segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Estação Rodoviária Mariano Procópio

No dia 22 de outubro de 1950, é assinado um termo de concessão por parte da União Federal, outorgando ao Touring Club do Brasil, a título precário, a administração da primeira estação rodoviária da cidade, que seria construída no local então ocupado por um posto do Corpo de Bombeiros, no prédio do Ministério da Justiça e Negócios Interiores. No dia 25 de março de 1950 a estação é inaugurada, com o nome Estação Rodoviária Mariano Procópio, em homenagem ao idealizador e construtor da estrada União e Indústria. 

Em 1956 o terminal atendia a 12 empresas de ônibus, com 9 bilheterias e 23 linhas interestaduais, com movimento diário médio de 1.250 passageiros ao longo de 1956. Em fins de 1965, pouco antes da inauguração da Rodoviária Novo Rio, o terminal contava com 46 empresas, 85 linhas e movimento anual de 7,92 milhões de passageiros. A Rodoviária Novo Rio entra em operação no dia 6 de dezembro de 1965.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Terminal da Pavuna

08/04/1983 - O Globo


Imagem em alta resolução  (1800 x 1163)

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Cascadura

Centro de conexão dos subúrbios

Mesmo antes da inauguração da estação de Cascadura da Estrada de Ferro Dom Pedro II,  em 1858, o local já era um importante ponto estratégico, por ser a bifurcação da Estrada de Santa Cruz para o caminho da Freguesia de Jacarepaguá. 

O local ganha maior notoriedade em 1861, com a inauguração do serviço de trens de subúrbio da E.F. Dom Pedro II, com um trem diário por sentido entre as estações da Côrte e Cascadura, sendo cada trem composto de 4 carros de 1ª classe, 2 de 2ª classe e 1 bagageiro. O trem saía da estação da Côrte às 17:15h. parando nas estações de São Cristóvão, São Francisco Xavier (inaugurada nesse mesmo dia), Engenho Novo e Cascadura, de onde retornava às 19:15h.

Após a inauguração da estação, começam a aparecer as primeiras casas e comércio, dando início a ocupação do atual bairro de Cascadura. 

Em 1867 o serviço de trens de subúrbio, com 4 trens diários por sentido, operava entre as estações da Corte, atual Dom Pedro II, e Sapopemba, atual Deodoro. Em 1869 a linha já operava com 6 trens por sentido. Em 1871 é inaugurado o primeiro trecho de via dupla da Estrada da Ferro, entre a Estação da Corte e Cascadura. O segundo trecho, até Deodoro, é entregue em 1875.


Estação de Cascadura no final do século XIX

Em 1889 o serviço de trens de subúrbio funcionava com as seguintes estações: Côrte, São Christóvão, São Francisco Xavier, Rocha, Riachuelo, Sampaio, Engenho Novo, Todos os Santos, Engenho de Dentro, Piedade, Cupertino, Cascadura e Sapopemba.

No dia 10 de setembro de 1873, através do decreto nº. 5399 é concedido o privilégio por 20 anos para construção de uma linha de carris de ferro de tração animada entre a estação de Cascadura da Estrada de Ferro Dom Pedro II e a Freguezia de Nossa Senhora do Loreto, em Jacarepaguá. No dia 23 de dezembro de 1875 , é inaugurado o primeiro trecho de linha de tração animal da Companhia Ferro-Carril de Jacarepaguá, com bitola de 1 metro, entre a estação de Cascadura da Estrada de Ferro Dom Pedro II e o Campinho, com 1.548 metros de extensão e frota de 2 bondes, que trafegam com velocidade média de 12 km/h. Através do decreto 5.966 de 8 de maio foi permitida o uso da tração a vapor, com o emprego do Perkins Railway Engine. Em 1881 a Companhia explorava duas linhas: Tanque - Cascadura e Tanque - Porta d'Água.

Em dezembro de 1909, a Companhia Ferro Carril Jacarepaguá, que ainda operava com bondes de traça animal,  contava em perfeito estado de conservação 14 carros para passageiros, dois carros para bagagem, e um para enterro, três vagões para cargas e aterro, dois "trolys" e duas carroças, além de 144 muares. A linha só foi eletrificada no final de 1912, pela nova concessionária, a Light. Em 1910, é concluída a eletrificação da linha de bonde de Cascadura para o Centro.

Em 1921, é inaugurada a primeira linha de omnibus da Viação Suburbana, de propriedade de Mario Bianchi, ligando Madureira ao Meyer, via Penha, passando por regiões não atendidas por bondes ou trem de subúrbio. Em 1928 a firma Mario Bianchi & Comp. contava com frota de 6 omnibus e duas linhas em operação: Cascadura – Freguezia e Madureira – Irajá, concorrendo também, em determinados trechos,  com os bondes elétricos da Light.

Em setembro de 1928, é inaugurada a linha de omnibus Cascadura – Realengo. No dia 6 de dezembro de 1929, na Prefeitura, o Sr. Joseph Wesley Fich, norte americano, proprietário das terras e da firma imobiliária Recreio dos Bandeirantes, que iniciava o processo de loteamento do bairro,  assina o termo de obrigação para estabelecer uma linha regular de omnibus automóveis entre o Palácio Monroe e o Recreio dos Bandeirantes, com o seguinte itinerário: Palácio Monroe, rua Evaristo da Veiga, rua do Riachuelo, rua Sant´Anna, rua Senador Euzebio, rua Mariz e Barros, rua São Francisco Xavier, rua 24 de Maio, passando em Engenho Novo, Engenho de Dentro, Cascadura, Campinho, Taquara, Vargem Grande, e Pontal de Sernambetiba, no Recreio dos Bandeirantes.  A linha, com viagens esporádicas ao empreendimento, teve vida curta, mas foi o serviço pioneiro da ligação Cascadura-Vargens-Recreio. 

Em 1929, a Viação Vera Cruz inaugura as linhas Cascadura-Marechal Hermes e Cascadura-Bangu.

Em 1931, é inaugurado o viaduto de Cascadura, erradicando a antiga passagem em nível da Avenida Suburbana, antiga Estrada de Santa Cruz, o principal eixo rodoviário dos subúrbios.


Viaduto de Cascadura em 1931

No dia 17 de agosto de 1931, a Prefeitura do Distrito Federal autoriza a operação das linhas de auto-omnibus Realengo-Largo do Mendanha, via Bangu, e da linha Estação de Cascadura – Largo da Barra da Tijuca, via estradas da Freguesia e da Barra. No dia 25 de junho de 1933 a Viação Primavera inaugura a linha  Cascadura – Sáenz Peña, via Avenida Suburbana, Meyer e Boulevard 28 de Setembro. Em 1937 a Viação Cruz de Malta explorava três linhas de ônibus entre Cascadura e a Praça Sáenz Peña, com itinerários diferentes.

No dia 2 de abril de 1941 a Viação Santa Helena inaugura a linha Cascadura-Meyer. Em meados de 1940, a Viação Tupi prolonga a linha Cascadura-Marechal Hermes até a Vila Militar. Em 1948 a Viação Universal inaugura as Linhas 74 (Lapa-Cascadura), via Meyer e Praça Sáenz Peña, e S-15 (Cascadura-Freguesia). 

Enfim, em poucos anos o bairro também se transforma em importante centro de conexão de linhas de ônibus, com rotas para praticamente todos os subúrbios.

Integração entre o trem de subúrbio e os bondes de Jacarepaguá em 1959

Complementando o serviço de ônibus, junto com o explosivo crescimento populacional da Cidade, na década de 1950 é inaugurada uma série de linhas de lotações, a partir de Cascadura, para Deodoro, Meyer, Penha, Vigário Geral, Freguesia (Viação Taquara), Fundação Casa Popular, Bangu, Praça Mauá, Andaraí, Praça XV, Irajá, Largo do Anil,  e Granja Paraíso.

Linha de Lotação Cascadura-Penha, inaugurada na década de 1950

No dia 30 de setembro de 1965, com a presença do Governador Carlos Lacerda, é inaugurada a linha de ônibus 261 (Madureira – Praça XV)  da CTC, via Avenida Suburbana, substituindo a antiga linha de bonde “Cascadura”, que na verdade tinha ponto final em Madureira. Em 1966 circula o último bonde entre Cascadura e Jacarepaguá.

Com a nova numeração das linhas de ônibus, implantada entre 1963 e 1964, as linhas de ônibus auxiliares da Zona Norte,  com ponto final em Cascadura ganham as dezenas entre 710 e 740:

712 Cascadura Irajá
714  Cascadura       Colégio
717 Cascadura Taquara
721 Cascadura Vila Cruzeiro
723 Cascadura Guadalupe
725 Cascadura Vila Pompéia
728 Cascadura Freguesia
728 Cascadura Acari
730 Cascadura Freguesia
732 Cascadura Pavuna
734 Cascadura Gardênia Azul
736 Cascadura Curicica
742 Cascadura Barata
744 Cascadura Jardim Novo
745 Cascadura Bangu
746 Cascadura Senador Camará
747 Cascadura Vargem Grande
748 Cascadura Barra da Tijuca
749 Cascadura Recreio dos Bandeirantes

Viaduto de Cascadura em 4 de janeiro de 1967

Em setembro de 1965, é inaugurada a "Estação Rodoviária de Cascadura", localizada na Praça Nossa Senhora do Amparo, com os pontos finais das seguintes linhas de ônibus:

257 Praça Mauá                                     Livre
258 Lapa                                                Arcoense
667 Meyer                                         Estrela de Ouro
748 Barra da Tijuca                               Cisiotar
734 Gardênia Azul                                 Cisiotar
747 Vargem Grande        Unidos Oswaldo Cruz
749 Recreio dos Bandeirantes         Unidos Oswaldo Cruz
723 Guadalupe                                       Castelmeier
745 Bangu                                              Princeza 
736 Curicica                                           Ocidental
730 Freguesia                                         
744 Jardim Novo                                    Bangu 
717 Taquara                                            Ocidental
Cascadura – Nilópolis                              
Cascadura – Nova Iguaçu                           




No dia 29 de dezembro de 1966 são inauguradas as linhas E-18 (Cascadura-Taquara) e E-20 (Cascadura-Freguesia) de ônibus elétrico da CTC. O último trólebus circula no bairro em 1971



Terminal da Praça José de Souza Marques em 1972

No dia 24 de outubro de 2005, início da integração tarifária do trem de subúrbio com 115 linhas de ônibus convencionais, nas estações do Meyer, Madureira e Cascadura. O sistema de integração trem-ônibus, que até então contava com 57 linhas integradas, transportando cerca de 20 mil passageiros/dia, passa a contar com 172 linhas integradas com bilhetagem eletrônica temporal, através do Cartão de Integração.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Eden

Empresa de Transportes Eden Ltda.

Empresa de lotações formada na década de 1950. Inicou suas operações com a Linha Água Santa – Candelária, via rua 24 de Maio, sendo a empresa pioneira na ligação do bairro de Água Santa ao Centro da cidade. Sua garagem localizava-se na rua Dias da Cruz, 928-34. 

Gazeta de Notícias, 22/06/1955


REFERÊNCIAS:

“Empresa de Transporte Eden Ltda.”. Gazeta de Notícias. 1955, junho, 22. Página 5.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Cabuçu

Auto Viação Cabuçu Ltda.


Um Cermava 1963 na Linha 254 da Auto Viação Cabuçu Ltda. em agosto de 1966, no viaduto da rua Luís Carlos em Todos os Santos. Com o fim da Cabuçu em 1968 a linha é repassada pra Acari. Antes da Cabuçu a linha era explorada com lotações.

REFERÊNCIAS:

Trânsito prende nove em blitz contra velocidade”. Correio da Manhã, 1966, julho, 14. Primeiro Caderno, página 3. 

Acesso aos subúrbios está difícil e cheio de perigos” Jornal do Brasil. 1966, agosto, 12. Primeiro Caderno, página 15.


Pégaso

Expresso Pégaso Ltda.

Em 1966 é realizada apenas uma concorrência para adjudicação de uma nova linha de ônibus no sistema municipal de ônibus do Rio de Janeiro. A concorrência é vencida pela empresa Expresso Pégaso, que no dia 29 agosto de 1966, com frota de 6 ônibus rodoviários, inaugura a  linha Praça Mauá - Santa Cruz, via Avenida Brasil, inaugurando também a operação da empresa. O bairro de Santa Cruz, que até então, era atendido para o Centro  somente pelo trem suburbano, ganhava sua primeira linha de ônibus com acesso direto ao centro da cidade. O tempo de viagem era de 1h30, com tarifa de 940 cruzeiros, a mais cara da cidade. O itinerário seguia pela Avenida Brasil, Estrada do Mendanha, Campo Grande e Santa Cruz. A frota era composta por ônibus Mercedes LPO, com capacidade para 40 passageiros,  o mesmo tipo de veículos das linhas interestaduais, sem trocador, sendo proibido passageiros em pé.

O serviço de ônibus especiais foi criado no dia 11 de março de 1966, através do Decreto nº 1.042,   estabelecendo o uso de veículos com capacidade mínima para 36 passageiros sentados. Já no dia 19 de abril de 1966 são abertas as propostas para a operação das duas primeiras linhas especiais, a Mauá-Santa Cruz e Mauá-Campo Grande, ambas via Avenida Brasil.

No dia 30 de janeiro de 1972, a Pégaso inaugura a linha Base Aérea de Santa Cruz – Aeroporto de Santos Dumont, via Rodovia Rio-Santos.

Carro Ciferal Lider da Linha Campo Grande - Aeroporto Santos Dumont 


Em agosto de 1974 a empresa inaugura a segunda linha de ônibus especial com ar-condicionado da cidade, a linha de "frescão" Campo Grande - Castelo.

Os primeiros "frescões" da Pégaso, modelo Marcopolo II

Em setembro de 1974, a Pégaso, recebe autorização para o início da operação da Linha 399 (Santa Cruz  - Tiradentes), sua primeira linha de ônibus convencional, inaugurada no ano seguinte.

O ano de 1983 marca a extinção da maioria das linhas especiais com ar-condicionado -“frescões”- da zona norte. O espaço vago deixado  pelas linhas no terminal Menezes Cortes passa a ser ocupado, em parte, pelas linhas especiais sem ar-condicionado da  Expresso Pégaso, cujos pontos finais de suas 4 linhas são transferidos do Aeroporto Santos Dumont e da  Praça Mauá. 

Em novembro de 1987, a frota da linha 387 (Restinga de Marambaia-Praça Mauá), da Expresso Pégaso, é reduzida de 6 para 3 ônibus, em função da abertura da linha 382 (Grota Funda-Mauá), autorizada no início do mês de novembro, pela Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

Em 1995, criação da Transportes Zona Oeste, após cisão da Expresso Pégaso.

Em maio de 2005, reativação da linha 1133 (Castelo-Recreio), com frota de 15 novos micro-ônibus.

No dia 5 de fevereiro de 2007,  início da operação da linha de integração metrô-ônibus Pan-07 -  Metrô Siqueira Campos – Barra da Tijuca, com tarifa de R$ 3,  operada pelas empresas Jabour, Real, Amigos Unidos, Pégaso  e  Redentor, com 4 carros com ar-condicionado por empresa, totalizando 20 carros.

Em meados de junho de 2007, a  Expresso Pégaso inicia a operação dos novos ônibus Marcopolo Torino com chassi alongado, motor dianteiro e suspensão deficiente  na linhas S-20 (Carioca-Recreio). 

No dia primeiro de junho de 2014, início das atividades da Expresso Recreio, com duas linhas executivas adquiridas da Expresso Pégaso: 2329 e 2333.

No dia 23 de junho de 2015, início da operação da Auto Viação Palmares, uma cisão da Expresso Pégaso Ltda.  Começa a operação com a linha 869 (Campo Grande – Santa Margarida). 


REFERÊNCIAS:

Santos Dumont - Santa Cruz, via Barra, um ônibus de turismo e de trabalho”. O Globo. 1973.

Uma colisão violenta”. O Globo. 1976, janeiro, 2. Primeira página.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Auto Diesel (1957-2010)

Posto Auto Diesel Ltda.


Entre 1956 e 1957 a empresa inicia suas operações com a linha 200 (Castelo-Marechal Hermes), transferida,  da Transportes Paranapuan, incluindo os respectivos ônibus usados. 

Sua garagem, situada junto ao posto de gasolina que deu nome à empresa, localizava-se na rua Capitão Pires, esquina da Estrada João Vicente, em Bento Ribeiro. A mesma garagem, que após a extinção da empresa, décadas depois, será aproveitada pela Viação Vila Real.

No dia 6 de junho de 1957, a empresa Auto Diesel inaugura a linha 210 (Anchieta – Castelo), renumerada para 384 em 1964. Por volta de 1958, opera com “papa-filas” na linha Castelo-Marechal Hermes.



Linha 210 (Castelo-Anchieta), a segunda linha da empresa, inaugurada em 6 de junho de 1957, passando sob o viaduto ferroviário da Avenida Francisco Bicalho, por volta de 1959.



No segundo semestre de 1978 a Auto Diesel adquire os primeiros modelos Ciferal Tocantins, recém lançados.


No dia 5 de novembro de 1982, a Auto Diesel inaugura a Linha Guadalupe – Castelo, beneficiando principalmente os moradores do bairro de Guadalupe que dependiam das linhas de ônibus dos demais bairros que já passavam lotadas e ainda com tarifas mais caras.

Em setembro de 1987, a Auto Diesel inicia a operação de ônibus articulados nas linhas 497 e 498. Em novembro do mesmo ano a Linha 484 (Penha – Copacabana) é reativada pela empresa.

No dia 12 de novembro de 1990, a Auto Diesel inaugura a linha especial 1094 (Castelo – Vila Valqueire), via Avenida Brasil.

Em 1990, a Auto Diesel compra a Viação Paraense, assumindo a operação das linhas 274, 484 e 485.

Em 1995 a Breda, iniciando sua atuação no sistema municipal de ônibus, compra algumas linhas da Auto Diesel.

No dia 6 de novembro de 2010, começam a valer as regras do novo sistema de transporte municipal por ônibus, definidas na licitação. Com o início da operação do novo sistema, são extintas as seguintes empresas de ônibus: Breda, Auto Diesel, Erig, Amigos Unidos, Feital, Zona Oeste e Top Rio. As mesmas empresas também não participaram do processo licitatório.



REFERÊNCIAS:

Ônibus incendiado na Avenida Brasil”. Luta Democrática. 1956, julho, 1. Página 10.

Gracioso Trocador”. Última Hora. 1957, junho, 19. Página 12.

Mascarados assaltaram a emprêsa de ônibus”. Luta Democrática. 1966, agosto, 14. Página 8.

"Ônibus arrancou poste vitimando 15 pessoas”. Luta Democrática. 1967, fevereiro, 14. Página 2.


13/02/2018, Marcelo Almirante