domingo, 24 de outubro de 2010

Prefeitura do Rio vai instalar radares para fiscalizar corredores de ônibus em Copacabana

22/10/2010 - O Globo - Selma Schmidt

MONITORAMENTO



RIO - A circulação nos dois primeiroscorredores exclusivos de ônibus que a prefeitura implantará em janeiro em Copacabana será controlada por radares, anunciou, nesta sexta-feira, o prefeito Eduardo Paes. Automóveis, táxis, vans e veículos de carga e descarga só poderão usar as seletivas até a primeira rua que dê mão à direita. Durante reunião com técnicos da Secretaria municipal de Transportes e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), o secretário Alexandre Sansão bateu o martelo sobre medidas operacionais para a implementação desses corredores. Segundo Sansão, deixarão de passar na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e na Rua Barata Ribeiro 120 ônibus, em média, por hora. Ou seja, uma redução de 30% na quantidade dos coletivos (400/hora) que trafegam pelas duas principais vias do bairro.

- Com a diminuição dos coletivos em Copacabana, pretendemos melhorar o desempenho dos ônibus. Nossa estimativa é que a velocidade deles, que hoje é de menos de 15km/h, passe a 20, 25km/h - prevê Sansão.

Além da delimitação de duas faixas - de um total de quatro - para ônibus, o projeto de criação dos corredores também reorganiza e sinaliza os pontos. A exemplo das estações do metrô, eles ganharão nomes - de uma rua, uma praça ou um local importante próximo - e cores, para facilitar a identificação pelo passageiro. Serão criados três grupos de linhas, cada um deles com uma cor, que estará nos veículos e nos pontos.

- A distância entre um ponto e outro será de cem metros. Mas cada grupo de linhas terá pontos de 300 em 300 metros - explica Sansão.Táxis à esquerda; vans sem espaço

De acordo com a presidente da CET-Rio, Cláudia Secin, a rede de monitoramento da circulação nos corredores será formada por 23 câmaras. A tecnologia do equipamento permitirá acompanhar e multar os veículos que deixarem de dobrar na primeira direita a dar mão. Já a fiscalização da parada irregular para embarque e desembarque, acrescenta Cláudia, será feita por guardas municipais e agentes da CET-Rio.

Duas linhas azuis serão pintadas nas bordas dos dois corredores exclusivos. Segregadores amarelos, com cerca de quatro centímetros de altura, vão separar os corredores das faixas destinadas aos demais veículos. Em forma de trapézio, os tachões serão dispostos de forma a dificultar e a facilitar o acesso, dependendo do trecho do corredor.

- Não haverá barreiras. Usaremos os segregadores de forma não agressiva - diz Cláudia, acrescentando que os tachões serão intercalados com placas de led para facilitar a visualização dos corredores à noite.

As duas faixas dos corredores exclusivos serão delimitadas por pintura branca. A palavra "ônibus" estará escrita na pista. A sinalização será complementada por placas, que indicarão as ruas onde será possível dobrar à direita. E, ainda, por quatro painéis luminosos com mensagens informativas.

O dia de janeiro em que os corredores de Copacabana serão inaugurados ainda depende de definição:

- O certo é que será em janeiro, para coincidir com as férias escolares - diz Sansão.

Para os veículos que não são ônibus, haverá as duas faixas da esquerda dos corredores. Aos táxis só será permitido parar à esquerda. Como não possuem portas dos dois lados, as vans só poderão embarcar e desembarcar passageiros em vias transversais ou paralelas aos corredores.

A primeira semana deve ser de adaptação, sem a aplicação de multas. Em seguida, segundo o secretário, a fiscalização será rígida. Não será feito cadastramento, mas o secretário garante que os carros poderão usar a seletiva para entrar e sair de garagens.

Os detalhes sobre os ônibus que deixarão de passar em Copacabana estão sendo finalizados. O secretário informou apenas que "algumas linhas serão seccionadas", ou seja, terão o trajeto encurtado.

Na opinião do presidente da Sociedade Amigos de Copacabana, Horácio Magalhães, a fiscalização é o grande desafio para a implementação dos corredores:

- Dependendo do volume de ônibus, que criam barreiras físicas, o motorista pode precisar percorrer mais de um quarteirão para entrar e sair de sua garagem.

Contagem feita pela Sociedade Amigos de Copacabana identificou 44 prédios com garagem na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e 58 na Rua Barata Ribeiro.

Mais uma preocupação de Horácio é quanto aos táxis:

- Eles poderão formar um grande paredão na faixa da esquerda, sobrando uma única faixa para a circulação dos demais veículos.

As vias exclusivas para ônibus em Copacabana são parte do corredor de tráfego que a prefeitura pretende implantar ligando o bairro ao Centro. Ao todo estão planejados 20 corredores (entre eles Saens Peña-Centro e Penha-Centro) com prioridade para o ônibus. Além de quatro BRTs (vias expressos para ônibus articulados): o TransOeste, ligando o Jardim Oceânico (Barra da Tijuca) à Santa Cruz, que terá 56 quilômetros; o TransCarioca, entre a Barra e o Aeroporto Internacional Tom Jobim; o da Avenida Brasil, do Centro até Santa Cruz; oTransOlímpíco, com 26 quilômetros, entre a Barra e Deodoro.

- O prefeito quer que os corredores de Copacabana sejam um modelo que possa ser expandido pelo resto da cidade - afirma a presidente da CET-Rio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário