quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Rio: Cartões do metrô e do RioCard vão fazer integração

24/11/2011 - O Dia Online

Bilhete expresso de papel será extinto até o fim do ano e haverá prazo entre embarques para evitar fraude com tíquete desviado

Até o fim do ano, o tíquete de papel metrô-ônibus Expresso, que garante integração entre coletivo municipal e metrô a R$ 4, será extinto. O benefício será garantido por qualquer cartão RioCard ou do metrô. Um prazo entre os dois embarques ainda será estipulado, assim como já existe no Bilhete Único.
 
Com o acordo entre Metrô Rio e Fetranspor, as empresas pretendem pôr fim à fraude milionária denunciada desde segunda-feira por O DIA, em que bilhetes Expresso desviados ou roubados são vendidos no mercado paralelo.

“Vamos fazer a compatibilização dos sistemas para permitir que cartões do metrô sejam aceitos nos coletivos e também para que os validadores instalados nos ônibus sejam programados para entender a integração e fazer a cobrança em cima do valor (R$ 4)”, disse Homero Quintais, diretor executivo da RioCard.
 
Com os sistemas integrados, a primeira passagem será cobrada a preço comum (R$ 2,50 no ônibus ou R$ 3,10 no metrô), mas a segunda, se o embarque estiver dentro do período estipulado, apenas completará o que falta para chegar a R$ 4. Metrô e viação repartirão a receita.

A integração digitalizada deve representar duro golpe na quadrilha, já que os ‘atravessadores’ teriam que correr contra o tempo para vender cartões válidos. Hoje, os bilhetes fraudados são vendidos sem prazo. Para passageiros, aumenta o risco de comprar no mercado negro bilhete já sem validade.
 
Acesso a informação sobre usuários
 
Com os cartões magnéticos, será possível verificar o número real de usuários do benefício e até mesmo o tamanho do prejuízo que as empresas vinham tendo com a fraude, que rendia para os rodoviários envolvidos no esquema lucro de R$ 0,50 por tíquete negociado. Os integrantes do bando que revendiam os vales faturavam até R$ 1.
 
Ao receber a passagem comum de usuários (R$ 2,50), rodoviários completavam para retirar o tíquete: R$ 1,50. Em seguida, vendiam por R$ 2 para a atravessadores, que o repassavam por até R$ 3 nas estações do metrô. Cinco foram detidos na segunda-feira perto de quatro estações.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

EXTRA lança campanha para encontrar apelido bem carioca para o BRT. Participe!

23/11/2011 - Extra

ônibus, que serão refrigerados, articulados e Os novos coletivos têm capacidade para, pelo menos, 160 pessoas. Viajarão em corredores livres de cruzamentos e sinais fechados, A estimativa é que a viagem se torne duas vezes mais rápida Foto: Divulgação
Clarissa Monteagudo e Marcelo Dias Tamanho do textoA A A
O carioca samba no Terreirão, faz compras no camelódromo, torce no Engenhão, peca na Vila Mimosa, fala no orelhão. Nem o prédio da prefeitura consegue se livrar: é o Piranhão. E os BRTs — corredores expressos para ônibus articulados — não vão escapar. Numa cidade tão fértil em criatividade, cada nova sigla — UPP e UPA — parece extraterrestre, um ET. Para salvar o Rio da sopa de letrinhas, o EXTRA lança uma campanha para batizar o novo coletivo, que já conta com a adesão da apresentadora da "CBN Rio" Lucia Hippolito, que vai pedir sugestões aos ouvintes. "Acho nomes no diminutivo mais a cara do Rio", adianta.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

BRT Transcarioca terá um mergulhão a menos

21/11/2011 - O Globo

Mudança no projeto vai gerar economia de R$ 62 milhões que vai cobrir despesas com obras que custaram mais do que o previsto

LUIZ ERNESTO MAGALHÃES

RIO - Mudanças à vista no projeto do BRT Transcarioca, corredor expresso exclusivo para ônibus articulados que ligará a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim. A prefeitura desistiu de construir um dos três mergulhões que estavam previstos na Avenida Ayrton Senna, na Barra, com o objetivo de transformá-la numa via expressa sem sinais. Para reordenar o trânsito nas ruas internas do bairro, a Secretaria municipal de Obras optou por uma solução mais barata no lugar de um mergulhão na faixa lateral sentido Barra, na altura do Shopping Via Parque: ali será construído um viaduto.
Inspeção do TCM constatou mudanças no projeto
O objetivo das mudanças é cortar custos e tentar evitar que o projeto saia mais caro que o planejado. Os recursos economizados serão remanejados para canteiros cujas despesas já estão R$ 62 milhões acima do previsto. As informações sobre alterações no projeto foram levantadas durante visitas técnicas do Tribunal de Contas do Município (TCM).
As mudanças de projeto não são o único problema da Transcarioca. Na Avenida Salvador Allende, o alargamento de um trecho de pouco mais de cem metros da via está paralisado há mais de um mês. O motivo é que a prefeitura tenta remover, sem sucesso, os moradores da favela do Arroio Fundo. A Rio Águas chegou a intimar os donos dos imóveis a demolir suas casas, mas voltou atrás depois de ser notificada pela Defensoria Pública da União. Os moradores recorreram à Defensoria alegando que a comunidade que se originou de uma colônia de pesca tem mais de 80 anos e já solicitara ao governo federal a emissão de títulos de posse.
Previsto para ser inaugurado até a Copa do Mundo de 2014, o Transcarioca tem custo estimado em mais de R$ 1,5 bilhão, entre obras e desapropriações. As revisões de projeto atingiram o chamado Lote 1 (Barra-Penha), onde estão sendo gastos quase R$ 800 milhões. Além do mergulhão da Barra, a prefeitura desistiu de fazer um novo viaduto no bairro de Vicente de Carvalho.
Dos R$ 62 milhões remanejados, quase a metade será para cobrir despesas extras com os dois mergulhões em construção em frente à Cidade da Música, também na Avenida Ayrton Senna. Orçadas inicialmente em R$ 36 milhões, as obras vão custar agora R$ 66,9 milhões (R$ 30,2 milhões a mais). Segundo o TCM, o custo dobrou porque houve uma revisão nas técnicas de engenharia empregadas na construção dos dois mergulhões.
Em Campinho, modificações no projeto de outro mergulhão, entre as ruas Cândido Benício e Domingos Lopes, exigirão gastos extras de R$ 19,5 milhões (de R$ 30,2 milhões para R$ 49,7 milhões). Já o alargamento do Viaduto Negrão de Lima, em Madureira, ficará R$ 11,6 milhões mais caro.

Segundo o TCM, uma das razões para as mudanças na obra pode estar no fato de o projeto básico ter sido concluído antes da concessão da licença ambiental. No caso do Viaduto Negrão de Lima, por exemplo, materiais de obras tiveram que ser substituídos devido a riscos de saúde pública já que o canteiro era muito próximo do Mercadão de Madureira, polo comercial do bairro.
Novo trecho na Via Parque em área de kartódromo
No caso da Barra, o projeto que vai substituir o mergulhão prevê outras intervenções além de um viaduto. Um novo trecho da Avenida Via Parque será construído na área hoje ocupada por um kartódromo. A ideia é que sirva como retorno para os motoristas que seguem em direção à Linha Amarela ou a Jacarepaguá.
O Transcarioca não é o primeiro corredor BRT a ter o projeto modificado. No corredor Transoeste (Barra-Campo Grande-Santa Cruz), a prefeitura desistiu de construir um novo viaduto de acesso entre as avenidas das Américas e Benvindo de Novais. Além disso, adiou por tempo indeterminado a implantação do chamado lote zero da obra, entre o Jardim Oceânico e o shopping Cittá América.

sábado, 12 de novembro de 2011

Novo ônibus à pilha entra em testes no próximo ano

11/11/2011 - Valor

Com intuito de reduzir as emissões de gases poluentes, as montadoras estão investindo no desenvolvimento de ônibus mais ecológicos. A Mercedes-Benz e a Volvo já têm modelos mais sustentáveis. A primeira a linha BlueTec 5, que emite menos partículas. A Volvo anuncia o ônibus híbrido, movido à eletricidade e a diesel, que começa a ser fabricado no Brasil em 2012. 

Em 2012, a Coppe/UFRJ lançará um ônibus elétrico. A Coppe testa há mais de um ano o ônibus H2, um veículo híbrido elétrico, que pode ser alimentado de três formas: por uma tomada ligada à rede elétrica tradicional, por uma pilha a combustível (hidrogênio) ou por meio da regeneração da energia cinética dos freios.



A nova linha de ônibus da Mercedes-Benz foi concebida com o mesmo sistema usado na Europa. Ricardo Silva, vice-presidente de ônibus América Latina da Mercedes-Benz, explica que o motor reduz o volume de emissões de óxidos de nitrogênio por meio da conversão em nitrogênio puro e em vapor de água, inofensivos à natureza. Cerca de 200 veículos já foram vendidos para clientes de São Paulo e 150 para o Rio. 

Outra aposta é um ônibus que usa diesel feito de cana-de-açúcar. O projeto, testado em São Paulo em 2010, em ônibus urbano da empresa Santa Brígida, abastecido com 10% de diesel de cana, mostrou redução de 9% nas emissões. 

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Prefeitura altera projeto de construção da Transoeste

09/11/2011 - O Globo online, Luiz Ernesto Magalhães

A Prefeitura do Rio fez uma revisão nos prazos e no projeto para a construção do corredor BRT Transoeste, que ligará a Barra da Tijuca a Campo Grande e Santa Cruz, pelo corredor central da Avenida das Américas. O trecho original, que vai até o Terminal Alvorada, manteve a prazo para entrar em operação até o fim do primeiro semestre de 2012. Mas o chamado Lote Zero, entre o terminal e o Jardim Oceânico, que devia ter sido licitado no fim de setembro e teve uma previsão de custo de R$ 47 milhões ainda não tem data para sair do papel. O prefeito Eduardo Paes, porém, garantiu que essa extensão ficará pronta até as Olimpíadas para permitir uma integração direta com a linha 4 do metrô.

- Essa fase (do Lote Zero) é a que menos causa preocupação. O elemento mais importante é a ligação com o Terminal Alvorada, isso permitirá a integração do BRT Transoeste com o BRT Transcarioca (Barra da Tijuca - Aeroporto Internacional), que ficará pronta para a Copa de 2014.

O prefeito confirmou também que a prefeitura desistiu de construir um viaduto que criaria um novo retorno entre a Avenida Bem-vindo de Novais e Avenida das Américas, no sentido Barra. O viaduto era previsto no projeto original da Transoeste. Paes, explicou que a causa da desistência foi a preocupação com o impacto ambiental, pois a estrutura ficaria próxima ao parque Chico Mendes.

- Estuda-se agora a construção de um mergulhão, obra que não seria iniciada agora - disse o prefeito.

Os recursos que seriam usados no viaduto serão gastos na construção de estações e terminais dos BRTs, que originalmente seriam alvo de outra concorrência pública. O prefeito fez as declarações ao chegar na sede do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), na Barra da Tijuca. Paes participa de uma reunião com a comissão do Comitê Olímpico Internacional (COI) que acompanha os preparativos do Rio para as Olimpíadas.

À tarde, os membros do COI vão inaugurar uma estação da Transoeste no Estrada da Magarça, em Guaratiba, e visitar as obras da construção do Túnel da Grota Funda.       

Rio de Janeiro inaugura a segunda estação do BRT para Copa

09/11/2011 - Agência T1

A primeira estação-modelo de BRT da Transoeste foi inaugurada pela prefeitura em setembro deste ano

Por Anna Beatriz Cunha - Prefeitura do Rio de Janeiro

O corredor expresso de ônibus articulados Transoeste ligará a Barra da Tijuca a Campo Grande e Santa Cruz. Estação tem 75,40m de extensão e capacidade para até três mil passageiros por hora.

A Prefeitura do Rio inaugurou na tarde desta terça-feira, (08.11), a segunda estação-modelo do BRT (Bus Rapid Transit) Transoeste, corredor expresso de ônibus articulados que ligará a Barra da Tijuca a Campo Grande e Santa Cruz, uma das obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014.

Com 75,40 metros de extensão e capacidade para absorver até três mil passageiros por hora, a nova estação está localizada na Estrada do Magarça com Avenida das Américas, em Guaratiba.

Antes da inauguração da segunda estação-modelo do BRT (Bus Rapid Transit) Transoeste, as autoridades visitaram o Túnel da Grota Funda, uma das mais importantes intervenções da obra do corredor expresso de ônibus articulados.

A primeira estação-modelo de BRT da Transoeste foi inaugurada pela prefeitura em setembro deste ano, na Avenida das Américas, altura do condomínio Novo Leblon, na Barra da Tijuca.

Assim como a estação Novo Leblon, o protótipo da Estrada do Magarça ficará disponível para a população conhecer melhor o sistema.

A nova estação conta com 10 catracas normais e duas para cadeirantes e foi projetada para favorecer a ventilação natural, com uma cobertura longa e captadores eólicos, que estarão sempre virados para o Sudoeste e farão uma ventilação forçada dentro da própria estação.

Outro modelo como esse está sendo construído no cruzamento entre a Avenida das Américas e a Estrada da Matriz, em Guaratiba.

Ao longo do traçado da Transoeste estão previstas 64 estações, adaptadas à demanda de cada local, podendo ter entradas com seis ou 12 catracas.

Duas das maiores estações, com capacidade para 15 mil passageiros por hora, serão construídas na Avenida das Américas, na altura do Barrashopping, e em Santa Cruz, na altura do conjunto habitacional conhecido como Cesarão.

Criado em Curitiba e exportado para diversas cidades, tais como Bogotá, Pequim e Johanesburgo, o BRT consiste num sistema de transporte público com ônibus articulados que circulam em vias segregadas e por isso operam em velocidade maior do que uma linha de ônibus comum.

O embarque de passageiros é feito em estações com plataformas compatíveis com o piso dos veículos, reduzindo o tempo de embarque e com bilhetes vendidos antecipadamente.

Para operar de forma troncal, os BRTs contribuem decisivamente para o reordenamento do sistema de transporte de uma cidade.

A estimativa é que o tempo de espera do usuário seja muito curto, de um minuto a um minuto e meio, proporcionando intervalos menores entre os ônibus.

A Transoeste

O corredor expresso de ônibus articulados que ligará a Barra da Tijuca a Campo Grande e Santa Cruz faz parte do pacote de obras viárias de preparação da cidade para receber a Copa do Mundo 2014 e os Jogos Olímpicos 2016.

Esse sistema viário entrará em operação no primeiro semestre de 2012. Com 56 quilômetros, a Transoeste vai diminuir em 50% o tempo gasto no trajeto entre a Barra da Tijuca, Campo Grande e Santa Cruz e beneficiará cerca de 220 mil pessoas diariamente.



Foto: J.P. Engelbrecht

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Prefeitura inaugura segunda estação do BRT da Transoeste

07/11/2011 - Agência Rio

Da Redação

A Prefeitura do Rio inaugura, nesta terça-feira (08), em Guaratiba, a segunda estação do BRT da Transoeste, corredor expresso de ônibus articulados que ligará a Barra da Tijuca a Campo Grande e Santa Cruz. Além do prefeito Eduardo Paes, o evento contará com a presença de representantes do Comitê Olímpico Internacional. Antes da inauguração, o grupo visita o Túnel da Grota Funda, uma das mais importantes intervenções da obra da Transoeste.

A Transoeste, que faz parte do pacote de obras viárias de preparação da cidade para receber a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, entrará em operação no primeiro semestre de 2012. Terá 64 estações de BRT (Bus Rapid Transit), integrando o corredor aos outros modais de transporte. A via, que terá 56 quilômetros, vai diminuir em 50% o tempo gasto no trajeto entre a Barra da Tijuca, Campo Grande e Santa Cruz e beneficiará cerca de 220 mil pessoas por dia.

A primeira estação-modelo de BRT da Transoeste foi inaugurada em setembro deste ano, na Avenida das Américas, altura do condomínio Novo Leblon, na Barra. A estação que será inaugurada nesta terça-feira fica na Estrada do Magarça com Avenida das Américas, em Guaratiba, e terá capacidade para atender até 3 mil passageiros por hora.

 

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Veja a construção de uma das estações do corredor exclusivo de ônibus da TransOeste

01/11/2011 - R7

A Olimpíada promete mudar a "cara" do sistema de transportes da cidade do Rio de Janeiro até 2016. Ao menos 15 projetos devem ampliar a rede e a integração com a região metropolitana. Nesta semana, a prefeitura da cidade entregou a estação BRT (corredor exclusivo de ônibus) do Trevo do Magarça, em Guaratiba, zona oeste do Rio.

Esta é uma das estações da TransOeste, que começará na Barra da Tijuca e terá dois pontos finais: um em Santa Cruz e outro em Campo Grande. Veja vídeo abaixo.

Para aumentar os deslocamentos, a prefeitura e o governo do Rio se comprometeram a construir - em tempo para a Olimpíada de 2016 - BRTs e a linha 4 do metrô - que liga a zona sul à Barra da Tijuca - , que já havia sido prometida para os Jogos Pan-Americanos de 2007, mas não ficou pronta.

Para concretizar os projetos, o setor de transportes públicos no Estado receberá R$ 30 bilhões para desenvolvimento e implantação de modais que conectem todo o sistema, segundo o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes.

Se todos os planos saírem como previsto, o Rio será cortado por quatro BRTs, sendo um na avenida Brasil, que ligará o centro à zona oeste. Em obras, a TransOeste deve ter a etapa Barra-Madureira inaugurada em 2012.

Já o trecho Barra-Santa Cruz da TransCarioca está atrasado, mas a prefeitura quer entregar a obra até a Copa de 2014. A TransOlímpica está prevista também para 2014. Já o BRT da Avenida Brasil não tem cronograma definido, mas a ideia é que esteja pronto até 2016.

Entretanto, enquanto projetos como o da TransOeste já contam com a primeira estação - na avenida das Américas -, há os que ainda não saíram do papel, como o da TransOlímpica, que está na fase de licitação [concorrência entre empresas].

O sistema BRT, segundo estimativas da prefeitura, transportará 900 mil pessoas por dia e tornará as viagens mais rápidas. O trajeto Penha-Barra, por exemplo, poderá ser reduzido em até 49 minutos. De acordo com a prefeitura, o trajeto que é feito atualmente em 1h36 levaria 47 minutos.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Rio recebe ônibus Mega BRT da Neobus

18/10/2011 - Webtranspo

A Neobus participa de 18 a 21 de outubro do 18º Congresso Brasileiro de Transporte e Trânsito no Rio de Janeiro. O tradicional evento carioca é promovido pela Associação Nacional de Transportes Públicos e visa centrar o debate em torno da Mobilidade Urbana como fator decisivo para o desenvolvimento sustentável do Brasil neste momento especial de preparativos para Copa Mundial de Futebol de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Desta forma, a Neobus – tradicional encarroçadora de Caxias do Sul (RS) responsável pelo maior ônibus do mundo lançado recentemente – apresenta para o mercado carioca mais uma novidade. Trata-se de um exclusivo modelo Mega BRT articulado de 18,60m direcionado para circular na Transoeste – corredor expresso de ligará a Barra da Tijuca a Campo Grande e Santa Cruz, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. A Transoeste vai contar com várias estações de BRTs (sigla em inglês para Transporte Rápido por ônibus) em uma estrutura viária com características específicas, de vias exclusivas para ônibus com configuração para rápido embarque e desembarque.

O Mega BRT da Neobus é um projeto que expressa a evolução do mundo do ônibus no Brasil e oferece um novo conceito em transporte coletivo urbano focado no conforto e prazer de viajar. Com design “100% exclusivo”, aposta na aerodinâmica e no efeito de percepção visual “trem bala”. O veículo da Neobus é produzido para circular no transporte público – e como o nome deixa bem claro – diretamente no sistema BRT.