quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Viação Paredense (intermunicipal) em 1955



quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Taquara

Viação Taquara Ltda.
1950 - 1968

Resumo Histórico

Empresa de transporte coletivo fundada em 1950. Inicia suas operações explorando a linha de lotação Cascadura – Largo da Taquara. 

Em 1951, no dia 6 de julho, inaugura sua segunda  linha de lotação, a Cascadura – Freguezia, com 6 carros. 

Em novembro de 1952, explorava as linhas de lotação Cascadura – Taquara e Cascadura – Freguezia, com 25 carros de 20 passageiros, concorrendo diretamente com os bondes da Light.

Em março de 1954, recebe licença da Prefeitura para explorar sua primeira linha de ônibus, a S-35 (Cascadura – Granja Paraíso) via Taquara, com ponto final na Estrada dos Bandeirantes. Em poucos meses a linha é encurtada para o trecho Cascadura – Largo da Taquara. 

Em 1955, inaugura sua segunda linha de ônibus, a 254 (Candelária – Largo da Taquara), explorada inicialmente com micro-ônibus, com capacidade para 24 passageiros sentados e 15 em pé.  

Gazeta de Notícias, 04/06/1955

Em junho de 1955, com 25 ônibus, explorava duas linhas de ônibus, 254 (Candelária - Largo da Taquara) e S-35 (Cascadura - Largo da Taquara). No ano seguinte, inaugura a linha Meyer - Taquara, parcial da Linha 254.

Em 1957, inaugura a linha de ônibus 255 (Castelo – Freguesia), com o seguinte itinerário: Praça Presidente José Antônio de Almeida, Presidente Antônio Carlos, Nilo Peçanha, Rio Branco, Presidente Vargas, Praça da Bandeira, Mariz e Barros, São Francisco Xavier, 28 de Setembro, Visconde Santa Izabel, Barão do Bom Retiro, 24 de Maio, Amaro Cavalcanti, Praça Sargento Eudóxio Passos, Clarimundo de Melo, Garcia Pires, Nerval de Gouvêa, Ernani Cardoso, Largo do Campinho, Cândido Benício, Largo do Tanque, Geremário Dantas, Praça Professora Camisão.

Por volta de 1959, sua primeira  linha de ônibus, a S-35 (Castelo – Taquara) é repassada à Viação Ocidental. 



Linha 254 (Castelo - Taquara), na avenida Presidente Vargas, por volta de 1961


Em fevereiro de 1964, em função do fim dos lotações na Zona Sul, a Secretaria de Serviços Públicos abre licitação para 5 novas linhas de ônibus: 581 (Largo do Machado - Leblon) via Jockey, 582 (Largo do Machado - Leblon) 583 (Cosme Velho – Leblon) via Jockey, 584 (Cosme Velho - Leblon) via Copacabana, e Horto Florestal – Copacabana. A Viação Taquara ganha a concessão das linhas 583 e 584.

Linha 254 (Castelo - Taquara) no Largo da Carioca, em 6 de junho de 1963.
 Foto Arquivo Nacional

Em 1964, extingue as linhas de ônibus 254 (Castelo – Taquara)  e 255 (Castelo – Freguesia), operadas precariamente, com poucos carros e material rodante ultrapassado, substituídas pelas novas linhas 240 (Carioca - Taquara) e 241 (Mauá - Taquara), exploradas com lotações, por uma Cooperativa de Motoristas. Meses depois, a Viação Redentor inaugura a Linha 267 (São Francisco - Freguesia). Em janeiro de 1965, a empresa de Transportes Boa Esperança assume as linhas 240 e 241, substituindo a Cooperativa de Motoristas de lotações

Em abril de 1964, a Viação Taquara , ao desativar suas linhas de Jacarepaguá,  sendo transferida pra Zona Sul,  procurava para alugar uma garagem ou galpão,  entre os bairros de Botafogo  e Leblon.


Linhas da Empresa  em 1964:

254 (Castelo – Taquara)
255 (Castelo – Freguesia)
541 (Rocinha – Mourisco) via Jockey
542 (Rocinha – Mourisco) via Copacabana
546 (Santos Dumont - Rua Um) 
555 (Hotel Leblon – Barra da Tijuca), com apenas 3 carros
Rocinha – Bairro Peixoto 
Urca – Rocinha


Em 1965, transfere a linha 555 (Rocinha – Mourisco) à Transportes Amigos Unidos.

Linha 584 (Cosme Velho - Leblon) na rua Voluntários da Pátria, por volta de 1968


A Empresa é extinta em 1968 quando explorava as linhas 583 (Cosme Velho-Leblon) via Jockey e 584 (Cosme Velho-Leblon) via Copacabana, logo assumidas pela Transportes Amigos Unidos.




Prefixos da Frota: 

87 00, década de 1950
49 500

Sede da Empresa:  rua Ariapó, 295, Taquara, Jacarepaguá




REFERÊNCIAS:

“Atropelou o leiteiro e bateu contra o muro”. Diário Carioca. 1951, abril, 13. Página 12.

“Baixou o preço dos microônibus”. A Noite. 1951, julho, 6. Página 9.

“Em Jacarepaguá”. Diário de Notícias. 1951, novembro, 13. Primeira seção, página 6. 

“Violou o tacógrafo para correr à vontade”. O Jornal. 1952, dezembro, 17. Página 6.

“Nova linha de ônibus na zona rural”. Diário da Noite. 1954, março, 6. Primeira seção, página 7.

“Excesso de Lotação”. Imprensa Popular. 1955, março, 23. Página 6.

“Chocaram-se os Ônibus na Av. 28 de setembro”. A Noite. 1957, janeiro, 29. Primeiro caderno, página 7.

“Inesperada concessão feita a várias empresas”. Diário de Notícias. 1957, fevereiro, 1. Segunda seção, página 1.

“Viação Taquara: poucos ônibus”. Tribuna da Imprensa. 1957, junho, 4. Página 7

“Calamidade a Viação Taquara Ltda”. Luta Democrática. 1961, abril, 15. Página 5.

“Garagem ou galpão”. Jornal do Brasil. 1964, abril, 7. Classificados. Terceiro caderno, página 5.

“Ferro Velho”. Última Hora. 1964, dezembro, 4. Página 4.

“Empresa de ônibus sacrifica população”. Luta Democrática. 1964, dezembro, 12. Página 2.

“Viação Taquara Sociedade Anônima, Assembleia Geral Ordinária”. Jornal do Commercio. 1965, novembro, 27. Segundo Carderno, página 6. 

Viação Taquara S.A. Relatório da Diretoria”. Jornal do Commercio. 1965, dezembro, 15. Segundo caderno, página 7.

“Viação Taquara Sociedade Anônima, Relatório da Diretoria”. Jornal do Commercio. 1967, junho, 29. Página 15. 

“Ônibus corredores feriram 17 de Copa a São Cristóvão”. Diário de Notícias. 1967, abril, 12. Primeira Seção, página 13.


Marcelo Almirante
Página lançada em 15 de novembro de 2018















sexta-feira, 1 de dezembro de 2017