segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Garagem da Viação Oeste Ocidental é fechada por determinação da Justiça

24/09/2009 - O Globo

RIO - A Justiça determinou nesta quinta-feira o fechamento da garagem da Viação Oeste Ocidental. Com isso, toda a frota da empresa foi retirada de circulação, e a Secretaria Municipal de Transportes montou esquema emergencial para atender os passageiros das linhas operadas pela Oriental. A decisão veio um dia depois que a juíza Márcia Cunha, da 2ª Vara Empresarial, mandou prender o empresário Norberto Rocha, um dos donos da empresa, por desrespeitar a decisão judicial de retirar das ruas todos os 262 ônibus da linha 397 (Campo Grande-Praça Tiradentes).

A garagem foi lacrada na madrugada desta quinta-feira. De acordo com a decisão, a Ocidental só será reaberta se pagar R$ 1 milhão. Além disso, a juíza dobrou o valor da multa, passando-a para R$ 300 mil por dia caso a decisão seja descumprida. A expectativa da secretaria é que as linhas da Ocidental estejam totalmente cobertas até o final do dia. (Veja fotos da Viação Ocidental lacrada e do protesto dos funcionários)

No esquema montado pela secretaria de Transportes, a Linha 397 será coberta por ônibus das empresas Amigos Unidos, Viação Campo Grande e Viação Bangu. As linhas 746, 747, 748 e 786, pela Jabour; as linhas 811, 812 e 819, pela Viação Bangu; e a linha S-27 pela Pégaso. De acordo com a secretaria, as demais linhas já estavam operando em sistema de pool desde maio deste ano.

Motoristas denunciam problemas em ônibus da empresa

Em entrevista ao telejornal RJTV, da TV Globo, um funcionário da Viação Ocidental, que não quis se identificar, afirmou que os ônibus da empresa estão sucateados.

- Os ônibus não são revisados, não têm manutenção, não têm peça, os consertos que são feitos são feitos com peças tiradas de outros carros que estão na sucata, que batem. Estão tirando peças daquele carro 201, que caiu no viaduto, e colocando nos outros para trabalhar - diz o homem.

Há muito tempo, os passageiros reclamam da situação precária dos ônibus da Ocidental. Só nos últimos cinco meses, 62 veículos da empresa que não tinham condições de circular foram apreendidos em fiscalizações da prefeitura. No início do mês, um ônibus da Viação Ocidental se envolveu num grave acidente que deixou pelo menos três mortos e 25 feridos na Avenida Brasil, estava irregular. De acordo com a secretaria municipal de Transportes, o coletivo estava sem a vistoria.

Desde maio, outras empresas reforçam as linhas da Viação Ocidental, que tem até o fim do ano para regularizar a situação e pagar as multas pendentes. Com a decisão judicial, todas as 25 linhas da viação foram redistribuídas. Em março, a Ocidental sofreu intervenção do município do Rio depois que duas paralisações de funcionários deixaram milhares de moradores da Zona Oeste sem transporte. Eles reclamavam de atrasos nos salários e falta de condições de trabalho.

domingo, 1 de outubro de 2017

Niterói-RJ. TransOceânica em nova etapa

01/10/2017 - O Fluminense


postado por Jorge Mattos 

A TransOceânica vai entrar em uma nova etapa neste mês de outubro. Na primeira quinzena será entregue o Plano Operacional do BHS (Bus of High Level of Service), ônibus que irá circular em faixa exclusiva fazendo o percurso do Engenho do Mato até Charitas, passando por 13 estações e pelo túnel, com o tempo médio de 25 minutos. 

Segundo o prefeito Rodrigo Neves, foi determinada a aceleração do cronograma de obras, o estudo sobre a implantação do veículo está sendo finalizado e o projeto ainda pode receber novidades.

“O plano será detalhado este mês, mas também incluímos nele um estudo para implantação de um ônibus elétrico, o que iria contribuir imensamente para o meio ambiente, evitando a poluição. Mas ainda estamos analisando a possibilidade”, explicou.

Com o início da atividade do BHS, o primeiro implantado na América do Sul equipado com ar-condicionado e portas de ambos os lados, os moradores da Região Oceânica poderão embarcar nos veículos em estações localizadas nos seus bairros e em seguida ele entrará em pista exclusiva. No projeto, o corredor ainda contará com uma integração para a estação dos catamarãs de Charitas. 

Sustentabilidade – O prefeito Rodrigo Neves destacou também a importância da sustentabilidade e melhoria na mobilidade urbana com o término das obras da TransOceânica. No projeto, haverá a implantação de uma ciclovia de aproximadamente 60 quilômetros.

“Trabalhamos com o conceito de tornar Niterói uma cidade mais moderna e evoluída. Tão importante quanto a inauguração do túnel Charitas-Cafubá, que integra a obra, é evoluir o município com sistema sustentável, desenvolvendo assim uma cidade melhor para a atual e futuras gerações”, declarou.

Integrando o cenário, a prefeitura ainda irá inaugurar um bicicletário na Região Oceânica. Com previsão para ser aberto ao público no primeiro semestre de 2018, o espaço dedicado às bikes ficará no trevo do shopping Itaipu Multicenter.

Obra – O trecho 5 da TransOceânica, que vai do shopping Itaipu Multicenter até o DPO do Cafubá, na Estrada Francisco da Cruz Nunes, receberá uma ampliação de pistas. Segundo Rodrigo Neves,  a mudança irá melhorar a mobilidade do local. 

“Com a alteração, a tendência é reduzir o engarrafamento e trazer maior fluidez para a região. No total da obra, os trechos 2, 3, 4 e 7 já foram concluídos e o trecho 1 já está em fase de finalização”, explica. 

O trecho 6, localizado entre o Itaipu Multicenter e o Supermercado Diamante, iniciou mais uma etapa. As pistas sentido Centro da Estrada Francisco da Cruz Nunes, entre o banco Santander e a Rua Jornalista Carlos Vilhena (próximo ao shopping Plaza Mayor) estão interditadas ao trânsito. Já o trecho 8, que vai da rótula da Av. Central até a entrada do Engenho do Mato, estará concluído até a primeira quinzena de dezembro, segundo Rodrigo. 

Ainda de acordo com o prefeito, toda parte pesada da TransOceânica estará concluída no primeiro trimestre de 2018, com a previsão de que 9,5 quilômetros da Avenida Almirante Tamandaré estejam prontos, restando apenas 500 metros para finalização: “Esta etapa irá reduzir os transtornos para o verão, quando a Região Oceânica é muito procurada”, pontuou.

Neves ainda destacou a transformação da Estrada Francisco da Cruz Nunes, que era considerada pela população como um local degradado.

“As mudanças estão tornando o espaço mais amigável para os pedestres. Estamos colocando na via galerias de aproximadamente 4 metros para reduzir enchentes e alagamentos, que são comuns em época de chuvas. Obras de grande complexidade trazem transtornos momentâneos, mas a finalização das intervenções nesta via acontecem na primeira semana de dezembro”, concluiu.

De acordo com a prefeitura, a TransOceânica terá 9,3 quilômetros de extensão, atendendo a 11 bairros e transportando cerca de 80 mil pessoas diariamente. O túnel Luís Antônio Pimentel (Charitas-Cafubá) foi o primeiro passo da obra, e foi inaugurado no dia 6 de maio. Até o momento, mais de quatro milhões de veículos passaram pela estrutura.

Informações: O Fluminense