segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Transcarioca sai do papel no mês que vem

09/01/2011 - O Globo, Luiz Ernesto Magalhães

A prefeitura planeja concluir até dezembro de 2013 a construção do BRT Transcarioca (corredor exclusivo para ônibus que ligará a Barra até o Aeroporto Internacional Tom Jobim, atravessando Jacarepaguá, Madureira e Penha), a tempo da Copa do Mundo de 2014. As obras começam no mês que vem - quase um ano após o prazo previsto - com pelo menos seis frentes de trabalho. O prefeito Eduardo Paes assinará amanhã o contrato com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar o projeto. Somente as obras físicas (sem contar as despesas com desapropriações, consultorias e projetos) custarão R$1,3 bilhão, dos quais R$1,1 bilhão financiados pelo BNDES.

Opção de transporte para cariocas e turistas

O Transcarioca terá 39km de extensão e 45 estações entre o Cebolão e o aeroporto, incluindo viadutos e pontes com faixas exclusivas. No caminho, passará por vias atualmente saturadas, como as avenidas Ayrton Senna (Barra), Nelson Cardoso e Cândido Benício (Jacarepaguá) e Edgard Romero (Madureira). Em várias paradas haverá integrações com outros meios de transporte de massa: o BRT Transoeste (já em construção, ligando a Barra a Santa Cruz e Campo Grande), estações de trem, linhas de ônibus convencionais e a Linha 2 do metrô.

- A solução mais rápida e barata de transporte público nessas áreas é o BRT. Hoje uma viagem de ônibus apenas entre a Barra e a Penha leva 96 minutos. Com o BRT, a previsão é que o usuário gaste quase a metade do tempo (49 minutos). O prazo de implantação é relativamente curto e a demanda é de 400 mil passageiros por dia. As linhas 1 e 2 do metrô, por exemplo, têm 600 mil usuários por dia - diz o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão.

Com base na experiência de outros países, Sansão aposta ta que não apenas os cariocas, mas também os turistas, usarão o Transcarioca como opção para circular pela cidade.

- Os turistas poderão se deslocar entre o hotel e o aeroporto não apenas durante a Copa, como no dia a dia - observa o secretário.

Sansão lembra que, em outros países, a integração entre os sistemas de transportes estimulou turistas a usarem o serviço para se deslocar pelas cidades. Na Europa, por exemplo, é comum que os visitantes deixem os aeroportos de metrô, trem ou ônibus. Em Lisboa e Paris, existem linhas circulares entre os aeroportos e o Centro.

A Federação das Empresas de Transportes do Rio (Fetranspor) adiantou que estuda o modelo de veículo de ônibus que será usado no Transcarioca. Mas considera provável que os ônibus que cheguem ao Aeroporto Internacional pelo BRT disponham de áreas para as malas.

O projeto agradou também as equipes do Comitê Olímpico Internacional (COI) que acompanham os preparativos do Rio para os Jogos de 2016.

- Philippe Bovy (consultor do COI para transportes) considera que o corredor Transcarioca será o legado urbano mais importante para o Rio de Janeiro com a Copa e as Olimpíadas, pela possibilidade que cria para integrar melhor a cidade - diz o presidente do Instituto Municipal Rio 2016, Bernardo Carvalho.

O prefeito Eduardo Paes vai além:

- O Transcarioca vai requalificar o subúrbio por ser uma solução para gargalos do trânsito. Ao garantir a mobilidade da população, também ajudará a revitalizar o comércio de rua em bairros como o Largo do Tanque, a Praça Seca e Vaz Lobo.

O cronograma das obras do Transcarioca sofreu mudanças. a exemplo de outras intervenções planejadas para a Copa e as Olimpíadas. O projeto inicial da prefeitura era implantar o BRT apenas entre a Barra e a Penha, com 28km de extensão e demanda de 300 mil passageiros até 2012. As obras começariam no ano passado. A Casa Civil da presidência da República, porém, condicionou a liberação do empréstimo pelo BNDES à prefeitura à extensão do projeto até o Aeroporto Tom Jobim. Estudos mostravam que os 11km adicionais entre a Penha e o aeroporto fariam com que o sistema passaria a atender mais cem mil usuários por dia.

Prefeitura terá 10 anos para quitar empréstimo

O contrato com o BNDES prevê que a prefeitura terá dez anos para quitar o empréstimo, com três anos de carência. Com as modificações, a estimativa é que serão necessárias cerca de quatro mil desapropriações (mais de 3.600 apenas entre a Barra e a Penha) totais e parciais, que devem custar mais de R$300 milhões. Em 2010, cerca de R$30 milhões foram pagos, principalmente para proprietários de imóveis do Campinho e Madureira, considerados os pontos mais críticos do projeto.

O secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, explica que alguns pontos do traçado estão sendo revistos:

- Um dos casos é na Taquara, onde devemos ter menos desapropriações do que o previsto na Estrada dos Bandeirantes. Para isso, o trânsito de carros de passeio pelo bairro será reordenado.

As obras serão feitas em dois lotes. O primeiro deles, no valor de R$780,3 milhões (Barra-Penha), terá o vencedor conhecido no mês que vem. Três consórcios disputam a fase final da concorrência. Ainda no primeiro trimestre deve ser conhecido o consórcio que fará o segundo lote (Penha-Aeroporto), com custo estimado de R$548,3 milhões.

No Transoeste, o avanço dos tratores

Enquanto as obras do Transcarioca não começam, os tratores avançam nos canteiros de outro BRT também de responsabilidade da prefeitura. No trecho final do Recreio, já é possível observar o contorno das entradas dos dois túneis que estão sendo construídos no maciço rochoso para a passagem do Transoeste (corredor para ôninus articulados que farão a ligação Barra-Guaratiba-Santa Cruz-Campo Grande). Além de contar com corredores exclusivos para BRT, o túnel servirá de opção à Serra da Grota Funda para os motoristas que circulam entre Guaratiba e Recreio.

A abertura dos túneis é feita com o uso de dinamite nas duas vertentes. São feitas até três detonações por dia. Os materiais retirados na escavação serão reaproveitados como aterro na própria obra.

Segundo o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, a previsão é que as escavações sejam concluídas até o fim de março. A etapa seguinte consistirá na implantação dos sistemas de segurança, ventilação e iluminação e de drenagem para evitar infiltrações.

A prefeitura promete concluir as obras do Transoeste até meados de 2012. O projeto prevê a construção de 53 estações (que não estão no orçamento das obras) ao longo de 56km de extensão para atender 220 mil passageiros/dia. No Recreio, quatro favelas estão sendo removidas, mas há resistências de parte dos moradores, que entraram na Justiça reivindicando a permanência em suas casas.

O projeto original previa que o BRT só fosse implantado entre a Barra (no Cebolão, onde se integraria ao Transcarioca) e Guaratiba. Mas, no ano passado, a prefeitura decidiu ampliar a área atendida pelo projeto. As duas licitações para complementar o projeto deverão sair ainda neste semestre. No trecho da Barra, o corredor será levado até o Jardim Oceânico. Lá, a estação terminal será construída no terreno do antigo motel Maxim's, onde será integrada à futura Linha 4 do metrô (Barra-Zona Sul).

Nenhum comentário:

Postar um comentário