quinta-feira, 14 de maio de 2015

Rio tem projeto para integrar Região Metropolitana com BRTs

14/05/2015 -  O Globo

Modal mais barato que o metrô e com construção mais veloz, o BRT vai integrar a Região Metropolitana do Rio. Pelo menos esse é o plano do secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio. O projeto — otimista, segundo ele mesmo — é fazer quatro corredores na Baixada (na Via Light, na Rodovia Presidente Dutra, na Rodovia Washington Luís e na futura Transbaixada) e dois no Leste Fluminense (no trajeto que antes seria da Linha 3 do metrô e na RJ-104, a Niterói-Manilha).

O projeto está em estudo e faz parte do Plano Diretor de Transporte Urbano do estado, que será apresentado, nesta quinta-feira, aos secretários dos municípios da Região Metropolitana. Nesta quarta, Osorio falou sobre ele no seminário "Rio Metropolitano: desafios compartilhados", em Nova Iguaçu, na Baixada.

— O objetivo é que o estado faça o papel de integrar os municípios. Na Baixada, a espinha dorsal do sistema de transporte é o trem. Estamos investindo em composições novas e na renovação da via férrea. Os BRTs vão complementar a rede — explicou o secretário.

No evento, a diretora de Mobilidade Urbana da Fetranspor, Richele Cabral, disse que o projeto da federação incluiu BRTs na Ponte Rio-Niterói, no Arco Metropolitano, na Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106) e na BR-101:

— Um ônibus articulado tira três normais de circulação.

Os palestrantes lembraram que é preciso parar de priorizar o transporte individual.

— Houve aumento de 20% na taxa de motorização em cinco anos. Isso afeta o meio ambiente e a saúde pública. É preciso investir em transporte público, e isso não pode virar somente uma questão política — afirmou Clarisse Linke, diretora do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento.

Para o especialista em Competitividade Industrial e Investimentos do Sistema Firjan, Riley Rodrigues, a solução para a mobilidade urbana vai muito além:

— Ela passa pelo reordenamento da Região Metropolitana, com melhor distribuição de funções urbanas, como emprego, saúde, educação, entre outras.

Contratos seriam alongados em troca de obras

Para driblar a crise financeira que assola o país, o governo do estado propôs ao federal que as concessionárias responsáveis pela Rodovia Presidente Dutra, pela Rodovia Washington Luís e pela BR-101 invistam seus próprios recursos em obras de melhoria das vias. Em contrapartida, os contratos de concessão seriam prolongados. A proposta ainda não recebeu aval da União.

— Estamos pleiteando obras no valor de R$ 3 bilhões. Como o governo federal está sem recursos para fazer esses investimentos agora, é uma forma de não ficar parado. Os projetos executivos estão prontos. Se recebermos o aval, em menos de um mês podemos começar os trabalhos — afirmou Osorio.

De acordo com o secretário, esses projetos incluem alargamento de pistas, construção de acessos aos municípios que ficam na beira dessas vias e novas passarelas.

Outra proposta, que não depende do governo federal por se tratar de um trecho estadual, é levar a Via Light até a Avenida Brasil. Dessa forma, o BRT poderá se conectar com corredor Transbrasil. Osorio não deu prazo para a realização da obra.

Fique por dentro

Próximos encontros - O terceiro seminário do ciclo "Rio Metropolitano: Desafios Compartilhados" terá a Segurança Pública como tema. Ele será realizado na próxima quarta, em Niterói. No dia 28 de maio, o encontro debaterá a Saúde, em São Gonçalo. Para fechar, haverá uma reunião no dia 1º de junho, no auditório da Firjan, no Centro do Rio.

Transmissão - Os encontros serão transmitidos pelo site Vozerio, no endereço vozerio.org.br.

Projeto - A iniciativa é da Câmara Metropolitana de Integração Governamental e do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (IETS), com apoio da Firjan e do EXTRA.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Terminal João Goulart sofre com quase o triplo de ônibus e rodoviários vão à Justiça contra multas

Cerca de 550 mil pessoas passam todos os dias pelo espaço, por onde transitam 1.681 coletivos

POR PAULO ROBERTO ARAÚJO

04/05/2015 - O Globo
 
NITERÓI - Lotação esgotada no maior terminal rodoviário da América Latina. Vinte e um anos depois de inaugurado, o Terminal João Goulart, no Centro, está completamente saturado e suas plataformas, construídas para receber diariamente 600 ônibus municipais e intermunicipais, não são suficientes para as operações de embarque e desembarque dos atuais 1.681 coletivos. Com o transtorno frequente, os passageiros dos ônibus são os mais prejudicados com a confusão, principalmente na hora do rush, pela manhã e no início da noite, quando a falta de espaço provoca desordem, atrasos e conflitos entre usuários, rodoviários e agentes de trânsito. Pelo terminal passam cerca de 550 mil pessoas por dia.

O caos no João Goulart vai parar na Justiça do Trabalho nesta segunda-feira. Revoltados com as multas aplicadas por agentes da Niterói Transporte e Trânsito (NitTrans) e da Superintendência de Terminais de Niterói (Suten), o Sindicato dos Rodoviários está denunciando os dois órgãos ao Ministério Público do Trabalho. Na queixa, os rodoviários informam que estão sendo multados por obstrução das vias e argumentam que não são responsáveis pelo caos causado pela superlotação do terminal.

— Como não encontram soluções para resolver o problema do terminal, resolveram multar os motoristas num local onde não cabe multa porque o João Goulart é um espaço restrito, não é uma via pública. Os rodoviários estão revoltados e já ameaçam fazer uma greve se o problema não for resolvido. O terminal tem que ser ampliado com urgência — cobrou o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Rubens dos Santos Oliveira, acrescentando que já mandou ofícios ao prefeito Rodrigo Neves e ao presidente da NitTrans, coronel Paulo Afonso, pedindo solução para o problema das multas.




As multas começaram a ser aplicadas pelos agentes de trânsito em 2011. Até agora, cerca de 300 motoristas já sofreram sanções. Cada um está sujeito ao pagamento de multa de R$ 191,50, além de perder sete pontos na carteira de habilitação. Do João Goulart partem ônibus para bairros de Niterói, São Gonçalo, Rio, Baixada Fluminense e para municípios da Região dos Lagos.

— Fui multado porque fiquei menos de três minutos na fila dupla para desembarcar os passageiros. Não poderia largá-los no meio do caminho. Fui desrespeitado, vítima de um absurdo — indignou-se o motorista Valdinei Sigmaringa da Cruz, de 47 anos.

Para tentar amenizar o caos, as empresas de ônibus escolhem seus funcionários mais experientes para coordenarem as operações de embarque e desembarque no terminal. Eles contam que existem linhas que sequer têm baias nas plataformas e há casos em que sete delas usam apenas duas baias.

 
— Houve um aumento explosivo de usuários quando começou o bilhete único e, depois, com a redução vans. A dificuldade de mobilidade também contribuiu porque são necessários mais ônibus para atender à demanda. Somente a linha 515 (Niterói-Mutuá) transporta 20 mil passageiros por dia, o triplo de 20 anos atrás — explica José Carlos Teixeira da Mota, rodoviário há 29 anos e há 15 atuando no João Goulart.

O vigilante Sérgio Renato Corrêa de Souza, que passa pelo terminal há mais de dez anos, diz que já cansou de testemunhar brigas e discussões:

— Na hora do pico, depois das 17h, os ônibus não conseguem chegar ao ponto porque são bloqueados por outros que estão embarcando ou desembarcando passageiros no meio da pista. É confusão todo dia porque são muitos ônibus para pouco espaço.

O despachante Ronaldo Corrêa conta que o horário crítico do terminal é entre 17h e 20h:

— Os ônibus costumam ficar retidos em "pontos negros", como a Praça do Barreto, onde os sinais demoram quatro minutos para abrir, e em vias de mão dupla, como a Mário Vianna (em Santa Rosa) e a Desembargador Lima Castro (no Fonseca). Por causa disso, chegam todos juntos, e os motoristas não podem deixar os passageiros longe das plataformas.

No ano passado, o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários (Setrerj) entregou à Suten o projeto para ampliação do Terminal João Goulart, separando as plataformas de embarque e de desembarque.

— Além de prejudicar os rodoviários, os passageiros são sacrificados com a demora no embarque e no desembarque e com a consequente confusão nas plataformas por causa do espaço reduzido. Nós recebemos muitas reclamações de usuários, mas não temos responsabilidade na administração do terminal. A redução do número de ônibus também é impossível porque a frota é compatível com a demanda de passageiros — avalia Márcio Barbosa, superintendente do Setrerj.

 
ADMINISTRADORA JÁ PEDIU AMPLIAÇÃO

A Teroni Terminais Rodoviários, que tem a concessão para administrar o terminal, informou que solicitou a ampliação há mais de três anos, mas ainda não obteve resposta da prefeitura. Para amenizar o caos, a empresa criou, com seus recursos, uma área nos fundos do João Goulart para estacionamento de ônibus quando houver excesso deles nas plataformas. Também abriu uma área para os veículos da Viação 1001 que ligam Niterói à Região dos Lagos. A empresa esclareceu ainda que seus funcionários não têm poder de multa.

A prefeitura de Niterói informou, através de nota, que os motoristas são multados no interior do terminal por bloqueio indevido de vias, desobediência e falta de respeito com as autoridades credenciadas de trânsito (ofensas, ameaças e o não uso do cinto de segurança). Os motoristas infratores que se sentirem injustiçados podem impetrar recurso junto à NitTrans.

Ainda segundo a nota, o município tem planos para fazer melhorias no Centro de Niterói e no João Goulart: "Algumas medidas já estão sendo tomadas: remanejamento de todos os fiscais de pista para melhor organização dentro das baias do terminal, além do stand by (área de espera), que é fundamental para o funcionamento do terminal. Vale ressaltar que outros projetos estão sendo elaborados para melhoras futuras".

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/bairros/terminal-joao-goulart-sofre-com-quase-triplo-de-onibus-rodoviarios-vao-justica-contra-multas-16030727#ixzz3ZClL07Kx 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Novo sistema de monitoramento vai gerenciar ônibus intermunicipais no Rio

30/04/2015 - Agência Brasil

A partir de julho, os 13 mil ônibus intermunicipais que circulam em todo o estado do Rio vão ser acompanhados em tempo real por um sistema de tecnologia avançada. O anúncio foi feito pelo Departamento Estadual de Transportes Rodoviários (Detro). O Sistema de Inteligência e Monitoramento (SIM) já foi testado nas vans que fazem o transporte complementar e custou R$ 3 milhões aos cofres do estado.

O principal objetivo do SIM é verificar se os itinerários e as grades de viagens de veículos estão sendo cumpridos. Além disso, o sistema vai permitir maior repressão aos casos de excesso de velocidade cometidos pelos motoristas visando também evitar acidentes.

Segundo o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, há possibilidade de criação de um centro de controle que vai integrar os trens, barcas e metrô, para ter um controle sobre o que acontece em termos de transporte na região metropolitana do Rio. Ele destacou que uma das vantagens do sistema é o registro do tempo em que os ônibus ficam parados em cada local. A partir dessas informações, fica mais fácil para o Detro apurar as irregularidades e os casos em que os motoristas deixam de parar nos pontos de ônibus.

O monitoramento também permitirá a confirmação de que as exigências feitas nas licitações serão cumpridas e desencadear fiscalizações ou outras ações imediatas nos casos em que as empresas não respeitem as regras de transportes de passageiros.

De acordo como secretário, o sistema é uma nova maneira de gerenciar o transporte de passageiros. "É uma nova era na fiscalização e no sistema de transporte rodoviário do Rio. Nós teremos um sistema que vai tratar as informações, apontar irregularidades e que dará indicadores de qualidade para que o Detro e sua fiscalização possam autuar os operadores de transporte. O objetivo é garantir a melhoria ao passageiro e a qualidade do serviço."

O sistema vai ser implantado de forma gradativa. Na próxima fase, a partir de julho, 2,3 mil ônibus passam a ser monitorados. Até o fim deste ano, o sistema abrangerá mais de 1,1 mil linhas de ônibus intermunicipais que operam no estado do Rio. A tecnologia busca atingir os padrões adequados. Para isso, será criado um aplicativo no celular pelo qual o usuário poderá interagir com o Detro, enviando reclamações que serão verificadas pelo sistema. Se a irregularidade for constatada, a empresa será autuada.

Osório disse que os usuários só vão notar os benefícios do novo sistema ao longo do tempo, pois os ônibus se tornarão mais regulares, terão o itinerário mantido. Com isso, disse o secretário, as reclamações vão diminuir.
Fonte: Agência Brasil

segunda-feira, 27 de abril de 2015

BRT: Avenida Brasil tem mais uma interdição

Obras para implantar corredor bloqueiam faixa na Penha, até 11 de junho

POR O GLOBO

27/04/2015 - O Globo


Um dos trechos interditados na Avenida Brasil - Eduardo Naddar - 08/03/2015 / Agência O Globo

RIO - As obras para a implantação do BRT Transbrasil provocarão mais mudanças no tráfego a partir de hoje, e até 11 de junho, na Penha. De acordo com informações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), ficará bloqueada uma faixa da pista lateral da Avenida Brasil (junto ao canteiro), no sentido Centro, entre a Rua Timboim e a passarela 16. Nesse período, os operários vão trabalhar na melhoria da rede de drenagem da região. A orientação do trânsito será feita por operadores contratados pelo consórcio que executa o projeto.

As intervenções para implantar o Transbrasil serão feitas por etapas nos próximos anos. Na fase em execução, elas se concentram entre o Caju e Deodoro, onde o corredor viário fará integração com o BRT Transolímpico (Barra-Deodoro). As obras começaram em janeiro, no trecho de Manguinhos, com a interdição de duas faixas de trânsito, no sentido Zona Oeste.

A previsão é que o corredor viário, com 32 quilômetros de extensão, seja inaugurado até o início de 2017. Estima-se que 700 mil pessoas utilizem o serviço diariamente. Além de se integrar com o BRT Transolímpico, o Transbrasil terá conexão com o BRT Transcarioca (Barra-Aeroporto Tom Jobim). A expansão do BRT Transbrasil até Santa Cruz, onde deve se integrar com o Transoeste, ainda não tem data para sair do papel nem orçamento.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/brt-avenida-brasil-tem-mais-uma-interdicao-15983270#ixzz3YYGWs9JV 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Kombi é flagrada levando homem dentro do porta-malas na Praia da Bica, na Ilha do Governador

Veículo superlotado fazia transporte de passageiros sem autorização. Segundo leitor, irregularidades são recorrentes

POR O GLOBO, COM INFORMAÇÕES DE LEITOR

27/04/2015 - O Globo


Homem dentro de porta-malas em kombi pirata na Ilha: série de irregularidades - Foto de leitor / Eu-Repórter

RIO — Um morador da Ilha do Governador, que não quis se identificar, flagrou uma situação perigosa que, segundo ele, é recorrente no bairro: uma Kombi que fazia transporte de passageiros carregava um homem dentro do porta-malas, na Praia da Bica. De acordo com a denúncia, ele seria um "cobrador" que, para não ocupar o lugar de um passageiro, usava o compartimento até a Kombi voltar a ter espaço. O leitor alerta que, além de ilegal, a prática eleva a chance de acidentes.

— E se a porta abre de repente? O cobrador se machuca e o motorista que estiver atrás também. Pode acontecer uma tragédia. É uma irresponsabilidade isso que eles fazem, e ninguém fiscaliza, ninguém pune. Parece que acham isso normal — critica.

As irregularidades, no entanto, não param aqui. Segundo a Coordenadoria Especial de Transporte Complementar (CETC), da prefeitura do Rio, a Kombi é pirata, ou seja, não tinha autorização para atuar no transporte de passageiros. O órgão informou que o permissionário já foi identificado e seria chamado para prestar esclarecimentos.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/eu-reporter/kombi-flagrada-levando-homem-dentro-do-porta-malas-na-praia-da-bica-na-ilha-do-governador-15969150#ixzz3YWEfvwZj 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Perfuração do túnel da TransOceânica inicia em maio

17/04/2015 - O Fluminense

Pedro Conforte 

Prefeito Rodrigo Neves anunciou escavação da ligação Charitas-Cafubá durante posse do ex-reitor da UFF, Roberto Salles, como secretário de Governo

Tomou posse ontem o novo secretário de Governo de Niterói, o professor e ex-reitor da Universidade Federal Fluminense (UFF) Roberto de Souza Salles. Durante a cerimônia que aconteceu no Solar do Jambeiro, no Ingá, ele afirmou que pretende se reunir nos próximos dias com José Henrique Paim, diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para captar recursos para reforma do Cinema Icaraí. O prefeito Rodrigo Neves também aproveitou o momento para anunciar que a perfuração do túnel da TransOceânica começa no próximo mês.

Todas as autoridades presentes foram unânimes em dizer que a presença do professor no alto escalão do poder municipal, estreita ainda mais a relação entre a universidade e a prefeitura. "Tenho esperança e convicção que ele [Roberto Salles] vai nos ajudar nesta aproximação junto à UFF. Estamos conversando, mas a tarefa é árdua. Roberto veio para colocar este diálogo no caminho certo", afirmou o vice-prefeito Axel Grael.

O prefeito lembrou que Roberto Salles é mais um gestor em sua equipe, já que o professor não é filado a partido político.

"Trouxe pessoas que não tem ligações com política, como o próprio Axel, que mesmo sendo filado ao PV, nunca concorreu a nada. A sua [Roberto Salles] experiência bem sucedida à frente da UFF vai agregar muito. Temos o sonho de transformar Niterói na melhor cidade para se viver", declarou o Rodrigo Neves, que agradeceu o trabalho feito pelo ex-secretário Rivo Gianini.

Rodrigo destacou ainda sobre obras futuras. "Em maio começamos a perfurar o túnel da TransOceânica. Além disso, temos o objetivo de em 2016 ter universalizado o tratamento de esgoto em Niterói". 

O mais novo secretário falou que se considera mais uma gota no oceano que é a equipe da Prefeitura e que pretende somar no desenvolvimento da cidade e do bem-estar da população.

"Em um primeiro momento fiquei surpreso com o convite para ser secretário, mas depois percebi que posso oferecer muito para a população de Niterói. Irei dialogar com todas as universidades, tanto públicas quanto privadas, já que boa parte da população da cidade é de alunos. Niterói tem talento para ser uma cidade da educação", afirmou o professor Roberto Salles.

Ele pontuou ainda que entre os seus primeiros passos está organizar uma reunião entre a UFF, a prefeitura e o BNDES, para a reforma do Cinema Icaraí, previsto para se tornar um centro cultural, mas que está sem previsão de voltar às atividades. Segundo Roberto, o diretor Paim se comprometeu em apoiar esta articulação. Além disso, ele irá percorrer todas as instituições de ensino superior para ver quais são suas situações.

Estiveram presentes também o deputado estadual Waldeck Carneiro (PT), o atual reitor da UFF, Sidney Mello, o reitor da Unilasalle, Jaderlino Menegat, o diretor do BDNES Jorge Henrique Paim, além de vereadores, secretários e representantes de instituições de ensino.

Mudanças também da Secretaria de Meio Ambiente e na Câmara

O prefeito Rodrigo Neves também apresentou ontem o novo secretário municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade, Tiago Loback. Ele substitui Daniel Marques, que reassumiu seu cargo de vereador. Loback será empossado hoje.

O prefeito comentou a substituição e destacou que a área ambiental tem sido uma das prioridades da gestão.

"Durante esses dois anos, Tiago foi subsecretário do Meio Ambiente e junto com o agora vereador, Daniel Marques, fez um belíssimo trabalho que mudou completamente a agenda ambiental de Niterói. Eu acredito que o Tiago vai consolidar aquilo que o Daniel plantou e avançando ainda mais com a agenda ambiental", disse.

Tiago é advogado e trabalhou dois anos na Corregedoria Tributária de Controle Externo do Estado. Há dois anos, ele recebeu o convite de Daniel Marques para compor a equipe da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

"Eu quero agradecer primeiramente à confiança do prefeito Rodrigo Neves, o apoio do vice-prefeito e do Partido Verde. Vou dar continuidade aos projetos que a secretaria tem encaminhado, fortalecer o governo com trabalho e com toda minha experiência de gestão pública", afirmou Tiago.

Câmara – O vereador Daniel Marques (PV) retornou à Câmara ontem para cumprir seu mandato. Com a chegada de Daniel, o suplente Jayme Suzuki (PSC) deixou a Casa.

Antes da sessão, com a presença da secretária-executiva da Prefeitura, Maria Célia Vasconcellos, o vereador recebeu amigos, familiares, colegas vereadores e correligionários do PV e da Secretaria de Meio Ambiente no Gabinete da Presidência da Câmara. Na avaliação do presidente Paulo Bagueira (SDD) a passagem pelo Executivo foi positiva ao jovem vereador.

"O Daniel vem para o Legislativo agora trazendo o olhar de Executivo, a função se inverte. É a mesma experiência vivida pelo vereador Bira Marques, isso faz com que o vereador tenha outra visão do que é gestão pública", disse Bagueira.

Daniel Marques destacou a experiência de sentar "do outro lado do balcão". "Cumprimos nosso objetivo dentro do possível. Tiramos a Secretaria do ostracismo, fomentamos o debate e a reflexão", contou Marques.


O Fluminense

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Nova Iguaçu: após licitação de ônibus, Via Light ganhará BRT

16/04/2015 - Extra - RJ

As empresas vencedoras da licitação do transporte coletivo em Nova Iguaçu terão que pagar R$ 242 milhões para explorar o serviço por 25 anos. Ontem, a prefeitura divulgou a nova padronização dos ônibus, com as cores correspondentes aos terminais a que pertencem. Serão, ao todo, cinco terminais, a serem construídos pelas empresas vencedoras da licitação. Além disso, cada um contará com um símbolo.

— É importante os terminais serem padronizados, com símbolos e cores, já que existem passageiros que não sabem ler ou são daltônicos — explica o secretário municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana, Rubens Borborema.

A licitação dividirá Nova Iguaçu em dois lotes: Norte (1), no valor de R$ 133,6 milhões, e Sul (2), no valor de R$ 108,437milhões.

— O lote 1 terá 41 linhas. Já no lote 2 serão 42 linhas. Ainda não posso afirmar quantas linhas serão extintas e quantas serão criadas, mas isso acontecerá — destaca Borborema.

Além de melhorar o transporte, a licitação tem como objetivo ajudar a implementar os sistemas de BRS e BRT. Os envelopes com as propostas serão abertos no dia 18 de maio:

— A Via Light vai receber um corredor expresso, um BRT. Outros locais como Avenida Marechal Floriano e a Rua Dom Walmor também, mas isso vai ser discutido com as empresas.