segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Rio tem quatro linhas de ônibus extintas nesta segunda-feira

26/10/2015 - O Dia

Moradores lembraram que o 423 tinha intervalos muito longos e acabavam fazendo opção pelas linhas 433 e 434

GUSTAVO RIBEIRO

Rio - As alterações nas linhas de ônibus do Rio, entre as Zonas Norte e Sul, continuaram nesta segunda-feira. No Grajaú e Vila Isabel, passageiros enfrentaram as mudanças com relativa tranquilidade. As linhas 420 - de Vila Isabel para Botafogo, 421 - de Vila Isabel para Copacabana, 423 - do Grajaú para Botafogo (circular) e 425 - do Grajaú para Real Grandeza (Via Santa Barbara) foram extintas.

Nos pontos finais das linhas há avisos sobre a extinção das mesmas e indicações sobre as opções de mesmo percurso. "Raramente pegava o 423 porque o itinerário é praticamente o mesmo. A diferença agora é que só tem uma opção", disse André santana, de 35 anos.

Linhas 420, 421, 423 e 425 foram extintas
Foto: Bruno de Lima / Agência O Dia

Moradores lembraram que o 423 tinha intervalos muito longos e disseram que não vai fazer falta. As linhas 433 (Vila Isabel - Leblon, via Copacabana) e 434 (Grajaú - Leblon) acabavam sendo a opção mais escolhida pelos passageiros. 

Neste sábado, as linhas 123 (Jardim de Alah X Rodoviária); 132 (Leblon X Central); 177 (São Conrado X Candelária) foram extintas e substituídas pelas Troncal 3 (Central x Leblon) e Troncal 4 (São Conrado x Rodoviária). Deixou de circular neste domingo também a linha 127 (Rodoviária X Copacabana).

As linhas 456, 457, 483, 485 e 486 mudaram o ponto final para a Siqueira Campos, em Copacabana, neste domingo. Já a 503 (Alto Leblon) se limitará à Gávea e 509 (Horto) irá apenas até o Jardim de Alah.

Usuários estão confusos sobre os novos itinerários de ônibus

26/10/2015 - O Globo

Passageiros, que tentam chegar na Zona Sul, reclamam de falta de informação
  
POR RENAN FRANÇA

Mudanças nas linhas de ônibus. Linha 485, antiga Penha - General Osório. Agora ela vai até Copacabana. O letreiro ainda continua com o trajeto antigo - Custódio Coimbra / Agência O Globo

RIO — No primeiro dia útil das mudanças nas linhas de ônibus que fazem trajeto entre as zonas Sul e Norte, muitos usuários estão confusos sobre os novos itinerários. Nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira, sobravam dúvidas nos pontos da Avenida Lobo Junior e Rua Guainases, na Penha. Os usuários de ônibus do bairro que queriam chegar a Ipanema, por exemplo, estavam confusos sobre onde fariam a integração na Zona sul, já que não há mais condução direta para a região.

— Agora sou obrigada a descer em Copacabana, então? — questionou a diarista Luciama Lima ao ser informada sobre a mudança. — Quero ver como vai ser a volta — comentou.

A maioria dos passageiros reclama sobre a falta de informação dos fiscais da prefeitura e da Rio Ônibus. No caminho entre o barrio da Penha até Copacabana muitos usuarios desceram antes do ponto final para buscar informação.

— Vou perguntar na banca de jornal como faço pra chegar na Praça General Osório agora. Já estou atrasada e com essa confusão só piora — declarou a comerciante Adele Rodrigues.

As modificações atingem, nesta segunda-feira, os bairros de Vila Isabel e Grajaú. Quatro linhas da região — 420 e 421 (Vila Isabel), 423 e 425 (Grajaú) — serão extintas. Segundo a prefeitura, haverá um redimensionamento da frota e os ônibus que faziam parte das antigas linhas passarão para as outras mantidas, como 422 (Grajaú-Cosme Velho) e 434 (Grajaú-Leblon).

A linha 127 (Copacabana-Rodoviária) foi extinta e substituída pela Troncal 4, que agora vai até São Conrado. As linhas 456, 457, 485 e 486 tiveram o trajeto reduzido. A maioria liga bairros da Zona Norte, como Abolição e Penha, à Zona Sul. O ponto final destes ônibus passou a ser na Rua Siqueira Campos (em frente ao número 143), em Copacabana, e não mais na Praça General Osório, em Ipanema.

Os motoristas das vans que sobem a Ladeira dos Tabajaras também reclamam das alterações. Com o espaço reservado para as novas linhas de ônibus, eles não podem mais estacionar os veículos ali. O novo ponto fica um pouco mais atrás, na esquina da Siqueira Campos com a Rua Joseph Bloch. O problema, segundo eles, é que, para chegar lá, são obrigados a seguir reto pela Sigueira Campos e dar a volta no quarteirão, pegando as ruas Tonelero e Figueiredo Magalhães.

No domingo, outras três linhas foram modificadas: 483 (o ponto final também passa a ser na Siqueira Campos, perto do metrô), 509 (antiga 124) e 503. A linha 127 (Copacabana-Rodoviária) foi extinta e substituída pela Troncal 4, que, desde sábado, segue o percurso até São Conrado.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/usuarios-estao-confusos-sobre-os-novos-itinerarios-de-onibus-17879354#ixzz3pgXF3F6C 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

domingo, 25 de outubro de 2015

Redução no trajeto de linhas de ônibus desagrada usuários

Em Copacabana, moradores da Rua Siqueira Campos se queixam do excesso de barulho
  
POR ANA BEATRIZ MARIN

25/10/2015 - O Globo

Morador da Penha, o trabalhador Rodrigo Souza terá que pegar dois ônibus para chegar ao trabalho - Guito Moreto / Agência O Globo

RIO — As novas mudanças no sistema de ônibus do Rio, que começaram no sábado, continuaram neste domingo. A linha 127 (Copacabana-Rodoviária) foi extinta e substituída pela Troncal 4, que agora vai até São Conrado. As linhas 456, 457, 485 e 486 tiveram o trajeto reduzido. A maioria liga bairros da Zona Norte, como Abolição e Penha, à Zona Sul. O ponto final destes ônibus passou a ser na Rua Siqueira Campos (em frente ao número 143), em Copacabana, e não mais na Praça General Osório, em Ipanema.

As alterações causaram protesto de usuários como Rodrigo Souza, de 34 anos, que mora na Penha e trabalha na General Osório. A partir de agora, ele será obrigado a pegar duas conduções para chegar ao emprego.

— Demorei 30 minutos a mais para chegar aqui (em Copacabana). Não tive problemas com o tempo do Bilhete Único porque é domingo. Mas, durante a semana, tenho medo de que não dê tempo de pegar o segundo ônibus sem precisar pagar por causa do trânsito. Vou ter que acordar mais cedo — contou Rodrigo, que começa a trabalhar às 6h.

As mudanças também estão incomodando alguns moradores. Eles se queixam do excesso de ruído, de pessoas e de poluição que a maior quantidade de ônibus possa causar.

— Moro no 11º andar e escuto todo o barulho que vem da rua. Agora, vou ouvir muito mais. Vou ligar para a prefeitura para perguntar por que ela transferiu os pontos finais sem nos consultar. Sei que é chover no molhado, mas é o meu direito — disse a bancária Elizabeth Freitas, de 49 anos.

Os veículos agora ficam no lugar onde antes havia um estacionamento. Para o gerente de condomínio Ricardo Novaes, de 55 anos, o peso dos ônibus pode afundar o asfalto. Ele garante que não seria a primeira vez e reclama.

— No revéillon e no carnaval, a prefeitura transfere as linhas de integração que fazem ponto na General Osório para a Siqueira Campos e vira um caos.

PONTO DE VANS MUDA DE ENDEREÇO

Os motoristas das vans que sobem a Ladeira dos Tabajaras também reclamam das alterações. Com o espaço reservado para as novas linhas de ônibus, eles não podem mais estacionar os veículos ali. O novo ponto fica um pouco mais atrás, na esquina da Siqueira Campos com a Rua Joseph Bloch. O problema, segundo eles, é que, para chegar lá, são obrigados a seguir reto pela Sigueira Campos e dar a volta no quarteirão, pegando as ruas Tonelero e Figueiredo Magalhães.

— O transtorno maior é para os passageiros, que vão precisar esperar mais tempo até a van chegar no ponto. Com o trânsito, o trajeto dura de 10 e 15 minutos a mais — disse o motorista Diógenes de Paula, de 50 anos.

Também neste domingo, outras três linhas foram modificadas: 483 (o ponto final também passa a ser na Siqueira Campos, perto do metrô), 509 (antiga 124) e 503. A linha 127 (Copacabana-Rodoviária) foi extinta e substituída pela Troncal 4, que, desde sábado, segue o percurso até São Conrado.

Nesta segunda-feira, as modificações continuam e atingem os bairros de Vila Isabel e Grajaú. Quatro linhas da região — 420 e 421 (Vila Isabel), 423 e 425 (Grajaú) — serão extintas. Segundo a prefeitura, haverá um redimensionamento da frota, e os ônibus que faziam parte das antigas linhas passarão para as outras mantidas, como 422 (Grajaú-Cosme Velho) e 434 (Grajaú-Leblon).

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/reducao-no-trajeto-de-linhas-de-onibus-desagrada-usuarios-17876318#ixzz3pd6nRAHz 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

sábado, 24 de outubro de 2015

Novas linhas de ônibus começam a circular no Rio

24/10/2015 - O Dia

Coletivos das linhas 132, 123, 127 e 177 foram substituídos pelas troncais Central x Leblon e Rodoviária x São Conrado

LEANDRO RESENDE

Rio - O primeiro dia das novas linhas de ônibus que fazem a ligação entre a área central da cidade e a Zona Sul mostrou que o carioca ainda terá dificuldades para se acostumar aos novos pontos das paradas e itinerários. Neste sábado, entraram em operação duas novas linhas troncais de ônibus: a Troncal 3 (Central x Leblon) e a Troncal 4 (Rodoviária Novo Rio x São Conrado). A implantação é parte da segunda fase de um projeto da prefeitura para racionalizar as linhas de ônibus, que continua neste domingo e na segunda-feira. O objetivo é dar mais fluidez ao trânsito na cidade.


Linhas 132, 123, 127 e 177 foram extintas
Foto: Bruno de Lima / Agência O Dia

Na Central, a nova linha substitui a 132, que fazia o mesmo itinerário. Agentes da Secretaria Municipal de Transportes auxiliaram quem procurou o ônibus antigo. Na Rodoviária Novo Rio, problemas para quem foi procurar os coletivos das linhas 123 (Rodoviária x Jardim de Alah), 127 (Rodoviária x Copacabana) e 177 (Central x São Conrado): as três linhas foram extintas e, em seu lugar, foi criada a Troncal 4.

"É a primeira vez, então acontece uma certa confusão. Vai facilitar depois, porque vai ter um ônibus só indo para o mesmo lugar, será bom para quem sai do ponto inicial", elogiou Anita Lemos, 59 anos, que ia para Praça General Osório.

João Luiz, 65, criticou a retirada das linhas de circulação, mas elogiou a distribuição de folhetos para explicar os cariocas sobre os novos coletivos. "Não é uma boa mudança se significar menos ônibus nas ruas. O que a gente quer saber mesmo é se os motoristas vão parar de passar por fora dos pontos, se esse comportamento vai mudar também", opinou.

O que muda

Novos itinerários
Foram criadas neste sábado, a linha Troncal 3 (Central X Leblon) e a Troncal 4 (São Conrado X Rodoviária, via Francisco Bicalho). Ambas passarão pela Avenida Nossa Senhora de Copacabana e pelo Aterro.

Rotas extintas
Oito linhas foram extintas: 123 (Jardim de Alah X Rodoviária); 127 (Rodoviária X Copacabana); 132 (Leblon X Central); 177 (São Conrado X Candelária; 420 (Vila Isabel X Praia de Botafogo); 421 (Vila Isabel X Prado Junior); 423 (Grajaú X Real Grandeza); e 425 (Grajaú X Real Grandeza).

Linhas Encurtadas
As oito linhas que terão os trajetos encurtados são: 011, Bairro de Fátima X Rodoviária, que passará a ser Rodoviária Cinelândia; 456, de Norte Shopping X Gal. Osório passa a Norte Shopping X Siqueira Campos; 457, de Abolição X Gal. Osório a Abolição X Siqueira Campos; 483, de Penha X Copacabana para Penha X Siqueira Campos (via Santa Bárbara); 485, de Penha X Gal Osório para Penha Siqueira Campos (via Linha vermelha e Santa Bárbara); 486, de Gal. Osório X Copacabana para Fundão X Siqueira Campos (via Santa Bárbara); 503, de Alto Leblon X Ipanema para Alto Leblon X Gávea; e 509, da antiga 124 (Jardim Botânico X Central) para Horto X Jardim de Alah.

Objetivo
Na primeira etapa da racionalização, iniciada em 3 de outubro, 11 linhas foram eliminadas e cinco novas foram criadas. Após sábado que vem, sete novas linhas (quatro integradas e três troncais) substituirão 19, que tinham parte dos trajetos sobrepostos. O objetivo da prefeitura é reduzir essa sobreposição para melhorar o trânsito, sobretudo, nos corredores BRS (faixas exclusivas para os coletivos).

Detro planeja reduzir em 50% parada de ônibus no Mocanguê

24/10/2015 - O Globo

Medida começa a valer a partir de 15 de novembro
  
POR RENAN ALMEIDA

Segundo o Detro, 159 linhas param no ponto do Mocanguê - Hermes de Paula / Agência O Globo

NITERÓI — As extensas filas de ônibus que se formam no ponto da Ilha de Mocanguê, mesmo em dias e horários de trânsito livre na Ponte Rio-Niterói, serão reduzidas em breve. O Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) planeja cortar o acesso de até 50% dos ônibus de algumas linhas hoje autorizadas a parar no local. A medida será posta em prática a partir do dia 15 de novembro. A solução é simples: eliminar a parada dos ônibus que encostam com mais frequência na base militar. Os veículos autorizados a continuar parando ali passarão a circular com um adesivo escrito “Mocanguê” no para-brisa.

Desde ontem, técnicos da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros (Fetranspor) e do Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj) realizam estudos para decidir a quantidade de veículos que percorrerão a via de forma expressa. A única parada de ônibus em cima da Ponte é utilizada por 159 linhas, segundo o Detro. O resultado é que a qualquer hora do dia podem ocorrer filas, mas, nos horários de maior movimento, o engarrafamento é certo nas pistas à direita. Na última terça-feira, às 20h, na parada em direção a Niterói, o comboio se estendia da metade da descida do vão central até Mocanguê, e os ônibus perdiam cerca de seis minutos para encostar no recuo. Nas demais faixas, os automóveis cortavam o trecho em poucos segundos.

RISCO POTENCIAL DE ACIDENTES

A proposta da redução partiu da Polícia Rodoviária Federal e da concessionária EcoPonte, e foi levada ao Detro, responsável por fiscalizar os transportes intermunicipais. Chefe da delegacia da PRF na Ponte, o delegado Daniel Cerqueira avalia que, além de diminuir o tempo de travessia, a medida é importante para garantir mais segurança.

— Quando a fila de ônibus interrompe o fluxo na pista da direita, os motoristas que trafegam por ela mudam de faixa de rolamento. É um movimento que, sem dúvida, aumenta o risco de um acidente, porque, às vezes, a troca é feita de maneira brusca — observa.

As retenções no local são rotineiras a ponto de empresas de ônibus deslocarem fiscais para trabalhar no ponto de Mocanguê. Projetado para atender à base naval, o ponto acabou se transformando numa espécie de estação de transferência. Local de baldeação estratégico para quem deixa o Rio, ele é seguro e conta com fartura ímpar de linhas. O movimento aumentou ainda mais, avalia a Ecoponte, desde a implantação do Bilhete Único.

A Polícia Rodoviária Federal sugeriu um plano para reduzir a quantidade de linhas de ônibus que param no Mocanguê - Hermes de Paula / Agência O Globo

BALDEAÇÃO COM AGILIDADE

A assistente administrativa Patrícia Cardoso é uma das que aproveitam a vantagem do cartão. Na Ponte, ela encontra mais opções para São Gonçalo do que no ponto próximo a seu trabalho, na Zona Portuária do Rio. A lentidão da fila de ônibus em Mocanguê é o que menos importa para ela.

— Se diminuírem as linhas, corremos o risco de os ônibus ficarem muito cheios. Não acho uma boa mudança. Aqui é ótimo, seguro, e temos mais opções — afirma.

O gerente comercial Henrique Oliveira chegou de carona a Mocanguê, onde embarcaria no ônibus para casa. Usuário há 38 anos do transporte público, revela que a baldeação é eficaz.

— Anos de experiência e espera em pontos de ônibus me ensinaram que é sempre melhor pegar uma condução que leve para um ponto mais à frente, com mais opções, do que ficar esperando por uma linha direta — explica um bem-humorado Oliveira.

A Fetranspor e o Setrerj ainda não sabem a data em que a mudança será anunciada. Quando o estudo for concluído, serão feitas panfletagens e comunicação nos ônibus e em painéis eletrônicos para alertar os usuários. O contrato de concessão também prevê a ampliação do recuo para aumentar de duas para quatro as vagas para ônibus na Ilha de Mocanguê. A obra está prevista para 2017 e incluirá ainda uma faixa de rolamento, informa Julio Amorin, gerente de atendimento ao usuário da Ecoponte:

— Isso permitirá a ultrapassagem quando não for preciso parar.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/bairros/detro-planeja-reduzir-em-50-parada-de-onibus-no-mocangue-17865273#ixzz3pXMi9Znu 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Novas mudanças em ônibus deixam passageiros em dúvida

24/10/2015 - O Globo

Três linhas foram extintas neste sábado. Mais cinco itinerários deixarão de existir
  
POR ANA BEATRIZ MARIN

A Troncal 4 vai substituir as linhas 123 (Leblon-Central) e 177 (São Conrado-Central) - Ana Beatriz Marin / Agência O Globo

RIO — As novas mudanças no sistema de ônibus do Rio, implementadas neste sábado, causaram dúvidas entre passageiros. No primeiro dia da segunda fase das alterações, deixaram de circular as linhas 123 (Jardim de Alah-Rodoviária) e 177 (São Conrado-Central), substituídas pela Troncal 4. Além disso, a linha 132 (Leblon-Central, via Aterro) virou a Troncal 3. Na Central, usuários ficaram à espera do 177, sem que houvesse placas nem funcionários para informar sobre a modificação.

— Não sabia. E agora, como vou para Copacabana? — perguntava o eletricista Eduardo Paiva, morador de Japeri.

O mesmo aconteceu com Robson dos Santos, de Belford Roxo, que ficou cerca de 30 minutos esperando um ônibus para ir para o trabalho, em Copacabana. Os usuários do 132, por sua vez, não tiveram problemas. Letreiros nos coletivos da Troncal 3 indicavam a alteração. No ponto final, eram distribuídos panfletos explicativos. E ainda havia alguns ônibus antigos em circulação, com objetivo de facilitar a vida dos passageiros.

Na Rodoviária Novo Rio, as dúvidas foram maiores, sobretudo para quem queria ir ao Hospital dos Servidores, na Saúde. A fisioterapeuta Taiara de Carvalho precisou pedir informação a dois motoristas até saber que, para chegar ao local de trabalho, teria que pegar o 190 (Leme-Rodoviária).

Antes, ela costumava usar a linha 127 (Copacabana-Rodoviária), que será definitivamente extinta neste domingo, às 14h. Desde este sábado, a linha começou a ser substituída pela Troncal 4. Mas essa última não faz o mesmo trajeto da 127, que passava pela Avenida Venezuela (a parada mais próxima para quem seguia rumo ao hospital). Apesar disso, a única pessoa que distribuía panfletos sobre a mudança não tinha sido informada sobre esse detalhe.

MAIS MODIFICAÇÕES NESTE DOMINGO

Além de o 127 deixar de circular, neste domingo ocorrem outras alterações. Serão encurtadas as linhas 509 (antiga 124), 456, 457, 483, 485, 486 e 503, a maioria que ligava bairros da Zona Norte, como Abolição e Penha, à Zona Sul. Nesta segunda-feira, as modificações atingem os bairros de Vila Isabel e Grajaú. Quatro linhas da região — 420, 421, 423 e 425 — serão extintas.

As alterações ocorrem no mesmo fim de semana em que a prefeitura aumentou de R$ 4,70 para R$ 5,90 (25,5% a mais) o valor do Bilhete Único Carioca, que integra os trens da Supervia e os ônibus. Na sexta-feira, o Ministério Público (MP) entrou com uma ação contra a Secretaria municipal de Transportes. No documento, o MP afirma que o órgão não reduziu o tempo de viagem e não estabeleceu metas para a implementação do novo arranjo dos ônibus. A secretaria disse que ainda não foi comunicada sobre a ação e que, por isso, não comentaria o assunto.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/novas-mudancas-em-onibus-deixam-passageiros-em-duvida-17869314#ixzz3pXL75UtU 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Segunda etapa da racionalização da frota da Zona Sul começará no dia 24 de outubro

16/10/2015 - Prefeitura do Rio de Janeiro

PLANEJAMENTO DA SEGUNDA ETAPA DA RACIONALIZAÇÃO (CLIQUE AQUI)

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes, dará prosseguimento à implementação da racionalização da frota da Zona Sul no sábado, 24 de outubro, quando começará a segunda etapa da 1ª fase do planejamento. Nesta etapa, serão criadas duas linhas troncais, oito linhas serão extintas e outras oito terão seus trajetos encurtados a fim de organizar melhor o sistema de ônibus na cidade.

O avanço gradual do processo de racionalização das linhas tornará o sistema mais eficiente, melhorará a fluidez do trânsito – apenas nas faixas BRS a estimativa é de melhoria de 30% em desempenho. "Seguiremos buscando uma melhor utilização das vias e um serviço de melhor qualidade para os usuários que passam a contar com mais opções de trajetos, serviços e integrações no deslocamento pela cidade", afirma o secretário municipal de Transportes Rafael Picciani.

A organização progressiva das linhas de ônibus de maneira racionalizada acabará ainda com sobreposição dos trajetos e a disputa por passageiros nos pontos. Além disso, o sistema não terá uma grande quantidade de coletivos fazendo trajetos semelhantes e circulando abaixo da capacidade. Todas as mudanças têm como foco criar um sistema de transporte cada vez mais eficiente e integrado para o cidadão carioca.

Na primeira etapa, iniciada no dia 3 de outubro, 11 linhas foram transformadas em cinco novas linhas criadas para o novo sistema. A implementação ocorreu dentro do planejado, com pequenos ajustes nos primeiros dias.  Com essa segunda etapa, os usuários passam a contar com sete novas linhas (quatro integradas e três troncais) substituindo, no total, 19 linhas que tinham trajetos sobrepostos.

A partir da semana que vem, agentes de informação do Rio Ônibus darão início à distribuição de panfletos em pontos da cidade com a maior concentração de passageiros. A operação será progressiva e pode variar de acordo com a demanda. Haverá também cartazes nos pontos de ônibus informando sobre as mudanças, atendendo à determinação da SMTR.

Veja abaixo as mudanças da 2ª etapa da Fase 1.1 da racionalização da frota

Início: 24 de outubro 

Novas linhas:

Troncal 3 - Central x Leblon (via Aterro / Avenida Nossa Senhora de Copacabana) – circular

Itinerário de ida:

Terminal Rodoviário Procópio Ferreira, Praça Duque de Caxias, Rua Visconde da Gávea, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Rua Miguel Couto, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Rio Branco, Av. Infante Dom Henrique, Av. das Nações Unidas, Av. Lauro Sodré, Túnel do Leme (galeria Engº Marques Porto), Av. Princesa Isabel, Rua Barata Ribeiro, Túnel Sá Freire Alvim, Rua Raul Pompéia, Av. Rainha Elizabeth da Bélgica, Rua Teresa Aragão, Rua Prudente de Morais, Av. General San Martin, Praça Antero de Quental (ponto regulador), Av. General San Martin, Rua Rainha Guilhermina, Av. Visconde de Albuquerque (pista sentido Av. Delfim Moreira), Av. Delfim Moreira, Av, Vieira Souto, Av. Henrique Dumont, Rua Visconde de Pirajá, Rua Gomes Carneiro, Rua Francisco Sá, Av. Nossa Senhora de Copacabana, Av. Princesa Isabel, Túnel do Leme  (galeria Engº Coelho Cintra), Av. Lauro Sodré, Av. Pasteur, Av. Repórter Nestor Moreira, Av. das Nações Unidas, Av. Infante Dom Henrique, Trevo Estudante Edson Luis de Lima Souto, Av. Beira Mar, Av. Presidente Antonio Carlos (pista lateral), Rua Primeiro de Março, Praça Pio X, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Av. Passos, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Terminal Rodoviário Procópio Ferreira,  Praça Procópio Ferreira (ponto terminal)

Observação: durante as interdições no Trevo Estudante Edson Luís de Lima Souto, decorrentes das obras de implantação do sistema VLT, deverá praticar o seguinte itinerário: ..., Av. Infante Dom Henrique, agulha de acesso à Av. Presidente Antônio Carlos, Av. Presidente Antonio Carlos (pista lateral), … 

Itinerário especial de ida (diariamente, das 23h às 4h, e aos domingos e feriados, no horário da área de lazer no Aterro do Flamengo):

Terminal Rodoviário Procópio Ferreira, Praça Duque de Caxias, Rua Visconde da Gávea, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Rua Miguel Couto, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Rio Branco, Rua Mestre Valentim, Av. Augusto Severo (pista esquerda), agulha de acesso para a pista direita, Av. Augusto Severo (pista direita), Praia do Flamengo, Praça Cuauhtemoque, Av. Oswaldo Cruz, Praça Nicarágua, Av. das Nações Unidas, Av. Lauro Sodré, Túnel do Leme (galeria Engº Marques Porto), Av. Princesa Isabel, Rua Barata Ribeiro, Túnel Sá Freire Alvim, Rua Raul Pompéia, Av. Rainha Elizabeth da Bélgica, Rua Teresa Aragão, Rua Prudente de Morais, Av. General San Martin, Praça Antero de Quental (ponto regulador), Av. General San Martin, Rua Rainha Guilhermina, Av. Visconde de Albuquerque (pista sentido Av. Delfim Moreira), Av. Delfim Moreira, Av, Vieira Souto, Av. Henrique Dumont, Rua Visconde de Pirajá, Rua Gomes Carneiro, Rua Francisco Sá, Av. Nossa Senhora de Copacabana, Av. Princesa Isabel, Túnel do Leme  (galeria Engº Coelho Cintra), Av. Lauro Sodré, Av. Pasteur, Av. Repórter Nestor Moreira, Av. das Nações Unidas, Av. Infante Dom Henrique, retorno em frente ao Monumento Estácio de Sá, Av. Infante Dom Henrique, primeiro retorno, Av. Rui Barbosa, Praça Cuauhtemoque, Praia do Flamengo, Av. Beira Mar (pista direita),  Trevo Estudante Edson Luis de Lima Souto, Av. Beira Mar, Av. Presidente Antonio Carlos (pista lateral), Rua Primeiro de Março, Praça Pio X, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Av. Passos, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Terminal Rodoviário Procópio Ferreira,  Praça Procópio Ferreira (ponto terminal)


Troncal 4 - São Conrado x Rodoviária (via Avenida Nossa Senhora de Copacabana / Aterro / Av. Francisco Bicalho)


Itinerário de ida:

Largo de São Conrado, Autoestrada Lagoa–Barra, retorno, Autoestrada Lagoa–Barra, Estrada da Gávea, Av. Aquarela do Brasil, Av. Prefeito Mendes de Morais, Av. Niemeyer, Av. Delfim Moreira, Av. Vieira Souto, Av. Henrique Dumont, Rua Visconde de Pirajá, Rua Gomes Carneiro, Rua Francisco Sá, Rua Raul Pompéia, Rua Francisco Otaviano, Av. Nossa Senhora de Copacabana, Av. Princesa Isabel, Túnel do Leme  (galeria Engº Coelho Cintra), Av. Lauro Sodré, Av. Pasteur, Av. Repórter Nestor Moreira, Av. das Nações Unidas, Av. Infante Dom Henrique, Trevo Estudante Edson Luis de Lima Souto, Av. Beira Mar, Av. Presidente Antonio Carlos (pista lateral), Rua Primeiro de Março, Praça Pio X, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Av. Passos, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Francisco Bicalho, Rua Comandante Garcia Pires, Rua Santo Cristo, Terminal Padre Henrique Otte (ponto terminal)

Observação: durante as interdições no Trevo Estudante Edson Luís de Lima Souto, decorrentes das obras de implantação do sistema VLT, deverá praticar o seguinte itinerário: ..., Av. Infante Dom Henrique, agulha de acesso à Av. Presidente Antônio Carlos, Av. Presidente Antonio Carlos (pista lateral), …

Itinerário especial de ida (diariamente, das 23h às 4h)

Largo de São Conrado, Autoestrada Lagoa–Barra, retorno, Autoestrada Lagoa–Barra, Estrada da Gávea, Av. Aquarela do Brasil, Av. Prefeito Mendes de Morais, Av. Niemeyer, Av. Delfim Moreira, Av. Vieira Souto, Av. Henrique Dumont, Rua Visconde de Pirajá, Rua Gomes Carneiro, Rua Francisco Sá, Rua Raul Pompéia, Rua Francisco Otaviano, Av. Nossa Senhora de Copacabana, Av. Princesa Isabel, Túnel do Leme  (galeria Engº Coelho Cintra), Av. Lauro Sodré, Av. Pasteur, Av. Repórter Nestor Moreira, Av. das Nações Unidas, retorno em frente ao Monumento Estácio de Sá, Av. Infante Dom Henrique, primeiro retorno, Av. Rui Barbosa, Praça Cuauhtemoque, Praia do Flamengo, Av. Beira Mar (pista direita), Trevo Estudante Edson Luis de Lima Souto, Av. Beira Mar, Av. Presidente Antonio Carlos (pista lateral), Rua Primeiro de Março, Praça Pio X, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Av. Passos, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Francisco Bicalho, Rua Comandante Garcia Pires, Rua Santo Cristo, Terminal Padre Henrique Otte (ponto terminal)

Itinerário especial de ida (aos domingos e feriados, nos horários da área de lazer no Aterro do Flamengo e na orla):

Largo de São Conrado, Autoestrada Lagoa–Barra, retorno, Autoestrada Lagoa–Barra, Estrada da Gávea, Av. Aquarela do Brasil, Av. Prefeito Mendes de Morais, Av. Niemeyer, Av. Delfim Moreira (pista junto às edificações), Av. Vieira Souto (pista junto às edificações), Av. Henrique Dumont, Rua Visconde de Pirajá, Rua Gomes Carneiro, Rua Francisco Sá, Rua Raul Pompéia, Rua Francisco Otaviano, Av. Nossa Senhora de Copacabana, Av. Princesa Isabel, Túnel do Leme  (galeria Engº Coelho Cintra), Av. Lauro Sodré, Av. Pasteur, Av. Repórter Nestor Moreira, Av. das Nações Unidas, retorno em frente ao Monumento Estácio de Sá, Av. Infante Dom Henrique, primeiro retorno, Av. Rui Barbosa, Praça Cuauhtemoque, Praia do Flamengo, Av. Beira Mar (pista direita), Trevo Estudante Edson Luis de Lima Souto, Av. Beira Mar, Av. Presidente Antonio Carlos (pista lateral), Rua Primeiro de Março, Praça Pio X, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Av. Passos, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Francisco Bicalho, Rua Comandante Garcia Pires, Rua Santo Cristo, Terminal Padre Henrique Otte (ponto terminal)

Itinerário de volta:

Terminal Padre Henrique Otte, Rua Santo Cristo, Praça Santo Cristo,  Av. Professor Pereira Reis, Via Trilhos, Rua General Luís Mendes de Morais, Viaduto Engenheiro Paulo de Souza Reis, Rua Francisco Eugênio, retorno, Rua Francisco Eugênio, Av. Francisco Bicalho (pista central), Viaduto dos Marinheiros, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Rua Miguel Couto, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Rio Branco, Av. Infante Dom Henrique, Av. das Nações Unidas, Av. Lauro Sodré, Túnel do Leme (galeria Engº Marques Porto), Av. Princesa Isabel, Rua Barata Ribeiro, Túnel Sá Freire Alvim, Rua Raul Pompéia, Av. Rainha Elizabeth da Bélgica, Av. Vieira Souto, Av. Delfim Moreira, Av. Niemeyer, Largo da Macumba, Estrada da Gávea, Largo de São Conrado (ponto terminal)

Itinerário especial de volta (diariamente, das 23h às 4h):

Terminal Padre Henrique Otte, Rua Santo Cristo, Praça Santo Cristo,  Av. Professor Pereira Reis, Via Trilhos, Rua General Luís Mendes de Morais, Viaduto Engenheiro Paulo de Souza Reis, Rua Francisco Eugênio, retorno, Rua Francisco Eugênio, Av. Francisco Bicalho (pista central), Viaduto dos Marinheiros, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Rua Miguel Couto, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Rio Branco, Rua Mestre Valentim, Av. Augusto Severo (pista esquerda), agulha de acesso para a pista direita, Av. Augusto Severo (pista direita), Praia do Flamengo, Praça Cuauhtemoque, Av. Oswaldo Cruz, Praça Nicarágua, Av. das Nações Unidas, Av. Lauro Sodré, Túnel do Leme (galeria Engº Marques Porto), Av. Princesa Isabel, Rua Barata Ribeiro, Túnel Sá Freire Alvim, Rua Raul Pompéia, Av. Rainha Elizabeth da Bélgica, Av. Vieira Souto, Av. Delfim Moreira, Av. Niemeyer, Largo da Macumba, Estrada da Gávea, Largo de São Conrado (ponto terminal)

Itinerário especial de volta (aos domingos e feriados, nos horários da área de lazer no Aterro do Flamengo e na orla):

Terminal Padre Henrique Otte, Rua Santo Cristo, Praça Santo Cristo,  Av. Professor Pereira Reis, Via Trilhos, Rua General Luís Mendes de Morais, Viaduto Engenheiro Paulo de Souza Reis, Rua Francisco Eugênio, retorno, Rua Francisco Eugênio, Av. Francisco Bicalho (pista central), Viaduto dos Marinheiros, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Rua Miguel Couto, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Rio Branco, Rua Mestre Valentim, Av. Augusto Severo (pista esquerda), agulha de acesso para a pista direita, Av. Augusto Severo (pista direita), Praia do Flamengo, Praça Cuauhtemoque, Av. Oswaldo Cruz, Praça Nicarágua, Av. das Nações Unidas, Av. Lauro Sodré, Túnel do Leme (galeria Engº Marques Porto), Av. Princesa Isabel, Rua Barata Ribeiro, Túnel Sá Freire Alvim, Rua Raul Pompéia, Av. Rainha Elizabeth da Bélgica, Rua Prudente de Morais, Av. General San Martin, Av. Bartolomeu Mitre, Av. Bartolomeu Mitre (pista direita),  Av. Rodrigo Otávio (pista esquerda), Av. Visconde de Albuquerque, Praça Rubem Dário, Av. Niemeyer, Largo da Macumba, Estrada da Gávea, Largo de São Conrado (ponto terminal)

Itinerário especial de volta (dias úteis, no horário da pista reversível na orla):

Terminal Padre Henrique Otte, Rua Santo Cristo, Praça Santo Cristo,  Av. Professor Pereira Reis, Via Trilhos, Rua General Luís Mendes de Morais, Viaduto Engenheiro Paulo de Souza Reis, Rua Francisco Eugênio, retorno, Rua Francisco Eugênio, Av. Francisco Bicalho (pista central), Viaduto dos Marinheiros, Av. Presidente Vargas (pista central), agulha acesso pista lateral Rua Miguel Couto, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Rio Branco, Av. Infante Dom Henrique, Av. das Nações Unidas, Av. Lauro Sodré, Túnel do Leme (galeria Engº Marques Porto), Av. Princesa Isabel, Rua Barata Ribeiro, Túnel Sá Freire Alvim, Rua Raul Pompéia, Av. Rainha Elizabeth da Bélgica, Rua Tereza Aragão, Praça General Osório, Rua Prudente de Morais, Av. General San Martin, Av. Bartolomeu Mitre, Av. Bartolomeu Mitre (pista esquerda),  Rua Mário Ribeiro, Av. Padre Leonel Franca, Túnel Acústico Rafael Mascarenhas, Autoestrada Lagoa-Barra, Túnel Zuzu Angel, Rua General Olímpio Mourão Filho, Av. Niemeyer, Largo da Macumba, Estrada da Gávea, Largo de São Conrado (ponto terminal)

Linhas extintas:

123 - Jardim de Alah x Rodoviária (via Central – circular)
127 - Rodoviária x Copacabana (Circular)
132 - Leblon x Central (via Aterro do Flamengo)
177 - São Conrado x Candelária (circular)
420 - Vila Isabel x Praia de Botafogo (via Túnel Santa Bárbara - circular)
421 - Vila Isabel x Prado Júnior (circular) 
423 - Grajaú x Real Grandeza (circular)
425 - Grajaú x Real Grandeza (via Túnel Santa Bárbara - circular)

Linhas encurtadas:

Novas vistas das linhas

011- Rodoviária Novo Rio X Cinelândia
456- Norte Shopping x Siqueira Campos (via Túnel  Santa Barbara - circular)
457- Abolição x Siqueira Campos (via Túnel  Santa Barbara - circular)
483- Penha x Siqueira Campos (via Túnel  Santa Barbara)
485- Penha x Siqueira Campos (via Linha Vermelha / Túnel Santa Barbara)
486- Fundão x Siqueira Campos (via Túnel  Santa Barbara)
503- Alto Leblon X Gávea (circular)
509- Horto X Jardim de Alah (circular)

Novas mudanças nas linhas de ônibus atingem também Zona Norte e Centro

22/10/2015 - O Dia

Oito itinerários são extintos e oito encurtados. Nesta fase, mais duas novas rotas são criadas

O DIA

Rio - Os usuários do transporte público enfrentarão novas alterações nos ônibus que passam pela Zona Sul. No sábado e no domingo, as mudanças serão feitas em horários especiais por causa da realização do Enem. O objetivo é não atrasar a entrada dos candidatos.

A partir das 4h de sábado, começam a operar as linhas Troncal 3 (Central x Leblon) e Troncal 4 (São Conrado x Rodoviária). No domingo,, a extinção de linhas e as alterações de itineráriosserão a partir das 14h, logo após o fechamento dos portões dos locais de prova do ENEM, que ocorre às 13h.

Passageiros devem ficar atentos com a extinção de linhas e a alteração de percursos dos ônibus do Rio
Foto: Banco de imagens / Agência O DIA

A partir das 4h de segunda-feira, ocorrerá a extinção das linhas 420, 421, 423 e 425. Nesta segunda etapa da 1ª fase do planejamento serão criadas duas linhas troncais, oito linhas serão substituídas e as outras oito terão seus trajetos encurtados.

A primeira etapa teve início dia 3 de outubro e 11 linhas foram transformadas em 5 novas criadas para o novo sistema. Segundo a Secretaria Municipal de Transporte, a implementação ocorreu dentro do planejado, com pequenos ajustes nos primeiros dias.

A estimativa é de melhoria de 30% em desempenho. Os usuários passam a contar com sete novas linhas, sendo quatro integradas e três troncais, substituindo, no total, 19 linhas que tinham trajetos iguais.

“Seguiremos buscando um melhor uso das vias e um serviço de melhor qualidade para os usuários que passam a contar com mais opções de trajetos, serviços e integrações no deslocamento pela cidade” afirmou Rafael Picciani, secretário municipal de Transporte.

As linhas troncais substituem as linhas 123 (Jardim de Alah x Candelária), 132 (Central x Leblon) e 177 (São Conrado x Candelária).

Ainda no sábado, ocorrerá a alteração do itinerário da linha 011 (Fátima x Rodoviária Novo Rio). Para ajudar na compreensão dos passageiros, o “letreiro” das linhas troncais vai indicar também as linhas nas quais foram substituídas. Exemplo: “Troncal 3/ Antiga Linha 132”.

No domingo, 25, serão feitas as seguintes mudanças: extinção da linha 127; encurtamento das linhas 509 (antiga 124), 456, 457, 483, 485, 486 e 503.

O objetivo das mudanças é acabar com a sobreposição dos trajetos e a disputa por passageiros nos pontos. O sistema não terá grande quantidade de coletivos fazendo trajetos semelhantes e circulando abaixo da capacidade. 

Novos caminhos

24 DE OUTUBRO 

SÁBADO - A partir das 4h


NOVAS LINHAS: 

Troncal 3 - Central x Leblon (Via aterro / Av. Nossa Senhora de Copacabana - Circular)

Troncal 4 - São Conrado x Rodoviária (Via Av. Nossa Senhora de Copacabana / Aterro / Av. Francisco Bicalho)


LINHAS EXTINTAS:

123 - (Jardim de Alah x Rodoviária - Via Central/ Circular)

132 - (Leblon x Central - Via Aterro do Flamengo)

177 - (São Conrado x Candelária - circular)

LINHAS ENCURTADAS: 

011 - Fátima x Rodoviária Novo Rio (circular) 011 - Rodoviária Novo Rio xCinelândia


25 DE OUTUBRO 

DOMINGO - A PARTIR DAS 14H


LINHA EXTINTA: 

127 - Rodoviária x Copacabana (circular)

LINHAS ENCURTADAS:

456 - Norte Shopping x General Osório /Via Túnel Santa Barbara 456 - Norte Shopping x Siqueira Campos (Via Túnel Santa Barbara - circular)

457 - Abolição x General Osório (via Tunel Santa Barbara) 457 - Abolição x Siqueira Campos (Via Túnel Santa Barbara - circular)

483 - Penha x Copacabana (Circular) 483 - Penha x Siqueira Campos (Via Túnel Santa Barbara - circular)

485 - Penha x General Osório 485 Penha x Siqueira Campos (Linha Vermelha / Tunel Santa Barbara)

486 - General Osório x Fundão 486 - Fundão x Siqueira Campos (Via Túnel Santa Barbara) 

503 - Alto Leblon - Ipanema 503 - Alto Leblon x Gávea (circular)

509- Antiga 124 (Jardim Botânico/ Horto x Central - Via Copacabana) 509 - Horto x Jardim de Alah (circular)

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Governo do Rio quer controle por biometria facial nos ônibus intermunicipais

22/10/2015 - O Dia

Para tentar reduzir fraudes no uso do Bilhete Único e dos cartões de gratuidade nos transportes, o governo estadual quer implementar uma nova tecnologia nos ônibus intermunicipais do estado. O controle por biometria facial. O projeto de lei para instituir a medida foi enviado ontem para a Assembleia Legislativa (Alerj), e o governo espera economizar cerca R$ 50 milhões por ano com o combate às irregularidades.

O sistema prevê a instalação de câmeras digitais nos coletivos, que captam a identificação facial e enviam para um banco de dados, onde é feita a comparação com as fotos cadastradas nos registros de gratuidades e dos Bilhetes Únicos. Caso os dados indiquem que as imagens não são do titular dos cartões, o nome do passageiro iria para uma lista, que seria investigada.

“A ideia não é travar a roleta. Não haverá inconveniente algum para os passageiros. Quando o sistema indicar o uso indevido do cartão, o titular é chamado e, se comprovada a fraude, vamos aplicar as penalidades previstas na lei, como a suspensão do benefício por até um ano”, afirmou o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio.

O texto também prevê aplicação de penalidades no caso de fraudes que vão da suspensão temporária do benefício ao cancelamento, em caso de reincidência, e apuração de responsabilidade penal. O secretário explicou ainda que, em março, o governo pensou na proposta de implementar o controle por biometria digital, mas que a receptividade entre os deputados não foi boa.

A checagem pelas digitais foi implementada em alguns municípios fluminenses, como São Gonçalo e Niterói, e chegou a ser suspensa na Justiça após reclamações de passageiros, que alegaram demora na validação e constrangimento.

“A experiência com biometria digital em Niterói deu muito errado. Precisamos analisar esse projeto com muita calma”, disse o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol).

80 viajaram de graça no BRT

Em dois dias, 130 passageiros se cadastraram e 80 já viajaram de graça nos ônibus expressos do BRT. Eles levaram embalagens recicláveis e, em troca, ganharam um cartão RioCard com carga para uma passagem, no valor de R$ 3,40. Uma máquina, localizada ao lado da bilheteria, do Terminal Alvorada, na Barra, recolheu 500 vasilhames.

O material será levado para reciclagem pela ONG Doe seu Lixo. Para participar, basta digitar o CPF e depositar na máquina PETs, latas de alumínio ou embalagens da Natura, a patrocinadora. Ao completar cinco embalagens, a pessoa recebe uma passagem, tendo direito a duas por dia. “Queremos mudar hábitos da população e incentivar a reciclagem”, afirmou Murilo Farah, da ONG Benfeitoria, idealizadora da iniciativa.

Por Claudio Souza
Informações: O Dia

Bilhete único de ônibus e trem vai aumentar para R$ 5,90

22/10/2015 - O Globo

Prefeitura não explicou motivos de reajuste, que ainda não tem data para entrar em vigor
  
POR LUIZ ERNESTO MAGALHÃES 

RIO — Os usuários de trens e ônibus municipais que têm o Bilhete Único Carioca (BUC) gastarão 25,53% a mais para usufruir os serviços de forma integrada. Em decreto publicado ontem, o prefeito Eduardo Paes decidiu reajustar o valor do bilhete de R$ 4,70 para R$ 5,90. A data para que o aumento entre em vigor ainda não foi divulgada.

Com o reajuste, o usuário, que economizava R$ 2 por viagem, passará a ter um abatimento de apenas R$ 0,80. Isso porque, se não usasse o BUC, pagaria R$ 6,70 (R$ 3,40 pela passagem de ônibus e R$ 3,30 pela de trem). A medida atingirá quase 40 mil viagens feitas diariamente nos dois sistemas, de acordo com informações, atualizadas em julho, do portal Transparência da Mobilidade.

O reajuste no BUC ocorreu sem que tenha havido recentemente qualquer aumento nas tarifas dos dois sistemas. No caso dos ônibus, o último aumento entrou em vigor no dia 10 de janeiro, quando a passagem subiu de R$ 3 para R$ 3,40. No caso da SuperVia, a tarifa passou, em fevereiro, de R$ 3,20 para R$ 3,30. O secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, não foi localizado ontem à noite para explicar o reajuste. Em nota, a secretaria justificou a decisão como uma forma de evitar um desequilíbrio financeiro dos sistemas. Disse ainda que o valor de R$ 5,90 equipararia a cobrança à tarifa desembolsada pelos usuários do Bilhete Único Estadual, cujas tarifas são subsidiadas.

A Secretaria estadual de Transportes preferiu não se manifestar, porque não existem subsídios concedidos a empresas quando a integração com os trens é feita com coletivos municipais. O usuário paga R$ 5,90 pelo Bilhete Único Estadual na integração dos trens com as linhas intermunicipais da Região Metropolitana ou o serviço de vans intermunicipais. Sem o Bilhete Único, o passageiro pagaria R$ 6,45 (R$ 3,30 pelos trens e R$ 3,15 por ônibus ou vans).

A nota da Secretaria de Transportes não convenceu o engenheiro especialista em transportes e professor da Uerj Alexandre Rojas. Para ele, não é lógico comparar dois tipos de Bilhete Único que têm estratégias de aplicação diferenciadas.

— Não consigo entender a lógica do aumento. O poder público tem que ser mais transparente. Se existe a necessidade de alterar o valor do Bilhete Único, é preciso apresentar planilhas de custo que fundamentem essa decisão — disse Rojas.

A SuperVia disse ter tomado conhecimento do sinal verde para o aumento, mas não informou quando ele passa a vigorar.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/bilhete-unico-de-onibus-trem-vai-aumentar-para-590-17844392#ixzz3pIFaVnTZ 

© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Trafi: app de transporte público chega ao Brasil com meta de 1 milhão de MAUs em um ano

21/10/2015 - Mobile Time

As cidades de São Paulo e Rio de Janeiro ganharam esta semana um novo aplicativo com informações em tempo real sobre seus respectivos sistemas de transporte público, o Trafi (Android, iOS). O Brasil é o primeiro país de fora da Europa a receber o serviço, que está presente em cidades da Turquia, Rússia, Lituânia, Estônia e Letônia. A meta da empresa é conquistar 1 milhão de usuários ativos mensais (MAUs, na sigla em inglês) dentro de 12 meses no País, informa seu CEO, Martynas Gudonavicius, em entrevista por email para MOBILE TIME. "O Brasil é um grande mercado e seu transporte público ainda sofre com problemas de pontualidade e confiabilidade. Então acreditamos que podemos ajudar muito", acrescentou.

O Trafi traz informações detalhadas sobre o percurso de todos os transportes públicos das duas cidades brasileiras. No caso do Rio de Janeiro, por exemplo, além das linhas de ônibus, BRT, metrô, trem metropolitano e barcas, o Trafi inclui ainda os trajetos dos teleféricos nos morros da Providência e do Alemão e até do funicular do Corcovado. No caso dos veículos dotados de GPS, como os ônibus das linhas regulares da cidade, é possível ver seu deslocamento em tempo real sobre o mapa. O app permite planejar rotas utilizando transporte público e consegue estimar o tempo de viagem. Ao escolher a rota preferida, o usuário vê no mapa onde estão os ônibus que vai pegar e é informado sobre quantos minutos faltam para o próximo veículo chegar ao ponto onde se encontra.

Foram necessários aproximadamente seis meses para adaptar o app para o Brasil. "Foi relativamente fácil, já que as duas cidades adotam uma política de dados abertos", comentou o executivo. No momento a empresa não tem um escritório local, apenas um gerente de comunidade no Brasil. Dependendo do sucesso que obtiver nos próximos meses , avaliará a possibilidade de abrir um escritório e contratar um country manager. Há planos de expandir o serviço para mais cinco grandes cidades brasileiras em um futuro próximo.

Uma das vantagens do Trafi sobre outros concorrentes é a possibilidade de salvar mapas e rotas no smartphone para acesso offline. A funcionalidade está disponível somente para quem conseguir convencer um amigo a instalar o app, em uma estratégia para estimular a expansão da base. "Os planos de dados são caros (no Brasil), especialmente para usuários pré-pagos, assim como a qualidade do serviço não é muito boa. Por isso, a opção do modo offline faz do Trafi a única opção para os usuários do Rio de e de São Paulo se eles quiserem acessar informações sem conexão à Internet", explicou Gudonavicius.

O executivo destaca outros diferenciais do Trafi sobre os concorrentes: "Nossos algoritmos nos permitem ser muito mais precisos que o Moovit ou o Google Maps. E temos um conjunto de ferramentas que provemos para autoridades de transporte público. No fim das contas somos uma plataforma para as cidades, não apenas um aplicativo".

Modelo de negócios

Por enquanto o Trafi não gera receita em nenhum mercado onde atua. Seu objetivo por ora consiste em conquistar uma massa crítica de usuários para depois pensar em monetização. Até o momento foram investidos 6,5 milhões de euros no projeto.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Depois de incêndio, estação do BRT é reaberta nesta quinta-feira

20/10/2015 - Jornal do Brasil

O Consórcio BRT iniciou na tarde desta terça-feira (20) os trabalhos de recuperação da estação Cesarão 2, que foi parcialmente destruída por um incêndio durante a madrugada. A reabertura da estação está prevista para esta quinta-feira (22), na parte da manhã. Por dia, aproximadamente 600 passageiros utilizam a Cesarão 2 para embarcar no BRT.

As áreas mais atingidas pelas chamas foram a lateral, o forro do teto e a bilheteria, além da fiação que controla as portas automáticas, catracas e a tubulação de água. A restauração dos danos estruturais foi estimada em R$ 10.000 pelo Consórcio, que ainda terá que arcar com o prejuízo dos dias em que a estrutura estiver desativada. 

Nova fase de mudanças em ônibus começa no sábado

No domingo, alterações só ocorrerão após o início da prova do Enem
  
21/10/2015 - O Globo

RIO — Começa neste final de semana a segunda etapa do programa de redução do número de linhas de ônibus na cidade. Nesta fase, as modificações vão alterar a rotina de passageiros das zonas Sul e Norte. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, serão criadas duas linhas troncais, oito linhas serão substituídas e outras oito terão seus trajetos encurtados. Por causa da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste fim de semana, a prefeitura optou por só iniciar a extinção de linhas no domingo, na parte da tarde, para evitar transtornos no deslocamento dos estudantes para os endereços de prova.

Com as modificações, duas linhas que serão criadas para fazer a conexão da Zona Sul com o Centro. No sábado, entrarão em operação, a partir das 4h, as linhas Troncal 3, que ligará o Leblon à Central do Brasil, via Aterro e a Troncal 4, irá de São Conrado à Rodoviária Novo Rio, também pelo Aterro.

As troncais vão substituir as linhas 123 (Jardim de Alah x Candelária – circular), 132 (Central x Leblon - via Aterro do Flamengo – circular) e 177 (São Conrado x Candelária – circular), que serão extintas.

No sábado, ocorrerá, ainda, a alteração de itinerário da linha 011 (Fátima X Rodoviária Novo Rio – circular). Segundo a prefeitura, para facilitar a compreensão dos passageiros, o “letreiro” das linhas troncais indicará também as linhas substituídas. Na Troncal 3, por exemplo, estará escrito Troncal 3/Antiga Linha 132.

No domingo, as mudanças só ocorrerão a partir das 14h, após o fechamento dos portões de locais de testes do Enem, que acontece às 13h. Neste horário, vão acontecer as seguintes mudanças: extinção da linha 127; encurtamento das linhas 509 (antiga 124), 456, 457, 483, 485, 486 e 503.

A partir das 4h de segunda-feira, dia 26, ocorrerá a extinção das linhas 420, 421, 423 e 425.

Na primeira etapa, iniciada há três semanas, 11 linhas da Zona Oeste foram extintas. No lugar delas, três foram criadas (Integradas 1, 2 e 9) para dar conta da demanda. Nos primeiros dias, houve muita reclamação dos usuário por causa da falta de informação. Passageiros de Piabas (Vargem Grande), por exemplo, que seguiam para o Centro não conseguiram fazer a integração gratuita no Shopping RioSul, em Botafogo, utilizando o Bilhete Único. Como a viagem ultrapassava o tempo de duas horas e meia entre um embarque e o outro, foi preciso pagar pela segunda passagem.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/nova-fase-de-mudancas-em-onibus-comeca-no-sabado-17837513#ixzz3pEFIWvVh 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Segunda etapa da redução das linhas de ônibus será dia 24

16/10/2015 -O Globo

Com as mudanças, oito linhas deixam de exitir e oito terão os seus trajetos encurtados
  
POR RENAN FRANÇA 

Na primeira fase das mudanças, nova linha integrada que substituiu ligações diretas entre Centro e Barra tem pontos em Botafogo - Marcelo Carnaval / O Globo

RIO - A prefeitura divulgou, na manhã desta sexta-feira, a programação da segunda fase de redução das linha de ônibus na cidade. Se na primeira etapa foram os usuários da Zona Oeste os mais afetados, desta vez as mudanças atingem passageiros Zona Sul e Norte. Segundo a prefeitura, a partir do dia 24, deixam de existir oito linhas e mais oito terão os seus trajetos encurtados.

Com as modificações, duas linhas que serão criadas - denominadas Troncais 3 e 4 - farão conexão com a Zona Sul ao Centro: a Integrada 3 ligará o Leblon à Central do Brasil, via Aterro; e a Integrada 4 o bairro de São Conrado à Rodoviária Novo Rio, também via Aterro.

Alguns passageiros da Zona Norte não terão mais Ipanema como ponto final. Das quatro linhas que terão os seus trajetos encurtados, todas passarão a fazer ponto final próximo à estação de metrô Siqueira Campos, em Copacabana.

Na Zona Sul também haverá linhas com mudanças nos itinerários. A linha 583 (Alto Leblon - Ipanema), por exemplo, passará a fazer ponto final na Gávea. Já a 124 (Jardim Botânico - Central) não irá mais para o Centro. A linha será circular e irá até o Jardim de Alah, em Ipanema. Para os passageiros que quiserem seguir para o Centro, a melhor opção será caminhar até a orla e pegar a linha Troncal 3.

O avanço gradual do processo de racionalização das linhas, segundo a prefeitura, tornará as faixas BRS de ônibus 30% mais eficientes. A justificativa da mudança é que o novo sistema acabará com a sobreposição de trajetos e a disputa por passageiros nos pontos de parada.

Na primeira etapa, iniciada há duas semanas, 11 linhas da Zona Oeste foram extintas. No lugar delas, cinco foram criadas. A prefeitura diz que a implementação ocorreu dentro do planejado, com pequenos ajustes nos primeiros dias.

A partir da semana que vem, agentes da Rio Ônibus vão distribuir panfletos em pontos da cidade com maior concentração de passageiros. Haverá cartazes nos pontos de ônibus informando sobre as mudanças.

Linhas extintas:

123 - Jardim de Alah x Rodoviária (via Central – circular)

127 - Rodoviária x Copacabana (Circular)

132 - Leblon x Central (via Aterro do Flamengo)

PUBLICIDADE

177 - São Conrado x Candelária (circular)

420 - Vila Isabel x Praia de Botafogo (via Túnel Santa Bárbara - circular)

421 - Vila Isabel x Prado Júnior (circular)

423 - Grajaú x Real Grandeza (circular)

425 - Grajaú x Real Grandeza (via Túnel Santa Bárbara - circular)

Linhas encurtadas:

011 - Atual - Fátima X Rodoviária Novo Rio (circular) para Rodoviária Novo Rio X Cinelândia

456 - Atual Norte Shopping x General Osório (via Túnel Santa Barbara) para Norte Shopping x Siqueira Campos (via Túnel Santa Barbara - circular)

457 - Atual Abolição x General Osório (via Tunel Santa Barbara) para Abolição x Siqueira Campos (via Túnel Santa Barbara - circular)

483 - Atual Penha x Copacabana (circular) para Penha x Siqueira Campos (via Túnel Santa Barbara)

485 - Atual Penha x General Osório (circular) para Penha x Siqueira Campos (via Linha Vermelha / Túnel Santa Barbara)

486 - Atual General Osório x Fundão (circular) para Fundão x Siqueira Campos (via Túnel Santa Barbara)

503 - Atual Alto Leblon - Ipanema (Circular) para Alto Leblon X Gávea (circular)

509 - Atual 124 (Jardim Botânico/Horto X Central – via Copacabana) para Horto X Jardim de Alah (circular)

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/segunda-etapa-da-reducao-das-linhas-de-onibus-sera-dia-24-17792292#ixzz3olBZIKRP 

© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

domingo, 11 de outubro de 2015

Prefeitura multa consórcio por atraso no BRT Transbrasil

10/10/2015 - O Globo

RIO — A Secretaria municipal de Obras multou em R$ 137,1 mil o Consórcio Transbrasil, devido a atrasos nas obras de implantação do BRT Transbrasil. O projeto prevê a implantação de um corredor de ônibus articulados na Avenida Brasil, ligando, inicialmente, o Caju a Deodoro. Em canteiros nos bairros de Bonsucesso, Manguinhos e Vista Alegre, o atraso chega a 11,76% dos serviços. O consórcio ainda pode recorrer.

Um dos trechos com atrasos é o mesmo onde, na quinta-feira, ocorreu um acidente: o motorista de um ônibus que seguia em direção ao Centro perdeu a direção e invadiu as pistas em sentido contrário, atingindo e matando um soldado da PM que pilotava uma motocicleta. A demora na liberação da pista provocou um nó no trânsito do Rio, com reflexos em cidades vizinhas, como Niterói e São Gonçalo.

VIOLÊNCIA SERIA PROBLEMA

Oficialmente, o motivo do atraso teria caráter exclusivamente técnico, ligado à complexidade da execução dos serviços num dos principais corredores de tráfego da cidade. Fontes ligadas ao projeto, no entanto, afirmaram ao GLOBO que os operários estariam enfrentando dificuldades para trabalhar principalmente à noite, devido a ameaças de traficantes do Complexo da Maré. A prefeitura e o consórcio negaram que a violência seja um empecilho. Já a Secretaria de Segurança informou não ter recebido qualquer denúncia em relação a obra.

Por meio de sua assessoria, o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, informou que a aplicação de multa é uma prática rotineira no acompanhamento de contratos. Disse ainda que o atraso no cronograma pode ser recuperado. Segundo a secretaria, a multa foi aplicada por atrasos na modernização da rede de drenagem na altura dos bairros de Manguinhos e Vista Alegre. Os prazos também não foram cumpridos em alguns serviços realizados na via entre as passarelas 2 e 6 e também no trecho onde será construído um viaduto que ligará o Transbrasil ao BRT Transcarioca (Barra-Fundão).

O Consórcio Transbrasil preferiu não se manifestar sobre a multa. A empresa tem até a próxima quinta-feira para justificar os atrasos e tentar anular a punição. O consórcio é formado é formado pelas empresas Odebrecht, OAS e Queiroz Galvão, citadas na Operação Lava Jato. A Secretaria de Obras negou que o envolvimento das empreiteiras com o escândalo tenha relação com os atrasos. Segundo o município, cerca de dois mil operários trabalham nos canteiros da obra.

CONCLUSÃO ATÉ O FIM DE 2017

Os trabalhos de implantação do BRT Transbrasil começaram no fim do ano assado. O corredor chegou a ser anunciado pela prefeitura como um dos projetos de mobilidade urbana para os Jogos Olímpicos. No entanto, o cronograma foi revisto. A previsão agora é que os serviços sejam concluídos até o fim de 2017.

O custo total é de R$ 1,4 bilhão e inclui a implantação de 16 estações ao longo de 23 quilômetros. No trecho que vai do Trevo das Margaridas ao Caju, haverá duas faixas destinadas ao BRT. Por isso, uma nova está sendo construída nas pistas centrais, para que sejam mantidas as três existentes atualmente para o restante dos veículos. Do Trevo das Margaridas até Deodoro, uma faixa de trânsito já existente será segregada para a passagem dos ônibus articulados. Em Deodoro, haverá uma ligação com o BRT Transolímpico, que também se encontra em construção. Ele ligará Deodoro à Barra da Tijuca e ao Recreio dos Bandeirantes e terá também pistas para carros de passeio, com cobrança de pedágio.

BRT da RJ-104 trará benefício para 200 mil

11/10/2015 - O Fluminense

Um dos mais esperados projetos de mobilidade urbana para a Região Metropolitana do Estado do Rio está perto de sair do papel. A implantação do Bus Rapid Transit (BRT) que ligará Niterói a Manilha através de um corredor exclusivo, cortará a Avenida Feliciano Sodré, no Centro, passando pela Alameda São Boaventura, no Fonseca, e percorrendo toda a RJ-104. Terá 29,6 km de extensão, 6 terminais e 36 estações. Segundo o secretário estadual de Transportes, Carlos Osório, o projeto prevê 120 ônibus articulados com capacidade para receber até 200 mil passageiros por dia. No projeto apresentado na última semana pelo Governo do Estado e pelo Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj) durante o Seminário Caminhos da Mobilidade Urbana, na Universidade Candido Mendes, o BRT que sairá no Terminal João Goulart terá integração com linhas de ônibus municipais e barcas na Estação Arariboia. Já no Ponto Cem Reis, o Terminal Santana será feito na altura da Ponte Rio-Niterói e haverá integração com ônibus intermunicipais.

Já no terceiro terminal, que será construído no Baldeador, haverá integração com ônibus do município de Niterói. No quarto terminal, que será feito em Tribobó – já em São Gonçalo – haverá integração com os ônibus que passam pela RJ-106, em Maricá. O projeto prevê ainda a construção de dois terminais, sendo um em Alcântara, integrando com ônibus municipais de São Gonçalo e outro em Manilha, que se integrará com ônibus que passam pela BR-101 (Itaboraí, Tanguá e Rio Bonito).

"As estações dos corredores serão de dois tipos: bidirecionais e unidirecionais, uma vez que em todas as estações haverá faixa de ultrapassagem. Com a implantação dos terminais, a princípio, haverá apenas a relocação do posto da Polícia Rodoviária e o pátio de carros apreendidos localizados na altura do Trevo de Tribobó para um terreno em frente ao Instituto Médico Legal (IML). O espaço onde hoje funcionam esses serviços dará lugar ao terminal com a integração dos ônibus que passam pela RJ-106”, contou Carlos Osório.

Eunice Horácio, gerente de Mobilidade Urbana da Fetranspor, defendeu a implantação da construção do BRT. Segundo ela, se o metrô da Linha 3 hoje custa aos cofres públicos cerca de R$ 5 bilhões, com o transporte articulado o custo dos dois corredores (Niterói x Manilha e Niterói x AlcÂntara) sairia por R$ 1,5 bilhão.

No projeto apresentado pela gerente no Seminário serão 120 ônibus articulados que atenderão 1,6 milhão de pessoas nos municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. O tempo estimado de intervalo entre as viagens será de apenas dois minutos, considerado o grande diferencial para a aceitação dos moradores dos três municípios em pesquisa de opinião realizada recentemente a pedido da Fetranspor.

"Segundo o resultado dessa pesquisa, feita pelo Instituto Informa entre maio e junho deste ano, o BRT teve uma aceitação de 95% dos mil entrevistados, entre usuários e não usuários de ônibus. Isso nos mostra a necessidade de implantação do corredor exclusivo e o quanto o BRT vai ser importante para milhares de usuários”, disse Eunice.

Ainda de acordo com o projeto apresentado por Eunice, na estação do terminal de Tribobó há a previsão da expansão futura do sistema BRT sentido Maricá, na altura do trevo. O projeto para a implantação ainda é embrionário, porém, em vias de ser desenvolvido no início do ano que vem, segundo informou a gerente.

Uma outra proposta de corredor que ligaria Niterói a Alcântara apresentada pelo Setrerj, durante o seminário, sairia com custos mais baixos (R$ 764 milhões). A demanda diária de passageiros prevista seria de 146 mil passageiros e teria 18 km de uma extensão total de corredor. O número de veículos articulados seria de 78, atendendo apenas dois municípios (Niterói e São Gonçalo).

"A estimativa de custos da Rede de BRT do Leste Metropolitano incluindo obras, desapropriações e infraestrutura compartilhada seria de R$ 1,5 bilhão. O prazo de planejamentos e projetos é de 18 meses. Já o prazo para as obras é de 24 meses, a partir do início das intervenções”, revelou Eunice Horácio.

Vantagens – Os BRTs já existentes hoje (Transoeste e Transcarioca) reduziram drasticamente o tempo de viagem dos cariocas, segundo estudos apresentados pelo Governo do Estado, onde moradores que se deslocavam da Barra da Tijuca até a Ilha do Governador reduziram o tempo de viagem em até 60%. O objetivo é fazer o mesmo para os moradores da Região Metropolitana, como solução para desatar o nó das grandes cidades.

"Pesquisas mostram o quanto o sistema de BRT foi importante para os moradores. Em grandes cidades onde a velocidade média durante a semana é de 30 km/h, com o BRT esse tempo aumenta, já que teremos menos carros nas ruas. O tempo de implantação do projeto é menor do que o metrô, os custos são menores e o resultado é o ganho em tempo e qualidade de vida de quem usufrui desse serviço”, enumerou superintendente do Setrerj Márcio Coelho Barbosa.

Como característica, todo sistema BRT tem um corredor exclusivo e segregado na faixa da esquerda, permitindo, pelo menos, ultrapassagem nas estações e minimização da interferência com o tráfego geral, aumentando velocidade operacional dos serviços; estações de plataforma elevada para embarque e desembarque em nível com os veículos, reduzindo o tempo de acesso e egresso dos usuários aos veículos.

O pagamento de tarifa e validação do bilhete na entrada das estações e terminais visam minimizar o tempo de embarque/desembarque dos passageiros. Além disso, há um padrão da utilização de veículos de alta capacidade, que são os ônibus articulados de 21 a 23 metros com capacidade de até 180 passageiros e com porta à esquerda para os serviços troncais, que operam no corredor.

Outra vantagem levantada por especialistas e ambientalistas é que a implantação do BRT diminui a emissão de monóxido de carbono (CO) em até 87%; o de hidrocarbonetos (HO) em até 81%; a emissão de material particulado (MP) em 95%, além da comercialização de créditos de carbono, menos ruído e inserção adequada ao ambiente urbano.

"Uma ação como essa também contribuiria para a economia de energia e a redução da poluição atmosférica, especialmente se for priorizada a implantação de sistemas que ofereçam melhor qualidade e com tecnologias limpas”, informou por meio de nota a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU).

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Passageiros não conseguem usar bilhete único no prazo

07/10/2015 -O Globo

Com baldeação, moradores da Zona Oeste levam mais de 3h até o Rio Sul e pagam nova tarifa para o Centro
  
RENAN FRANÇA

Ana Paula sentada no chão do ônibus antes de passar pela roleta: estratégia não deu resultado - Renan França / O Globo

RIO — De carro, em condições normais, duas horas são suficientes para ir a Petrópolis, cidade serrana a cerca de 80 quilômetros do Rio. Mas, no trânsito pesado da cidade, moradores de Vargem Grande, na Zona Oeste, não conseguem, nesse tempo, cruzar de ônibus os 40 quilômetros que separam o bairro de Botafogo. Eles conhecem a via crucis há tempos. Só que, desde segunda-feira, primeiro dia útil após a extinção de 11 linhas da Zona Oeste, a vida de quem deixa o bairro com destino ao Centro ficou pior. Agora, em toda viagem há necessidade de baldeação. Segundo a campanha do Sindicato das Empresas de Ônibus da cidade (Rio Ônibus), o melhor ponto de transferência é no Shopping Rio Sul, em Botafogo. Porém, quem opta por esse caminho está pagando a mais por isso.

A gerente comercial Ana Paula Perez tentou dar seu jeito. Assim que embarcou na linha integrada 9, em Vargem Grande, pouco minutos depois das 8h, deu de ombros aos lugares vazios. Preferiu sentar no chão, ao lado do motorista. A estratégia foi evitar passar na roleta para não ter o Bilhete Único validado. Para quem possui o cartão, é possível realizar uma segunda viagem sem pagar, desde que o intervalo entre um embarque e outro seja feito em até 2 horas e meia. Ana Paula levantou e passou pela roleta pouco antes das 8h30, imaginando que o tempo seria suficiente. Mas não deu. Quando chegou ao Shopping Rio Sul, às 11h05, o tempo já havia estourado.

— Amanhã (quarta-feira) farei a mesma coisa, mas vou permanecer por mais tempo sentada no chão antes de passar. Hoje (terça-feira), meia hora não foi suficiente. Como o trânsito parecia bom, acabei me precipitando. Hoje (terça-feira), ficarei no prejuízo, mas serve de lição — diz a gerente comercial, que, até sexta-feira, utilizava apenas a linha 382 para chegar ao Aeroporto Santos Dumont, onde trabalha.

De acordo com a prefeitura, nessa primeira fase da extinção de linhas de ônibus, cerca de 45 mil passageiros foram afetados e tiveram que procurar novas alternativas. Uma delas é o caminho pela Linha Amarela, até o Centro. A prefeitura manteve tanto a 361, que liga o Recreio ao Largo da Carioca — a frota foi duplicada de seis para 12 veículos — quanto a 315, que liga o Recreio à Central (o número de coletivos aumentou de 20 para 36). Na segunda-feira, no ponto da 361, o despachante da linha informou que os dois primeiros ônibus que partiram do ponto final no Recreio transportaram quase o dobro de passageiros (220 contra 130 antes da mudança).

Outra opção para os moradores seria o BRT Transoeste, vindo de Santa Cruz. Neste caso, moradores de Vargem Grande reclamam da superlotação. Segundo o consórcio, o sistema transporta diariamente, em horário de pico, 13 mil passageiros por hora.

— Os passageiros de Vargem Grande, Recreio e Barra, no horário da manhã, não podem contar com o BRT, que vem lotado. É um modal de transporte que, em pouco tempo de operação, atingiu seu limite no horário de pico. Nesse sistema, 15 mil passageiros por hora indicam que ele precisa ser aumentado — diz Alexandre Rojas, professor do Departamento de Engenharia de Transporte da Uerj. — A prefeitura deveria reavaliar o tempo de duração do Bilhete Único. A cidade está com obras por todo lado. No passado, ela (a prefeitura) aumentou a tolerância, agora deveria fazer isso de novo até o trânsito do Rio melhorar.

Faltavam poucos minutos para as 8h quando o primeiro passageiro embarcou, na manhã desta terça-feira, na linha integrada 9 (Piabas-Rio Sul). Era o professor de português André Luiz Nunes, que mora com a namorada em Vargem Grande. Apesar de trabalhar em uma escola no bairro do Jacarezinho, nesta terça-feira seu destino era o Centro. Sem usar a mesma estratégia da vizinha de bairro, André passou pela roleta e escolheu o primeiro banco vago atrás do motorista. Durante a viagem, ele ouviu música, leu jornal e acessou as redes sociais. Depois de 3 horas e 10 minutos de viagem, desembarcou em Botafogo.

— O jeito agora é entrar e não sentar. Vou usar meu tempo disponível na viagem para fazer projeções e tentar adivinhar se dará ou não tempo de fazer a integração — brincou o professor. — Perder um dia não faz tanta diferença, mas, se for recorrente, dá um desfalque no orçamento mensal — diz André.

O secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, argumentou que o programa de redução das linhas de ônibus provoca uma mudança de hábito na população, gerando preocupação nos usuários. Segundo ele, os passageiros vão encontrar o melhor caminho para utilizar o serviço.

— Existe um ponto de integração no Shopping Rio Sul, mas não é só lá — disse o secretário, destacando que o passageiro pode descer no Shopping Fashion Mall, em São Corando, e lá pegar as linhas 177 ou 172 para chegar ao Centro.

Questionado sobre a campanha do Rio Ônibus — que desde a semana passada distribui folhetos sugerindo a baldeação no Rio Sul —, ele disse ter sido informado de que motoristas da linha que liga Piabas a Botafogo é que ficariam a cargo de avisar os passageiros sobre os melhores caminhos.

— Não posso afirmar se isso está sendo feito. O que posso garantir é que o impacto no trânsito vai começar a diminuir com a inauguração do (novo) Elevado do Joá, na Barra. Além disso, com menos ônibus na rua, os corredores BRS vão ganhar eficiência. Poderemos até diminuir o tempo de integração do Bilhete Único.

De acordo com a prefeitura, o percentual de moradores de Vargem Grande que fazem integração para o Centro é de apenas 1,9%.

A partir do dia 24 de outubro, a prefeitura vai começar a segunda fase do programa de redução das linhas. A mudança vai mexer com itinerário de coletivos que vêm da Zona Norte para o Centro. Os trajetos que vão sofrer alteração, no entanto, ainda não foram divulgados.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/passageiros-nao-conseguem-usar-bilhete-unico-no-prazo-17707925#ixzz3nsts6YQk 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Passageira viaja no chão para não perder bilhete único

06/10/2015 - O Globo

Com menos ônibus, usuários evitam roleta para não ultrapassar as 2h30m da integração
  
RENAN FRANÇA 

Gerente comercial Ana Paula Perez teme ter que gastar mais com as passagens e, por isso, não passa pela roleta e senta no chão - Renan França / Agência O Globo

RIO — O segundo dia útil do novo sistema de ônibus, com extinção de 11 linhas que saem da Zona Oeste para a Zona Sul, tem provocado preocupação para quem usa o bilhete de integração, que tem duração de até 150 minutos. Com as mudanças nos coletivos, as pessoas temem ter que gastar mais com as passagens por ficarem mais tempo em um mesmo ônibus. Por isso, a solução encontrada por algumas pessoas é entrar no coletivo, não passar pela roleta, sentar no chão, ao lado do motorista.

A ideia é da gerente comercial Ana Paula Perez, de 39 anos, moradora de Vargem Pequena. Ela conta que, na segunda-feira, fez a viagem de casa até o shopping RioSul, em Botafogo, na Zona Sul, em quase duas horas e meia, ou seja, próximo de exceder o limite da integração com um segundo ônibus.

— É desconfortável, mas assim eu garanto a minha economia. Eu trabalho no Aeroporto Santos Dumont e não tenho opção. Ontem foi por pouco, a partir de hoje não arrisco mais — garantiu.

A reportagem do GLOBO embarcou na linha Integrada 9 (Piabas x RioSul) às 8h. Por volta das 10h, o ônibus chegou ao shopping Downtown, na Barra.

Na segunda-feira, às 7h, no Terminal Alvorada, na Barra, usuários pareciam perdidos e, apesar dos fiscais mobilizados pelo Sindicato das Empresas de Ônibus (Rio Ônibus), tiveram de recorrer a motoristas e despachantes para tirar dúvidas.

— Para quem utiliza o BRT, está muito confuso — disse o administrador de empresa Arilson Galdio, que saiu de Jacarepaguá e embarcou na linha Integrada 1, com destino à Central. — Deveria haver fiscais no Alvorada encaminhando os passageiros que desejam fazer a integração para o Centro ou a Zona Sul.

No Alvorada, os ônibus chegavam com intervalos irregulares, o que provocava filas de até 80 pessoas na manhã desta segunda-feira. Passageiros das antigas linhas reclamaram muito da demora entre a saída de um ônibus e a chegada de outro.

PREFEITURA NÃO PREVÊ AUMENTO DO TEMPO DO BILHETE ÚNICO

O secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, disse, na manhã desta terça-feira, que não há previsão de aumento do tempo do bilhete único. Segundo ele, os problemas que ocorreram ontem, no primeiro dia útil das mudanças nos ônibus, fazem parte da adaptação do usuários e serão cessados nos próximos dias. No caso de passageiros que moram em locais mais distantes, como Piabas, Picciani disse que essas pessoas podem fazer a baldeação no shopping Fashion Mall, em São Conrado, ou na Gávea.

Ao se perguntado se as obras que estão sendo realizadas na Barra e Recreio podem provocar o aumento no tempo da viagem e assim fazer com que o tempo do bilhete único pode seja expirado, o secretário executivo de Coordenação de Governo, Pedro Paulo , disse que o caso pode ser estudado. Mas que qualquer mudança implica em uma série de cálculos.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/passageira-viaja-no-chao-para-nao-perder-bilhete-unico-17698701#ixzz3nnznVkfc 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.