quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Melhor para todos

20/08/2015 - O Globo

Anunciado em julho como tentativa de solucionar um dos principais focos de trânsito da Barra, o projeto do novo Terminal Alvorada teve seus detalhes apresentados em audiência pública na Câmara Comunitária, na semana passada. As principais alterações serão a criação de uma alça viária para os motoristas que seguem do Recreio para a Avenida Ayrton Senna, o alargamento e a recuperação das pistas do entorno do Cebolão e o aumento do espaço interno, com a saída do posto do Detran. As obras já estão em andamento, e a previsão é que terminem até abril de 2016, ao custo de R$ 30 milhões. Ainda que satisfeitos com a perspectiva de melhora, os moradores da região pleiteiam outras mudanças: querem que os ônibus dos condomínios tenham permissão para entrar no Alvorada e que as linhas intermunicipais sigam apenas até o terminal, e não mais até o Downtown, como ocorre em muitos casos.

A grande expectativa em torno das alterações é explicada pelos números: segundo dados da CET-Rio, 30% dos carros que saem do Recreio pela Avenida das Américas fazem retorno na altura do BarraShopping para acessar a Avenida Ayrton Senna, e outros 30% descem a agulha à direita, em uma pista que só tem uma faixa. O resultado são congestionamentos constantes. Essas duas frentes, por isso, receberam maior atenção no projeto. Enquanto a nova alça, de 560m de comprimento (que será feita em via já existente porém bloqueada pelo estacionamento da Cidade das Artes) será uma nova opção para os motoristas que seguem para a Linha Amarela, a agulha ganhará mais uma faixa, numa tentativa de desafogar o trânsito.

— Já havia um problema de acessibilidade que só se agravou com as obras da Barra. Para quem vai para a Ayrton Senna, vindo do Recreio, pela Américas, o caminho mais lógico é pegar a agulha na altura da concessionária Toyota; mas, como só existe uma faixa, muitos preferem ir até o BarraShopping e fazer o retorno. No final, as duas opções ficam carregadas. Quem vem da praia também contribui para o trânsito, e nesse trecho ganharemos outra faixa — explica o subprefeito da Barra e Jacarepaguá, Alex Costa.

Ao todo, serão cinco faixas novas no entorno do terminal: uma na agulha, uma na pista entre a concessionária da Toyota e o condomínio Nova Ipanema (que passará a ter cinco), uma na pista de quem segue da praia em direção à Avenida das Américas e as duas da nova alça. O projeto também contemplará o reforço da iluminação pública e a ampliação da calçada.

— Temos de estar atentos também ao acesso a pé ao terminal. Hoje muitas pessoas atravessam irregularmente pelo canteiro central, em frente ao Carrefour, enfrentando os carros. Esse trecho será gradeado, e a passagem de pedestres já existente será ampliada — diz Costa, que prevê a conclusão das obras para janeiro de 2016, três meses antes do prazo.

Se no entorno do Alvorada haverá muitas mudanças, internamente as novidades também causarão impacto. A principal alteração será a saída do posto do Detran, o que permitirá o aumento do espaço para a circulação de ônibus convencionais e a construção de uma nova pista para o BRT. Com isso, a capacidade do terminal, que é de 35 mil pessoas por hora, deverá dobrar. Para o secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, o Alvorada hoje está "muito pequeno".

— O projeto é um benefício para todo o sistema público de transporte, e não só para os moradores da Barra. O Alvorada concentra Transoeste e Transcarioca, além das linhas de ônibus normais. Do jeito que está, temos perda de capacidade do BRT, porque os intervalos entre os ônibus precisam ser maiores.

O aumento do espaço físico do terminal permitirá a construção de mais uma pista de BRT, a ampliação das duas passarelas de pedestres e a instalação de uma nova bilheteria, bem como a criação de outros acessos para os ônibus alimentadores, além de aumento nas posições de embarque e desembarque do BRT, de 11 para 22. A parte que cabia ao Detran passará a ter um estacionamento de ônibus, com 60 vagas para BRT e 39 para os convencionais, e vias de circulação interna, o que viabilizará outra mudança: os portões de entrada e saída dos ônibus ficarão do mesmo lado, o mais próximo ao BarraShopping. Isso amenizará o trânsito no lado oposto do terminal, sempre mais congestionado.

— Atualmente, os ônibus que saem do terminal dividem espaço com os carros até chegar à Américas ou à Ayrton Senna. Vamos ganhar um pátio de manobras, e os coletivos já sairão pelo lado do BarraShopping — explica Picciani. Com a certeza de que encontrarão congestionamento no entorno do Terminal Alvorada, muitos moradores da Barra têm suas estratégias para ganhar tempo. O estudante Daniel Dayrell, por exemplo, que vive no Nova Ipanema, diz que é melhor saltar do ônibus do condomínio antes que ele contorne o Cebolão, em vez de esperar que entre no residencial.

— O trânsito é tão intenso que, quando estou chegando, salto no ponto do New York City Center e ando pela passagem subterrânea até minha casa; é mais rápido — explica.

As horas desperdiçadas no trânsito impulsionam a mobilização por melhorias. A Câmara Comunitária da Barra da Tijuca ( CCBT) é uma das associações do bairro que lutam, há anos, por mudanças na Alvorada. O presidente da instituição, Delair Dumbrosck, aprova o novo projeto, mas diz que os moradores têm mais reivindicações.

— Nós queremos limitar as linhas intermunicipais, para que elas sigam apenas até o Alvorada. Hoje os ônibus vão, na maioria dos casos, até o Downtown. É um problema, o trânsito fica impraticável. Nossa reivindicação é que a mudança seja imediata. Já falamos várias vezes com o secretário estadual de Transportes e o governador, e eles ficaram de avaliar — diz Dumbrosck, para quem os ônibus intermunicipais não precisariam mais entrar na Barra após a inauguração de todo o sistema de BRTs. — Acho que no futuro as pessoas poderão fazer baldeação em outros pontos da cidade, seja no Fundão, em Irajá ou em Deodoro. Afinal, o BRT serve para diminuir o número de linhas convencionais.

A alteração no trajeto dos ônibus intermunicipais já é "caso resolvido", segundo o secretário estadual de Transportes, Carlos Osório.

— De fato esse pedido já me havia sido feito em oportunidades anteriores, e eu me comprometi a restringir a circulação das linhas intermunicipais até o Alvorada, assim que o Lote Zero for concluído (em dezembro deste ano, segundo previsão do governo). Isso representará um ganho para a Avenida das Américas, com o BRT substituindo veículos no trânsito. Vai ser uma determinação do Estado, de uma portaria do Detro, e as empresas vão cumprir — diz Osório, que rechaça a possibilidade de impedir a chegada desses ônibus à Barra, no futuro. — Tirar de dentro do Alvorada é inviável. Ele é um terminal rodoviário, e precisa ser o ponto de chegada ou partida para as linhas da Baixada, inclusive porque o BRT não vai até lá.

A outra reivindicação dos moradores implicaria em mais um ajuste no projeto do novo terminal.

— Queremos que haja alguma forma de desembarque dos ônibus de condomínio dentro do Alvorada, o que facilitaria a baldeação para pegar o BRT. A intenção não é tirar carros da rua? Então, quanto mais facilidades para os ônibus de condomínios, que são utilizados pela maioria dos moradores, melhor — defende Dumbrosck. — Também recebi sugestões de que seja implantado um ponto de táxi dentro do Alvorada e que o limite de velocidade nos mergulhões passe de 40 km/h para 50 km/h.

Na audiência pública que apresentou os detalhes do projeto, na CCBT, estiveram presentes o subprefeito Alex Costa e o secretário municipal de Coordenação de Governo, Pedro Paulo Carvalho. Costa diz que o assessor do prefeito Eduardo Paes recebeu bem as reivindicações e prometeu avaliar sua viabilidade mais profundamente. Rafael Picciani, secretário municipal de Transportes, porém, acredita que a entrada de ônibus de condomínio no terminal não seja necessária.

— Eu não estava sabendo desse pleito, mas não vejo muito sentido, já que quase todos os condomínios terão BRT nas suas portas, com as aberturas das novas estações do Lote Zero. Acho que, no geral, essa cultura de não usar tanto o transporte público pode mudar na Barra; as pessoas vão precisar cada vez menos do serviço privado com a melhora do sistema. Será um ganho para a cidade.

O futuro do posto do Detran, que será deslocado, não está definido. Segundo o subprefeito Alex Costa, uma das possibilidades é sua transferência para um terreno atrás do Via Parque. Outra é a ida para o Recreio, entre a Estrada Vereador Alceu de Carvalho, a Avenida Teotônio Vilela e a Avenida das Américas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário