sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Tarifa de ônibus intermunicipal e Bilhete Único terão aumento de 6,56% a partir de janeiro

18/12/2014 - O Globo

Anúncio foi feito pelo governador Luiz Fernando Pezão. Passagens de ônibus das linhas municipais também sofrerão reajuste

POR ALESSANDRO LO-BIANCO E GISELLE OUCHANA

Tarifa de ônibus municipais e intermunicipais terão reajuste no início do ano: Bilhete Único também sofrerá aumento - Fabiano Rocha / Agência O Globo (13/01/2014)

RIO — As passagens de ônibus intermunicipais serão reajustadas a partir de janeiro em 6,56%, que corresponde à inflação medida pelo IPCA entre dezembro de 2013 e novembro de 2014. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) durante a inauguração da 48ª DP (Seropédica). De acordo com o Departamento de Transportes Rodoviários (Detro), o Bilhete Único, que hoje custa R$ 5,25, também será reajustado, mas o valor exato e o dia em que a nova tarifa entrará em vigor só serão divulgados após a publicação em Diário Oficial. Se for aplicado o percentual integral, o Bilhete Único passará para R$ 5,59.

NOVOS SECRETÁRIOS

Durante o evento, Pezão também anunciou dois nomes que ocuparão secretarias em seu governo a partir de 2015. Gustavo Tutuca voltará à pasta de Ciência e Tecnologia, e Tereza Cosentino assumirá a de Assistência Social.

Gustavo Reis Ferreira, o "Gustavo Tutuca", é deputado estadual e nasceu em Piraí, cidade natal do governador. Como secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Tutuca implantou em sua gestão o projeto de lei que institui plano de cargos e salários de todas as instituições vinculadas à secretaria. A economista Tereza Cosentino, por sua vez, foi diretora de inclusão social do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), onde trabalhou com projetos de proteção a crianças e adolescentes em situação de risco.

O governador também anunciou a construção da "TransMartinazzo" e da "TransBornier", estradas que ligarão o Arco Metropolitano à Avenida Brasil.

— Em breve, começaremos a tirar esta obra do papel, fazer as desapropriações, e investir na construção da TransMartinazzo — assegurou Pezão.

Segundo a secretaria estadual de Transportes, o início da construção das vias, o traçado preciso e o valor dos investimentos ainda serão divulgados, uma vez que o projeto ainda está em discussão.

PRIORIDADE À BAIXADA

Durante o evento, Pezão entregou diversos equipamentos hospitalares para Seropédica.

— São R$ 700 mil em aparelhos hospitalares, entre eles Raio X móvel, Raio X fixo, eletrocardiógrafo, entre outros, que mudarão a realidade da saúde local.

A inauguração da nova delegacia contou também com a presença do prefeito Alcir Martinazzo, do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, e do chefe da Polícia Civil, delegado Fernando Veloso.

Pezão disse que o orçamento estadual tem como política-mãe a segurança pública e que a Baixada Fluminense é prioridade. Muitos dos novos policiais, dos 6 mil previstos para entrar na corporação em 2015, segundo ele, irão reforçar a segurança da região.

MUNICÍPIO TAMBÉM TERÁ REAJUSTE

O prefeito Eduardo Paes disse, nesta quinta-feira, que as passagens de ônibus das linhas municipais serão reajustadas em janeiro do ano que vem, mas não informou quanto será o percentual e nem o dia em que ele entrará em vigor. Segundo a prefeitura, o reajuste anual está previsto no contrato de concessão das empresas de transporte. A tarifa hoje custa R$ 3.

Paes disse também que em outubro do ano que vem será feito o reequilíbrio econômico-financeiro do contrato com as empresas de ônibus, o que poderá resultar em novo aumento ou redução de tarifa:

— Isso não significa dizer que seja um reajuste. Esse estudo acontece após cinco anos de execução do contrato e já estava previsto. É uma repactuação do documento — explicou. — Também está prevista uma auditoria nas empresas de ônibus. O enxugamento na estrutura das empresas, a diminuição dos custos e a melhoria na eficiência podem, no final, significar uma diminuição da tarifa. Mas esse ainda é um processo que nós estamos analisando.

2015, UM ANO DECISIVO

Ao fazer um balanço das ações da prefeitura, nesta quinta-feira, no Palácio da Cidade, Paes citou as obras de mobilidade urbana, saúde e educação como as principais metas de infraestrutura da cidade:

— O próximo ano é absolutamente decisivo para esse ciclo que tem as Olimpíadas como o encerramento de tantas intervenções de infraestrutura. Em 2015, começam a surgir, por exemplo, as primeiras unidades do programa Fábrica de Escolas, além das obras em andamento no setor de mobilidade e a construção de mais clínicas da família.

Entre os avanços nas áreas de transporte e trânsito, foram ressaltadas as obras de duplicação do Elevado do Joá, com previsão de entrega para março de 2016, e o fechamento da Avenida Rio Branco para as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), cujo início da operação comercial está previsto para o primeiro semestre de 2016. Quanto aos ônibus, a expectativa é que 100% das viagens sejam feitas com ar-condicionado até 2016.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Ônibus gratuitos começam a circular na quinta-feira em Maricá

16/12/2014 - O Fluminense

Motoristas que irão conduzir os coletivos receberam certificados de participação do curso de Legislação de Trânsito e Direção Defensiva ministrado pelo Sest/Senat

Documentos foram entregues aos profissionais - que começarão a trabalhar nesta quinta-feira (18), data de início da operação dos ônibus. Foto: Divulgação/ Fernando Silva

Os motoristas que vão conduzir os ônibus da Empresa Pública de Transportes de Maricá (EPT) receberam os certificados de participação no curso de Legislação de Trânsito e Direção Defensiva, ministrado pelo Sest/Senat. Os documentos foram entregues aos profissionais - que começarão a trabalhar nesta quinta-feira (18), data de início da operação dos ônibus - em cerimônia realizada no auditório do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), na Mumbuca.

O vice-presidente da EPT, Dilermando Amaro, Fátima Pacheco (coordenadora de Qualificação da Secretaria Municipal de Trabalho) e Adriana Portela (coordenadora do curso, que representou o Sest/Senat) estiveram presentes.

"Estamos diante de algo que começa a ter uma repercussão nacional, porque nos lembra que os governos devem dar atenção especial ao serviço público de transportes, é um dever do estado como um todo", analisou Dilermando.

"E vocês, motoristas, serão a imagem deste grande projeto e, por isso, o trabalho de vocês deve ser impecável", frisou o vice-presidente.

Ao final da cerimônia, o vice-presidente adiantou, ainda, que os profissionais terão novas qualificações depois que a EPT entrar em operação.

"Este foi o apronto final para pôr a empresa para funcionar", ressaltou.

Com duração de duas semanas, o curso ofereceu aulas sobre as duas disciplinas voltadas para o transporte público. Durante a entrega dos certificados, o clima era de alegria e descontração entre os motoristas, e o destaque foi a única mulher do grupo. Com 22 anos de profissão, Solange Loureiro foi ovacionada pelos colegas na hora em que recebeu o diploma. 

"Fico muito feliz com essa homenagem deles, muito bacana. É um novo desafio para mim atuar numa empresa pública, pois atuei apenas no setor privado. Mas conto com o apoio da minha família e dos colegas", disse a motorista Solange Loureiro, que tem 53 anos e três filhos.

 

Confira o itinerário dos ônibus:

Linha 1– RECANTO X PONTA NEGRA (via Manoel Ribeiro)

- Rua Barão de Macaúba (ponto de partida em frente à Escola Municipal João Monteiro) – RJ-102 (Rua Engenho Domingos Barbosa) - Avenida do Canal – Rua João Goulart – Rua Antônio Modesto de Sá – Praça do Barroco - Avenida Zumbi dos Palmares – Rua Van Lerbergue (antiga Rua 34) – Rua Professor Cardoso de Menezes (Terminal Rodoviário de Itaipuaçu) – Estrada Carlos Mariguela – Estrada de Itaipuaçu – Travessa Campos – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Avenida Roberto Silveira – Rodoviária do Povo de Maricá – Avenida Roberto Silveira – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – RJ-118 (Estrada de Ponta Negra) – Rua São Pedro Apostolo – Praça de Ponta Negra.

Linha 2 – RECANTO X PONTA NEGRA (via Cordeirinho)

- Rua Barão de Macaúba (ponto de partida em frente à Escola Municipal João Monteiro) – RJ-102 (Rua Engenho Domingos Barbosa) – Avenida do Canal – Rua João Goulart – Rua Antônio Modesto de Sá – Praça do Barroco – Avenida Zumbi dos Palmares – Rua Van Lerbergue (antiga Rua 34) – Rua Professor Cardoso de Menezes (Terminal Rodoviário de Itaipuaçu) – Estrada Carlos Marighella – Estrada de Itaipuaçu – Travessa Campos – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) - Avenida Roberto Silveira – Rodoviária do Povo de Maricá – Avenida Roberto Silveira – Rua Abreu Sodré – Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa – Rua Abreu Rangel – Rua Domício da Gama – Rua Alferes Gomes – Avenida Nossa Senhora do Amparo – Avenida Ivan Mundin – Rua João Saldanha – Rua 12 – Avenida Central – Avenida Maysa – RJ-102 (Avenida Beira Mar) – Rua São Pedro Apostolo – Praça de Ponta Negra.

Linha 3 – PONTA NEGRA x RECANTO (Via Cordeirinho)

- Praça de Ponta Negra – Rua São Pedro Apostolo – RJ-102 (Avenida Beira Mar) – Rua 114 – Avenida Beira da Lagoa – Rua 43 – Avenida Maysa – Rua 13 – Rua João Saldanha – Avenida Ivan Mundin – Rua Azamor José da Silva – Rua Padre Arlindo Vieira – Rua Clímaco Pereira – Rua Domício da Gama – Rua Senador Macedo Soares – Praça Conselheiro Macedo Soares – Avenida Roberto Silveira – Rodoviária do Povo de Maricá – Avenida Roberto Silveira – Rua Abreu Sodré – Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno (KM 29) – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno no Spar – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Travessa Campos – Estrada de Itaipuaçu – Avenida Carlos Marighella – Rua Professor Cardoso de Menezes (Terminal Rodoviário de Itaipuaçu) – Rua Van Lerbergue (antiga Rua 34) – Avenida Zumbi dos Palmares – Praça do Barroco – Rua Antônio Modesto de Sá – Rua João Goulart – Avenida do Canal – RJ-102 (Rua Eng. Domingos Barbosa) – Rua Barão de Macaúba (ponto final em frente à Escola Municipal João Monteiro).

Linha 4 – PONTA NEGRA x RECANTO (Via Manoel Ribeiro)

- Praça de Ponta Negra – Rua São Pedro Apostolo – RJ-118 (Estrada de Ponta Negra) – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno no KM 28 – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Avenida Roberto Silveira – Rodoviária do Povo de Maricá – Avenida Roberto Silveira – Rua Abreu Sodré – Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno (KM 29) – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno no Spar – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Travessa Campos – Estrada de Itaipuaçu – Avenida Carlos Marighella – Rua Professor Cardoso de Menezes (Terminal Rodoviário de Itaipuaçu) – Rua Van Lerbergue (antiga Rua 34) – Avenida Zumbi dos Palmares – Praça do Barroco – Rua Antônio Modesto de Sá – Rua João Goulart – Avenida do Canal – RJ-102 (Rua Eng. Domingos Barbosa) – Rua Barão de Macaúba (ponto final em frente à Escola Municipal João Monteiro).


O Fluminense

Centenas de cidades estão prontas para replicar a experiência do Rio em medir e reduzir emissões

16/12/2014 - The City Fix

O Rio de Janeiro está usando o Global Protocol for Community-Scale Greenhouse Gas Emissions Inventories (GPC)

Wee Kean Fong e Ryan Schleeter

O Rio de Janeiro está testando o piloto do GPC
O Rio de Janeiro está testando o piloto do GPC
créditos: Gerben van Heijningen/Flickr
 
O Rio de Janeiro é uma das cidades do mundo à frente no processo de integrar a sustentabilidade no planejamento urbano. Em 2011, o prefeito Eduardo Paes decretou uma lei ambiciosa relacionada às mudanças climáticas, estabelecendo a meta de evitar a emissão de 2,32 milhões de toneladas de gases do efeito estufa com origem no setor industrial até 2020, o equivalente a 20% das emissões de 2005. Havia apenas um problema: a cidade não tinha certeza de quanto estava emitindo.
 
As autoridades municipais tentaram fazer um inventário das emissões da cidade em 2005, mas não havia um padrão internacional para esse tipo de mensuração ao nível das cidades. O resultado foi incompleto e inconsistente em relação à maneira como outras cidades faziam o cálculo. Então, com o apoio do WRI, o Rio passou a se dedicar a uma primeira versão do Global Protocol for Community-Scale Greenhouse Gas Emissions Inventories (GPC). Usando esse padrão, a capital carioca descobriu que os setores de transporte e resíduos eram os que mais contribuíam para o total de emissões da cidade – 39% e 19%, respectivamente – e percebeu que colocar esses dois setores como alvo das ações vai contribuir significativamente para atingir a meta de redução de 20% das emissões.
 
Um novo padrão para medir e gerenciar as emissões nas cidades

Hoje, WRI, C40 e ICLEI estão lançando a versão final do GPC. É o primeiro padrão para medir as emissões em escala municipal aceito internacionalmente, e dá às cidades o poder de identificar de forma precisa de onde vêm as emissões, de estabelecer metas de redução razoáveis e possíveis de serem atingidas e de acompanhar o progresso de forma consistente.


Não podemos vencer a batalha contra as mudanças climáticas sem as cidades

Em se tratando da luta contra as mudanças climáticas, as cidades estão na linha de frente. Para começar, porque elas são a principal fonte do problema: aproximadamente metade da população mundial vive em áreas urbanas, e as cidades produzem 70% das emissões de dióxido de carbono relacionadas ao setor de energia. Cidades emergentes já estão alcançando cidades desenvolvidas no que diz respeito ao volume de emissões. Pequim, Xangai e Tianjin (China), por exemplo, têm emissões per capita semelhantes a grandes cidades europeias e norte-americanas. E o impacto ambiental das áreas urbanas ainda deve crescer mais – as cidades devem passar a abrigar 1,4 bilhão de pessoas a mais nos próximos 20 anos e atrair trilhões de dólares em investimentos em novas infraestruturas.


(Imagem: WRI / Fonte: World Energy Outlook)
 
No entanto, as cidades estão começando a agir. O Rio é uma das 35 cidades que testaram o piloto do GPC, e o número de cidades utilizando o padrão atualmente já aumentou para mais de 100. Essas cidades representam em torno de 1,1 giga tonelada das emissões de gases do efeito estufa e abrigam mais 170 milhões de pessoas, sendo comparáveis ao total de emissões e populações de todo o Brasil. Alavancando as redes do C40, ICLEI e do WRI Ross Center for Sustainable Cities, espera-se que o número de cidades usando o GPC cresça ainda mais nos próximos anos.
 
Esses compromissos amplificam aqueles já anunciados pela iniciativa Compact of Mayors em setembro durante a UN Climate Summit, que convoca os prefeitos e lideranças municipais a estabelecer metas de redução de emissões e a divulgar os resultados utilizando o GPC.
 
Voltando ao Rio…

Quanto ao rio, a administração municipal ainda não descansou desde que comprovou a fonte das emissões da cidade em 2011. Autoridades lançaram um plano de ação climática focado nas duas principais fontes de emissões. Para amenizar as emissões do setor de transportes e limitar a crescente dependência no automóvel privado, a cidade está expandindo sua rede de corredores BRT para incluir três linhas adicionais até 2016, totalizando 150 km de corredores. Combinadas a esforços para melhorar a eficiência dos combustíveis e aumentar o uso de biodiesel, essas medidas devem ajudar a atingir a meta estadual de reduzir as emissões dos transportes em 30% até 2020. A cidade também reformulou seu sistema de gerenciamento de resíduos, incluindo um dos maiores depósitos ao ar livre do mundo, o Jardim Gramacho. Só com isso, a redução de emissões de gases do efeito estufa deve ser de 1.400 toneladas por ano.
 
A cidade está progredindo, mas ainda tem muito trabalho a fazer. No ano passado, em conjunto com o teste piloto do GPC, o Rio completou seu inventário de emissões de 2012. O inventário indica que a cidade evitou 378 mil toneladas de emissões, número aquém da meta para 2012, que era evitar 929 mil toneladas. E apesar do alto índice de uso do transporte coletivo na cidade, a posse de carros ainda aumenta, e 47% dos brasileiros acreditam que ter um carro próprio é vital.
 
Ainda assim, munida de um inventário preciso, a cidade pode agora planejar ações mais ambiciosas e direcionadas, a fim de atingir suas metas climáticas e entrar no caminho certo para um futuro de baixo carbono. Enquanto debatem como enfrentar as mudanças climáticas, as lideranças nacionais reunidas em Lima podem ver em cidades como o Rio e ferramentas como o GPC formas de avançar o diálogo e concretizar ações.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Melhorar transporte na Baixada será prioridade do novo secretário estadual

16/12/2014 - O Globo

POR TAÍS MENDES

Osorio anuncia BRT na Região Metropolitana, a possibilidade de novas linhas hidroviárias e incentivos à implantação da aviação regional


Carlos Roberto Osório, o novo secretário estadual de Transportes - Fernando Frazão / Agência O Globo

RIO - No primeiro dia útil de sua gestão, no dia 2 de janeiro, o novo secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio, vai sentir na própria pele como é andar de trem, barca e metrô. Ele garante que esse será o seu primeiro ato para, só depois, montar seu cronograma de trabalho. Mas uma coisa já é certa, por recomendação do governador Luiz Fernando Pezão: trabalhar para uma melhor integração da mobilidade do transporte na Região Metropolitana.

— Hoje tenho uma reunião com a secretária Tatiana (Tatiana Vaz Carius) para me inteirar dos assuntos da secretaria, mas o entendimento do governador é que existem oportunidades para melhorar a qualidade de atendimento do usuário dessa região. Tenham certeza de que no primeiro dia útil de 2015 estarei nas ruas andando nos meios de transportes públicos do estado — afirmou, acrescentando que o Rio ficou 30, 40 anos sem investir em transporte — Sucateamos nossa rede de alta capacidade. Já foi feito um esforço grande de recuperação dessa rede, mas o estado tem muitos projetos em andamento. Nossa missão é dar prosseguimento a isso e trabalhar para melhorar a oferta de serviços — completou o novo secretário.

Consciente do momento atual da cidade, cercada por obras que deixam o trânsito caótico, Osorio admite que não será fácil convencer a população a deixar o carro em casa:

— Conheço bem a realidade do município. Entendemos que, para fazer esse pedido, em contrapartida temos que melhorar o transporte público. Mas isso se dará de forma gradativa. À medida que o transporte vai melhorando, mais gente vai deixando o carro em casa.

De acordo com o secretário, a Linha 3 do Metrô, ligando Niterói a São Gonçalo, sairá do papel. As obras estão previstas para iniciar ao longo de 2015, ainda sem uma data precisa:

— O governador passou isso como sendo uma determinação. Os recursos já foram negociados entre os governos estadual e federal. A principal barreira, que era o financiamento, está encaminhada — garantiu.

Osorio disse que para qualificar e mudar o transporte na Região Metropolitana precisará vencer desafios:

— O primeiro é a Baixada Fluminense, onde temos o objetivo de melhorar a rede de trens, com novas composições, todas com ar-condicionado, que já forma encomendadas e devem chegar ao longo do ano que vem. Até 2016 temos que completar a refrigeração e renovar cem por cento da frota. Outro desafio é a requalificação gradativa das estação de trens. Vamos também usar equipamentos que permitem a redução dos intervalos entre os trens. Eles já estão em teste no ramal de Deodoro. Isso aumentará a frequência, possibilitando uma maior oferta para os passageiros. Até 2016, haverá uma significativa melhora do serviço. E vamos ligar os municípios da Baixada com BRTs.

Segundo Osorio, a Região Metropolitana também ganhará corredores do BRT:

— O governo estuda a implantação de uma rede de BRTs, ligando o eixo da Via Dutra e da Rodovia Washington Luís com a Avenida Brasil e conectando aos trens da SuperVia. Isso reduzirá a quantidade de ônibus intermunicipais que acessam o Centro do Rio. Além de um conjunto de BRTs que será implantado fazendo a ligação Niterói, São Gonçalo e Itaboraí.

O novo secretário destacou que o governo pretende aproveitar a próxima licitação do pedágio da Ponte Rio-Niterói para incluir melhorias viárias para o acesso de carga ao Porto do Rio.

— O Arco Metropolitano facilita a circulação de cargas, mas temos a ideia de aproveitar a nova licitação, que vai ser feita pelo Ministério dos Transportes, e incluir investimentos em novos acessos da ponte com o Caju, a Linha Vermelha e a Avenida Brasil — adiantou.

Osorio também planeja criar novas linhas marítimas na Baía de Guanabara:

— Está em estudo, mas ainda vou receber esses dados. O que está garantido são as novas barcas, já contratadas pelo governo do estado. Com isso, há a possibilidade de aumentar o transporte hidroviário na baía, que tem capacidade para isso.

Ele disse ainda que o governo tem planos de ampliar e melhorar os aeroportos no interior:

— Existe um esforço, um plano de incentivo, de aumentar a aviação regional, mas ainda preciso conhecer de perto os estudos.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/melhorar-transporte-na-baixada-sera-prioridade-do-novo-secretario-estadual-14846011#ixzz3M5k6eInS 
© 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

SMTR implanta nove novas alimentadoras nos corredores BRT Transoeste e Transcarioca

12/12/2014 - Secretaria Municipal de Transportes - SMTR

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) e dos Consórcios BRT, Transcarioca e Santa Cruz, informa que, a partir deste sábado (13/12), terá início mais uma etapa do processo de racionalização das linhas de ônibus das regiões abrangidas pelos BRTs Transoeste e Transcarioca. A medida segue o planejamento definido pelo município com a implantação de oito linhasalimentadoras no Transoeste (857A, SR858A, SV870A, SR870A, 871A, 872A, 873A e 828SR) e uma no Transcarioca (910A).  Atualmente, os corredores BRT transportam mais de 400 mil passageiros por dia.
 
A SMTR informa que não haverá cortes de linhas neste momento. As linhas alimentadoras garantem os deslocamentos até as estações sem acréscimo de tarifa. As mudanças estão sendo divulgadas nas estações e principais pontos das linhas com distribuição de folhetos explicativos. As novidades também estão nas redes sociais do BRT Rio, que atingem mais 120 mil seguidores.
 
Novas linhas alimentadoras

Transoeste
 
857A - Jardim 7 de Abril x Paciência (via Gouveia)
SR858A - São Fernando x Paciência 
SV870A - Sepetiba x Santa Cruz (via Croácia)
SR870A - Sepetiba x Santa Cruz (Circular) 
871A - Sepetiba x Cesarão (Circ Via Croácia) 
872A - Sepetiba x Cesarão (Circ via Sepetiba) 
873A - Jardim 7 de Abril x Paciência 
828SR - São Jorge x Campo Grande (via BRT Campo Grande) 

 
Transcarioca
 
 
910A - Bananal x Fundão

Novas linhas alimentadoras do BRT deixam passageiros confusos na Zona Oeste

16/12/2014 - Extra

Passageiros ficaram confusos no primeiro dia útil de funcionamento de nove novas linhas alimentadoras dos BRTs Transoeste e Transcarioca. A falta de orientação era a principal reclamação das pessoas que, ontem, tentavam entender os itinerários que os novos ônibus percorrem desde o último sábado em bairros como Sepetiba, Santa Cruz e Campo Grande.

— Fiquei surpresa quando olhei o letreiro do 858A (São FernandoxPaciência) e vi que o trajeto, agora, é feito via Antares. Até gostei da novidade, mas não recebi nenhum panfleto e nem encontrei ninguém para informar sobre a mudança — reclama a estudante Juliana Pires, de 22 anos, moradora de Santa Cruz.

De acordo com o consórcio BRT, a medida faz parte de mais uma etapa do processo de racionalização das linhas de ônibus. As mudanças cumprem o planejamento definido pela Secretaria municipal de Transportes. Sobre a divulgação, o consórcio explicou que houve distribuição de folhetos nas principais estações e publicações no site e nas redes sociais do BRT. A ação foi concentrada na semana passada, para preparar a população, mas continuará a ser feita nas próximas semanas.

A auxiliar de enfermagem Vera Lúcia Silva, de 68 anos, tomou um susto ao ser informada sobre as mudanças pela equipe do EXTRA. Embora pegue o ônibus todos os dias num ponto movimentado de Santa Cruz, ela não havia sido informada da novidade.

— Mudou e ninguém avisa nada? É um descaso, porque isso influencia a vida de passageiros que não usam o BRT — desabafa ela, que teme o encerramento das atividades de linhas convencionais: — No início do ano, encurtaram o itinerário de um ônibus que fazia o trajeto SepetibaxBangu, que foi substituído por uma linha alimentadora. Espero que não aconteça o mesmo com outras linhas.
Segundo a Secretaria municipal de Transportes, não haverá cortes de linhas neste momento. O deslocamento até as estações feito pelas linhas alimentadoras não tem acréscimo de tarifa. Atualmente, os corredores BRT transportam mais de 400 mil passageiros por dia.
Críticas em Jacarepaguá

Em Jacarepaguá, no trecho do BRT Transcarioca onde o mesmo processo de racionalização das linhas de ônibus aconteceu em agosto, as mudanças ainda são alvo de crítica dos passageiros.
— Antes eu pegava duas conduções para ir ao trabalho, em Vargem Grande. Agora preciso pegar três. Ficou muito ruim — lamenta o eletrotécnico Alexandre Sudário, 36 anos, morador de Bangu.
Da mesma opinião partilha o açougueiro José Augusto Souza, de 44 anos, que afirma ter sido obrigado a usar o ônibus BRT por causa das alterações nas linhas.

— Antes, eu ia de Cascadura até o Recreio numa viagem só. Agora, sou obrigado a descer no Merck, pegar o BRT e mais uma linha alimentadora — conta.

Para a artesã Márcia Helena Conceição, de 50 anos, moradora da Cidade de Deus, as mudanças também afetaram o trânsito.

— Acho que, em vez de melhorar, o trânsito piorou com essas mudanças todas. Eu vou diariamente ao Mercadão de Madureira e hoje levo muito mais tempo para chegar.

Questionado, o consórcio BRT respondeu apenas que opera linhas e serviços definidos pelo planejamento estratégico da Prefeitura.

Conheça as novas linhas:

No BRT Transoeste:
857A - Jardim 7 de AbrilxPaciência (via Gouveia)
SR858A - São FernandoxPaciência
SV870A - SepetibaxSanta Cruz (via Croácia)
SR870A - SepetibaxSanta Cruz (Circular)
871A - SepetibaxCesarão (Circular, Via Croácia)
872A - SepetibaxCesarão (Circular, via Sepetiba)
873A - Jardim 7 de AbrilxPaciência
828SR - São JorgexCampo Grande (via BRT Campo Grande)
No BRT Transcarioca:
910A - Bananal x Fundão

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Prefeitura implanta nove linhas alimentadoras nos corredores BRT Transoeste e Transcarioca

12/12/2014 - Agência Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) e dos Consórcios BRT, Transcarioca e Santa Cruz, informa que, a partir deste sábado (13/12), terá início mais uma etapa do processo de racionalização das linhas de ônibus das regiões abrangidas pelos BRTs Transoeste e Transcarioca.

A medida segue o planejamento definido pelo município com a implantação de oito linhas alimentadoras no Transoeste (857A, SR858A, SV870A, SR870A, 871A, 872A, 873A e 828SR) e uma no Transcarioca (910A). Atualmente, os corredores BRT transportam mais de 400 mil passageiros por dia.


A SMTR informa que não haverá cortes de linhas neste momento. As linhas alimentadoras garantem os deslocamentos até as estações sem acréscimo de tarifa. As mudanças estão sendo divulgadas nas estações e principais pontos das linhas com distribuição de folhetos explicativos. As novidades também estão nas redes sociais do BRT Rio, que atingem mais 120 mil seguidores.

Novas linhas alimentadoras

Transoeste

857A - Jardim 7 de Abril x Paciência (via Gouveia)
SR858A - São Fernando x Paciência
SV870A - Sepetiba x Santa Cruz (via Croácia)
SR870A - Sepetiba x Santa Cruz (Circular)
871A - Sepetiba x Cesarão (Circ Via Croácia)
872A - Sepetiba x Cesarão (Circ via Sepetiba)
873A - Jardim 7 de Abril x Paciência
828SR - São Jorge x Campo Grande (via BRT Campo Grande)

Transcarioca

910A - Bananal x Fundão