sábado, 6 de fevereiro de 2016

Ônibus atrasam até 5 horas para sair da rodoviária


Interdições em vias na região central causam retenções, ampliando o tempo de trajeto entre a garagem das empresas de ônibus e a Novo Rio
   
POR BRUNO CALIXTO

 06/02/2016 - O Globo


Trânsito lento na chegada ao Rio perto da rodoviária Novo Rio atrapalha os passageiros - Gabriel de Paiva / Agência O Globo 

RIO - Retenções em vias com acesso ao Centro por conta dos desfiles das escolas de samba na Sapucaí testaram a paciência de cariocas e turistas que utilizaram a Rodoviária Novo Rio no primeiro dia oficial do carnaval. Ônibus com destino a diferentes regiões do Brasil demoraram até cinco horas para dar a partida, prejudicando centenas de passageiros e causando tumulto na rodoviária. Os motoristas culpam a lentidão no trajeto entre a garagem das empresas e a rodoviária. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, a lentidão ficou ainda maior após um carro alegórico enguiçar na pista lateral da Avenda Brasil, na altura da Rua Santos Lima, São Cristóvão, entre 8h e 9h.

Em 2011, os animais começaram a ser retirados do zoológico pelo Ibama, por conta de uma decisão judicial. Na foto, o leão Dengo, de 8 anos de idade, foi separado da namorada, Elza, que foi levada para BrasíliaZoo permanece fechado no carnaval

— Nunca houve isso. Saí da garagem às 8h e só cheguei às 13h na Novo Rio. Frequentemente realizo estre trajeto em 15 ou 20 minutos, no máximo. Era para ter embarcado às 9h com destino a Parnaíba (PI). Estou molhado de suor, cansado e ainda tenho que encarar três mil quilômetros — relata o motorista Leonardo Salles, da Itapemirim, que só deu partida às 14h.

A garagem da Itapemirim fica na Avenida Brasil 12.417, altura da passarela 17, em Duque de Caxias. Um dos 20 passageiros conduzidos por Salles, a lavadeira Maria da Conceição, 43 anos, lamentou perder tanto tempo de espera com os filhos, ainda pequenos.

— Era para passarmos o carnaval em São Luís (MA), onde está minha família, mas o passeio foi encurtado pela desorganização do trânsito — ressalta.

Outro motivo apontado pelo Centro de Operações pelo engarrafamento nos arredores da rodoviária foi o fechamento do Viaduto do Gasômetro, que dá acesso à Binário, às 11h. A interdição, que não estava prevista, foi um "ajuste operacional necessário para a passagem de carros alegóricos", como justifica o Centro de Operações. A Avenida Francisco Bicalho, principal via de acesso à Novo Rio, também foi fechada, nos dois sentidos.

Com destino à Uruguaiana (RS), cidade na fronteira com a Argentina e o Uruguai, o motorista Leal Fernandes também partiu com muitas horas de atraso. 

— O negócio mais confuso é no fim da Brasil, altura da Ponte (Rio-Niterói), próximo ao antigo "Jornal do Brasil". Simplesmente parou — diz Fernandes, funcionário da Pluma, cuja garagem fica em Bonsucesso, a 11km da rodoviária.

Além do nó no trânsito, a falta de passagens deu um chá de cadeira nos pasageiros, principalmente com aqueles que optaram por pular o carnaval na Região dos Lagos.

— Cheguei ao guichê às 11h30, mas passagem mesmo só para as 19h35 — conta a cuidadora de idosos Mônica dos Santos, 36, que vai para Cabo Frio pela empresa 1001. 

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/onibus-atrasam-ate-5-horas-para-sair-da-rodoviaria-18625322#ixzz3zQfhvFNg 
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

O futuro do Bilhete Único no Rio

04/02/2016 - O Globo 

Uma das propostas de mudança no bilhete único intermunicipal prevê um limite de valor para a segunda condução utilizada pelo usuário. Hoje, esse teto não existe, e as despesas com tarifa que excedam o valor do bilhete único são integralmente subsidiadas pelo estado.

O segundo trecho de viagem — de ônibus, trem ou metrô — não pode ser superior a R$ 5,60. Acima disso, o usuário terá que pagar. Ontem, a Secretaria estadual de Transportes não soube estimar o total de pessoas atendidas pelo bilhete único que seriam atingidas pela medida.

Há ainda a hipótese, em estudo porque há dificuldades técnicas para operacionalizar, de direcionar o bilhete único para pessoas de baixa renda. Hoje, o estado gasta cerca de R$ 600 milhões por ano com subsídios para o transporte. A ideia é que, futuramente, os aumentos de despesas com subsídios sejam custeados pelos próprios usuários do sistema, o que pode impactar a tarifa. Seja qual for o modelo adotado, as novas regras deverão ser aprovadas pela Assembleia Legislativa e só valerão a partir de 2017.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Operação especial de carnaval oferece serviços especiais de ônibus rodiviários

02/02/2016 - Jornal do Brasil

Linhas com trajetos via Arco-metropolitano partirão direto de terminais da Baixada e de Campo Grande

Jornal do Brasil

O Departamento de Transportes Rodoviários (Detro), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Transportes, dá início a partir da próxima quarta-feira (03/02) a Operação Carnaval. Até o próximo dia 15, serão disponibilizados horários extras e ônibus com trajetos via Arco Metropolitano. Além disso, moradores da Baixada Fluminense e da Zona Oeste do Rio poderão embarcar diretamente nos terminais rodoviários de Campo Grande, Nilópolis e Nova Iguaçu. Com a ação, reduz-se o fluxo na Rodoviária Novo Rio, evitando deslocamentos desnecessários para a região. As passagens já estão disponíveis para venda.

As linhas via Arco Metropolitano reduzem, em cerca de uma hora, o tempo de viagem para as cidades da Região dos Lagos, Costa Verde e Região Serrana. A Operação Carnaval ainda tem impacto positivo no trânsito de vias saturadas como Avenida Brasil, Presidente Dutra e Ponte Rio-Niterói.

Além disso, para reduzir o tempo de deslocamento, foram alterados itinerários de linhas intermunicipais que partem do Vale do Paraíba, com destino à Costa Verde. Essas linhas acessarão o Arco Metropolitano, na Via Dutra, em direção à Rodovia Rio-Santos.

O presidente do Detro, Carlos Luiz Mantins, explica que as operações especiais de feriado, que tiveram início há um ano, continuarão em 2016. “Vamos manter o projeto lançado no Carnaval de 2015, com o objetivo de oferecer maior conforto à população. Com o sucesso da primeira edição, repetimos os serviços especiais nos demais feriados prolongados, facilitando a vida dos moradores da Baixada e da Zona Oeste, evitando um deslocamento desnecessário até o Centro do Rio”, afirma o Carlos Luiz.

Confira as linhas especiais, via Arco Metropolitano:

Partindo do Terminal de Campo Grande: 

Campo Grande/Cabo Frio, Campo Grande/Rio das Ostras, Campo Grande/Mangaratiba.

Partindo do Terminal de Nilópolis:

Nilópolis/Cabo Frio (via Duque de Caxias), Nilópolis/Macaé (via Duque de Caxias e Rio das Ostras).

Partindo do terminal de Nova Iguaçu: 

Nova Iguaçu/Petrópolis, Nova Iguaçu/Cabo Frio, Nova Iguaçu/Macaé (via Rio das Ostras), Nova Iguaçu/Campus e Nova Iguaçu/Friburgo.

Partindo da Rodoviária Novo Rio:

As cidades da Costa Verde terão autorizados horários extras, expressos, via Arco Metropolitano nas linhas: Rio de Janeiro/Angra dos Reis e Rio de Janeiro/Paraty.

Partindo do Médio Paraíba:

Serão autorizados horários extras, expressos, via Arco Metropolitano partindo da Rodoviária de Barra Mansa, nas linhas: Barra Mansa /Itaguaí, via Volta Redonda e Piraí e Barra Mansa/Mangaratiba, via Volta Redonda e Piraí.

domingo, 31 de janeiro de 2016

Linhas de ônibus encurtadas pela prefeitura do Rio circulam quase vazias, dizem motoristas e despachantes

31/01/2016 - Extra

EXT CI - Rio, 27/01/2016, Linhas de ônibus encurtadas - Algumas linhas de ônibus tiveram seus trajetos encurtados, diminuindo o número de passageiros. Na foto, ônibus da linha 464 em Vila Isabel. Foto: Márcio Alves / Agência O Globo
EXT CI - Rio, 27/01/2016, Linhas de ônibus encurtadas - Algumas linhas de ônibus tiveram seus trajetos encurtados, diminuindo o número de passageiros. Na foto, ônibus da linha 464 em Vila Isabel. Foto: Márcio Alves / Agência O Globo Foto: Márcio Alves / Agência O Globo

Elisa Clavery

Sábado de manhã. Um motorista da linha 464 (Maracanã-Praia de Botafogo) faz sua segunda viagem sem passageiros, aproveitando a solidão no coletivo para ouvir um axé pelo seu celular. Sem se identificar, ele explica: desde que a linha teve seu percurso encurtado — antes, o ponto final era no Leblon, na Zona Sul do Rio —, os passageiros diminuíram.

— Eles sumiram, ninguém quer fazer baldeação.

O sumiço dos usuários não é exclusividade dos fins de semana. Nem da 464. Nas linhas 433 (Vila Isabel-Praia de Botafogo) e 434 (Grajaú-Praia de Botafogo), que também diminuíram o trajeto, despachantes e motoristas confirmam que há menos passageiros — e estimam uma queda de 50%.
— Antes, carregava cerca de 500 passageiros entre 7h e 12h. Agora, tenho carregado pouco mais de 200 — diz o motorista da 433. — Não sei se eles estão pegando metrô ou pagando pelo táxi, mas estão buscando alternativas.

Vendedor de doces na Praça Tobias Barreto, em Vila Isabel, Zona Norte do Rio — ponto final da linha 464 —, Jorge Silvestre, de 50 anos, reclama que as mudanças enfraqueceram seu negócio.

— Eu costumava chegar na praça para trabalhar às 6h, mas vi que não valia a pena, porque não tinha quase ninguém. Passei a chegar às 9h, quando começa a ter mais gente — diz Jorge.

EXT CI - Rio, 27/01/2016, Linhas de ônibus encurtadas - Algumas linhas de ônibus tiveram seus trajetos encurtados, diminuindo o número de passageiros. Na foto, vendedor Jorge Silvestre de Oliveira no ponto final da linha 464, em Vila Isabel. Foto: Márcio Alves / Agência O Globo
EXT CI - Rio, 27/01/2016, Linhas de ônibus encurtadas - Algumas linhas de ônibus tiveram seus trajetos encurtados, diminuindo o número de passageiros. Na foto, vendedor Jorge Silvestre de Oliveira no ponto final da linha 464, em Vila Isabel. Foto: Márcio Alves / Agência O Globo Foto: Márcio Alves / Agência O Globo

Uma das justificativas da SMTR para a racionalização é que muitas linhas circulavam com ônibus vazios, pois faziam trajetos semelhantes. Para o engenheiro de tráfego e professor da Uerj Alexandre Rojas, o projeto pode ser um tiro no pé para desafogar o trânsito. Insatisfeitos em fazer baldeação — 20% dos passageiros passaram a pegar duas conduções após a mudança, segundo a Secretaria municipal de Transportes —, alguns podem preferir o carro:

— Quando o passageiro vê dificuldades, escolhe o carro. Essa medida, que era para melhorar o tráfego, pode aumentar a quantidade de veículos — diz o especialista: — Os órgãos deveriam avaliar essas mudanças, ouvir o que os usuários têm a dizer. Pode ser que o sistema original seja melhor do que esse. Não há problema nenhum em admitir que erraram.

Sobre o esvaziamento das linhas, a SMTR justificou que “os ônibus estão oferecendo mais conforto aos passageiros e esse era um dos objetivos da racionalização”. Questionado, o RioÔnibus não comentou sobre a redução do número de passageiros, nem se isso prejudica financeiramente as empresas responsáveis.

O serviço das linhas 433, 434 e 464 foram divididos, segundo a secretaria. As linhas agora ligam os passageiros da Grande Tijuca à Lapa e quem quiser sair da Zona Norte para a Zona Sul pode usar os ônibus que passam pelos túneis Rebouças e Santa Bárbara, que são a 432 e a 435.

Ainda não foram divulgados relatórios oficiais com a quantidade de usuários das linhas encurtadas. A SMTR informou que os dados são gerados a cada 45 dias e os relatórios de dezembro — primeiro mês após o encurtamento das linhas 464, 433 e 434 — estarão disponíveis em fevereiro.

A secretaria informou, ainda, que 70% dos usuários já utilizam o Bilhete Único e que o cartão pode ser adquirido nas lojas RioCard, nas bilheterias do BRT, nas máquinas de autoatendimento e no site.

O Ministério Público do Estado do Rio informou que vai recorrer da decisão da Justiça, que indeferiu o pedido de liminar do órgão para impedir as alterações nos ônibus.
Falta de informação nos pontos de ônibus

Apesar de a racionalização das linhas que passam pela Zona Sul ter começado em outubro do ano passado, os usuários ainda dividem dúvidas nos pontos de ônibus. O estudante de Recife André Araújo, de 17 anos, que o diga. No Rio para fazer turismo, ele e a prima ficaram por mais de 40 minutos num ponto de Copacabana, Zona Sul do Rio, à espera do já extinto 511, que levava ao bairro da Urca. Culpa da placa do ponto, que ainda sugere o uso da linha.

— A gente não queria pegar táxi, mas já estava pensando em andar mais e pegar o metrô — disse André, que só desistiu de esperar após ser avisado pela equipe do EXTRA que seu ônibus não chegaria.

EXT CI - Rio, 27/01/2016, Linhas de ônibus encurtadas - Algumas linhas de ônibus tiveram seus trajetos encurtados, diminuindo o número de passageiros. Na foto, André e Aparecida no ponto de ônibus da Nossa Senhora de Copacabana, em Copa. Foto: Márcio Alves / Agência O Globo
EXT CI - Rio, 27/01/2016, Linhas de ônibus encurtadas - Algumas linhas de ônibus tiveram seus trajetos encurtados, diminuindo o número de passageiros. Na foto, André e Aparecida no ponto de ônibus da Nossa Senhora de Copacabana, em Copa. Foto: Márcio Alves / Agência O Globo Foto: Márcio Alves / Agência O Globo

Um motorista da linha 434, que não quis se identificar, diz que a falta de informação confunde os passageiros e sobrecarrega motoristas e trocadores, solicitados o tempo todo:
— Todo mundo para o motorista para perguntar, às vezes sobre linhas que eu nem conheço. Se a gente ficar dando informação o dia todo, nem dá para trabalhar mais.
A SMTR disse que a comunicação com o passageiro é responsabilidade do RioÔnibus.

Segundo o RioÔnibus, agentes de informação estiveram em 94 pontos de grande movimentação de passageiros, distribuindo 600 mil folhetos da semana anterior às mudanças até a semana seguinte. Cerca de 2.150 cartazes foram colados nos ônibus e em pontos de parada, e placas foram instaladas nos pontos finais das linhas alteradas. “Todas as informações em folhetos, cartazes e placas passam pela aprovação prévia da Secretaria Municipal de Transportes”, assim como os pontos e a quantidade de panfleteiros, informou o consórcio.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/linhas-de-onibus-encurtadas-pela-prefeitura-do-rio-circulam-quase-vazias-dizem-motoristas-despachantes-18575372.html#ixzz3yrJPhiwP

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Pelo menos 100 ônibus deixam de circular na Zona Oeste nesta segunda

24/01/2016 - O Dia

Empresas montam plano para assumir linhas da Algarve

GUSTAVO RIBEIRO

Rio - Pelo menos, 393 mil passageiros eram transportados por dia pela Viação Algarve, que operava na Zona Oeste e encerrou suas atividades na madrugada desta segunda-feira. A informação está relatório de operações de julho, último que consta no site da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR). O fechamento da empresa, que alega dificuldades financeiras, foi antecipado neste sábado pelo DIA.

A Viação Andorinha é uma das cinco empresas do Rio que encerraram as atividades desde o ano passado
Foto: Divulgação

Foi montado um plano de contingência e, segundo o Rio Ônibus (sindicato das empresas do setor), as demais companhias do Consórcio Santa Cruz, da qual a Algarve fazia parte, assumirão as linhas atingidas: 388, 750, 752, 754, 756, 759, 857, 858, 871, 872, 873, 881, 892, 2303, 2307, 2308, 2309, 2331 e LECD14. O Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sintraturb) estima, no entanto, que cerca de 100 veículos deixarão de circular na região.

“Quando uma empresa fecha, as outras do mesmo consórcio tiram dois ou três carros próprios de cada linha delas e colocam nas linhas afetadas”, explica Sebastião José da Silva, vice-presidente do Sintraturb-Rio. “Será uma operação capenga até normalizar. Os ônibus certamente terão intervalos maiores”, prevê.

O Rio Ônibus afirma que “as empresas do consórcio estão mobilizando sua frota para atuar em regime especial de operação.” Ainda segundo a instituição, o plano de contingência está sendo discutido com a SMTR para a reorganização das linhas. Desde o ano passado, a Algarve é a quinta empresa a encerrar atividades sob alegação de problemas financeiros. O Rio Ônibus informou ainda que a saída das cinco companhias representam necessidade de substituição de 450 veículos.

O vice-presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Dionísio Lins (PP), anunciou que vai realizar, após o recesso, audiência pública com representantes do Sintraturb, do Rio Ônibus e da Fetranspor (Federação das empresas). Ele quer averiguar o que levou ao fechamento da Algarve e de outras quatro empresas no ano passado, todas do grupo Breda Rio.

“A situação chegou a um ponto incontrolável. É preciso que haja subsídio do governo para evitar mais desemprego no setor”, diz o deputado.

O Sintraturb calcula que a Algarve tinha 462 funcionários. O Rio Ônibus informou que vai regularizar a situação dos empregados e que o consórcio deverá absorver parte dos demitidos. A SMTR informou que a responsabilidade de manter o transporte é do consórcio Santa Cruz e que a nova operação será detalhada hoje.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Mais duas linhas de ônibus serão extintas neste sábado; veja o que muda

20/01/2016 - O Dia

Alterações fazem parte do plano de racionalização das linhas que cortam a Zona Sul do Rio

GUSTAVO RIBEIRO

Rio - Nova etapa da racionalização dos ônibus que cortam a Zona Sul do Rio será iniciada neste sábado, 23 de janeiro. Três linhas serão atingidas: 548 (Alvorada Metrô Botafogo - via Av. das Américas / Jóquei - circular), 317 (Central x Alvorada - via Túnel Santa Bárbara - circular) e 957 (Maré x Alvorada - via Botafogo / Av. Sernambetiba).

A linha 548 só terá a numeração modificada para Integrada 3 (Alvorada x Metrô Botafogo - via Av. das Américas / Jardim Botânico - circular), mas o itinerário será mantido. As linhas 317 e 957 serão extintas.

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, a alternativa para os passageiros da 317 será a linha 309 (Alvorada x Central – via Botafogo/ Av. Sernambetiba); já para os passageiros da 957, a opção será a 955 (Maré xAlvorada – via Linha Amarela).

Ainda de acordo com o órgão da prefeitura, o objetivo das mudanças é reorganizar o sistema, garantir transporte público mais eficiente para a população, com diminuição no tempo de deslocamento e melhoria na fluidez do trânsito. Outras etapas devem ser implementadas até março

Rio: ônibus executivos têm aumento neste sábado; confira tarifas

 15/01/2015 - O Dia

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, reajuste de 11,56% é para preservar o equilíbrio financeiro do sistema

GUSTAVO RIBEIRO

Tarifas dos ônibus executivos sofrem reajuste
Foto: João Laet / Agência O Dia

Rio - As tarifas dos ônibus executivos da cidade do Rio, conhecidos como “frescões”, vão aumentar 11,56% neste sábado. A autorização do reajuste foi publicada no Diário Oficial do município nesta sexta-feira.

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, o aumento seguiu a mesma proporção do aplicado à tarifa do Bilhete Único Carioca. O cálculo teve como base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) fornecido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), considerando a variação percentual do último ano.

A prefeitura informou que o reajuste é respaldado na lei que instituiu o Bilhete Único Carioca, de julho de 2010, que dispõe acerca da preservação do equilíbrio-econômico financeiro do sistema. Para definição dos valores foi adotado o critério do arredondamento estatístico, considerando o intervalo de 5 centavos. A resolução entra em vigor a partir de 0h do dia 16 de janeiro.

A passagem dos ônibus convencionais também sofreu reajuste no início deste mês, passando de R$ 3,40 para R$ 3,80.

As novas tarifas

2014 GAVEA X RODOVIARIA R$ 11,00 
2015 CASTELO X LEBLON (CIRCULAR) R$ 11,00 
2017 RODOVIARIA X LEBLON (CIRCULAR) R$ 11,00 
2018 AEROPORTO INTERNACIONAL DO RJ X ALVORADA R$ 16,35 
2020 PENINSULA X RODOVIARIA R$ 16,35 
2101 AEROPORTO INTERNACIONAL X AEROPORTO SANTOS DUMONT R$ 14,30 
2110 GADERNIA AZUL X CASTELO R$ 14,30 
2111 PRACA SECA X CASTELO( VIA AV. MENEZES CORTES) R$ 16,35 
2112 TAQUARA X CASTELO (VIA LINHA AMARELA) R$ 16,35 
2114 FREGUESIA X CASTELO R$ 16,35 
2115 PECHINCHA X CASTELO (VIA ITANHANGA) R$ 16,35
2145 AEROPORTO INTERNACIONAL X AEROPORTO SANTOS DUMONT R$ 14,30 
2203 GRAJAU X CASTELO (CIRCULAR) R$ 11,00 
2251 ENGENHO DE DENTRO X CASTELO (EXPRESSO) R$ 11,00 
2295 PAVUNA X CASTELO R$ 14,30 
2302 MARIOPOLIS X CASTELO R$ 14,30 
2303 CESARAO X CARIOCA (VIA PALMARES E PRES.VARGAS) R$ 11,00 
2304 SEPETIBA X CARIOCA (VIA AV.PADRE G.DECAMINADA) R$ 16,35 
2305 JARDIM AMERICA X CASTELO R$ 11,00 
2307 JARDIM SETE DE ABRIL X CASTELO (VIA AV.P. VARGAS) R$ 16,35 
2308 COSMOS X CARIOCA R$ 11,00 
2309 URUCANIA X CARIOCA R$ 11,00 
2310 BANGU X CANDELARIA R$ 16,35 
2329 RECREIO X CASTELO (VIA AV.SERNAMBETIBA) R$ 16,35 
2330 RODOVIARIAXB.DA TIJUCA (L. AMARELA) CIRC. R$ 16,35 
2331 SANTA CRUZ X CASTELO (VIA PRACA MAUA) R$ 16,35 
2332 CAMPO GRANDE X CASTELO (VIA AV. SANTA CRUZ) R$ 16,35 
2332 SV - CAMPO GRANDE X CASTELO(V. AV.SANTA CRUZ/PCA.XV) R$ 16,35 
2333 RECREIO X CASTELO (VIA AV.DAS AMERICAS) R$ 16,35 
2333 SV - RECREIOXCASTELO(V.AV.DASAMERICAS/ GUIOMARNOVAES) R$ 16,35 
2334 CAMPO GRANDE X CASTELO (V.EST.DA ILHA E B. TIJUCA) R$ 16,35 
2334 SV - C.GRANDE X CASTELO (V.CACHAMORRA E B. TIJUCA) R$ 16,35 
2335 SANTA CRUZ X CASTELO (VIA BARRA DA TIJUCA) R$ 16,35 
2336 CAMPO GRANDE X CASTELO (VIA AV. BRASIL) R$ 16,35 
2337 SANTA CRUZ X CASTELO (VIA SEPETIBA) R$ 16,35 
2338 CAMPO GRANDE X CASTELO (VIA ESTRADA DO MAGARCA) R$ 16,35 
2339 CAMPO GRANDE X CASTELO(VIA ESTR. DA POSSE) R$ 16,35