sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Lotação Lins-Lagoa

30/11/2012 - Blog Saudades do Rio, Luiz D'

Esta fotografia do ponto final do lotação Lins-Lagoa, enviada no original pelo Helio Ribeiro, foi colorizada pelo prezado Conde di Lido.

Localizado em plena pista da Avenida Epitácio Pessoa, em frente à garagem de barcos do Botafogo, era a condução ideal para ir ao Maracanã nos anos 60. Melhor que o ônibus Grajaú, que parava mais vezes durante o trajeto.

Apesar da viagem ser longa, via Botafogo, Flamengo, Centro, Presidente Vargas, Praça da Bandeira, pegávamos os lotações vazios em seu ponto final e, muito frequentemente, em alguns modelos de lotação, íamos sentados naquela cadeira única logo na primeira linha de bancos.

No parabrisas do lotação está escrito: 28 de Setembro, Estádio, Estrada de Ferro, Carioca, Avenida, São Clemente.

O tráfego, até a abertura do Túnel Rebouças na década de 60, era tão reduzido no entorno da Lagoa que os lotações ficavam parados em plena pista, deixando apenas uma faixa de rolamento para os outros veículos provenientes do Humaitá e Jardim Botânico. Isto, de certa forma, obrigava os automóveis diminuírem a velocidade antes de enfrentar a Curva do Calombo, logo adiante.

Como já lembrou o Andre, a temida curva do Calombo ( atrás do fotógrafo), na época era muito mais perigosa que hoje, quando as duas únicas chances de os motoristas inábeis ou imprudentes evitarem a queda dentro d'água eram ser contidos pelo "Coração de Pai" ou pelo "Coração de Mãe", duas enormes casuarinas que ficavam no local.

Podemos ver, à direita, a escavação da rocha para a construção de mais um edifício naquela região.

Na primeira publicação foram feitos alguns comentários, que agora transcrevo:

No início da década de 60 a LINS-LAGOA possuía lotações MERCEDES-BENZ torpedo com carroceria METROPOLITANA, bem mais bacanas que estes bravos, porém rústicos, CHEVROLET 'Sapo' da foto. Por esta razão creio que a foto deva ser anterior a 1960.

Relembrando, os lotações foram banidos do transporte publico na época do Lacerda e ainda sobreviveram mais um pouco como transporte escolar e em linhas em locais inimagináveis.

Essas lotações não eram exclusividade de apenas uma marca. Havia Chevrolet (os da foto)e também Mercedes-Benz. Carroceria sim, a maioria que rodava no Rio era Metropolitana, com motores externos. Em geral, tinham apenas uma porta para entrada e saída, e a cobrança era feita pelo próprio motorista, tal como está ocorrendo atualmente, para que as empresas economizem com a mão-de-obra do trocador (como eram chamado nas décadas de 50-70).

Até o início dos anos 60, não era necessário ser empresário para atuar no ramo, bastava ter apenas uma lotação e obter licença para atuar numa das linhas.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Primeiro trecho do Transcarioca será inaugurado com nova ponte

Primeiro trecho do Transcarioca será inaugurado com nova ponte

24/11/2012 - O Globo

Intervenções para a passagem do BRT eliminarão sinal que causa retenções na saída da Linha Amarela na Barra

A primeira das duas pontes estaiadas do BRT Transcarioca (que ligará o Terminal Alvorada ao Aeroporto Internacional Tom Jobim) será inaugurada no fim do primeiro semestre de 2013. A ideia da Secretaria municipal de Obras é abrir a ponte junto com a entrada em operação do primeiro trecho do BRT, entre a Barra da Tijuca e a Taquara. A informação é do coordenador dos BRTs da prefeitura, Eduardo Fagundes. Segundo ele, a construção da ponte na Barra é um dos principais desafios do projeto do Transcarioca, porque a obra, junto à Avenida Ayrton Senna, está sendo feita num terreno turfoso, cujo solo é formado principalmente por materiais resultantes da decomposição de vegetais
- Primeiro, os operários tiveram que cravar estacas profundas e preencher os buracos com concreto na argila mole, antes de começar a erguer a ponte - contou Eduardo.
A expectativa é que o formato estaiado, com a instalação dos tirantes, comece nas próximas semanas. A nova ponte contará com quatro faixas de tráfego, duas das quais serão usadas para a passagem dos ônibus do BRT. As outras duas ampliarão a capacidade da Ayrton Senna no sentido Barra. Junto com a ponte, também estão sendo construídos novos retornos, reordenando o acesso entre as avenidas Ayrton Senna e Salvador Allende.
- Essas mudanças, com a liberação da ponte ao tráfego, permitirão a eliminação de um conjunto de sinais no cruzamento das duas vias. Esses sinais hoje estão entre os principais responsáveis por retenções enfrentadas na descida da Linha Amarela, na chegada à Barra, e por quem deixa Jacarepaguá e Barra da Tijuca pela Salvador Allende - explicou o engenheiro.
A ponte estaiada é a segunda grande intervenção viária entre as avenidas Ayrton Senna e Salvador Allende. Em 2006, a prefeitura reorganizou o trânsito com a construção de novos retornos nas imediações da Vila do Pan. A mudança evitou que os motoristas que deixavam a Salvador Allende para a Linha Amarela tivessem que seguir até o retorno na altura do Via Parque.



Enviado via iPhone

Sem retorno

Sem retorno

24/11/2012 - O Globo

Mais de 300 operários trabalham no trecho do mergulhão Billy Blanco, perto do Hospital Lourença Jorge, na Barra. Investimento de R$ 60 milhões, terá 480 metros. Vai substituir todos os retornos da avenida Ayrton Senna, em 2013, informa a SMO. É parte do BRT Transcarioca.


Enviado via iPhone

Viação Excelsior

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Simulador de ônibus articulado é destaque no Rio de Janeiro

20/11/2012 - Gazeta do Povo

O Brasil recebeu neste mês o primeiro simulador de ônibus articulado. O equipamento, fabricado na Espanha, foi uma das atrações mais visitadas da FetransRio, feira bienal de ônibus que aconteceu no início do mês no Rio de Janeiro, juntamente com a Etransport – Congresso Sobre Transporte de Passageiros.

Com volante robusto e poltrona que balança a cada curva, o modelo tem imagens em 3D e para brincar com ele é preciso ter carteira de motorista. No simulador, o motorista percorre um trajeto existente no mundo real, incluindo as características físicas da pista e de suas imediações.

"Nossa ideia é fazer o motorista usar o simulador para mostrar trechos onde os acidentes são mais comuns e as práticas que ele precisa evitar, num processo contínuo de capacitação", explica Lélis Marcos Teixeira, presidente da Fetranspor. Você pode conferir um vídeo do simulador em funcionamento clicando neste link.

Fonte: Gazeta do Povo


Enviado via iPhone

Cariocas vão usar relógio de pulso para pagar passagem

22/11/2012 - O Dia

Aparelho, que terá chip do RioCard embutido, deverá ser comercializado ano que vem

POR FRANCISCO EDSON ALVES

Rio - A partir do ano que vem, usuários de meios de transporte público no Rio poderão pagar suas passagens usando um relógio de pulso que terá chip do RioCard.

Atualmente, 200 aparelhos estão sendo testados por voluntários em ônibus, trens, barcas, vans e no metrô. Os testes começaram em 2010 e devem se encerrar em 2013.

O equipamento, desenvolvido pela empresa austríaca Laks — pioneira em soluções de pagamento via relógio —, usa um dispositivo microeletrônico parecido com o que é usado nos celulares.

Tecnologia é a mesma do cartão, comunicando-se com o validador da passagem por radiofrequência | Foto: Reprodução de Vídeo

Ainda não há uma data certa para que comece a comercialização do relógio em larga escala, mas a Fetranspor adianta que a intenção é que a nova tecnologia esteja disponível para os grandes eventos esportivos que se aproximam, como a Copa das Confederações no ano que vem, a Copa do Mundo de 2014, e as Olimpíadas de 2016.

Pelo projeto, o relógio poderá ser recarregado pela internet ou em qualquer um dos mais de 1,2 mil endereços de recarga.

No sistema de bilhetagem eletrônica instalado nos meios de transportes, o débito dos valores das tarifas será efetuado em menos de um segundo, como ocorre com o cartão.

Há dois anos, durante o seminário Sistemas Inteligentes de Transportes, o executivo da RioCard, Edmundo Fornasari, já havia adiantado que o público jovem será o principal alvo da novidade.

O fabricante estuda a confecção de modelos masculinos e femininos de relógio, em diversas cores.

Para comprar ingresso

O relógio com chip que funciona como vale-transporte é usado em vários outros países e com outras funções. Em 2009, foi meio de pagamento dos ingressos para o jogo final da Liga dos Campeões, que aconteceu em Roma, na Itália.

O mecanismo é utilizado para pagamentos de passagens nos transportes públicos de Xangai, na China, uma das cidades mais movimentadas do mundo.

Nos Estados Unidos, o relógio também serve como cartão de crédito, função que poderá estar disponível também no relógio RioCard. Ao todo, os relógios Laks já têm mais de 17 milhões de usuários em todo o mundo.


Dentro do relógio, há um chip semelhante ao de telefone celular que é lido pelo validador do meio de transporte a uma distância de até 5 cm. A leitura ocorre em menos de um segundo. Pesa 20 gramas e
é resistente a água | Foto: Reprodução

Aqui no Rio, o acessório terá a mesma tecnologia de transmissão de dados do RioCard. Os cartões smartcard funcionam por radiofrequência, comunicando-se com o equipamento que faz a leitura dos cartões, o validador, para débito da passagem e liberação da roleta ou recarga de créditos.

Hoje, o Rio de Janeiro tem 2,5 milhões de usuários diários de ônibus, 390 mil de trens, 645 mil de metrô e um milhão de passageiros de vans. A maioria utiliza RioCard.



Enviado via iPhone

BRT vai ganhar mais ônibus na frota

22/11/2012 - O Dia

Rio - O BRT Transoeste, vai ganhar 12 ônibus nos próximos quatro meses. A frota passará dos atuais 91 veículos para 103 veículos neste período.

O Rio Ônibus, que administra a frota, quer criar dois novos serviços para possibilitar maior frequência de saída dos terminais Santa Cruz e Alvorada.

O primeiro serviço começa em dezembro e sairá de Santa Cruz com destino ao Recreio, fzendo o retorno entre as estações Salvador Allende e Barra Sul. Para o segundo, que estará em operação em janeiro, a saída será do terminal Alvorada e o retorno será feito junto à estação Mato Alto.


Enviado via iPhone

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Antes da Câmara aprovar projeto, prefeito do Rio de Janeiro já criou a estação BRT Golfe Olímpico

21/11/2012 - Jornal do Brasil

Projeto na Câmara quer transformar terreno verde na Barra em hotéis e campo de golfe

Estação do BRT já construída pela prefeitura do Rio
créditos: Divulgação

A polêmica envolvendo a construção de um campo de golfe e de um complexo hoteleiro na Praia da Reserva (Zona Oeste) ganhou novo episódio hoje. Enquanto o prefeito Eduardo Paes defendia a aprovação dos projetos dizendo que a cidade sairá ganhando, um grupo de manifestantes reuniu-se na porta do Itanhangá Golf Club para protestar contra os dois empreendimentos.

Curiosamente, o prefeito ainda defende a aprovação dos projetos que permitirão a construção do mega campo de golfe. Mas, sua certeza com relação à abertura desta área de esporte é tanta que já existe - embora ainda permaneça fechada - a estação do BRT chamada Golfe Olímpico. A questão que Paes parece não se preocupar é que este terreno continua sendo motivo de litígio judicial.

Apesar disto tudo, o prefeito nesta terça-feira garantiu que "o Rio sai ganhando com o novo campo de golfe e com o resort". Segundo ele, "as pessoas tem mania de dizer que não se pode construir em Áreas de Preservação Ambiental (APA). Mas pode sim, só que com ressalvas", explicou, tentando minimizar o fato de o terreno onde o complexo será construído pertencer à APA de Marapendi.

A área deste suposto campo de golfe tem cerca de um milhão de metros quadrados, e fica na beira da Avenida das Américas. Ela é motivo de uma antiga briga judicial entre a Elmway Participações Ltda. do auditor da Receita Federal Vanildo Pereira da Silva e o conhecido grileiro de terra, Pasquale Mauro. É com Pasquale e a empresa RJZ Cyrela que o prefeito negociou o uso do terreno para o campo de golfe.

Pelo projeto de Lei enviado à Câmara de Vereadores para aprovação, uma área de 58 mil metros quadrados, hoje considerada Zona de Conservação da Vida Silvestre (ZCVS), será liberada para o campo de golfe. No mesmo projeto, como contrapartida à cessão da área para o campo de golfe, o prefeito propôs a mudança do gabarito de forma a permitir a construção de 22 espigões com 22 andares cada um para serem explorados pela Cyrela e o italiano. A questão é que a Elmway, através do seu advogado, Sérgio Antunes Lima Junior já anunciou que tem outros planos para o terreno. Ou seja, ela ganhando a disputa judicial, o campo de golfe não se torna realidade.

Apesar de o projeto ainda estar em tramitação, sem data prevista para ser votado, a estação de Bus Rapid Transit (BRT) já está prontam, com placa na porta. Situada em frente ao terreno em questão chama-se 'Estação Golfe Olímpico'. Aliás, o terreno de tão grande, margeia duas estações. A segunda delas é a do condomínio Rio Mar.

Vereador protesta
Um grupo de jovens se reuniram na porta do Itanhangá Golf Club, na manhã desta terça-feira (20), para protestar contra a construção do campo de golfe na região da Área de Proteção Ambiental do Marapendi e do resort Hyatt, na Praia da Reserva.

"O Rio de Janeiro já tem dois campos de golfes. E o tradicional é o de Itanhangá, que poderia perfeitamente ser adaptado para os jogos. Havia inclusive interesse de responsáveis pelo esporte internacional de bancar as obras, mas, a Copa do Mundo e as Olimpiádas justificam tudo o que o Paes quer fazer no Rio de Janeiro", lamentou Renato Cinco, eleito vereador pelo PSOL em outubro último.

O empreendimento do grupo hoteleiro Hyatt prevê quatro prédios de seis pavimentos com um total de 436 apartamentos, além de dois condomínios residenciais de luxo com outras 80 unidades com preços que variam entre R$ 2,6 milhões e R$ 40 milhões.

Leia também:
Conheça, em detalhes, o futuro VLT do Rio de Janeiro
Ciclistas fazem 11.500 entregas por dia apenas em Copacabana
Edital do trem-bala será publicado no dia 26 de novembro



Enviado via iPhone

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Orla do Leblon se prepara para ter 4 novos pontos de ônibus

19/11/2012 - O Globo

Espaços já recebem sinalização. Funcionamento vai começar no sábado

Adaptação . Ciclistas e pedestres passeavam ontem pela orla do Leblon desviando das obras dos pontos de ônibus Pedro Kirilos
RIO - Para as pessoas que circularam ontem pela orla do Leblon, o dia foi de adaptação aos novos pontos de ônibus construídos ao longo da ciclovia da Avenida Delfim Moreira, entre os postos 11 e 12. A novidade faz parte das intervenções para o início das obras da Linha 4 do metrô. Até sábado, a maioria dos moradores ainda não sabia o motivo das obras. Ontem, no entanto, a Secretaria municipal de Transportes providenciou a instalação de placas com os dizeres Desvio provisório - Implantação de pontos de ônibus temporários. Metrô Linha 4. O secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, explicou que os novos pontos de ônibus quatro no total estão sendo construídos porque, a partir de sábado que vem, não haverá circulação de linhas na Avenida Ataulfo de Paiva.

Usamos parte da ciclovia para construir pontos de ônibus. Mas, para o ciclista não ficar sem seu espaço, estendemos a ciclovia para o calçadão, que em determinados trechos fica menor explicou Osório.

O secretário disse que, ao longo desta semana, serão pintados de vermelho os traçados da ciclovia, instaladas as placas indicativas das linhas de ônibus e implantados os mobiliários para demarcar as áreas dos novos pontos. A Secretaria de Transportes definirá ainda se o mobiliário será coberto ou não.

Todo o trecho vai ficar muito bem sinalizado, com pinturas no chão e placas informativas. Além disso, em cada um dos quatro pontos de ônibus vamos dispor de um monitor uniformizado para tirar dúvidas dos passageiros e orientar os ciclistas a transitar em baixa velocidade afirmou o secretário.

Vicente Quinderi Falcão, de 29 anos, empresário e morador da região, disse que uma boa sinalização será importante para quem transita pela orla, sobretudo para os ciclistas:

Eu uso esta ciclovia praticamente todos os dias, porque moro na Gávea e venho de bicicleta ao Leblon, onde eu trabalho. Aqui vai ficar uma bagunça se não estiver bem sinalizado, principalmente no verão.

Segundo o subsecretário de Transportes, Joaquim Monteiro de Carvalho, caso o espaço para a circulação de pessoas no calçadão seja insuficiente, há a possibilidade de construção de um deck provisório na areia nas áreas ocupadas pelos pontos de ônibus.

Ainda de acordo com Joaquim, a intenção da secretaria é incentivar a utilização de bicicletas no bairro. Por isso, bicicletários provisórios, com vagas para até dez bicicletas, serão instalados ao longo das vias do Leblon:

Escolhemos locais priorizando prédios comerciais, restaurantes, galerias, shoppings e cinemas. Os bicicletários foram desenhados no formato de R, de Rio, e serão instalados em breve. Queremos que as obras do metrô incentivem os moradores a usar a mobilidade a seu favor, e a bicicleta é um dos principais meios neste caso.

Osório adiantou que para o verão há a possibilidade de aumentar o número de bicicletas da Bike Rio nas estações da Zona Sul e do Centro.



Enviado via iPhone

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Insegurança leva passageiros a dormirem dentro de rodoviária

Insegurança leva passageiros a dormirem dentro de rodoviária

16/11/2012 - O Globp

Consórcio Novo Rio prepara espaço que poderá abrigar a futura sede de UOP

Cochilo desconfortável. Espremido num banco, o pedreiro Mauro César Souza dorme à espera do ônibus para o Piauí: passageiros improvisam de madrugada na rodoviária Fernando Quevedo / O Globo

RIO Moradores de rua, usuários de drogas, iluminação precária e sujeira são alguns dos problemas que compõem, no entorno da Rodoviária Novo Rio, um cenário nada convidativo para quem opta por deixar a cidade de ônibus em feriadões como o que começou na quinta-feira. O quadro de abandono já mexe até nos hábitos de passageiros: quem viaja nas horas antes do amanhecer agora procura chegar cedo e dorme improvisadamente em bancos ou em cima de malas dentro do terminal. Em levantamento realizado há cerca de um mês, o Consórcio Novo Rio detectou que 82% das reclamações de usuários dizem respeito a questões ligadas à falta de segurança na região. À frente das obras na área que será conhecida como Porto Olímpico, a concessionária responsável pelo projeto de revitalização da Zona Portuária prepara um espaço que poderá abrigar a futura sede de uma Unidade de Ordem Pública (UOP).

Já está quase pronta uma sede temporária para essa unidade nas proximidades da Cidade do Samba. A partir do ano que vem, vamos trabalhar no terreno que abrigará o Porto Olímpico e que terá uma grande sede definitiva para ser usada pela prefeitura perto da rodoviária adiantou o presidente da Concessionária Porto Novo, José Renato Ponte.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop), a prefeitura ainda estuda se será instalada uma UOP ou uma inspetoria comum da Guarda Municipal no local.

Até carrinho improvisado como cama

Na madrugada de ontem, a quantidade de pessoas dormindo na rodoviária à espera dos ônibus dava ao terminal uma cara de hotel improvisado. Com viagem para Paraty programada para as 3h, a gerente Juliana Jatobá, de 33 anos, improvisou uma cama. Pegou um carrinho para bagagens, colocou sua mochila como encosto e deitou. Essa foi a maneira mais confortável que ela encontrou para esperar o tempo passar. Viajando sozinha, ela preferiu chegar horas antes da partida do seu ônibus por medo da violência na região.

Eu prefiro chegar cedo por causa da violência. A região em que fica a rodoviária é muito perigosa contou Juliana, que ainda reclamou da falta de estrutura do terminal para receber pessoas que precisam ficar bastante tempo no local. O conforto aqui é zero.

As dezenas de pessoas que se espremem nos bancos também têm outros motivos para dormir na rodoviária, mas preferem se arriscar pouco do lado de fora. Traídos pela cultura brasileira de deixar tudo para a última hora, os pedreiros José Henrique de Souza, de 25 anos, e Mauro César Souza, de 36, esperaram 11 horas e 13 horas, respectivamente, para embarcar. Os amigos terminaram uma construção na Barra da Tijuca e seguiam para suas terras natais, Aracaju, em Sergipe, e Teresina, no Piauí. Eles chegaram à Novo Rio às 20h, para viajar nos ônibus das 22h e 23h, mas não havia mais passagens. Precisaram esperar até a manhã para iniciar a viagem.

Até deitamos no chão para descansar um pouco, mas o segurança mandou que levantássemos. Tentei dormir aqui neste banco de ferro, mas não consegui. E fiquei com dor no corpo contou Mauro César, que ficará pelo menos dois dias dentro do ônibus.

No levantamento feito pelo Consórcio Novo Rio, entre os 82% de reclamações relacionadas à insegurança no entorno, as principais queixas ficaram por conta de viciados em crack, táxis piratas, cambistas de passagens, prostituição e assaltos. O consórcio não quis, porém, comentar esses problemas. Sobre a segurança interna, explicou que faz o monitoramento com 55 câmeras que gravam 24 horas por dia todas as instalações do terminal, além dos 17 homens da segurança patrimonial e a presença de patrulhamento dos policiais do Posto de Policiamento em Áreas Turísticas da PM.

A Guarda Municipal explicou que monta esquemas especiais nos feriados. Ontem e no próximo dia 20, por exemplo, um efetivo de 26 homens foi programado para atuar 24 horas, em turnos, nas vias próximas à rodoviária, como Avenida Francisco Bicalho, Avenida Rodrigues Alves e Rua Equador. A assessoria de imprensa da PM informou que atua com o posto de policiamento e que são realizadas rondas constantes em todo o entorno da Novo Rio. Durante os seis dias deste feriado prolongado, são esperados cerca de 403 mil passageiros no terminal. Haverá 13.334 ônibus disponíveis, incluindo um esquema com 2.500 horários extras.

Iluminação e calçadas novas

Intervenções urbanísticas no entorno da Rodoviária Novo Rio estão sendo realizadas pela concessionária Porto Novo e devem começar a ser inauguradas nos próximos meses. O trecho da Via Binária que passará atrás do terminal será inaugurado até maio, com postes de iluminação a LED e fiação subterrânea, além de calçadas em granito. Está prevista ainda a construção de uma praça a cerca de 300 metros da rodoviária, como explicou o presidente da Concessionária Porto Novo, José Renato Ponte:

Essa área receberá prédios que vão abrigar os árbitros e parte da mídia durante as Olimpíadas. O entorno da rodoviária ganhará importância ao se tornar a porta de entrada para a Região Portuária, após a demolição da Perimetral.


Enviado via iPhone

Lagoa

Postado por SAUDADES DO RIO em 16/11/2012 07:36

VISTA DA JANELA
A foto de hoje, um repeteco, mostra a visão da praça que existia em frente ao Corte do Cantagalo.

Vê-se a pista da Av. Epitácio Pessoa, ainda não duplicada, em frente à curva da Rua Gastão Bahiana, com um ônibus e um lotação das raras linhas que serviam à Lagoa.

Ao fundo, junto ao Corte do Cantagalo, a Praça Corumbá, ainda com poucas casas (uma delas do Senador Filinto Muller) e muita mata.

No cruzamento, complicado, do Corte, ficava o posto de gasolina Ipiranga.

Nesta época, de pouco movimento de veículos na Lagoa, já que não existia o Túnel Rebouças e, também, não estava terminada toda a avenida que contornaria a Lagoa (entre o Flamengo e o Piraquê) neste trecho só passavam três linhas de ônibus: uma era a Rocinha-Mourisco, via Corte; outra a Ipanema-Estrada de Ferro, também via Corte; e a Jacaré-Ipanema, que fazia ponto final na Praça Corumbá, mas não cruzava o Corte (ía e voltava por Ipanema).

Quanto aos lotações, somente duas linhas: a Largo do Machado-Ipanema, circular, e a Estrada de Ferro-Ipanema.

A linha Lins-Lagoa, ideal para se ir ao Maracanã, não passava por aqui - fazia ponto final junto da garagem de barcos do Botafogo, pouco antes da Curva do Calombo.

Posteriormente, o lotação Largo do Machado-Ipanema foi substituído pelo ônibus elétrico do mesmo nome, já abordado em http://fotolog.terra.com.br/luizd:55

A bela e grande praça em frente ao Corte do Cantagalo seria destruída para construção do Viaduto Augusto Frederico Schmidt.

Junto da margem da lagoa, todo carnaval, era construído um palco para bailes infantis.

Também ali eram realizados espetáculos de fogos de artifício, geralmente patrocinados por Abrahão Medina, dono do "Rei da Voz".

Ao fundo, a pedreira (duas vezes por dia soava uma sirene e o trânsito era interrompido por cerca de 10 minutos para as explosões de dinamite).

sábado, 10 de novembro de 2012

Reciclagem

08/11/2012 - O Globo

Mais de seis mil metros cúbicos de material fragmentado vão pavimentar a faixa do BRT da Estrada da Ilha do Governador. São entulho da implosão da Rheem Química, em Benfica. Vão gerar economia de R$ 250 mil, estima a Secretaria municipal de Obras.


Enviado via iPhone

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

No Rio, Secretário de Transportes vai aumentar frota de ônibus BRT

07/11/2012 - RJTV

Diante de várias reclamações de passageiros a respeito do BRT Transoeste, que liga o bairro de Santa Cruz à Barra da Tijuca, o novo secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, disse, na manhã desta terça-feira (6), que vai realizar melhorias no sistema. Segundo ele, o sistema deve receber mais coletivos.

"A solução é aumentar a frota. Já na semana que vem teremos cinco novos ônibus sendo agregados ao sistema e também exigimos que a concessionária também contrate a construção de mais 12, num prazo de até quatro meses", conta.

Os usuários reclamam que nos horários de grande movimentação os coletivos ficam lotados e as estações têm grandes filas de acesso, como na estação Pingo d'Água, em Guaratiba. No local, os passageiros contam que há duas filas: uma para quem quer ir em pé e outra para quem prefere viajar sentado, como mostrou o RJTV.

O secretário Carlos Roberto Osório admite que o sistema tem problemas. "Está muito claro que, no horário de pico, o BRT Transoeste, está tendo mais passageiros do que o previsto inicialmente para esse trecho."

O BRT Transoeste foi inaugurado há cinco meses, com o objetivo de reduzir pela metade o tempo de percurso entre a estação inicial e a terminal, além de oferecer conforto aos passageiros.

Informações: RJTV



Enviado via iPhone