quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Penha é a próxima parada do BRT Transcarioca

14/08/2014 - O Dia - RJ

Rio - As 13 estações do BRT Transcarioca entre Madureira e a Penha serão abertas até o fim de setembro. A informação foi dada ontem pelo secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, ao DIA . A nova linha que ligará os dois bairros terá 14 paradas (incluindo a Estação Paulo da Portela, que já funciona para os serviços Madureira-Alvorada) e vai cruzar locais populosos como Vaz Lobo e Vila Kosmos.

O trajeto passará próximo ao cartão-postal da região, a Igreja da Penha, onde haverá duas estações (Penha 1 e 2). Em Vicente de Carvalho, uma das paradas, o sistema se integra ao metrô. O anúncio do secretário foi feito quatro dias após o início da operação 24 horas por dia do serviço parador (25 estações) Madureira-Alvorada do BRT, no sábado. Está em funcionamento ainda o expresso Madureira-Alvorada (seis paradas) e o semi-direto Alvorada-Galeão (com parada em Vicente de Carvalho).

O secretário, contudo, ainda é cauteloso em relação à escolha da data definitiva para a inauguração da nova linha até a Penha. O mais importante não é o dia exato. Trabalhamos para que o serviço comece em setembro e isso vai acontecer, disse o secretário, ressaltando que a principal preocupação é com a qualidade do sistema de transporte oferecido ao usuário e não com o prazo.

Inaugurado em 2 de junho, o Transcarioca transporta hoje 70 mil pessoas diariamente e, segundo a Secretaria Municipal de Transportes, terá capacidade para atender a 320 mil passageiros por dia quando suas 45 estações (da Barra ao Aeroporto Internacional) estiverem em funcionamento.

Além do serviço parador Penha-Madureira, a terceira etapa de implantação do Transcarioca prevê os trajetos Ilha do Fundão-Alvorada (expresso, com 12 estações) e Galeão-Penha (parador, em 10 estações). Sansão, que levou o criador do BRT de Bogotá, Enrique Peñalosa para conhecer o sistema do Rio, ontem, não confirmou se os demais serviços também serão inaugurados em setembro.

Criador do TransMilenio de Bogotá elogia sistema do Rio

Autor de um dos mantras dos planejadores urbanos Boa cidade não é aquela em que até os pobres andam de carro, mas aquela em que até os ricos usam transporte público, o colombiano Enrique Peñalosa aprovou ontem o BRT carioca, depois de visitar o Centro de Controle Operacional (CCO) do sistema, na Barra, e fazer uma viagem do Terminal Alvorada a Vicente de Carvalho, pelo corredor Transcarioca.

Acredito que esse sistema aponta para o futuro do transporte nas cidades. No Rio, me impressionou a construção de passarelas especialmente para os usuários do BRT, o que não fizemos em Bogotá. É um exemplo para o mundo, disse ele, que criou o BRT TransMilenio, quando foi prefeito da capital colombiana, de 1998 a 2001.

Peñalosa fez todo o trajeto até Vicente de Carvalho em pé, acompanhado pelo secretário Alexandre Sansão. Durante a viagem, ouviu elogios ao BRT de passageiros com quem conversou, esforçando-se no portunhol. Crítico do hábito carioca de estacionar carros nas calçadas, o ex-prefeito de Bogotá qualificou de maravilhoso o CCO. Além dos elogios, Peñalosa fez sugestões de melhorias ao BRT do Rio. É preciso ampliar as calçadas nas bordas das estações para facilitar a circulação. E deu dicas no campo do marketing: O BRT deve ser vendido sempre como um transporte melhor que o metrô.

Resistência preocupa

O rodízio de carros no Centro do Rio pela numeração das placas, se ocorrer, será seguido também do fechamento de mais vias. A medida está em estudo pela prefeitura do Rio como uma forma de aliviar o trânsito da região, ainda mais asfixiado desde o fechamento da Avenida Rodrigues Alves, em 25 de julho.

Se acontecer, o rodízio não pode ser a salvação do trânsito no Centro. Ele viria acompanhado de outras medidas, como o fechamento de algumas vias, afirmou o secretário municipal de Transportes Alexandre Sansão. No radar da prefeitura, há uma fonte adicional de preocupação: a potencial impopularidade da medida. Sabemos que pode haver resistência da população ao rodízio, reconheceu Sansão. Estamos estudando a questão com cuidado, mas hoje não se pode afirmar que ele será implantado, ressaltou.

Sansão disse ter consultado a Prefeitura de São Paulo sobre os prós e contras do rodízio em uma grande metrópole. Na capital paulista, famosa pelos congestionamentos, a proibição da circulação de carros de acordo com o último número da placa vigora desde 1997. Atualmente, a prefeitura paulistana estuda a ampliação do rodízio para o dia todo, já que só vale nos horários de pico da manhã e da tarde.

Sansão não confirmou um prazo para a decisão sobre o rodízio no Rio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário