sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Com o bairro na prancheta

20/11/2014 - O Globo


Talvez o morador da Barra da Tijuca não saiba, mas o trabalho de Jozé Cândido Sampaio de Lacerda Jr. ajudou a moldar o cotidiano de toda a região. Após 34 anos como funcionário público municipal, período em que atuou em projetos como a duplicação da Avenida das Américas (em 2000), o arquiteto e urbanista cuida, desde 2009, exclusivamente do escritório ZK Arquitetos Associados. Dali saiu o projeto de um dos novos símbolos da Barra: as estações de BRT. A influência dele não para por aí. O Terminal Alvorada remodelado surgiu de sua prancheta. Lacerda projetou também as novas passarelas da Avenida Ayrton Senna, entregues este ano. E, em breve, virá à luz o desenho do terminal do Parque Olímpico, a tempo dos Jogos de 2016. Ao GLOBOBarra, o arquiteto fala sobre os conceitos que nortearam a criação das estações do BRT e sobre sua visão da Barra.

Na hora de criar o projeto das estações, do BRT, quais foram suas principais preocupações?

Como era a primeira vez de um projeto assim no Brasil desde Curitiba, foi importante ter um protótipo, a estação do Novo Leblon. Ali aplicamos vários conceitos importantes. O primeiro era a refrigeração da estação sem arcondicionado. Todo mundo dizia: tem que ter ar-condicionado. Expliquei que era impossível. Como ter aparelhos de ar-condicionado em mais de 60 estações e que deem conta de portas abrindo e fechando a toda hora? Imagina o custo de manutenção disso. O que fizemos, então, foi usar técnicas de arquitetura para tornar o espaço mais fresco. Pode-se ver que a estação é quase toda feita em vidro, o que teoricamente esquentaria o espaço, mas conseguimos evitar isso com o telhado grande e curvo, que impede que o sol bata. Colocamos paredes de metal perfurado, permitindo, assim, que o ar circule. Também criamos uma separação entre o telhado e o teto da estação, com a mesma função. Por fim, colocamos o que chamamos de captador eólico, um equipamento que fica entre o teto e o telhado. Ele capta vento quando a estação está vazia e tira o ar quente quando ela está muito cheia. E fizemos toda a iluminação com LED. Me disseram que era muito caro, mas sabíamos que valia a pena, porque ela dura mais e gasta menos energia, o que corta o custo de manutenção.

Parece que uma grande preocupação foi com o custo de manutenção.

Sim, foi uma das nossas principais preocupações. Por isso colocamos vidro e aço, que são mais resistentes e duráveis. Não adianta fazer algo lindo e cheio de equipamentos se vai estar tudo quebrado por falta de manutenção. Foi a razão pela qual não colocamos banheiros nas estações. Ficaria um nojo em uma semana e não haveria manutenção no mundo capaz de mantêlos limpos. Argumentei que, se ponto de ônibus não tem banheiro, estação de BRT também não poderia ter.

Qual foi o conceito norteador da reforma do Terminal Alvorada?

Foi outro desafio grande, porque recebemos de saída o número de linhas de ônibus e o número de vagas para BRT que seria preciso ter no projeto. Era muito em um espaço relativamente pequeno. Chegamos ao conceito de uma platafoma central para os BRTs e para os alimentadores e dois subsolos. Um deles não saiu do papel, então ficou um pouco desequilibrado, mas acho que vão consertar isso. O mais importante foi feito, que é ter segurança e conforto no terminal. Por conforto se entende fazer a integração dos dois sistemas, do ônibus com o BRT, da forma mais fácil possível. Não queríamos passarela. Nada que obrigasse o passageiro a subir ou descer escada para mudar de modal.

Com o que vocês estão trabalhando agora?

No sistema modal estamos com a Transolímpica. Especificamente na Barra, temos o projeto do terminal do Parque Olímpico. A Transolímpica, no trecho da Salvador Allende, tem a curiosidade de que talvez tenhamos um "bichoduto", uma espécie de mergulhão para a passagem de animais. Estamos conversando sobre isso ainda. Inicialmente queriam que eu fizesse um mergulhão de dois metros, o que só teria sentido se passassem elefantes ou girafas por ali.

Que detalhes o senhor pode dar do terminal do Parque Olímpico?

Não posso dizer muito porque o projeto ainda não foi apresentado à prefeitura. Será o terminal que atenderá a todo o Parque Olímpico e terá integração com o BRT.

Há quanto tempo o senhor está na Barra e como a vê hoje, urbanisticamente?

O escritório foi criado aqui em 1982. Acho o urbanismo da Barra uma coisa complicada. Meu projeto de conclusão de curso, em 1978, foi uma avaliação do Plano Lucio Costa. Com o passar do tempo, foi-se deturpando muita coisa do plano. A Barra se criou em feudos de condomínios fechados, e isso nunca foi consertado. Perdeu-se a escala humana; só se tem isso no Jardim Oceânico. Muitos planos bons ficaram no papel.

Em Niterói, aplicativo mostrará rota de ônibus em tempo real

21/11/2014 - O Globo

Começa a funcionar em Niterói no mês que vem o aplicativo Vá de Ônibus, que permitirá aos passageiros das linhas municipais e intermunicipais monitorar pelo smartphone, em tempo real, o itinerário dos coletivos. O sistema, já em uso no Rio, não calcula o tempo de deslocamento dos veículos, porém lista os pontos mais próximos de onde o usuário está. O professor de Engenharia da UFF Walber Paschoal acredita que o app será um aliado do cidadão e que deve forçar uma melhora na prestação do serviço. Uma das bandalhas fáceis de serem identificadas são os desvios de rota, queixa comum dos passageiros que, segundo motoristas, em alguns casos, são orientados pelos próprios despachantes para cumprimento de horário. Um aplicativo gratuito permitirá ao passageiro localizar em tempo real, via GPS, os ônibus que fazem as 55 linhas municipais, além das intermunicipais, que circulam em Niterói. Batizado de Vá de Ônibus, o sistema, já utilizado no Rio, poderá ser baixado pelo usuários da cidade a partir do mês que vem.

Segundo Guilherme Wilson, gerente de planejamento e controle da Federação de Transportes do Rio de Janeiro (Fetranspor), os passageiros poderão visualizar em que endereço estão os 700 coletivos em qualquer região do município.

— O sistema vai identificar onde o ônibus está e listar os ponto mais próximos a partir do local em que se encontra o passageiro. O aplicativo também vai indicar as opções de linhas dos bairros para onde o passageiro deseja ir, o entorno e o itinerário dos ônibus — diz o gerente da Fetranspor.

FALTA O TEMPO DE CHEGADA

Wilson esclarece ainda que será possível fazer consultas ao aplicativo informando a origem e o destino do passageiro, o nome e o número da linha ou, até mesmo, fornecendo o nome de um prédio ou ponto turístico, como o MAC. O aplicativo, no entanto, não permitirá ao passageiro calcular o tempo exato que o ônibus levará até chegar ao ponto.

O app estará disponível gratuitamente para smartphones com sistemas Android e iOS. O software está sendo desenvolvido desde 2006 e já demandou investimentos de R$ 2 milhões.

Para o professor do curso de engenharia civil da UFF Walber Paschoal, o aplicativo deve amenizar problemas comuns na prestação do serviço como a demora e a falta de regularidade das linhas:

— Infelizmente não se pode informar o tempo que os ônibus vão levar até o ponto por conta dos engarrafamentos. De qualquer forma, o app deve melhorar a mobilidade, sobretudo porque oferece ao passageiro a possibilidade de escolha pela linha mais rápida. Seria importante aprimorar a ideia e informar as condições de tráfego da via.

O desvio de itinerário, às vezes orientados pelos próprios despachantes para cumprimento de horário, é um motivo frequente de queixa dos usuários. Morador da Região Oceânica, o publicitário Fábio Marins, de 33, reclama do serviço:

— Pego ônibus em Itaipu e de vez em quando faço baldeação em Charitas. Já vi muitos motoristas de uma linha intermunicipal que vai para o Rio desviarem a rota quando estão atrasados. Espero que com esse aplicativo os motoristas pensem duas vezes antes de descumprirem o itinerário.

Para o engenheiro Gilberto Gomes Gonçalves, professor da Uerj e UFF, o aplicativo será uma facilidade para o usuário de ônibus, mas ele chama atenção para o problema macro, da falta de mobilidade urbana em Niterói. Segundo ele, são necessários outros investimentos para atacá-lo:

— É algo que sem dúvida ajuda (o usuário) a controlar o serviço. É um início, mas nós precisamos é de transporte público de qualidade. Isso (o aplicativo) é uma perfumaria.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Posto do Detran deve ir para o Recreio

20/11/2014 - O Globo

O subprefeito da Barra e Jacarepaguá, Alex Costa, negocia a mudança do posto de vistoria do Detran da Barra para o Recreio. Segundo Costa, o atual posto, localizado em um terreno municipal, próximo ao Terminal Alvorada, deve ir para outra área pertencente à prefeitura, próxima à delegacia do Recreio.

— As negociações com o governo do estado estão bem avançadas. Ainda não há um prazo para a troca, mas deve ocorrer no próximo ano — diz o subprefeito.

O principal objetivo da mudança seria melhorar a operação da estação Alvorada do BRT, que já estaria funcionando com sua capacidade máxima, usando o atual terreno do Detran para facilitar as manobras dos ônibus articulados e criar mais vagas de estacionamento para eles. A mudança também favoreceria o trânsito no entorno do Cebolão, trecho constantemente engarrafado.

Milton Raeli, diretor social da Associação de Moradores do Recreio (Amor), aprova a proposta:

— Se houver estudos para a instalação do posto no Recreio e o processo for conduzido com responsabilidade, não vejo problema.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Reordenamento das linhas de ônibus do Centro começa neste sábado

15/11/2014 - Agência Rio

O plano de reordenamento de itinerários de linhas de ônibus que circulam pelo Centro do Rio, começa a operar neste sábado (15). O novo esquema foi anunciado pela Secretaria Municipal de Transportes foi anunciado no dia 29 de outubro. As linhas que sofreram alteração foram divididas em pontos finais na Avenida Presidente Vargas e nas ruas Acre e Camerino. Ao todo, fizeram parte do estudo 62 linhas intermunicipais e 27 municipais.

"O objetivo dessas mudanças é melhorar o trânsito dessas linhas e dos corredores BRS, e atender, assim, uma medida de racionalização", afirma o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão.

As linhas executivas com ponto final no Terminal Menezes Cortes e na Avenida Nilo Peçanha não terão mudança no itinerário de chegada ao Centro. A saída, no entanto, deixará de ser pela Rua 1º de Março e passará à Rua da Assembleia e ao BRS Carioca, seguindo pela Praça da República, por onde os coletivos farão o acesso à Avenida Presidente Vargas.

As linhas convencionais que utilizam o terminal na Avenida Chile e a linha executiva 2310, com destino a Bangu, passam a terminar a viagem na pista lateral da Avenida Presidente Vargas, sentido Praça da Bandeira, entre a Avenida Rio Branco e Rua dos Andradas. As executivas com destino à Santa Cruz e Campo Grande (2303, 2304, 2307, 2308, 2309 e 2331) permanecem na Avenida Chile e não terão o trajeto alterado.

As linhas intermunicipais do Terminal Menezes Cortes não terão o trajeto de chegada alterado e passam a sair da cidade pela Avenida Mem de Sá. As que seguem para Petrópolis, Teresópolis e Rio Bonito acessam a Avenida Presidente Vargas pela Rua de Santana. As linhas que trafegam pelo Binário do Porto passam a ter acesso à via seguindo pela Praça da República/Túnel João Ricardo. As linhas 1906B e 1907B com destino à Paracambi e Japeri, respectivamente, terão parada terminal transferida para a pista lateral da Avenida Presidente Vargas.

Na Avenida Luis de Vasconcelos, será mantido o ponto final das linhas com destino à Duque de Caxias, com exceção da linha 2111C, que foi remanejada para a Avenida Presidente Vargas. Na Avenida Augusto Severo, os passageiros continuam encontrando as linhas 521D e 565D. As demais foram transferidas para os pontos das ruas Acre e Camerino e para a pista lateral da Avenida Presidente Vargas.

Os ônibus que paravam na Avenida Rio Branco, entre a Avenida Presidente Vargas e a Rua Visconde de Inhaúma terão o ponto final transferido para a Rua Visconde de Inhaúma, entre as ruas da Candelária e da Quitanda.

Segundo a Prefeitura do Rio, para orientar a população, foram distribuídos 450 mil folhetos em pontos de ônibus e dentro dos coletivos, além da sinalização. A divulgação das mudanças também foi feita através de agentes educativos em pontos estratégicos para auxiliar os passageiros.


LINHAS MUNICIPAIS – PONTOS FINAIS

- Avenida Presidente Vargas – Pista Lateral (Sentido Praça da Bandeira)

300, 358, 369, 370, 388, 389, 392, 396, 397, 2310

- Avenida Nilo Peçanha

2110, 2111, 2112, 2114, 2203, 2251, 2295, 2302, 2345, 2346

- Terminal Menezes Cortes

2332, 2336, 2339, 2381

- Avenida Churchill

2342, 2343, 2344


LINHAS INTERMUNICIPAIS – PONTOS FINAIS

- Terminal Menezes Cortes

2100D, 4423A, 110E, 2951C, 1956B, 1955B, 2146D, 2545D, 2545E, 1730D, 1910D, 1920D, 2905D, 1905D, 2950C, 1140B, 2195C, 4146D, 2125C, 2590R, 1512B, 2925D, 1925D, Itaipava-Castelo (Via Quitandinha), Itaipava-Castelo, Petrópolis-Castelo (Via Quitandinha), Petrópolis-Castelo, Teresópolis-Castelo

- Avenida Presidente Vargas – Pista Lateral (Sentido Praça da Bandeira)

1906B, 1907B, 566D

- Avenida Presidente Vargas – Pista Lateral (Praça Pio X)

2102C, 2111C

- Glória (Augusto Severo)

251D, 565D, 110D, 124B, 545D

- Rua Acre

1721D, 5721D, 7721D, 722D, 724D, 726D

- Passeio (Luis de Vasconcelos)

1461C, 4469C, 1471C, 2486C, 1559B

- Rua Camerino

472B

- Rua 1º de Março (Praça Pio X)

2462C, 1926D

- Visconde de Inhaúma

100D, 101D, 146D, 578D, 590R, Itaipuaçu-Candelária

FA

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Itinerários de ônibus que circulam no Centro do Rio terão alteração a partir de sábado

Pontos finais foram distribuidos na Avenida Presidente Vargas e nas ruas Acre e Camerino

13/11/2014 - O Globo

Linhas de ônibus que fazem ponto final no Terminal da Misericórdia serão transferidos após o dia 23 - Gabriel de Paiva / O Globo
PUBLICIDADE


RIO - A partir de sábado, passageiros que utilizam o serviço de ônibus no Centro do Rio deverão ficar atentos a mudanças na região. Como anunciado pela Secretaria municipal de Transportes no fim de outubro, entrará em vigor o plano de reordenamento de itinerários, que provoca alterações em 62 linhas intermunicipais e 27 municipais.

— O objetivo é melhorar o trânsito dessas linhas e dos corredores BRS, e atender, assim, uma medida de racionalização — afirmou o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão.

As modificações fazem parte do conjunto de novas intervenções para obras de implantação do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), além de outras frentes do projeto Porto Maravilha. Entre as alterações anunciadas, está a interdição de três das cinco faixas da Avenida Rio Branco, entre a Presidente Vargas e a Cinelândia, a partir do próximo dia 29. Com isso, a Rio Branco voltará a ter sentido único, em direção ao Aterro. A faixa exclusiva para táxis será extinta e duas serão destinadas aos ônibus municipais.

MUDANÇAS NOS PONTOS FINAIS

As linhas executivas com ponto final no Terminal Menezes Cortes e na Av. Nilo Peçanha não terão mudança no itinerário de chegada ao centro da cidade. A saída, no entanto, deixará de ser pela Rua Primeiro de Março, passando a ser pela Rua da Assembleia e pelo BRS Carioca, seguindo pela Praça da República, por onde os ônibus seguirão para o acesso à Av. Presidente Vargas.

As linhas convencionais que utilizam o terminal na Avenida Chile e a linha executiva 2310, com destino a Bangu, irão terminar a viagem na pista lateral da Avenida Presidente Vargas, sentido Praça da Bandeira, entre a Rio Branco e a Rua dos Andradas. As linhas executivas com destino à Santa Cruz e Campo Grande (2303, 2304, 2307, 2308, 2309 e 2331) permanecerão na Avenida Chile e não terão o trajeto alterado.

Já as linha intermunicipais do terminal Menezes Cortes não terão o trajeto de chegada alterado e passam a sair da cidade pela Av. Mem de Sá. As que seguem para Petrópolis, Teresópolis e Rio Bonito acessam a Presidente Vargas pela Rua de Santana. As linhas que trafegam pelo Binário do Porto passam a ter acesso à via seguindo pela Praça da República e pelo Túnel João Ricardo. Os passageiros das linhas 1906B e 1907B com destino à Paracambi e Japeri, respectivamente, devem ficar atentos a transferência do ponto final para a pista lateral da Presidente Vargas.

Ainda na região da Central, na Avenida Luis de Vasconcelos, será mantido o ponto final das linhas com destino à Duque de Caxias, com exceção da linha 2111C, que foi remanejada para a Presidente Vargas. Na Avenida Augusto Severo, linhas foram transferidas para os pontos das Ruas Acre e Camerino e para a pista lateral da Av. Presidente Vargas, com exceção da 521D e 565D, que não teve mudança.

Os ônibus que paravam na Rio Branco, entre a Presidente Vargas e a Rua Visconde de Inhaúma terão o ponto final transferido para a Rua Visconde de Inhaúma, entre as ruas da Candelária e da Quitanda.

Para orientar a população, foram distribuídos 450 mil folhetos em pontos de ônibus e dentro dos ônibus, além da sinalização. A divulgação das mudanças também foi feita através de agentes educativos em pontos estratégicos para auxiliar os passageiros.


LINHAS MUNICIPAIS – PONTOS FINAIS

Av. Presidente Vargas – Pista Lateral (Sentido Praça da Bandeira)

300, 358, 369, 370, 388, 389, 392, 396, 397, 2310

Av. Nilo Peçanha

2110, 2111, 2112, 2114, 2203, 2251, 2295, 2302, 2345, 2346

Terminal Menezes Cortes

2332, 2336, 2339, 2381

PUBLICIDADE


Av. Churchill

2342, 2343, 2344


LINHAS INTERMUNICIPAIS – PONTOS FINAIS

Terminal Menezes Cortes

2100D, 4423A, 110E, 2951C, 1956B, 1955B, 2146D, 2545D, 2545E, 1730D, 1910D, 1920D, 2905D, 1905D, 2950C, 1140B, 2195C, 4146D, 2125C, 2590R, 1512B, 2925D, 1925D, Itaipava-Castelo (Via Quitandinha), Itaipava-Castelo, Petrópolis-Castelo (Via Quitandinha), Petrópolis-Castelo, Teresópolis-Castelo

Av. Presidente Vargas – Pista Lateral (Sentido Praça da Bandeira)

1906B, 1907B, 566D


Av. Presidente Vargas – Pista Lateral (Praça Pio X)

2102C, 2111C


Glória (Augusto Severo)

251D, 565D, 110D, 124B, 545D

Rua Acre

1721D, 5721D, 7721D, 722D, 724D, 726D

Passeio (Luis de Vasconcelos)

1461C, 4469C, 1471C, 2486C, 1559B

Rua Camerino

472B

Primeiro de Março (Praça Pio X)

PUBLICIDADE
 

2462C, 1926D

Visconde de Inhaúma

100D, 101D, 146D, 578D, 590R, Itaipuaçu-Candelária




Primeiros Biarticulados

09/11/2014 - O Dia

RIO — A partir de segunda-feira,10/11/2014, os passageiros do BRT Transoeste poderão embarcar em um ônibus biarticulado, que conta com capacidade para até 270 pessoas. De acordo com a Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes e do Consórcio BRT, o veículo estará em operação no trecho Mato Alto/Terminal Alvorada. A Secretaria de Transportes informou, ainda, que mais 12 veículos articulados entram em operação até dezembro no sistema BRT. Do total, nove atenderão ao Transoeste — que liga a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande, transportando 184 mil passageiros por dia — e três serão integrados à frota do Transcarioca — que liga a Barra ao Aeroporto Tom Jobim e transporta 216 mil passageiros diariamente.

Os usuários do BRT Transcarioca terão também à disposição o serviço Alvorada-Galeão (Semi-Direto), que passa a fazer parada na Estação Fundão a partir do próximo sábado. Dessa forma, os ônibus que saem do Terminal Alvorada com destino ao Aeroporto do Galeão farão integração com o metrô em Vicente de Carvalho, com os trens da Supervia em Madureira (Manaceia) e com o Terminal do Fundão. Segundo o Consórcio BRT, os intervalos serão de 20 minutos.

O BRT e a Secretaria de Transportes informou também que, ao longo desta semana, também entra em circulação a linha 565 (Tanque-Gávea), em substituição às linhas 465 e 765, ambas com destino à Gávea. As duas sairão de circulação no próximo sábado.

SERVIÇO: HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO BRT TRANSCARIOCA

Alvorada - Galeão (Semi-direto) - Horário de funcionamento: 24h

Estações: Terminal Alvorada, Madureira/Manaceia (integração com o trem), Vicente de Carvalho (Integração com o Metrô), Fundão, Galeão - Tom Jobim 2 e Galeão - Tom Jobim 1.

Fundão - Alvorada (Expresso): Horário de funcionamento: das 5h às 23h

Estações: Terminal Alvorada, Rio 2, Santa Efigênia, Taquara, Tanque, Praça Seca, Campinho, Madureira/Manaceia (integração com o trem), Mercadão, Vicente de Carvalho (integração com Metrô), Penha, Santa Luzia e Fundão.

Fundão - Alvorada (Parador): Horário de funcionamento: das 23h às 5h

Estações: Terminal Alvorada, Lourenço Jorge, Aeroporto Jacarepaguá, Via Parque, Centro Metropolitano, Hospital Sarah, Rio2, Pedro Correia, Curicica, Praça do Bandolim, Arroio Pavuna, Vila Sapê, Recanto das Palmeiras, Divina Providência, Merck, André Rocha, Taquara, Aracy Cabral, Tanque, Ipase, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho, Madureira Manaceia, Mercadão, Otaviano, Vila Queiroz, Vaz Lobo, Marambaia, Vicente de Carvalho (integração com Metrô), Vila Kosmos, Pedro Taques, Praça do Carmo, Guaporé, Pastor José Santos, Penha1, Penha2, Ibiapina, Olaria, Cardoso de Moraes, Santa Luzia, Maré e Fundão.

Madureira – Penha (Parador) – Horário de funcionamento: 5h às 23h

Estações: Penha, Pastor José Santos, Guaporé, Praça do Carmo, Pedro Taques, Vila Kosmos, Vicente de Carvalho (integração com Metrô), Marambaia, Vaz Lobo, Vila Queiroz, Otaviano, Mercadão e Madureira Manaceia.

Madureira - Alvorada (Parador) - Horário de funcionamento: 5h às 23h

Estações: Terminal Alvorada, Lourenço Jorge, Aeroporto Jacarepaguá, Via Parque, Centro Metropolitano, Hospital Sarah, Rio2, Pedro Correia, Curicica, Praça do Bandolim, Arroio Pavuna, Vila Sapê, Recanto das Palmeiras, Divina Providência, Merck, André Rocha, Taquara, Aracy Cabral e Tanque, Ipase, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho e Terminal Paulo da Portela, em Madureira (integração com o trem).

Madureira - Alvorada (Expresso) - Horário de funcionamento: das 5h às 23h, de segunda a sábado

Estações: Terminal Alvorada, Rio 2, Santa Efigênia, Taquara, Tanque, Praça Seca, e Terminal Paulo da Portela, em Madureira (integração com o trem).

Galeão - Penha (Parador) - Horário de funcionamento: das 5h às 23h

Estações:Penha (I e II), Ibiapina, Olaria (Cacique de Ramos), Cardoso de Moraes (Viúva Garcia), Santa Luzia, Maré, Fundão, Galeão - Tom Jobim 2 e Galeão - Tom Jobim 1.

A Linha Vermelha deve ter uma das faixas de rolamento exclusiva para ônibus durante as obras do futuro BRT Transbrasil

13/11/2014 - O Dia

Rio - A Linha Vermelha deve ter uma das faixas de rolamento exclusiva para ônibus durante as obras do futuro BRT Transbrasil. A medida, anunciada ontem pelo prefeito Eduardo Paes ao dar início à primeira fase das intervenções, visa a reduzir o fluxo de coletivos na Avenida Brasil, que terá a atual pista seletiva fechada para as obras do corredor de ônibus que será instalado na via, de Deodoro ao Caju. O cronograma das interdições e mudanças no trânsito deverá ser anunciado nos próximos 15 dias.

"Ainda vamos apresentar as interdições que serão feitas e os esquemas de trânsito, mas posso adiantar que muito provavelmente a gente vai ter uma faixa exclusiva de ônibus na Linha Vermelha durante as obras para garantir a fluidez no trânsito", afirmou Paes.

Linha Vermelha já apresenta constantes engarrafamentos nos horários de pico e especialistas acreditam que situação deve piorar com faixa exclusiva para ônibus na via

Foto: Severino Silva / Agência O Dia

O ponto de partida das intervenções é a construção de um viaduto para integrar o Transbrasil ao corredor Transcarioca. Nesta fase inicial não há interdição de ruas nem avenidas. O elevado vai passar sobre a Avenida Brasil na altura do Arco Estaiado Prefeito Pedro Ernesto, em Ramos. No entanto, o tráfego da via só deve sofrer mudanças a partir dos próximos meses. O cronograma de alterações ainda está sendo discutido pela Secretaria Municipal de Transportes e o consórcio vencedor da obra.

Infraestrutura

O primeiro lote do Transbrasil terá 23 quilômetros, 16 estações, 17 passarelas, duas pontes e oito viadutos. Além das estações, serão finalizados, neste primeiro momento, os terminais Fundão, Deodoro, Margaridas e Missões. O segundo trecho, do Caju ao Centro, será construído pela Companhia de Desenvolvimento da Região do Porto do Rio (Cdurp) e ainda não teve as obras iniciadas. A previsão da inauguração é para 2016.

"Teremos pista, calçadas e muretas recuperadas. Também faremos uma reestruturação da rede de drenagem ao longo da via para corrigir pontos de alagamento, especialmente na região do Caju e Parada de Lucas", acrescentou o secretário Municipal de Obras, Alexandre Pinto.

O trecho da Avenida Brasil que vai do Trevo das Margaridas até o Caju terá duas faixas de BRT em cada sentido. Uma nova faixa será construída na pista central, mantendo três pistas para o tráfego dos demais veículos. Entre o Trevo das Margaridas e Deodoro, é prevista apenas uma faixa em cada sentido para os ônibus articulados. Os terminais Margaridas e Missões conectarão o sistema às rodovias federais BR-116 (Rio - São Paulo) e BR-040 (Rio - Juiz de Fora).
O investimento inicial previsto para o primeiro lote do Transbrasil é de R$ 1,4 bilhão. O corredor terá, ao todo, 32 km de extensão e 33 estações. A expectativa é de que o BRT leve 820 mil passageiros por dia, com uma redução de 40% do tempo gasto na viagem.

Especialistas são contrários à faixa exclusiva

Especialistas não veem com otimismo a reserva de uma faixa seletiva para ônibus na Linha Vermelha, como anunciou o prefeito Eduardo Paes. O engenheiro Francisco Filardi, ex-diretor de Obras do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), aponta que a medida causará impactos em pontos críticos da via.

"Vai impactar muito no acesso ao viaduto do Caju sobre a Avenida Brasil, onde a Linha Vermelha afunila de quatro para três faixas. Ali será gerado um gargalo muito sério. Outro ponto problemático é no Fundão, porque o trânsito que vem do Aeroporto do Galeão vai cruzar com essa faixa exclusiva", avalia o engenheiro, autor da proposta de construção de uma via expressa para ligar a Linha Vermelha ao Maracanã, que será apresentada em breve à prefeitura, como O DIA antecipou no final de outubro.

Como alternativa, Filardi sugere que a passagem de carretas e caminhões na Ponte Rio-Niterói seja limitada ao período noturno. "Assim, esses veículos, cuja maior parte é oriunda da Baixada Fluminense e da Zona Norte, consequentemente também não passariam pela Avenida Brasil durante o dia, evitando os congestionamentos violentos entre 10h e meio-dia, por exemplo", diz ele.
Alexandre Rojas, professor de Engenharia de Transportes da Uerj, também avalia que a medida será insustentável. "A Linha Vermelha já está saturada. Retirar uma faixa dali é tornar o que já era difícil insuportável, porque há uma incoerência entre a demanda de veículos e o tamanho da via", afirma.

Rojas acrescenta que o Transbrasil é uma obra importante para a mobilidade na Região Metropolitana, mas não deveria ser realizada em concomitância com outros projetos de grandes impactos viários que estão em curso na cidade. "O problema é todas as obras acontecerem ao mesmo tempo. Já tem o congestionamento causado pelas obras do Porto Maravilha. É uma intervenção inoportuna para o momento e que deveria ser iniciada só depois dos Jogos Olímpicos", conclui.