domingo, 31 de agosto de 2014

Passageiro do Transcarioca pode ter BRS para linhas alimentadoras

30/08/2014 - O Dia - RJ

Rio - Passageiros do Transcarioca podem ganhar aliados para reduzir ainda mais o tempo de viagem. A ideia é implementar faixas exclusivas de ônibus (BRS) em algumas ruas por onde passam linhas de ônibus alimentadores do BRT, em bairros como Madureira.

O presidente da Fetranspor (Federação das Empresas de ônibus do Rio), Lélis Teixeira, contou que a instituição propôs à prefeitura estudar a medida. "Queremos potencializar o uso do Transcarioca, porém, precisamos, além de verificar a viabilidade do projeto, aguardar a implantação total das linhas alimentadoras", explicou Lélis, durante o Seminário da Associação Nacional das Empresas de Transportes (NTU), realizado em Brasília.

Para a diretora do ITDP (sigla em inglês para Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento) Clarisse Linke, que também esteve no evento, a integração do BRS ao sistema BRT trará benefícios à população. "Se os alimentadores tiverem pistas segregadas do automóvel particular proporcionará mais rapidez nas viagens. As operações seguem uma lógica. Afinal, quem usa BRT quer reduzir o tempo de viagem e não perder parte dele ao utilizar o sistema alimentador", destacou.

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, a implantação do sistema alimentador do Transcarioca está sendo realizada, gradativamente, para que o usuário se adapte. Até o momento, o processo está na segunda fase, em que parte da frota de ônibus convencional da região do entorno do corredor BRT já foi substituída. 

Mobilidade na Região Metropolitana do Rio: Câmara quer BRT ou trem sobre a Ponte

31/08/2014 -  O Dia - RJ

Rio - A recém-criada Câmara Metropolitana de Integração Governamental vai tentar convencer o governo federal a incluir na licitação da nova concessão da Ponte Rio-Niterói a instalação um espaço exclusivo para o transporte público, que pode ser um corredor BRT ou até mesmo trilhos. A informação foi dada pelo coordenador da Câmara e subsecretário estadual de Urbanismo, Vicente Loureiro, durante debate realizado pelo Observatório da Mobilidade, do DIA, sobre soluções para a mobilidade da Região Metropolitana do Rio.

 "Estamos conversando com o governo federal, que detém a concessão da Ponte, para convencê-lo de que isso seja exigido do novo concessionário. Esta é uma das primeiras missões da Câmara (Metropolitana de Integração Governamental do Rio de Janeiro)", afirmou Loureiro. "A hora de se tentar garantir o espaço para o transporte público na Ponte é agora", ressaltou Rômulo Orrico, do Programa de Engenharia de Transportes da Coppe-UFRJ, que defende a instalação de trilhos na via para que a chamada Linha 3 do metrô, que vai ligar Niterói a São Gonçalo, se conecte à rede metroviária carioca.

Loureiro concorda que essa conexão seria importante, mas não sabe se seria viável pelos altos custos do projeto. Uma opção mais em conta seria um corredor exclusivo de ônibus, como um BRT. "O importante é garantir um espaço na nova concessão da Ponte para o transporte público. O tipo de transporte que será vai depender de estudos e dos projetos a serem apresentados", afirmou Loureiro.

Riley Rodrigues, especialista em competitividade industrial da Firjan, ressaltou, no entanto, que a única obra já anunciada a ser incluída no edital é a construção de um acesso direto da Ponte à Linha Vermelha. "É uma obra importante, que tira de 30% a 40% dos veículos que atualmente usam a Avenida Brasil.

Entretanto, deveríamos usar a mesma estrutura a ser feita para se construir um acesso exclusivo ao Porto, desafogando o tráfego de caminhões do ponto mais congestionado da Brasil, que é a chegada à Zona Portuária", afirmou Riley, que coordenou estudo mostrando que o estado perdeu R$ 29 bilhões com os 130 quilômetros de engarrafamentos diários, só no ano passado.

A expectativa é de que o governo federal licite a Ponte ainda neste ano, já que a atual concessão termina em maio do ano que vem. As empresas interessadas têm até sexta para entregar projetos que poderão ser incluídos no edital de licitação.

Concentração dos empregos prejudica a mobilidade

A solução para a mobilidade não pode estar desvinculada do planejamento urbano. A opinião é unânime entre os especialistas do debate, que apontaram a necessidade de distribuir os pólos geradores de empregos e serviços na Região Metropolitana. "Mais de 70% dos empregos metropolitanos estão na cidade do Rio. Sem reverter essa lógica, fica muito pesado para qualquer sistema de transporte dar conta do desafio de transportar essa gente toda", afirmou Vicente Loureiro, explicando que é preciso desenvolver outras "centralidades" (pólos com empregos e serviços) em municípios da Baixada e da Grande Niterói.

O economista e urbanista da UFRJ, Mauro Osório, destacou ainda a disparidade dentro da capital, como a área da Barra e Recreio (AP-5), com 27% da população e 7,9% dos postos de trabalho, e o Centro (AP-1), com 37% do emprego e 4,7% dos habitantes. Ele defende políticas para o adensamento de moradias no Centro e incentivo à criação de trabalho na AP-5. "Tem de trazer mais moradia para a AP-1 do que estão fazendo na reforma da Zona Portuária. Na Baixada, acho que o que deve se levar é emprego e serviços e não mais população", avaliou.

Outras fontes para financiar o transporte

Para o engenheiro Rômulo Orrico, da Coppe-UFRJ, um dos desafios para melhorar a mobilidade urbana na Região Metropolitana é diversificar a fonte de investimentos. "É um ponto chave saber como partilhar os investimentos em transporte público. Quem se beneficia desses investimentos deve pagar", afirmou.

Para ele, os recursos para a ampliação da rede de transportes pode sair, em parte, do aumento dos impostos sobre quem tem carro, do setor imobiliário, que se valoriza com a infraestrutura, ou até da indústria.

Outro desafio lembrado por ele é a melhoria da gestão e planejamento de transportes na Região Metropolitana do Rio. "Quando uma enorme quantidade de ônibus entra totalmente vazia no Centro, vemos que existe uma lógica torta no planejamento dessa metrópole."

PROJETOS

Trens e BRTs na Baixada

Entre os projetos mais urgentes para a mobilidade urbana da Região Metropolitana, os especialistas apontaram mais investimentos nos trens e a construção de corredores BRT na Baixada. "O trem precisa virar metrô na superfície. Não é só trens com ar-condicionado. Tem de ser linha segregada, estações novas. Estimamos que precisam mais R$ 800 milhões de investimentos", afirmou Vicente Loureiro, ressaltando a importância da construção do BRT da Baixada, pela Via Light até a interligação com o Transbrasil, além de corredor exclusivo de ônibus na BR-040 e na Via Dutra, concessões federais. Ele ressalta ainda a ligação Estácio-Praça 15 do metrô.

Riley Rodrigues, da Firjan, lembrou ainda da importância da ligação tranversal na Baixada, chamada de Transbaixada, com corredor BRT ligando a BR-040 à Dutra. Ele se mostrou, no entanto, contrário ao BRT Transbrasil, que ligará Deodoro ao Centro. "Acho que nesse trecho da Avenida Brasil deveria ter um metrô, suspenso ou por túnel, que teria uma capacidade muito maior do que o BRT. Não se pode tirar uma faixa ali", reclamou Riley. Mauro Osório, da UFRJ, também concorda com Riley sobre este projeto.

Rômulo Orrico, da Coppe da UFRJ, sustentou a defesa da implementação de um arco ferroviário, ligando a linha de Guapimirim até Itaboraí, onde está sendo instalado o Comperj. "Com isso, fecharia um arco em toda a Região Metropolitana com a Linha 3 do metrô."

domingo, 17 de agosto de 2014

Novas linhas de ônibus se ligarão ao Transcarioca

17/08/2014 - O Globo

RIO - A partir da próxima segunda-feira, quem utiliza os serviços do BRT Transcarioca poderá contar com quatro novas linhas alimentadoras nas regiões de Jacarepaguá e Madureira. De acordo com o consórcio BRT, a medida faz parte de mais uma etapa do processo de racionalização das linhas de ônibus. A medida cumpre o planejamento definido pela Secretaria Municipal de Transportes. Veja o esquema abaixo:

Início da operação da linha alimentadora 815A (Boiúna - Taquara), em substituição a 761 (Boiúna - Madureira), com integração ao BRT no Terminal Taquara - Bandeira Brasil, junto à estação Taquara.

Início da operação da linha alimentadora 831A (Taquara - Colônia), em substituição a 762 (Madureira- Colônia), com integração ao BRT no Terminal Taquara - Bandeira Brasil, junto à estação Taquara.

Início da operação da linha alimentadora 963A (Santa Maria - Taquara), em substituição a 763 (Santa Maria - Madureira), com integração ao BRT no Terminal Taquara - Bandeira Brasil, junto à estação Taquara.

Início da operação da linha alimentadora 964A (Pau da Fome - Taquara via Meringuava), em substituição a 764 (Pau da Fome - Madureira), com integração ao BRT no Terminal Taquara - Bandeira Brasil, junto à estação Taquara.

O consórcio BRT informou que promotores estarão nas estações e nos principais pontos das linhas acima divulgando todas as mudanças para a população, com distribuição de folhetos explicativos.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

BRT deve chegar ao Jardim Oceânico no ano que vem, prevê Rio Ônibus

14/08/2014 - Agência Brasil

O presidente do Sindicato das Empresas  de Ônibus do Rio de Janeiro (Rio Ônibus) e da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Rio de Janeiro (Fetranspor), Lélis Teixeira, informou hoje (14) que o corredor expresso de ônibus articulados Bus Rapid Transit (BRT) Transoeste deve ser estendido ao Jardim Oceânico no ano que vem. Com a conclusão da obra, os passageiros poderão descer diretamente na estação de metrô, que está atualmente em construção na Barra da Tijuca e é prevista para 2016, antes dos Jogos Olímpicos.

"Quando você passa ali, já vê que está em obras. Quando o metrô ficar pronto, o BRT já vai estar pronto, e, independentemente disso, vai ser importante porque toda a região mais comercial da Barra está naquele trecho. Ali, já vai ser um ganho enorme e tirar no mínimo 50 ônibus quando colocar o BRT. Vai beneficiar as pessoas porque elas vão poder passar direto pelo Terminal Alvorada e até ir para a zona sul, quando o metrô estiver pronto", disse Teixeira, que apresentou um balanço do BRT no Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ).

Ao mostrar o traçado do corredor expresso, o representante das empresas de ônibus apontou também um trecho do BRT Transoeste que vai ligar Campo Grande à Avenida das Américas e à Barra da Tijuca sem passar por Santa Cruz, via Estrada do Monteiro e Mato Alto. Essa parte do corredor, porém, é uma ideia que ainda não tem data para sair do papel e deve ficar para governos futuros: "Eu acredito que não vai ser feito neste governo porque ele já definiu as prioridades, que são o Transolímpico (Recreio-Deodoro), que está sendo feito, e o Transbrasil (Centro-Deodoro), que está em processo de licitação."

Sobre os próximos passos do BRT, Lélis Teixeira disse que 100% das estações do Transcarioca (Barra da Tijuca-Aeroporto Internacional Tom Jobim) devem estar funcionando até setembro, e que, já neste mês, chegam ônibus biarticulados que terão capacidade para transportar 280 passageiros. "Já estamos sabendo pelas pesquisas que têm estações que vão integrar com o trem e que têm uma grande demanda. Eles vão ser provavelmente para Madureira."

Segundo a assessoria de imprensa do Consórcio BRT, os veículos biarticulados foram fabricados em Caxias do Sul e já estão na estrada, a caminho do Rio. Quando chegarem à cidade, precisam ser licenciados pela Secretaria Municipal de Transportes e pelo Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ), antes de passarem por um período curto de testes.Nesta semana, o trecho Barra da Tijuca-Madureira começou a operar 24 horas por dia, e a expectativa é que, no mês que vem, todos os ônibus e estações dos BRTs Transoeste e Transcarioca tenham internet sem fio.

Longa espera por melhorias

15/08/2014 - O Dia - RJ

Terminal que concentra linhas de ônibus para a Baixada Fluminense, o Américo Fontenelle, ao lado da Central do Brasil, deveria ser uma rodoviária climatizada, com painéis de LED para informar chegadas e partidas e ainda dispor de um shopping e estacionamento. As melhorias foram anunciadas quando a Companhia de Desenvolvimento Rodoviário e Terminais do Estado do Rio de Janeiro (Coderte) concedeu o terminal, por 25 anos, em licitação, para a Rio Terminais, em maio de 2012. Na época, a nova concessionária prometeu que iria demolir a estrutura antiga e construir novo prédio, uma obra que começaria "em breve" e duraria 24 meses.

Mais de dois anos depois, no entanto, a reforma nem começou. A concessionária alega que depende ainda de desapropriações de terrenos no entorno, que seriam de responsabilidade da Coderte, para construir o novo terminal, o centro comercial e o estacionamento.

Além disso, a Rio Terminais acrescenta que espera definições sobre futuras estações do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e do BRT Transbrasil para fazer a reforma do local. A prefeitura, no entanto, contesta a informação e ressalta que o traçado do VLT já está pronto e que o projeto do Transbrasil não interfere nas obras.

Os passageiros, que aguardam por ônibus em longas filas, em pé, dizem não ter visto melhorias no conforto desde a privatização. "Não há um lugar para sentarmos enquanto o ônibus não vem. Faz falta", diz a telefonista Ana Gracinda de Castro, de 50 anos, que aguarda o 196 C para Guapimirim.

A Rio Terminais afirma que o local já recebeu reforma das plataformas, nova pintura, cobertura ampliada e equipes de segurança e limpeza.

Entre as exigências da Coderte na concessão, sem prazo para implantação, estavam ainda bilheterias e banheiros, que nunca foram instaladas.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Cariocas se queixam da lotação nos ônibus do BRT Transoeste

14/08/2014 - G1 Rio

O BRT Transcarioca completou dois meses de funcionamento e a Transoeste transporta passageiros há mais dois anos. Os ônibus articulados que rodam em faixas exclusivas foram uma saída da Prefeitura do Rio para melhorar os congestionamentos na cidade, mas os passageiros reclamam da qualidade do serviço. Juntos, o sistema Transoeste e a Transcarioca têm 95 quilômetros. As informações são do Bom Dia Rio.

"Eu quero que eles botem mais ônibus, saindo um atrás do outro, porque a gente fica aqui em pé o tempo todo esperando um ônibus", disse uma passageira.

"O problema é esse ai, ne? A lotação, entendeu? Eu não tenho nem como me mexer", contou uma senhora.

"A gente vai igual uma lata de sardinha. Tem dia que se você tirar o pé , não coloca de novo", reclamou outra passageira, que se espremia no ônibus do BRT.

A Transoeste liga Campo Grande, Santa Cruz, na Zona Oeste, ao Terminal Alvorada e a Transcarioca segue e direção ao Aeroporto Tom Jobim, na Ilha do Governador - 213 ônibus do BRT circulam pela cidade diariamente.

Oito novos ônibus com capacidade para 200 passageiros entraram em circulação no início de agosto. Mas até o final do mês, dois veículos de 28 metros com capacidade para 270 pessoas entrarão em teste.

"Essa frota maior está vindo com carros maiores. Com isso nós conseguimos junto com a velocidade que o sistema já tem, ofertar mais lugares com carros de maior capacidade, dando ao passageiro mais conforto nos momentos de pico", afirmou o gerente do sistema BRT Alexandre Castro.

Os novos veículos vão circular nos dois corredores. Na Transoeste, em dois anos de operação, foram transportados mais de 60 milhões de passageiros. A Transcarioca ainda está em fase de implantação; em dois meses, quase 1,5 milhão de passageiros usaram o corredor expresso. Das 47 estações previstas, 19 ainda não funcionam.

Até 2016, com a inauguração da Transolímpica, serão três linhas e 620 viagens por dia. O edital para a construção da Transbrasil, que vai complementar o sistema, ainda não foi lançado.

Penha é a próxima parada do BRT Transcarioca

14/08/2014 - O Dia - RJ

Rio - As 13 estações do BRT Transcarioca entre Madureira e a Penha serão abertas até o fim de setembro. A informação foi dada ontem pelo secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, ao DIA . A nova linha que ligará os dois bairros terá 14 paradas (incluindo a Estação Paulo da Portela, que já funciona para os serviços Madureira-Alvorada) e vai cruzar locais populosos como Vaz Lobo e Vila Kosmos.

O trajeto passará próximo ao cartão-postal da região, a Igreja da Penha, onde haverá duas estações (Penha 1 e 2). Em Vicente de Carvalho, uma das paradas, o sistema se integra ao metrô. O anúncio do secretário foi feito quatro dias após o início da operação 24 horas por dia do serviço parador (25 estações) Madureira-Alvorada do BRT, no sábado. Está em funcionamento ainda o expresso Madureira-Alvorada (seis paradas) e o semi-direto Alvorada-Galeão (com parada em Vicente de Carvalho).

O secretário, contudo, ainda é cauteloso em relação à escolha da data definitiva para a inauguração da nova linha até a Penha. O mais importante não é o dia exato. Trabalhamos para que o serviço comece em setembro e isso vai acontecer, disse o secretário, ressaltando que a principal preocupação é com a qualidade do sistema de transporte oferecido ao usuário e não com o prazo.

Inaugurado em 2 de junho, o Transcarioca transporta hoje 70 mil pessoas diariamente e, segundo a Secretaria Municipal de Transportes, terá capacidade para atender a 320 mil passageiros por dia quando suas 45 estações (da Barra ao Aeroporto Internacional) estiverem em funcionamento.

Além do serviço parador Penha-Madureira, a terceira etapa de implantação do Transcarioca prevê os trajetos Ilha do Fundão-Alvorada (expresso, com 12 estações) e Galeão-Penha (parador, em 10 estações). Sansão, que levou o criador do BRT de Bogotá, Enrique Peñalosa para conhecer o sistema do Rio, ontem, não confirmou se os demais serviços também serão inaugurados em setembro.

Criador do TransMilenio de Bogotá elogia sistema do Rio

Autor de um dos mantras dos planejadores urbanos Boa cidade não é aquela em que até os pobres andam de carro, mas aquela em que até os ricos usam transporte público, o colombiano Enrique Peñalosa aprovou ontem o BRT carioca, depois de visitar o Centro de Controle Operacional (CCO) do sistema, na Barra, e fazer uma viagem do Terminal Alvorada a Vicente de Carvalho, pelo corredor Transcarioca.

Acredito que esse sistema aponta para o futuro do transporte nas cidades. No Rio, me impressionou a construção de passarelas especialmente para os usuários do BRT, o que não fizemos em Bogotá. É um exemplo para o mundo, disse ele, que criou o BRT TransMilenio, quando foi prefeito da capital colombiana, de 1998 a 2001.

Peñalosa fez todo o trajeto até Vicente de Carvalho em pé, acompanhado pelo secretário Alexandre Sansão. Durante a viagem, ouviu elogios ao BRT de passageiros com quem conversou, esforçando-se no portunhol. Crítico do hábito carioca de estacionar carros nas calçadas, o ex-prefeito de Bogotá qualificou de maravilhoso o CCO. Além dos elogios, Peñalosa fez sugestões de melhorias ao BRT do Rio. É preciso ampliar as calçadas nas bordas das estações para facilitar a circulação. E deu dicas no campo do marketing: O BRT deve ser vendido sempre como um transporte melhor que o metrô.

Resistência preocupa

O rodízio de carros no Centro do Rio pela numeração das placas, se ocorrer, será seguido também do fechamento de mais vias. A medida está em estudo pela prefeitura do Rio como uma forma de aliviar o trânsito da região, ainda mais asfixiado desde o fechamento da Avenida Rodrigues Alves, em 25 de julho.

Se acontecer, o rodízio não pode ser a salvação do trânsito no Centro. Ele viria acompanhado de outras medidas, como o fechamento de algumas vias, afirmou o secretário municipal de Transportes Alexandre Sansão. No radar da prefeitura, há uma fonte adicional de preocupação: a potencial impopularidade da medida. Sabemos que pode haver resistência da população ao rodízio, reconheceu Sansão. Estamos estudando a questão com cuidado, mas hoje não se pode afirmar que ele será implantado, ressaltou.

Sansão disse ter consultado a Prefeitura de São Paulo sobre os prós e contras do rodízio em uma grande metrópole. Na capital paulista, famosa pelos congestionamentos, a proibição da circulação de carros de acordo com o último número da placa vigora desde 1997. Atualmente, a prefeitura paulistana estuda a ampliação do rodízio para o dia todo, já que só vale nos horários de pico da manhã e da tarde.

Sansão não confirmou um prazo para a decisão sobre o rodízio no Rio.

Corredor BRS reduz em até 50% tempo de viagem na Rua São Clemente, em Botafogo

14/08/2014 - O Globo

RIO — No terceiro dia útil de implantação do BRS nas ruas São Clemente, em Botafogo, e Humaitá, medições feitas pela Secretaria municipal de Transportes, por meio de agentes da CET-Rio, apontam que o trânsito nessas regiões melhorou em 50% no trecho onde funciona o corredor. De acordo com a secretaria, houve uma redução no tempo que o motorista faz no trajeto de três quilômetros e meio entre a Praia de Botafogo e a Rua Humaitá. Antes da implantação do BRS eram necessários 25 minutos e 25 segundos para percorrer o trecho e agora, com o corredor, o tempo caiu para 12 minutos e 42 segundos, em horário de pico da tarde.

Para resolver o problema em um dos trechos mais complicados da Rua São Clemente, em frente ao Colégio Santo Inácio, a CET-Rio criou uma faixa alternativa para estacionamento de vans e carros na Rua Dona Mariana. No local, carros particulares podem ficar parados por até 15 minutos com o pisca alerta ligado para embarcar e desembarcar alunos. Vans e ônibus escolares nesse trecho também podem parar. Já a Escola alemã Corcovado, na mesma São Clemente, adotou o serviço de um vigia que sinaliza para que motoristas particulares, de vans ou de ônibus escolares entrem por um portão do colégio e saiam por outro, para evitar que transitem pela faixa exclusiva para ônibus.

PAIS DESTACAM FLUIDEZ NA VIA

Apesar de não mais poderem parar na São Clemente para o embarque e desembarque dos filhos na porta das escolas da região, muitos pais, nesta quarta-feira, elogiavam o novo sistema porque tal medida reduziu o tempo em que ficavam no engarrafamento. Parada na Rua Dona Mariana para esperar a filha sair do colégio, a advogada Jaqueline Nunes, de 50 anos, gostou da alternativa criada pela CET-Rio para que pais pudessem estacionar e permanecer na faixa estabelecida por até 15 minutos.

— Gostei da alternativa. Fico aqui na Dona Mariana e posso esperar por até 15 minutos sem o risco de ser multada. Antes, eu ficava apreensiva de parar na Rua São Clemente. O BRS também melhorou o trânsito — disse.

A mesma opinião tem o empresário Diogo Vasconcellos, de 59 anos. Esperando a filha sair do Santo Inácio, ele somente reclamou da conduta de motoristas de ônibus que, por muitas vezes, trafegam por até três faixas na São Clemente atrapalhando os motoristas. Já a moradora da São Clemente Geane Astini diz que, apesar da dificuldade para sair da garagem de seu prédio, do lado direito da São Clemente, o trânsito melhorou:

— Sei que, às vezes, os ônibus não respeitam, mas corro para perturbar os fiscais. A confusão de fila dupla de veículos era pior e, felizmente, isso acabou.

COLÉGIO ENVIA CIRCULAR

Apesar da aprovação e satisfação de alguns motoristas, a direção do colégio Padre Antônio Vieira enviou uma circular para pais de alunos informando que havia pedido uma reunião com a CET-Rio a fim de resolver o impasse nas paradas de carros em frente a colégios da região.

A direção do colégio informou, ainda, através da circular, que recebeu um ofício da diretora-presidente da CET-Rio, Cláudia Antunes Secin, informando apenas que no último dia 9 seria implantado o BRS na região. A direção da escola acrescentou que tentou junto com demais colégios da região uma outra reunião com órgãos da prefeitura para tratar do impasse quanto à parada dos carros nas portas das escolas, mas a reunião somente foi marcada no prazo de 15 dias para possíveis ajustes na faixa BRS das ruas São Clemente e Humaitá.

O GLOBO procurou, nesta quarta-feira, por telefone o Colégio Padre Antônio Vieira, mas informaram que diretores estavam em reunião. Mesmo com os pontos positivos, alguns colégios da São Clemente pretendem se reunir hoje para discutir medidas que diminuam o impacto do BRS na via. O argumento das escolas é que com a modificação dos pontos e a interdição da faixa, onde acontecia o desembarque dos alunos, aumenta o risco de acidentes, devido ao número expressivo de crianças. A reunião não terá a presença de órgãos da prefeitura.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Horários de serviços do BRT Transcarioca para Madureira mudam a partir desta terça-feira

12/08/2014 - O Globo

RIO - A partir desta terça-feira, o serviço Alvorada-Madureira (Terminal Paulo da Portela, integrado ao trem) passa a operar com ônibus parador durante 24 horas e com o expresso de 5h às 23h. A Transcarioca liga a Barra da Tijuca à Ilha do Governador (Aeroporto do Galeão), sendo o primeiro corredor de alta capacidade no sentido transversal da cidade que já reduziu em 60% o tempo de viagem por ônibus no trecho, segundo a Prefeitura. Os testes operacionais para a ampliação do expresso e parador foram feitos no fim de semana.

O trecho ampliado abrange as estações IPASE, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho e Paulo da Portela que funcionavam das 9h às 16h. O BRT Transcarioca, que já transporta 70 mil pessoas por dia, opera com três serviços: Galeão - Alvorada (Semi-direto), Madureira - Alvorada (Expresso), Madureira - Alvorada (Parador).

Segundo corredor exclusivo de ônibus, a Transcarioca vai transportar 320 mil passageiros por dia e fazer integração com a Estação de Metrô Vicente de Carvalho, estações de trem de Madureira e Olaria e com a Transoeste (no Terminal Alvorada). Futuramente haverá ainda pontos de integração com a Transolímpica e a Transbrasil.

A SMTR informa que os cortes de linhas convencionais vão acontecer de forma gradual. A estimativa é de que apenas a linha 701 (Madureira-Alvorada) seja cortada de imediato e as demais ao longo das próximas duas semanas. Ao mesmo tempo, serão implantadas as linhas alimentadoras, que vão garantir os deslocamentos até as estações.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Motoristas enfrentam primeiro dia útil do BRS da Rua São Clemente

Desembarque de alunos dos colégios da via deverá ser feito nas ruas transversais

POR MAÍSA CAPOBIANGO

11/08/2014 - O Globo


Pontos de ônibus da Rua São Clemente estão sinalizados com o número do BRS correspondente - Agência O Globo / Maísa Capobiango

RIO - Se passar pela Rua São Clemente, em Botafogo, durante a semana, já costumava ser complicado, os motoristas devem se preparar para enfrentar o trânsito um pouco pior nesta segunda-feira. É que será o primeiro dia útil depois da implantação do sistema BRS na via e, a partir de agora, o desembarque de alunos em colégios da região — são pelo menos três — só poderá acontecer nas ruas transversais, como Dona Mariana, da Matriz, Conde de Irajá e Martins Ferreira.

Mesmo com a movimentação tranquila, as dúvidas dos usuários continuaram a surgir neste domingo, segundo dia de funcionamento do BRS da São Clemente.

— Fui para o ponto de costume tentar pegar o 170 e lá descobri que teria que andar mais duas quadras. Durante a semana, quando tivermos que pegar o ônibus com pressa para ir para o trabalho, essas mudanças certamente vão causar um transtorno maior — diz a assistente de gerente Andrea da Silva Peçanha.

A manicure Marcela Alves também teve dificuldade ao embarcar. Em busca de um BRS 3, ela conseguiu se localizar só após consultar o mapa fixado na parte de trás do vidro do ponto de ônibus.

— Até nos acostumarmos com essas mudanças, vai levar um tempo. O jeito vai ser sair mais cedo de casa.

Usuários devem ficar atentos quanto ao BRS 1, que inclui linhas BRS 1A (136,154 e 155); e BRS 1B (143, 157, 161, 170, 172, 173, 178 e 2014). No folheto informativo distribuído pelos agentes não é feita a divisão entre A e B. As paradas das outras linhas são facilmente identificáveis no folheto.

IRREGULARIDADES SERÃO MULTADAS

De acordo com a Secretaria municipal de Transportes, a faixa da direita da São Clemente passa a ser exclusiva para coletivos de segunda a sexta-feira, das 6h às 21h, e aos sábados, das 6h às 14h. Os carros sem permissão para circular na faixa serão multados. Táxis com passageiros poderão trafegar na faixa exclusiva, mas sem realizar embarque e desembarque. Estacionar no lado esquerdo da rua só será possível em horários estabelecidos. E somente os veículos regulamentados para transporte escolar, além dos carros de pessoas com necessidades especiais, poderão embarcar e desembarcar passageiros. O novo corredor vai ordenar 33 linhas municipais e sete intermunicipais, além de 20 linhas que circulam pela Praia de Botafogo. O limite de velocidade é de 40 Km/h.

TRECHO DA AVENIDA BRASIL ESTÁ INTERDITADO

Esta segunda-feira também é o primeiro dia útil de interdições em algumas vias de São Cristóvão, na Zona Norte. Desde o último sábado, a Rua Ricardo Machado, entre as ruas General Almério de Moura e Francisco Palheta, passou a ficar interditada ao tráfego de veículos.

A via ficará fechada por um período de 90 dias para dar continuidade as obras de construção da adutora que ligará o Reservatório do Pedregulho, em São Cristóvão, ao Reservatório do Morro do Pinto, na Região Portuária. Por conta disso, parte da pista lateral da Avenida Brasil entre as ruas Santos Lima e a Rua São Cristóvão também está interditada, o que dificulta ainda mais o trânsito neste início de manhã. Veículos que seguem no sentido Centro pela Rua Monsenhor Manoel Gomes devem continuar o trajeto pela Rua Benedito Ottoni e Rua São Cristóvão.

— Hoje é o verdadeiro teste. O trânsito está um pouco pior por ser o primeiro dia útil com a interdição e os motoristas ainda estão se acostumando com a mudança — explicou Joaquim Diniz, diretor operacional da CET-Rio, em entrevista ao Bom Dia Rio, pedindo que a população dê prioridade ao transporte público, e que moradores de Niterói e São Gonçalo utilizem as barcas.

Read more: http://oglobo.globo.com/rio/motoristas-enfrentam-primeiro-dia-util-do-brs-da-rua-sao-clemente-13554433#ixzz3A560OUcW

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

BRT Transbrasil cada vez mais longe das Olimpíadas

07/08/2014 - O Dia - RJ

Rio - Prometido para as Olimpíadas, o projeto do BRT Transbrasil está, cada vez, com o cronograma mais apertado para se tornar realidade a tempo dos Jogos de 2016. A data para licitação do projeto foi adiada pela terceira vez desde janeiro, para 4 de setembro, e a estimativa de tempo para a conclusão das obras é de dois anos. O corredor expresso de ônibus ligará Deodoro ao Centro do Rio, acompanhando o traçado da Avenida Brasil, e terá capacidade para levar 820 mil passageiros por dia, formando uma rede de transporte de alta capacidade com os outros três BRTs, interligada também com trens e metrô.

A prefeitura mantém a previsão de início das operações do trecho Deodoro-Caju (primeiro a ser licitado) para 2016, mas não garante que será antes da competição. O próprio prefeito Eduardo Paes já afirmou que o empreendimento não faz parte do caderno de encargos da Rio 2016 documento que lista obrigações assumidas pelo poder público com o Comitê Olímpico Internacional (COI) e que não compromete o acesso às instalações de Deodoro, que pode ser feito pelos trens da SuperVia ou pelo BRT Transolímpico.

A Secretaria Municipal de Obras informou que fez alterações nos quesitos técnicos do edital para ampliar a competitividade, e, por isso, teve de prorrogar o prazo do certame por mais 30 dias. Segundo o órgão, as obras devem começar já em outubro.

O especialista em sistemas de transportes da UFF Aurélio Lamare Murta alerta que a mobilidade nas Olimpíadas será um desafio muito maior do que na Copa, que só tina o Maracanã, como local de competição. Ele também não acredita mais que o Transbrasil seja entregue a tempo. As intervenções necessárias são tantas e tão radicais que podem impedir que elas estejam concluídas em tempo hábil, e pior, que complique o trânsito durante as Olimpíadas, avalia o especialista.

Alexandre Rojas, especialista em mobilidade da Uerj, acrescenta que o BRT Transbrasil atenderia não apenas às comitivas e ao público para as instalações olímpicas, mas toda a população que mora no eixo Deodoro-Caju. É urgente um transporte de maior capacidade que faça o percurso da Avenida Brasil sem a interferência de ônibus e carros, opina. O segundo trecho do Transbrasil, do Caju à Candelária, no Centro, ainda não tem data prevista para a licitação das obras.





No Complexo Olímpico da Barra da Tijuca, as obras estão dentro do cronograma, segundo a prefeitura

Pan 'salva' cronograma da Rio 2016

O percentual de 55% das instalações que serão usadas nos Jogos Olímpicos que já estão prontas ou precisam de pequenos ajustes, anunciado na segunda pela prefeitura, está garantido apenas pelas construções do Pan de 2007, pelo Sambódromo e Maracanã. Com exceção dessas estruturas e da Vila dos Atletas, o que se pode observar são obras em estágio inicial ou que nem começaram a ser feitas.

Durante todo o dia de ontem, o Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016 fez um tour por algumas das instalações com jornalistas de todo o mundo para mostrar o estágio de evolução da infraestrutura para as Olimpíadas. Foram visitados alguns locais em Deodoro, Barra da Tijuca e o Engenhão. Na visita a Deodoro, foram mostrados o estande de tiro e a arena de hipismo. Ambos foram utilizados nos jogos de 2007 e apenas precisam passar por reparos. A área norte, onde serão ainda construídas as instalações para esportes radicais não foi visitada.

Segundo o próprio prefeito Eduardo Paes comentou, Deodoro era a área que mais estava dando dor de cabeça, pois as licitações estavam atrasadas. A situação foi regularizada em julho, e as obras já podem começar. Segundo Paes, tudo estará pronto no prazo. Na Barra da Tijuca, os jornalistas passaram de ônibus pelas obras do Complexo Olímpico. Lá, já estão sendo construídos os Halls de 1 a 3, que permanecerão como legado, e o 4, que será desmontado e transformado em escolas públicas (três na Barra e uma em São Cristóvão), além dos Centros de Mídia e o Parque Aquático.

Mais uma vez, os jornalistas tiveram acesso a apenas uma instalação que já estava construída, o Parque Aquático Maria Lenk, que será utilizado na competição de saltos ornamentais. No local será preciso apenas incluir 8 mil assentos temporários. Adiantados na construção estão os apartamentos da Vila dos Atletas, onde os competidores ficarão instalados. No campo de golfe, as obras estão apenas começando.

Obras não vão atrapalhar futebol

As obras de reparo no telhado do Engenhão terminam até dezembro deste ano e, a partir do ano que vem, o estádio voltará a receber intervenções por conta das Olimpíadas. Porém, serão só obras de adaptação e o local não precisará ficar fechado ao público.

De acordo com a administração do Estádio João Havelange, os jogos de futebol seguirão o calendário de 2015 normalmente, sem que haja interferência das obras. No Engenhão serão disputadas as competições de atletismo das Olimpíadas. Por determinação do Comitê Olímpico Internacional (COI), precisam ser instaladas mais 15 mil lugares, todos provisórios, que serão divididos igualmente atrás de cada gol.

O sistema de luz, som e o telão precisão ser mudados. Também será preciso trocar a pista de atletismo, já que as medidas de referência do COI mudaram desde os Jogos Panamericanos. As obras de adaptação vão começar em março. Em maio de 2016, será realizado um evento-teste no estádio e apenas as principais modalidades serão testadas.

BRT TransOceânica tem licitação adiada

07/08/2014 - Niterói Mais

A abertura da licitação para a escolha da empresa especializada, incluindo a execução de obras para a implantação do BRT TransOceânica, que ligará o Engenho do Mato a Charitas, foi adiada para o dia 20, às 11h, na sede da Empresa Municipal de Moradia Urbanização e Saneamento (Emusa). A abertura da licitação estava marcada para a próxima segunda-feira, mas segundo a Prefeitura de Niterói, foi cancelada porque houve algumas modificações no edital solicitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) para que possibilite as empresas tomarem conhecimento e fazerem suas propostas com estas informações. Os licitantes que já adquiriram o edital podem efetuar a troca na tesouraria da Emusa, das 10h às 17h.

O BRT terá 9,3 quilômetros de extensão, começando na interseção da Avenida Francisco da Cruz Nunes com a Avenida Irene Lopes Sodré, próximo ao 4º Grupamento Marítimo, onde será erguida a Estação Terminal do Engenho do Mato. A segunda estação está planejada para ser construída na interseção entre a Avenida Francisco da Cruz Nunes e a Avenida Central, perto de um posto de gasolina.

De acordo com a secretária de Urbanismo e Mobilidade (SMU), Verena Andreatta, a construção da TransOceânica vai ajudar a resolver o problema de trânsito na cidade.

"Queremos animar as pessoas a usarem o novo sistema de transporte público. Queremos que todas as pessoas que se locomovem de automóvel não cruzem a cidade, que está densa e não aguenta mais trânsito em regiões como o Centro e Icaraí, São Francisco, Bairro de Fátima e Santa Rosa”, afirmou.

O terceiro ponto, a Estação Piratininga, está previsto para uma área próxima ao Itaipu Multicenter. De lá a próxima parada do BRT segue o encontro entre a Avenida Francisco da Cruz Nunes e a Avenida Conselheiro Paulo de Mello Kalle, junto ao DPO da 1ª Companhia. A quinta estação será implantada na Praça do Cafubá e a estação terminal será ligada às barcas em Charitas.

Os ônibus devem viajar a uma velocidade de 50 km/h e o tempo gasto para percorrer toda extensão da TransOceânica será de aproximadamente 20 minutos.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

BRT Transbrasil tem licitação marcada para terça-feira

30/07/2014 - O Dia

Obras devem começar em setembro

PAULO CAPPELLI

Rio - Adiada duas vezes, uma por conta de liminar movida por empreiteira e, outra, em razão de questionamento do Tribunal de Contas do Município (TCM), a prefeitura marcou a abertura da licitação para a primeira etapa das obras do BRT Transbrasil na próxima terça-feira. O trecho a ser licitado é de 23 quilômetros, de Deodoro ao Caju, e tem orçamento inicial de R$ 1,5 bilhão. 

A Secretaria Municipal de Transportes explicou que o processo deve durar cerca de um mês e o início das obras está previsto para setembro. A previsão da conclusão do projeto é para 2016, mas, após alguns atrasos na licitação (marcada inicialmente para janeiro deste ano), o prefeito Eduardo Paes afirmou que o Transbrasil não era um compromisso olímpico e, portanto, não garantiu a inauguração a tempo dos Jogos. 

O segundo trecho do BRT, do Caju ao Centro, ficará sob responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento Urbana da Região do Porto (Cdurp), que ainda não tem previsão de quando começará as obras. O prefeito detalhou, em maio, ao Informe do DIA , o provável traçado do segundo trecho: ao deixar a Avenida Brasil, o corredor seguirá pela Rodrigues Alves. Depois, os ônibus do Transbrasil pegarão o Túnel João Ricardo, que liga a Gamboa à Central. Em seguida, o BRT continua pela Presidente Vargas até a Candelária, onde será construído um termina

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Preços dos imóveis no entorno do corredor do BRT Transcarioca devem subir entre 15% e 20% até o fim do ano

03/08/2014 - Extra - RJ

Quem mora num raio de um quilômetro ou leva dez minutos de caminhada até uma estação do BRT Transcarioca pode esperar. Até o fim do ano, o valor de seu imóvel deverá se valorizar entre 15% e 20%.

— Estamos acompanhando pelo Sindicato da Habitação do Rio (Secovi Rio), até porque o BRT começou a rodar agora. Mas, com certeza, haverá um aumento nos preços dos imóveis — afirma Leonardo Schneider, vice-presidente do Secovi Rio.

Na comparação dos valores médios do metro quadrado de apartamentos de um a quatro quartos para a venda, os bairros no entorno do BRT tiveram uma alta significativa entre julho de 2013 e julho de 1014. É o caso, principalmente, de Vicente de Carvalho (16,8%), Olaria (14,6%) e Ilha do Governador (13,8%), onde a valorização dos imóveis representou mais do que o dobro da média na cidade (6,4%):

— Esses bairros são o miolo da Zona Norte, onde sair e entrar é complicado. Quando se reduz o tempo de viagem, a procura e os preços de imóveis são afetados. O anúncio da implantação e a construção influenciaram a alta generalizada — afirma Leonardo.

Para Claudio Hermolin, vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), o investimento em mobilidade dará retorno positivo aos moradores, assim que todas as estações estiverem prontas e interligadas com o metrô:

— Historicamente percebemos a valorização de imóveis acima da média quando estão perto de estações de metrô e de BRT. Vira um benefício para o morador porque ele tem mais acessos ao bairro. Agora é um bom momento para comprar imóvel nessas regiões.

O auxiliar de depósito Antonio dos Santos, de 29 anos, diz que a vida ficou mais prática:

— O lado bom é que os BRTs são mais rápidos do que os ônibus comuns, porque não pegam engarrafamento. E eles levam a lugares mais distantes. Antes, tínhamos que pegar mais de um ônibus.

Síndica do Residencial Vicente de Carvalho, a corretora Sônia de Oliveira, de 45 anos, aposta na valorização de seu imóvel até o fim das obras:

— Hoje, ele já está em R$ 290 mil, mas, quando tudo estiver pronto, deve passar de R$ 300 mil.

sábado, 2 de agosto de 2014

Prefeitura inaugura corredor BRS Voluntários da Pátria neste sábado

Fiscalização eletrônica começa a operar no mesmo dia

29/07/2014 - Agência Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) e da CET-Rio, inaugura neste sábado (02/08) o BRS Voluntários da Pátria, em Botafogo, na Zona Sul da cidade. O mais novo corredor preferencial para ônibus vai ordenar as linhas que circulam pela Rua Voluntários da Pátria e as que passam somente pela Praia de Botafogo. O objetivo dos corredores expressos é aumentar o conforto e eficiência do sistema, reorganizando o trânsito e o transporte público, além de reduzir o tempo de viagem dos usuários.

O BRS Voluntários da Pátria terá três quilômetros de extensão e começará na esquina com Rua Humaitá e vai até a Praia de Botafogo, altura da Praça Nicarágua, pista externa. Na Rua Humaitá, sentido Botafogo, haverá sinalização de BRS nos abrigos, mas não a faixa exclusiva. No total, serão 13 pontos de parada, com abrigos e totens, distribuídos ao longo do percurso do novo BRS. Segundo a CET-Rio, a redução do tempo de viagem nos corredores BRS já implantados é de cerca de 20%. Além disso, a fiscalização eletrônica já começa a operar neste sábado.

Com o novo BRS, a cidade do Rio passar a ter 47,3 quilômetros de faixas preferenciais de ônibus já em funcionamento. O trabalho é feito em parceira com a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, que realiza a sinalização horizontal, correção e nivelamento de calçadas e meio-fio e recapeamento das vias que não receberam o programa Asfalto Liso. O próximo BRS a ser inaugurado será o da Rua São Clemente no dia 09 de agosto.

Horário de funcionamento:

Dias úteis, das 6h às 21h.
Sábados, das 6h às 14h.

BRS já implantados:

BRS Copacabana - Avenida Nossa Senhora de Copacabana
BRS Copacabana - Barata Ribeiro e Raul Pompéia
BRS Ipanema Leblon - Avenida Ataulfo de Paiva e Rua Visconde de Pirajá
BRS Ipanema Leblon - Rua Prudente de Morais e Avenida General San Martin
BRS Presidente Antônio Carlos e Primeiro de Março
BRS Rio Branco
BRS Presidente Vargas - Pista Central - Sentido Zona Norte
BRS Presidente Vargas - Pista Central - Sentido Centro
BRS Presidente Vargas - Pista Lateral - Sentido Centro
BRS Presidente Vargas - Pista Lateral - Sentido Zona Norte
BRS Carioca – Tijuca
BRS Estácio – Carioca
BRS 24 de Maio
BRS Marechal Rondon

BRS da Rua Voluntários da Pátria é inaugurado neste sábado (2)

02/08/2014 - O Globo

Novo corredor preferencial para ônibus vai operar entre a esquina da Rua Humaitá até a Praça Nicarágua, na Praia de Botafogo

POR ELAINE NEVES

BRS na Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, começa a operar - Eduardo Naddar / Agência O Globo
RIO - Começou a operar na manhã deste sábado o BRS da Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. O novo corredor preferencial para ônibus vai funcionar entre a esquina da Rua Humaitá até a Praça Nicarágua, na Praia de Botafogo (pista externa). O horário de operação da faixa exclusiva é o mesmo adotado nos outros corredores já implantados: de segunda a sexta-feira, das 6h às 21h; e, aos sábados, das 6h às 14h. Quem trafega na região, deve ficar atento, pois quem não respeitar a regra, pode ser multado. A fiscalização eletrônica já começa a operar neste sábado. A Cet-Rio está no local e orienta os motoristas na região.

Com três quilômetros de extensão, o BRS terá apenas uma faixa, já que a via é estreita. De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), o BRS da Rua Voluntários da Pátria vai ordenar 39 linhas que circulam pela via e mais 33 que passam somente pela Praia de Botafogo. Todas as linhas foram agrupadas em pontos específicos com numeração de 1 até 3.

No total, serão 13 pontos de parada, com abrigos e totens, distribuídos ao longo do percurso do novo corredor. Com o novo corredor, a cidade passa a contar com 47,3 quilômetros de faixas preferenciais para coletivos. Segundo a CET-Rio, a redução do tempo de viagem nos BRS já implantados é de cerca de 20%. O próximo BRS a ser inaugurado será o da Rua São Clemente, também em Botafogo, no próximo dia 09.

Ainda de acordo com a SMTR, os ônibus não podem trafegar fora dos corredores e parar em pontos que não correspondem ao seu BRS. Já os taxistas, só poderão fazer o uso da faixa da direita somente quando estiverem com passageiros. Além disso, o embarque e desembarque deverão ser feitos no lado esquerdo. Só será permitido a circulação dos veículos particulares, apenas para entrar em uma rua transversal ou acessar uma garagem.

LINHAS QUE PASSAM NA RUA VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA:

BRS1

136 Rodoviária-Copacabana (via Leopoldina) (circular)

143 Central-Gávea (via Jóquei/Praia do Flamengo)

154 Ipanema-Central

155 Ipanema-Central (via Túnel Santa Bárbara)

157 Gávea-Central (via Lagoa e Leblon)

162 Lapa-Leblon (via Copacabana) (circular)

170 Rodoviária-Gávea (circular)

172 Central-São Conrado (via Jóquei/Túnel Santa Bárbara)

173 Rodoviária-Leblon (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

178 São Conrado-Rodoviária (via Central)

2014 Gávea-Praça Mauá

BRS2

131 Vidigal-Praça XV (via Jóquei/Praia do Flamengo)

409 Saens Peña-Jardim Botânico (Horto)

410 Praça Saens Peña-Gávea

416 Saens Peña-Jardim Botânico (Horto) (via Túnel Rebouças) (rápido)

425 Grajaú-Real Grandeza (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

435 Grajaú-Gávea (via Túnel Santa Bárbara)

438 Vila Isabel-Leblon (via Jóquei) (circular)

439 Vila Isabel-Leblon (via Túnel Rebouças/Jóquei) (circular)

440 Caju-Copacabana (via Túnel Rebouças/Túnel Velho) (circular)

463 São Cristóvão-Copacabana (via Túnel Rebouças/Túnel Velho)(circular)

512 Urca-Leblon (via Copacabana) (circular)

513 Botafogo-Urca

538 Rocinha-Leme (via Estrada da Gávea/Jóquei) (circular)

574 Glória-Leblon (via Copacabana) (circular)

584 Cosme Velho-Leblon (via Copacabana) (circular)

BRS3

309 Alvorada-Central (via Botafogo/Av. Lúcio Costa)

316 Recreio dos Bandeirantes-Central (via Botafogo/Av. Lúcio Costa)

317 Central-Alvorada (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

548 Alvorada-Metrô Botafogo (via Av. das Américas/Jóquei)

957 Maré-Alvorada (via Botafogo/Av. Lúcio Costa)

BRS Intermunicipal

721D Alcântara-Botafogo

750D Charitas-Gávea (via Túnel Santa Bárbara)

751D Charitas-Gávea (via Túnel Santa Bárbara)

775D Charitas-Gávea (via Lapa/Praia de Botafogo)

1750D Charitas-Gávea (via Túnel Santa Bárbara)

1775D Charitas-Gávea (via Lapa/Praia de Botafogo)

2750D Charitas-Gávea (via Túnel Santa Bárbara)

3721D Alcântara-Botafogo


LINHAS QUE PASSAM SOMENTE NA PRAIA DE BOTAFOGO:

BRS1

107 Urca-Central

119 Copacabana-Candelária (circular)

126 Rodoviária-Copacabana (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

129 Rodoviária-Praia de Botafogo (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

161 Lapa-Leblon (via Jóquei) (circular)

190 Rodoviária-Leme (circular)

BRS2

420 Vila Isabel-Praia de Botafogo (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

421 Vila Isabel-Prado Júnior (circular)

423 Grajaú-Real Grandeza (circular)

426 Usina-Jardim de Alah (via Túnel Santa Bárbara)

432 Vila Isabel-Gávea (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

433 Vila Isabel-Leblon (via Copacabana) (circular)

434 Grajaú-Leblon (circular)

444* Maré-Copacabana (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

445* Morro do Alemão-Copacabana (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

464 Maracanã-Leblon

472 Triagem-Leme (via Praça XV)

569 Largo do Machado-Leblon (via Jóquei) (circular)

573 Glória-Leblon (via Jóquei) (circular)

583 Cosme Velho-Leblon (via Jóquei) (circular)

BRS3

354 Cidade de Deus-Praça XV

402 Engenho da Rainha-Gávea

404 Cordovil-Leblon (via Avenida Brasil)

456 NorteShopping-General Osório (via Túnel Santa Bárbara)

457 Abolição-General Osório (via Túnel Santa Bárbara)

459 Abolição-Praia de Botafogo (via Túnel Santa Bárbara) (circular)

483 Penha-Copacabana (circular)

485 Penha-General Osório (via Túnel Santa Bárbara)

486 Fundão-General Osório

2018 Aeroporto Internacional do RJ-Alvorada

BRS Intermunicipal

740D Charitas-Ipanema

741D Charitas-Ipanema

2740D Charitas-Ipanema

*Linhas com horários especiais de circulação.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Serviço Parador e Expresso do Transcarioca será ampliado neste sábado

01/08/2014 - RJ Notícias


A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), e Consórcio BRT ampliam neste sábado (2/08), em duas horas, o serviço Alvorada – Madureira (Terminal Paulo da Portela). As estações IPASE, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho e Paulo da Portela (que faz integração com o trem) funcionarão das 9h às 16h. O BRT Transcarioca, que já transporta 70 mil pessoas por dia, opera com três serviços: Galeão – Alvorada (Semi-direto), Madureira – Alvorada (Expresso), Madureira – Alvorada (Parador). Vale ressaltar que o serviço Tanque – Alvorada parador e expresso permanecem funcionando nos mesmos horários.

A Transcarioca, que liga a Barra da Tijuca à Ilha do Governador (Aeroporto do Galeão), é o primeiro corredor de alta capacidade no sentido transversal da cidade e reduzirá em 60% o tempo de viagem por ônibus no trecho. São 39 quilômetros de extensão, com 10 viadutos (sendo um estaiado), nove pontes (duas estaiadas), três mergulhões, 47 estações e cinco terminais, passando por 27 bairros como Curicica, Taquara, Tanque, Praça Seca, Campinho, Madureira, Vaz Lobo, Vicente de Carvalho, Vila da Penha, Penha, Olaria e Ramos.

Segundo corredor exclusivo de ônibus, a Transcarioca vai transportar 320 mil passageiros por dia e fazer integração com a Estação de Metrô Vicente de Carvalho, estações de trem de Madureira e Olaria e com a Transoeste (no Terminal Alvorada). Futuramente haverá ainda pontos de integração com a Transolímpica e a Transbrasil.

Horário de funcionamento do BRT Transcarioca:

Galeão – Alvorada (Semi-direto)

Horário de funcionamento: 24h

Estações: Terminal Alvorada, Vicente de Carvalho, que integra com o metrô, Galeão – Tom Jobim 2 e Galeão – Tom Jobim 1.

Tanque – Alvorada (Expresso)

Horário de funcionamento: das 5h às 23h, de segunda a sábado

Estações: Terminal Alvorada, Rio 2, Santa Efigênia, Taquara e Tanque.

** Este serviço fará extensão de 9h às 16h para as Estações Ipase, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho e Terminal Paulo da Portela, em Madureira.

Tanque – Alvorada (Parador)

Horário de funcionamento: 24h

Estações: Terminal Alvorada, Lourenço Jorge, Aeroporto Jacarepaguá, Via Parque, Centro Metropolitano, Hospital Sarah, Rio2, Pedro Correia, Curicica, Praça do Bandolim, Arroio Pavuna, Vila Sapê, Recanto das Palmeiras, Divina Providência, Merck, André Rocha, Taquara, Aracy Cabral e Tanque.

** Este serviço fará extensão de 9h às 16h para as Estações Ipase, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho e Terminal Paulo da Portela, em Madureira.

BRT Transcarioca receberá ônibus biarticulado. Testes começam em 30 dias

01/08/2014 - Extra - RJ

O Consórcio BRT receberá em até 30 dias os dois primeiros ônibus biarticulados que vão entrar em circulação no corredor Transcarioca, em data ainda a ser definida. Antes eles passarão por testes. Os veículos, com 28 metros de comprimento e capacidade para transportar até 250 passageiros, vão reforçar o serviço Alvorada-Madureira.

O trecho, que entrou em funcionamento na semana passada, terá o horário ampliado em duas horas a partir de amanhã — funcionará das 9h às 16h. A previsão dos operadores é que somente pelo serviço Alvorada-Madureira passem diariamente 30 mil usuários, quando o serviço estiver plenamente em operação.

Os novos veículos estão em fase final de montagem, no Paraná. Quando chegarem ao Rio, ainda precisarão de licenciamento e equipamentos complementares, antes de serem submetidos aos testes de adaptação.

— Esse processo (de testes) não difere do que já ocorre com os demais ônibus articulados do sistema. Depois de entregue pela montadora, deverá receber dispositivos de monitoramento, como GPS e câmeras, e começará a rodar num breve período de adaptação dos motoristas — explicou Jorge Dias, diretor do consórcio.

Os novos veículos, cujo custo é superior a R$ 1 milhão, cada, possuem duas sanfonas. Cada biarticulado corresponde a cerca de quatro ônibus convencionais.

Serviço Parador e Expresso do Transcarioca será ampliado neste sábado

01/08/2014 - RJ Notícias

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), e Consórcio BRT ampliam neste sábado (2/08), em duas horas, o serviço Alvorada – Madureira (Terminal Paulo da Portela). As estações IPASE, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho e Paulo da Portela (que faz integração com o trem) funcionarão das 9h às 16h. O BRT Transcarioca, que já transporta 70 mil pessoas por dia, opera com três serviços: Galeão – Alvorada (Semi-direto), Madureira – Alvorada (Expresso), Madureira – Alvorada (Parador). Vale ressaltar que o serviço Tanque – Alvorada parador e expresso permanecem funcionando nos mesmos horários.

A Transcarioca, que liga a Barra da Tijuca à Ilha do Governador (Aeroporto do Galeão), é o primeiro corredor de alta capacidade no sentido transversal da cidade e reduzirá em 60% o tempo de viagem por ônibus no trecho. São 39 quilômetros de extensão, com 10 viadutos (sendo um estaiado), nove pontes (duas estaiadas), três mergulhões, 47 estações e cinco terminais, passando por 27 bairros como Curicica, Taquara, Tanque, Praça Seca, Campinho, Madureira, Vaz Lobo, Vicente de Carvalho, Vila da Penha, Penha, Olaria e Ramos.

Segundo corredor exclusivo de ônibus, a Transcarioca vai transportar 320 mil passageiros por dia e fazer integração com a Estação de Metrô Vicente de Carvalho, estações de trem de Madureira e Olaria e com a Transoeste (no Terminal Alvorada). Futuramente haverá ainda pontos de integração com a Transolímpica e a Transbrasil.

Horário de funcionamento do BRT Transcarioca:

Galeão – Alvorada (Semi-direto)

Horário de funcionamento: 24h

Estações: Terminal Alvorada, Vicente de Carvalho, que integra com o metrô, Galeão – Tom Jobim 2 e Galeão – Tom Jobim 1.

Tanque – Alvorada (Expresso)

Horário de funcionamento: das 5h às 23h, de segunda a sábado

Estações: Terminal Alvorada, Rio 2, Santa Efigênia, Taquara e Tanque.

** Este serviço fará extensão de 9h às 16h para as Estações Ipase, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho e Terminal Paulo da Portela, em Madureira.

Tanque – Alvorada (Parador)

Horário de funcionamento: 24h

Estações: Terminal Alvorada, Lourenço Jorge, Aeroporto Jacarepaguá, Via Parque, Centro Metropolitano, Hospital Sarah, Rio2, Pedro Correia, Curicica, Praça do Bandolim, Arroio Pavuna, Vila Sapê, Recanto das Palmeiras, Divina Providência, Merck, André Rocha, Taquara, Aracy Cabral e Tanque.

** Este serviço fará extensão de 9h às 16h para as Estações Ipase, Praça Seca, Capitão Menezes, Pinto Teles, Campinho e Terminal Paulo da Portela, em Madureira.