domingo, 17 de agosto de 2014

Novas linhas de ônibus se ligarão ao Transcarioca

17/08/2014 - O Globo

RIO - A partir da próxima segunda-feira, quem utiliza os serviços do BRT Transcarioca poderá contar com quatro novas linhas alimentadoras nas regiões de Jacarepaguá e Madureira. De acordo com o consórcio BRT, a medida faz parte de mais uma etapa do processo de racionalização das linhas de ônibus. A medida cumpre o planejamento definido pela Secretaria Municipal de Transportes. Veja o esquema abaixo:

Início da operação da linha alimentadora 815A (Boiúna - Taquara), em substituição a 761 (Boiúna - Madureira), com integração ao BRT no Terminal Taquara - Bandeira Brasil, junto à estação Taquara.

Início da operação da linha alimentadora 831A (Taquara - Colônia), em substituição a 762 (Madureira- Colônia), com integração ao BRT no Terminal Taquara - Bandeira Brasil, junto à estação Taquara.

Início da operação da linha alimentadora 963A (Santa Maria - Taquara), em substituição a 763 (Santa Maria - Madureira), com integração ao BRT no Terminal Taquara - Bandeira Brasil, junto à estação Taquara.

Início da operação da linha alimentadora 964A (Pau da Fome - Taquara via Meringuava), em substituição a 764 (Pau da Fome - Madureira), com integração ao BRT no Terminal Taquara - Bandeira Brasil, junto à estação Taquara.

O consórcio BRT informou que promotores estarão nas estações e nos principais pontos das linhas acima divulgando todas as mudanças para a população, com distribuição de folhetos explicativos.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

BRT deve chegar ao Jardim Oceânico no ano que vem, prevê Rio Ônibus

14/08/2014 - Agência Brasil

O presidente do Sindicato das Empresas  de Ônibus do Rio de Janeiro (Rio Ônibus) e da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Rio de Janeiro (Fetranspor), Lélis Teixeira, informou hoje (14) que o corredor expresso de ônibus articulados Bus Rapid Transit (BRT) Transoeste deve ser estendido ao Jardim Oceânico no ano que vem. Com a conclusão da obra, os passageiros poderão descer diretamente na estação de metrô, que está atualmente em construção na Barra da Tijuca e é prevista para 2016, antes dos Jogos Olímpicos.

"Quando você passa ali, já vê que está em obras. Quando o metrô ficar pronto, o BRT já vai estar pronto, e, independentemente disso, vai ser importante porque toda a região mais comercial da Barra está naquele trecho. Ali, já vai ser um ganho enorme e tirar no mínimo 50 ônibus quando colocar o BRT. Vai beneficiar as pessoas porque elas vão poder passar direto pelo Terminal Alvorada e até ir para a zona sul, quando o metrô estiver pronto", disse Teixeira, que apresentou um balanço do BRT no Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ).

Ao mostrar o traçado do corredor expresso, o representante das empresas de ônibus apontou também um trecho do BRT Transoeste que vai ligar Campo Grande à Avenida das Américas e à Barra da Tijuca sem passar por Santa Cruz, via Estrada do Monteiro e Mato Alto. Essa parte do corredor, porém, é uma ideia que ainda não tem data para sair do papel e deve ficar para governos futuros: "Eu acredito que não vai ser feito neste governo porque ele já definiu as prioridades, que são o Transolímpico (Recreio-Deodoro), que está sendo feito, e o Transbrasil (Centro-Deodoro), que está em processo de licitação."

Sobre os próximos passos do BRT, Lélis Teixeira disse que 100% das estações do Transcarioca (Barra da Tijuca-Aeroporto Internacional Tom Jobim) devem estar funcionando até setembro, e que, já neste mês, chegam ônibus biarticulados que terão capacidade para transportar 280 passageiros. "Já estamos sabendo pelas pesquisas que têm estações que vão integrar com o trem e que têm uma grande demanda. Eles vão ser provavelmente para Madureira."

Segundo a assessoria de imprensa do Consórcio BRT, os veículos biarticulados foram fabricados em Caxias do Sul e já estão na estrada, a caminho do Rio. Quando chegarem à cidade, precisam ser licenciados pela Secretaria Municipal de Transportes e pelo Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ), antes de passarem por um período curto de testes.Nesta semana, o trecho Barra da Tijuca-Madureira começou a operar 24 horas por dia, e a expectativa é que, no mês que vem, todos os ônibus e estações dos BRTs Transoeste e Transcarioca tenham internet sem fio.

Longa espera por melhorias

15/08/2014 - O Dia - RJ

Terminal que concentra linhas de ônibus para a Baixada Fluminense, o Américo Fontenelle, ao lado da Central do Brasil, deveria ser uma rodoviária climatizada, com painéis de LED para informar chegadas e partidas e ainda dispor de um shopping e estacionamento. As melhorias foram anunciadas quando a Companhia de Desenvolvimento Rodoviário e Terminais do Estado do Rio de Janeiro (Coderte) concedeu o terminal, por 25 anos, em licitação, para a Rio Terminais, em maio de 2012. Na época, a nova concessionária prometeu que iria demolir a estrutura antiga e construir novo prédio, uma obra que começaria "em breve" e duraria 24 meses.

Mais de dois anos depois, no entanto, a reforma nem começou. A concessionária alega que depende ainda de desapropriações de terrenos no entorno, que seriam de responsabilidade da Coderte, para construir o novo terminal, o centro comercial e o estacionamento.

Além disso, a Rio Terminais acrescenta que espera definições sobre futuras estações do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e do BRT Transbrasil para fazer a reforma do local. A prefeitura, no entanto, contesta a informação e ressalta que o traçado do VLT já está pronto e que o projeto do Transbrasil não interfere nas obras.

Os passageiros, que aguardam por ônibus em longas filas, em pé, dizem não ter visto melhorias no conforto desde a privatização. "Não há um lugar para sentarmos enquanto o ônibus não vem. Faz falta", diz a telefonista Ana Gracinda de Castro, de 50 anos, que aguarda o 196 C para Guapimirim.

A Rio Terminais afirma que o local já recebeu reforma das plataformas, nova pintura, cobertura ampliada e equipes de segurança e limpeza.

Entre as exigências da Coderte na concessão, sem prazo para implantação, estavam ainda bilheterias e banheiros, que nunca foram instaladas.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Cariocas se queixam da lotação nos ônibus do BRT Transoeste

14/08/2014 - G1 Rio

O BRT Transcarioca completou dois meses de funcionamento e a Transoeste transporta passageiros há mais dois anos. Os ônibus articulados que rodam em faixas exclusivas foram uma saída da Prefeitura do Rio para melhorar os congestionamentos na cidade, mas os passageiros reclamam da qualidade do serviço. Juntos, o sistema Transoeste e a Transcarioca têm 95 quilômetros. As informações são do Bom Dia Rio.

"Eu quero que eles botem mais ônibus, saindo um atrás do outro, porque a gente fica aqui em pé o tempo todo esperando um ônibus", disse uma passageira.

"O problema é esse ai, ne? A lotação, entendeu? Eu não tenho nem como me mexer", contou uma senhora.

"A gente vai igual uma lata de sardinha. Tem dia que se você tirar o pé , não coloca de novo", reclamou outra passageira, que se espremia no ônibus do BRT.

A Transoeste liga Campo Grande, Santa Cruz, na Zona Oeste, ao Terminal Alvorada e a Transcarioca segue e direção ao Aeroporto Tom Jobim, na Ilha do Governador - 213 ônibus do BRT circulam pela cidade diariamente.

Oito novos ônibus com capacidade para 200 passageiros entraram em circulação no início de agosto. Mas até o final do mês, dois veículos de 28 metros com capacidade para 270 pessoas entrarão em teste.

"Essa frota maior está vindo com carros maiores. Com isso nós conseguimos junto com a velocidade que o sistema já tem, ofertar mais lugares com carros de maior capacidade, dando ao passageiro mais conforto nos momentos de pico", afirmou o gerente do sistema BRT Alexandre Castro.

Os novos veículos vão circular nos dois corredores. Na Transoeste, em dois anos de operação, foram transportados mais de 60 milhões de passageiros. A Transcarioca ainda está em fase de implantação; em dois meses, quase 1,5 milhão de passageiros usaram o corredor expresso. Das 47 estações previstas, 19 ainda não funcionam.

Até 2016, com a inauguração da Transolímpica, serão três linhas e 620 viagens por dia. O edital para a construção da Transbrasil, que vai complementar o sistema, ainda não foi lançado.

Penha é a próxima parada do BRT Transcarioca

14/08/2014 - O Dia - RJ

Rio - As 13 estações do BRT Transcarioca entre Madureira e a Penha serão abertas até o fim de setembro. A informação foi dada ontem pelo secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, ao DIA . A nova linha que ligará os dois bairros terá 14 paradas (incluindo a Estação Paulo da Portela, que já funciona para os serviços Madureira-Alvorada) e vai cruzar locais populosos como Vaz Lobo e Vila Kosmos.

O trajeto passará próximo ao cartão-postal da região, a Igreja da Penha, onde haverá duas estações (Penha 1 e 2). Em Vicente de Carvalho, uma das paradas, o sistema se integra ao metrô. O anúncio do secretário foi feito quatro dias após o início da operação 24 horas por dia do serviço parador (25 estações) Madureira-Alvorada do BRT, no sábado. Está em funcionamento ainda o expresso Madureira-Alvorada (seis paradas) e o semi-direto Alvorada-Galeão (com parada em Vicente de Carvalho).

O secretário, contudo, ainda é cauteloso em relação à escolha da data definitiva para a inauguração da nova linha até a Penha. O mais importante não é o dia exato. Trabalhamos para que o serviço comece em setembro e isso vai acontecer, disse o secretário, ressaltando que a principal preocupação é com a qualidade do sistema de transporte oferecido ao usuário e não com o prazo.

Inaugurado em 2 de junho, o Transcarioca transporta hoje 70 mil pessoas diariamente e, segundo a Secretaria Municipal de Transportes, terá capacidade para atender a 320 mil passageiros por dia quando suas 45 estações (da Barra ao Aeroporto Internacional) estiverem em funcionamento.

Além do serviço parador Penha-Madureira, a terceira etapa de implantação do Transcarioca prevê os trajetos Ilha do Fundão-Alvorada (expresso, com 12 estações) e Galeão-Penha (parador, em 10 estações). Sansão, que levou o criador do BRT de Bogotá, Enrique Peñalosa para conhecer o sistema do Rio, ontem, não confirmou se os demais serviços também serão inaugurados em setembro.

Criador do TransMilenio de Bogotá elogia sistema do Rio

Autor de um dos mantras dos planejadores urbanos Boa cidade não é aquela em que até os pobres andam de carro, mas aquela em que até os ricos usam transporte público, o colombiano Enrique Peñalosa aprovou ontem o BRT carioca, depois de visitar o Centro de Controle Operacional (CCO) do sistema, na Barra, e fazer uma viagem do Terminal Alvorada a Vicente de Carvalho, pelo corredor Transcarioca.

Acredito que esse sistema aponta para o futuro do transporte nas cidades. No Rio, me impressionou a construção de passarelas especialmente para os usuários do BRT, o que não fizemos em Bogotá. É um exemplo para o mundo, disse ele, que criou o BRT TransMilenio, quando foi prefeito da capital colombiana, de 1998 a 2001.

Peñalosa fez todo o trajeto até Vicente de Carvalho em pé, acompanhado pelo secretário Alexandre Sansão. Durante a viagem, ouviu elogios ao BRT de passageiros com quem conversou, esforçando-se no portunhol. Crítico do hábito carioca de estacionar carros nas calçadas, o ex-prefeito de Bogotá qualificou de maravilhoso o CCO. Além dos elogios, Peñalosa fez sugestões de melhorias ao BRT do Rio. É preciso ampliar as calçadas nas bordas das estações para facilitar a circulação. E deu dicas no campo do marketing: O BRT deve ser vendido sempre como um transporte melhor que o metrô.

Resistência preocupa

O rodízio de carros no Centro do Rio pela numeração das placas, se ocorrer, será seguido também do fechamento de mais vias. A medida está em estudo pela prefeitura do Rio como uma forma de aliviar o trânsito da região, ainda mais asfixiado desde o fechamento da Avenida Rodrigues Alves, em 25 de julho.

Se acontecer, o rodízio não pode ser a salvação do trânsito no Centro. Ele viria acompanhado de outras medidas, como o fechamento de algumas vias, afirmou o secretário municipal de Transportes Alexandre Sansão. No radar da prefeitura, há uma fonte adicional de preocupação: a potencial impopularidade da medida. Sabemos que pode haver resistência da população ao rodízio, reconheceu Sansão. Estamos estudando a questão com cuidado, mas hoje não se pode afirmar que ele será implantado, ressaltou.

Sansão disse ter consultado a Prefeitura de São Paulo sobre os prós e contras do rodízio em uma grande metrópole. Na capital paulista, famosa pelos congestionamentos, a proibição da circulação de carros de acordo com o último número da placa vigora desde 1997. Atualmente, a prefeitura paulistana estuda a ampliação do rodízio para o dia todo, já que só vale nos horários de pico da manhã e da tarde.

Sansão não confirmou um prazo para a decisão sobre o rodízio no Rio.

Corredor BRS reduz em até 50% tempo de viagem na Rua São Clemente, em Botafogo

14/08/2014 - O Globo

RIO — No terceiro dia útil de implantação do BRS nas ruas São Clemente, em Botafogo, e Humaitá, medições feitas pela Secretaria municipal de Transportes, por meio de agentes da CET-Rio, apontam que o trânsito nessas regiões melhorou em 50% no trecho onde funciona o corredor. De acordo com a secretaria, houve uma redução no tempo que o motorista faz no trajeto de três quilômetros e meio entre a Praia de Botafogo e a Rua Humaitá. Antes da implantação do BRS eram necessários 25 minutos e 25 segundos para percorrer o trecho e agora, com o corredor, o tempo caiu para 12 minutos e 42 segundos, em horário de pico da tarde.

Para resolver o problema em um dos trechos mais complicados da Rua São Clemente, em frente ao Colégio Santo Inácio, a CET-Rio criou uma faixa alternativa para estacionamento de vans e carros na Rua Dona Mariana. No local, carros particulares podem ficar parados por até 15 minutos com o pisca alerta ligado para embarcar e desembarcar alunos. Vans e ônibus escolares nesse trecho também podem parar. Já a Escola alemã Corcovado, na mesma São Clemente, adotou o serviço de um vigia que sinaliza para que motoristas particulares, de vans ou de ônibus escolares entrem por um portão do colégio e saiam por outro, para evitar que transitem pela faixa exclusiva para ônibus.

PAIS DESTACAM FLUIDEZ NA VIA

Apesar de não mais poderem parar na São Clemente para o embarque e desembarque dos filhos na porta das escolas da região, muitos pais, nesta quarta-feira, elogiavam o novo sistema porque tal medida reduziu o tempo em que ficavam no engarrafamento. Parada na Rua Dona Mariana para esperar a filha sair do colégio, a advogada Jaqueline Nunes, de 50 anos, gostou da alternativa criada pela CET-Rio para que pais pudessem estacionar e permanecer na faixa estabelecida por até 15 minutos.

— Gostei da alternativa. Fico aqui na Dona Mariana e posso esperar por até 15 minutos sem o risco de ser multada. Antes, eu ficava apreensiva de parar na Rua São Clemente. O BRS também melhorou o trânsito — disse.

A mesma opinião tem o empresário Diogo Vasconcellos, de 59 anos. Esperando a filha sair do Santo Inácio, ele somente reclamou da conduta de motoristas de ônibus que, por muitas vezes, trafegam por até três faixas na São Clemente atrapalhando os motoristas. Já a moradora da São Clemente Geane Astini diz que, apesar da dificuldade para sair da garagem de seu prédio, do lado direito da São Clemente, o trânsito melhorou:

— Sei que, às vezes, os ônibus não respeitam, mas corro para perturbar os fiscais. A confusão de fila dupla de veículos era pior e, felizmente, isso acabou.

COLÉGIO ENVIA CIRCULAR

Apesar da aprovação e satisfação de alguns motoristas, a direção do colégio Padre Antônio Vieira enviou uma circular para pais de alunos informando que havia pedido uma reunião com a CET-Rio a fim de resolver o impasse nas paradas de carros em frente a colégios da região.

A direção do colégio informou, ainda, através da circular, que recebeu um ofício da diretora-presidente da CET-Rio, Cláudia Antunes Secin, informando apenas que no último dia 9 seria implantado o BRS na região. A direção da escola acrescentou que tentou junto com demais colégios da região uma outra reunião com órgãos da prefeitura para tratar do impasse quanto à parada dos carros nas portas das escolas, mas a reunião somente foi marcada no prazo de 15 dias para possíveis ajustes na faixa BRS das ruas São Clemente e Humaitá.

O GLOBO procurou, nesta quarta-feira, por telefone o Colégio Padre Antônio Vieira, mas informaram que diretores estavam em reunião. Mesmo com os pontos positivos, alguns colégios da São Clemente pretendem se reunir hoje para discutir medidas que diminuam o impacto do BRS na via. O argumento das escolas é que com a modificação dos pontos e a interdição da faixa, onde acontecia o desembarque dos alunos, aumenta o risco de acidentes, devido ao número expressivo de crianças. A reunião não terá a presença de órgãos da prefeitura.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Horários de serviços do BRT Transcarioca para Madureira mudam a partir desta terça-feira

12/08/2014 - O Globo

RIO - A partir desta terça-feira, o serviço Alvorada-Madureira (Terminal Paulo da Portela, integrado ao trem) passa a operar com ônibus parador durante 24 horas e com o expresso de 5h às 23h. A Transcarioca liga a Barra da Tijuca à Ilha do Governador (Aeroporto do Galeão), sendo o primeiro corredor de alta capacidade no sentido transversal da cidade que já reduziu em 60% o tempo de viagem por ônibus no trecho, segundo a Prefeitura. Os testes operacionais para a ampliação do expresso e parador foram feitos no fim de semana.

O trecho ampliado abrange as estações IPASE, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho e Paulo da Portela que funcionavam das 9h às 16h. O BRT Transcarioca, que já transporta 70 mil pessoas por dia, opera com três serviços: Galeão - Alvorada (Semi-direto), Madureira - Alvorada (Expresso), Madureira - Alvorada (Parador).

Segundo corredor exclusivo de ônibus, a Transcarioca vai transportar 320 mil passageiros por dia e fazer integração com a Estação de Metrô Vicente de Carvalho, estações de trem de Madureira e Olaria e com a Transoeste (no Terminal Alvorada). Futuramente haverá ainda pontos de integração com a Transolímpica e a Transbrasil.

A SMTR informa que os cortes de linhas convencionais vão acontecer de forma gradual. A estimativa é de que apenas a linha 701 (Madureira-Alvorada) seja cortada de imediato e as demais ao longo das próximas duas semanas. Ao mesmo tempo, serão implantadas as linhas alimentadoras, que vão garantir os deslocamentos até as estações.