas da Linha Amarela também poderão ser utilizadas como alternativas pelos usuários daquela via, especialmente: Avenida Dom Hélder Câmara; corredor da Avenida Marechal Rondon e Rua Vinte e Quatro de Maio; e Avenida Pastor Martin Luther King Junior e Avenida Dom Hélder Câmara. No sentido contrário, as mesmas rotas alternativas poderão ser usadas pelos motoristas.

As principais medidas para diminuir os impactos no trânsito, segundo a CET-Rio, foram a preservação das faixas seletivas para ônibus na Avenida Brasil; o reforço dos recursos operacionais, como a utilização de painéis; o monitoramento, a operação e a priorização do fluxo de tráfego nas rotas alternativas; a realização de ajustes viários para aumento da capacidade dos trechos não ocupados pela execução direta da obra, como a retirada dos canteiros divisores entre a pista central e lateral; a implantação de desvios utilizando faixa reversível nos dias úteis das 15h às 21h a fim de priorizar o sentido mais carregado, a Zona Oeste, no trecho de execução da obra; e o reforço da Guarda Municipal na fiscalização das faixas exclusivas na Avenida Brasil com apoio do Detro e da Polícia Militar.

A CET-Rio recomendou o uso do transporte público de alta capacidade, trem, barcas - tanto de Niterói quanto da Ilha - e metrô como a melhor opção para os deslocamentos da população. Além disso, a empresa recomenda que os motoristas que se dirigirem à Ponte Rio-Niterói pela Avenida Brasil evitem o horário das 15 às 21h, especialmente às sextas-feiras à tarde, quando o fluxo de veículos é bastante significativo. No horário, uma das faixas estará operando como reversível exclusiva para ônibus, então haverá uma redução de capacidade de escoamento de tráfego.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/brt-transbrasil-interdicoes-no-transito-na-avenida-brasil-serao-ampliadas-partir-de-sabado-15490974#ixzz3TPveVMvd 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

segunda-feira, 2 de março de 2015

Ligação expressa entre Região Oceânica e Charitas

01/03/2015 - O Fluminense

Linhas de ônibus 38B e 39B começam a operar nesta segunda-feira, fazendo a ligação com estação dos catamarãs. Objetivo é diminuir fluxo de veículos

Niterói contará a partir desta segunda-feira com duas novas linhas de ônibus operando na cidade: 38B (Itaipu X Charitas) e 39B (Piratininga x Charitas). A implementação delas tem como objetivo diminuir o fluxo de usuários para a estação hidroviária da Praça Arariboia. Além disso, a linha servirá de integração para usuários do catamarã Charitas x Praça XV. Moradores comemoram a iniciativa e presidente da Niterói Transporte e Trânsito (NitTrans), Paulo Afonso, diz que as novas linhas terão um papel fundamental na cidade.

"A implementação dessas duas linhas, oriundas da Região Oceânica para a estação das barcas em Charitas, será muito importante. Ajudará muito no deslocamento da população que precisa ir para o Rio de Janeiro e que deixará o carro em casa. Sem contar com o projeto da Transoceânica, que fará essa ligação direta entre Região Oceânica e a orla de Charitas, e por onde os ônibus futuramente passarão", diz Paulo Afonso.

Para o servidor público Renato Ferreira, de 42 anos, a linha 38B será mais uma opção para os moradores de Itaipu. 

"Muitas vezes a gente fica aguardando 20 minutos no ponto de ônibus um coletivo passar para embarcarmos. Isso atrasa demais para quem precisa trabalhar e necessita da condução. Certamente essa nova linha vai favorecer bastante quem mora na Região Oceânica", diz. 

Outro morador de Itaipu, Felipe Corrêa comentou que as duas novas linhas desafogarão o trânsito. 

"Com a implantação delas com certeza vai diminuir o fluxo de usuários em horário de pico para a estação da Praça Arariboia, fazendo assim que tenhamos um melhor ordenamento no trânsito", destaca Felipe. 

Já a aposta do técnico em tecnologia da informação Thiago Gonçalves, é o no valor das passagens. Para ele, o custo da passagem será outro fator favorável. 

"Quem pega o ônibus direto para o Rio paga um valor muito alto. Acredito que essas novas linhas possibilitarão pagar um valor inferior. Será uma grande vantagem para quem precisa do coletivo", opina.   

Trajeto – O Ponto de partida da linha 38B será na Praia de Itaipu, depois seguirá pela Estrada Francisco da Cruz Nunes, passará pela Avenida Quintino Bocaiúva, Avenida Prefeito Sylvio Picanço, até chegar ao Terminal Rodoviário Charitas. 

A linha 38B vai atender os usuários do catamarã de Charitas, oriundos de Itaipu, Itacoatiara, Engenho do Mato, Maravista, Santo Antônio, Cafubá, Cantagalo, Largo da Batalha e demais localidades da Região Oceânica.

Já a linha 39B terá como partida a Estação Hidroviária de Charitas, passando pela Avenida Prefeito Sílvio Picanço, Avenida Rui Barbosa, Estrada Caetano Monteiro, Estrada Francisco da Cruz Nunes, Avenida Conselheiro Paulo de Melo Kalle, Rua Raul de Oliveira Rodrigues, Avenida Almirante Tamandaré, Avenida Acúrsio Torres, Avenida Coronel Cristovão Barcelos.


O Fluminense

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

SG: Vans continuam circulando após suspensão da Justiça

24/02/2015 - O Fluminense, Pedro Conforte 

Decisão do Tribunal de Justiça foi publicada na última sexta-feira e entrou em vigor ontem. Prefeitura do município diz que não foi notificada oficialmente da decisão

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou que vans não poderiam oferecer o serviço de transporte público em São Gonçalo. A decisão foi publicada na última sexta-feira e entrou em vigor ontem. O documento determina que a Prefeitura inicie as atividades de fiscalização e passe a impedir a operação do serviço de transporte alternativo promovendo, inclusive se necessário, a apreensão de veículos que estiverem circulando, sob pena de multa diária de R$ 80 mil. No entanto, ontem ainda era possível ver centenas de vans fazendo o transporte de passageiros na cidade. A Prefeitura de São Gonçalo informou que não foi notificada da decisão.

Segundo a Prefeitura, o Município não foi notificado oficialmente e por isso as vans continuam circulando normalmente. A Prefeitura ressaltou que tem a intenção de recorrer da decisão. 

Para o desembargador Alexandre Freitas Câmara – relator da decisão – a ausência de licitação para delegar a particulares a execução do serviço de transporte alternativo caracteriza a usurpação de serviço público. Segundo o desembargador, as empresas integrantes do Consórcio São Gonçalo de Transportes, filiadas ao sindicato, passaram a operar o serviço público de transporte coletivo mediante concessão outorgada pelo município, em regime de exclusividade. 

"Por conta do descumprimento da regra da exclusividade, hoje a tarifa praticada no Município de São Gonçalo pelas empresas associadas ao Sindicato agravante é insuficiente para cobrir as despesas operacionais com a execução do serviço, o que prejudica não só as empresas, mas também a população usuária; e interromper a operação do transporte alternativo significa pôr fim a um serviço prestado de forma ilegal e clandestina, que transporta passageiros de forma precária e sem qualquer segurança para o usuário", afirma o desembargador Alexandre Freitas na decisão. 

Decreto – Em junho do ano passado, a Prefeitura publicou um decreto que regula o transporte complementar de passageiros no âmbito municipal. Nele, fica exposto que "compete ao município organizar e prestar, diretamente ou sob regime de concessão ou permissão, os serviços públicos de interesse local, incluído o de transporte coletivo, que tem caráter essencial". 

No primeiro artigo do decreto afirma que o serviço de Transporte Complementar de Passageiros ficará integrado ao Sistema de Transporte Público de Passageiros de São Gonçalo, a ser prestado sob o regime de permissão do Poder Executivo. 

"O Decreto municipal nº 160 cria um novo serviço público, sendo, portanto, ilegal, em vista da inexistência de lei instituindo o serviço de transporte complementar de passageiros em São Gonçalo, exigência constitucional da Constituição da República", ressalta o desembargador.


O Fluminense

Empresa de Niterói já oferece 100% da frota de ônibus com ar-condicionado

06/02/2015 - O Dia

Em meio à expansão do serviço na Região Metropolitana, niterioenses têm, em média, 50% dos coletivos refrigerados

O DIA

Rio - Com o calor do verão, os ônibus com ar-condicionado se tornam ainda mais procurados pelos passageiros. Na Região Metropolitana, em Niterói, algumas linhas já são verdadeiros oásis em que todos os veículos estão climatizados. A Viação Araçatuba já está com 100% da frota refrigerada e opera as linhas 30 (Martins Torres X Centro), 47 (Canto do Rio x Centro), 47-A (Campus da UFF / circular) e 47-B (Campus UFF - MAC / Circular). A cidade tem a meta de ter toda a frota com ar até 2016. Atualmente, a média está em 50%, que correspondem a 800 ônibus com sistema de climatização.


Em Niterói, metade da frota municipal está climatizada
Foto:  Divulgação

No Rio, a meta de ter 100% da frota com ar é também 2016 e o percentual atual está em torno de 28%. Segundo a Prefeitura do Rio, este ano, o número de ônibus com ar crescerá 127%, passando de 1.760 para 3.993. Desde janeiro, 83 ônibus passaram a somar as linhas refrigeradas dos consórcios Intersul, Transcarioca e Santa Cruz. Desses coletivos, 40 vão integrar o Intersul, nas linhas 111 (Rodiviária – Jardim de Alah), 178 (Rodoviária – São Conrado), 463 (Copacabana – São Cristóvão) e 181 (Rodoviária – São Conrado). Os coletivos serão equipados com extenso pacote tecnológico, que inclui câmbio com transmissão automática e painel digital em que com apenas um toque o motorista controla dispositivos do veículo como iluminação interna , faróis e acionamento do limpador de para-brisa, além de GPS para localização do veículo em tempo real.


Zonas Norte, Oeste e Sul são beneficiadas com novos veículos com ar-condicionado
Foto:  Divulgação / Arthur Moura - Rio Ônibus

Já no consórcio Transcarioca, houve aquisição de 13 ônibus executivo (Frescão), todos equipados com roletas duplas, que agiliza o embarque. Na Zona Oeste, o Consórcio Santa Cruz adicionou mais 30 novos micro-ônibus, sendo 15 na linha 821 (Campo Grande – Corcundinha, via Estrada das Capoeiras) e 15 na 822 (Campo Grande – Corcundinha, via Vila Nova), à frota climatizada. 

Embora o crescimento do conforto nas viagens dos ônibus convencionais, para Marcos Bicalho dos Santos, diretor administrativo e institucional da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), o resultado deveria provir de políticas públicas. "Os empresários do Rio assinaram contratos, onde não constavam que o serviço teria ar-condicionado, depois veio a exigência. Só que os usuários querem transporte público de qualidade e almejam ao mesmo tempo redução de tarifa. Essa questão mostra que o Poder Público deve participar mais, não ficar contando com a boa vontade do empresário. E solução, como usar recursos das Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), existe", explicou Bicalho.

Iniciativas abrem caminhos para boa relação entre ônibus e bicicletas

23/02/2015 - O Dia

Setor público e privado se unem e conseguem reduzir conflitos na convivência entre o ciclista e rodoviários

Rio - Dois veículos importantes para melhorar a mobilidade, o ônibus e a bicicleta, estão cada vez andando mais juntos. E, com investimentos do setor rodoviário e políticas públicas de educação, a relação está menos conflituosa e gerando bons resultados. Por último, depois de alguns anos de iniciativas em prol da boa convivência entre os veículos de transporte de passageiros e os de duas rodas, obteve-se um saldo positivo: Desde o início de 2014, o número de óbitos envolvendo bicicletas e ônibus foi zerado.

Nas estratégias para essa e outras conquistas, estão ações como as da Universidade Corporativa do Transporte (UCT), da Fetranspor, que oferece cartilhas para conscientização de motoristas de ônibus sobre os ciclistas. Já as empresas rodoviária vem cada vez mais mostrando preocupação em também contribuir para uma boa relação entre os dois grupos.


Investimentos em capacitação de rodoviários mostram resultados através da ausência de mortes em acidentes entre bicicletas e ônibus

Foto:  Arthur Moura/Fetranspor

Na viação Ideal, da Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, houve uma capacitação, com direito a lazer, e que hoje será adotada até em outros estados, como São Paulo: Os colaboradores fizeram cursos para entender mais do direito do ciclista. O trabalho, realizado com a parceria da Ideal e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, estimulou os funcionários a entender o outro lado de forma também prática, através de um passeio ciclístico dos rodoviários e familiares, com aluguel das magrelas bancados pela empresa. De acordo com o setor de gestão de pessoas da empresa, a ideia veio após a ampliação da malha cicloviária carioca, com o anel cicloviário da Ilha do Governador, quando foi constatada a necessidade de reforçar a direção defensiva dos condutores. 

Em estações do BRT (Bus Rapid Transit) no Rio de Janeiro, bicicletários foram instalados como sugestão de que o passageiro complemente o trajeto de forma saudável e sem causar impacto significativo ao trânsito. Segundo o sub-secretário municipal de Meio Ambiente, Altamirando Moraes, já há mais de 10 mil bicicletários na cidade. "A bicicleta tem que ser mais reconhecida como transporte e o ônibus tem o papel fundamental de protegê-la por ser um veículo maior", opinou.

Pezão confirma que estuda implantar BRT no lugar da linha 3

24/02/2015 - A Tribuna - RJ

O governador Luiz Fernando Pezão vai consultar a população fluminense sobre a possibilidade de implantar o corredor BRT ligando Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, no lugar da Linha 3 do Metrô, que ele prometeu fazer durante a campanha de reeleição, no ano passado. Ainda não definiu como será esta consulta, mas, o projeto do BRT está sendo considerado mais viável, por ser mais barata. O chefe do Executivo fluminense falou sobre o assunto ontem com jornalistas após reunião com a comissão de coordenação do Comitê Olímpico Internacional (COI), em que apresentou o balanço de obras de infraestrutura para os jogos Olímpicos de 2016.

"Vou colocar isso como opção. Caso a sociedade não queira, vamos esperar até termos dinheiro para fazer a Linha 3 do Metrô. Mas não é algo barato", afirmou.

De acordo com o governador, o motivo da mudança é a perda de R$ 2,4 bilhões em royalties do petróleo que o Estado do Rio terá este ano. "O momento econômico é muito ruim. Perdemos, com as atividades da Petrobras e os royalties, R$ 5 bilhões. Um BRT custa cinco vezes menos. Se serve para a Barra, por que não para São Gonçalo, Niterói e Itaboraí?", questionou Pezão, sem garantir que a implantação ocorrerá.

De acordo com o chefe do Executivo, a obra do BRT custa 20% da obra do metrô e ficaria pronta em pouco mais de um ano. De acordo com ele, o Estado tem uma dificuldade grande de arrecação e que por muitos anos foi dependente da Petrobras. Em 2013, ao lado do então governador Sérgio Cabral e de Pezão, a presidente Dilma Rousseff anunciara, durante evento em São Gonçalo, a liberação de R$ 2,57 bilhões para a obra. Em 15 de janeiro, o governador declarara que queria obter R$ 1,5 bilhão da iniciativas privada para colocar a sua parte no financiamento da construção da Linha 3. A outra parte viria do governo federal.