quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Corredor BRS reduz em até 50% tempo de viagem na Rua São Clemente, em Botafogo

14/08/2014 - O Globo

RIO — No terceiro dia útil de implantação do BRS nas ruas São Clemente, em Botafogo, e Humaitá, medições feitas pela Secretaria municipal de Transportes, por meio de agentes da CET-Rio, apontam que o trânsito nessas regiões melhorou em 50% no trecho onde funciona o corredor. De acordo com a secretaria, houve uma redução no tempo que o motorista faz no trajeto de três quilômetros e meio entre a Praia de Botafogo e a Rua Humaitá. Antes da implantação do BRS eram necessários 25 minutos e 25 segundos para percorrer o trecho e agora, com o corredor, o tempo caiu para 12 minutos e 42 segundos, em horário de pico da tarde.

Para resolver o problema em um dos trechos mais complicados da Rua São Clemente, em frente ao Colégio Santo Inácio, a CET-Rio criou uma faixa alternativa para estacionamento de vans e carros na Rua Dona Mariana. No local, carros particulares podem ficar parados por até 15 minutos com o pisca alerta ligado para embarcar e desembarcar alunos. Vans e ônibus escolares nesse trecho também podem parar. Já a Escola alemã Corcovado, na mesma São Clemente, adotou o serviço de um vigia que sinaliza para que motoristas particulares, de vans ou de ônibus escolares entrem por um portão do colégio e saiam por outro, para evitar que transitem pela faixa exclusiva para ônibus.

PAIS DESTACAM FLUIDEZ NA VIA

Apesar de não mais poderem parar na São Clemente para o embarque e desembarque dos filhos na porta das escolas da região, muitos pais, nesta quarta-feira, elogiavam o novo sistema porque tal medida reduziu o tempo em que ficavam no engarrafamento. Parada na Rua Dona Mariana para esperar a filha sair do colégio, a advogada Jaqueline Nunes, de 50 anos, gostou da alternativa criada pela CET-Rio para que pais pudessem estacionar e permanecer na faixa estabelecida por até 15 minutos.

— Gostei da alternativa. Fico aqui na Dona Mariana e posso esperar por até 15 minutos sem o risco de ser multada. Antes, eu ficava apreensiva de parar na Rua São Clemente. O BRS também melhorou o trânsito — disse.

A mesma opinião tem o empresário Diogo Vasconcellos, de 59 anos. Esperando a filha sair do Santo Inácio, ele somente reclamou da conduta de motoristas de ônibus que, por muitas vezes, trafegam por até três faixas na São Clemente atrapalhando os motoristas. Já a moradora da São Clemente Geane Astini diz que, apesar da dificuldade para sair da garagem de seu prédio, do lado direito da São Clemente, o trânsito melhorou:

— Sei que, às vezes, os ônibus não respeitam, mas corro para perturbar os fiscais. A confusão de fila dupla de veículos era pior e, felizmente, isso acabou.

COLÉGIO ENVIA CIRCULAR

Apesar da aprovação e satisfação de alguns motoristas, a direção do colégio Padre Antônio Vieira enviou uma circular para pais de alunos informando que havia pedido uma reunião com a CET-Rio a fim de resolver o impasse nas paradas de carros em frente a colégios da região.

A direção do colégio informou, ainda, através da circular, que recebeu um ofício da diretora-presidente da CET-Rio, Cláudia Antunes Secin, informando apenas que no último dia 9 seria implantado o BRS na região. A direção da escola acrescentou que tentou junto com demais colégios da região uma outra reunião com órgãos da prefeitura para tratar do impasse quanto à parada dos carros nas portas das escolas, mas a reunião somente foi marcada no prazo de 15 dias para possíveis ajustes na faixa BRS das ruas São Clemente e Humaitá.

O GLOBO procurou, nesta quarta-feira, por telefone o Colégio Padre Antônio Vieira, mas informaram que diretores estavam em reunião. Mesmo com os pontos positivos, alguns colégios da São Clemente pretendem se reunir hoje para discutir medidas que diminuam o impacto do BRS na via. O argumento das escolas é que com a modificação dos pontos e a interdição da faixa, onde acontecia o desembarque dos alunos, aumenta o risco de acidentes, devido ao número expressivo de crianças. A reunião não terá a presença de órgãos da prefeitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário