quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Prefeitura adia redução de frota

19/08/2015 - O Globo

A prefeitura adiou para outubro o projeto de reduzir de 2.000 para 1.300 os ônibus da Zona Sul. Até dezembro, 33 linhas serão suspensas, e o restante em 2016. A prefeitura precisará de mais tempo para cumprir a promessa de reduzir em 35% o número de ônibus que circulam diariamente pela Zona Sul. Inicialmente previsto para começar a ser implementado em julho, o projeto, que visa a diminuir o número de linhas superpostas, que contribuem para os engarrafamentos na região, atrasou. Agora, as transformações começarão em outubro e só terminarão no primeiro semestre de 2016. As mudanças serão feitas progressivamente: até dezembro, serão eliminadas 33 linhas, dando origem a cinco novas, chamadas alimentadoras ou radiais.

As alterações incluem o corte de linhas que fazem a ligação Zona NorteZona Sul e outras que conectam — via Zona Sul — a Barra da Tijuca ao Centro e à Zona Norte. Entre as que deixarão de circular até o fim do ano, estão 481 ( Penha- Praia de Botafogo), 443 ( MaréLeblon), 129 ( Rodoviária- Praia de Botafogo), 382 ( Piabas- Carioca) e 332 ( AlvoradaCastelo). Também haverá diminuição de itinerários do Grande Méier e da Tijuca até a Zona Sul — os ônibus passarão a ter ponto final no Centro.

Segundo o subsecretário municipal de Planejamento de Transportes, Alexandre Sansão, a negociação com as empresas de ônibus demorou mais do que a prefeitura imaginava. Sansão disse que "o tempo do setor privado não é o mesmo do público''. No entanto, ressaltou, as mudanças são necessárias.

— Quem mora na Maré ou no Jacaré e precisa ir até o Leblon vai continuar tendo opções. Basta fazer baldeação no Centro e pegar uma integração para a Zona Sul. Da mesma forma, quem pega o ônibus no Terminal Alvorada ( na Barra) descerá no RioSul ( em Botafogo) para seguir viagem até o Centro. A questão é a distância. Linhas muito longas deixam de existir para fazer integração com outras mais curtas. Há hoje um excesso de linhas superpostas. Não houve mudança de estratégia. Acabamos precisando de mais tempo para fazer um detalhamento melhor — justificou Sansão.

SERÃO ELIMINADAS 78 LINHAS

Anunciado pelo GLOBO em março, o projeto é ousado: o número de ônibus com trajetos por bairros da Zona Sul cairá dos atuais dois mil para 1.300. Serão eliminadas 78 linhas ( ou 63% do total). Além disso, outras 24 terão o trajeto reduzido. Serão criados 29 itinerários e mantidos 21.

As mudanças, defende a prefeitura, devem aumentar a eficiência do sistema, melhorando o trânsito. Nos corredores BRS, a estimativa é que a velocisobre dade média dos ônibus aumente 30%.

— Nossa meta é que as mudanças sejam implementadas antes das Olimpíadas, no primeiro semestre de 2016. O consórcio Intersul deu sugestões, acolhemos parte delas. Temos que fazer uma coisa consensual — acrescentou Sansão. — Há um entendimento por parte dos empresários de ônibus de que as mudanças serão favoráveis. É um jogo de ganha- ganha. A cidade ganha, o morador ganha, o empresário também, pois vai transportar mais passageiros com mais eficiência. Hoje, no BRS da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, temos 300 ônibus por hora. Muitos vazios. Vamos passar para 120 ônibus por hora.

Especialistas ressaltam que as mudanças são bem- vindas, desde que discutidas previamente com a população e precedidas de ampla divulgação. Professor da PUC- Rio e especialista em transporte e logística, Hugo Varela Repolho afirma que, de fato, a demanda é muito menor do que a oferta de coletivos em bairros da Zona Sul — situação inversa à da Zona Oeste, por exemplo.

— Fizemos na universidade estudos algumas linhas, e foi comprovado o que já sabíamos: a otimização é necessária. Apesar de os consórcios já estarem operando, as empresas continuam a competir umas com as outras, cada uma com uma estratégia de negócios — avalia Hugo.

Ele coordenou um trabalho mostrando que 80 linhas municipais, em operação hoje entre Zona Sul e Centro, costumam rodar com apenas 15% de sua capacidade fora dos horários de pico e com aproximadamente 50% no rush.

Segundo Paulo Cezar Martins Ribeiro, professor da Coppe/ UFRJ, algumas linhas que ligam o subúrbio à Zona Sul, como a 474 ( Jacaré- Jardim de Alah) e a 455 ( Méier- Copacabana), são importantes opções de transporte barato para o lazer da população.

— De repente, é interessante estudar a manutenção de algumas dessas linhas nos fins de semana, para fins de recreação. Toda mudança deve ser feita com muito critério, mas não há dúvida de que esse otimização é necessária. São Paulo e Belo Horizonte já aplicam sistemas mais eficientes — afirmou.

AS LINHAS QUE SERÃO EXCLUÍDAS ATÉ DEZEMBRO

314: 332: Barra- Alvorada- Central Castelo

501: Barra- Gávea

502: Recreio- Gávea

318: Barra Sul- Central

177: São Conrado- Central

360: Recreio- Carioca

504: Recreio- Gávea

535: Vidigal- Copacabana

120: Prado Júnior- Central

121: Copacabana- Central

125: General Osório- Central

127: Copacabana- Rodoviária

411: Prado Júnior- Usina

442: Maré- Copacabana

129: Praia de Botafogo- Rodoviária

305: Barra da Tijuca- Rodoviária

404: Cordovil- Leblon

405: Ramos- Cosme Velho

441: Caju- Lido

454: Méier- Prado Júnior

458: Norte Shopping- Botafogo

480: Olaria- Prado Júnior

481: Penha- Praia de Botafogo

505: Recreio- Gávea

Nenhum comentário:

Postar um comentário