sábado, 9 de novembro de 2013

Real

Lotações Real Ltda. - Real Auto Ônibus S.A.
Desde 1953


Resumo Histórico

Fundada no dia 9 de junho de 1953. 

Através de despacho do Prefeito exarado em 30 de novembro de 1956, a empresa de Lotações Real Ltda. recebe autorização para explorar com ônibus a Linha Hospital dos Servidores - Copacabana, via Estrada de Ferro. 


Ciferal Urbano lançado em 1960

No dia 8 de outubro de 1963, a empresa anunciava no classificados do Jornal do Brasil a venda de ônibus Mercedes Benz com carrocerias Metropolitana, Ciferal  e Grassi.


Modelo Cirb IV Centenário, lançado em 1965,  na Linha 112 (Hospital Servidores - Copacabana), entrando na avenida Infante Dom Henrique, em Botafogo

Em 1968, a Real assume a operação da Linha 226 (Carioca-Grajaú) até então explorada pela Auto Viação Leme.

Em 1969, reforçando o atendimento à Rodoviária Novo Rio, inaugurada em fins de 1965, é criada a Linha 127 (Rodoviária-Copacabana), inaugurada pela Real Auto Ônibus.


Linhas da Empresa em 1973:

121 - Hospital dos Servidores - Copacabana, 24 carros
127 - Rodoviária - Copacabana, 23 carros
226 - Carioca - Grajaú, 25 carros


Em 1974, a Real assume a operação da Linha 178 (Harmonia-Gávea), até então explorada pela Matias. Na mesma ocasião a Linha 226 (Grajaú-Carioca) é transferida da Real para a Viação Tijuca.


Em março de 1975, a Real, que detinha
a exclusividade de operação de linhas de ônibus especiais entre o Leme e São Conrado, inaugura sua primeira linha de "frescão", a 2015 (Castelo - Leblon), com frota de 10 ônibus rodoviários com ar-condicionado, modelo Marcopolo II, com tarifa de 5 cruzeiros. Em maio é inaugurada a segunda linha,  a Castelo-Jardim de Alá.


Modelo Marcopolo II usado nas primeiras linhas especiais com ar-condicionado inauguradas a partir de 1975

Em setembro de 1975, a Real  inaugura a Linha de frescão Rodoviária - Leblon. Em dezembro de 1975 a Empresa detinha a maior frota de "frescões" da cidade, com cerca de 60 ônibus, distribuídos em 6 linhas:

Em janeiro de 1976, em pool com a Transportes Paranapuan, a Real inaugura a linha de ônibus especial com ar-condicionado entre o Hotel Nacional e o Aeroporto Internacional, via Aeroporto Santos Dumont, com tarifa de 16 cruzeiros.


Ponto final dos "frescões" no Castelo, na avenida Erasmo Braga

Em novembro de 1978, a Real inaugura a linha especial, com ar-condicionado, Estrada de Ferro - General Osório.


Linha Estrada de Ferro - General Osório, com ponto final próximo da lanchonete Chaplin

Em 1979, a Real inaugura a Linha 126 (Rodoviária-Copacabana) via Túnel Santa Bárbara.

Em fevereiro de 1981, a Real Auto Ônibus, com frota de 195 ônibus explorava as seguintes  linhas:



No dia 22 de setembro de 1981, a Real inaugura a linha 179 (Estrada de Ferro-Alvorada) via Jockey e avenida Sernambetiba, junto com a pré-operação do Terminal Alvorada.




No dia 6 de outubro de 1981,  a Real Auto Ônibus adquire a empresa Castelo Auto Ônibus, assumindo a operação de suas 3 linhas: 123 (Mauá-Jardim de Alá), 128 (Estrada de Ferro-Antero de Quental) e 132 (Estrada de Ferro-Leblon). 

No dia primeiro de fevereiro de 1982,  a CTC passa operar as linhas de integração metrô-ônibus M-21 e M-22 sem a participação de empresas particulares. Na linha M-21 da frota de  14 ônibus, 6 eram operados por empresas privadas. As linhas operavam com intervalos de até 5 minutos nos horários de maior movimento. As empresas particulares Mosa, Real, São Silvestre, Uruguai e Columbia, que operavam com o total de 14 ônibus,  cancelaram os contratos alegando prejuízos no repasse dos percentuais da tarifa de integração. 

Em 1982 é criada a Linha 170  (Gávea - Harmonia),  prolongada em 1988 até a Rodoviária.


Linha 128 (Rodoviária-Antero de Quental) via Copacabana, em frente à Rodoviária Novo Rio  em 1982. Modelo Condor Tocantins, fabricados a partir de 1981.


Dados Operacionais da Empresa em dezembro de 1982:

Frota autorizada: 209 convencionais e 86 especiais
Linhas em operação: 11 convencionais e 9 especiais
Passageiros/mês: 4.133.520


Fonte: "Transporte Urbano Rodoviário na Cidade do Rio de Janeiro". Superintendência Municipal de Transportes urbanos. 1982, dezembro.


Em 1984 o atendimento de linhas especiais com ar-condicionado pra Barra da Tijuca é reduzido, sendo extintas as linha 2051 (Castelo-Alvorada)  e 2146 (Aeroporto Internacional-Alvorada), restando apenas a linha  pioneira 2113 (Castelo-Taquara) da Viação Redentor. A linha 2146 é cortada em São Conrado, sendo transformada na linha 2018 (São Conrado-Alvorada).

Em 1985 a linha especial com ar-condicionado 2018 (Aeroporto Internacional- São Conrado),  é prolongada até o terminal Alvorada, na Barra da Tijuca.

No dia 10 de dezembro de 1985, quando a empresa contava com frota de 270 ônibus, na gestão do governador Leonel Brizola, a Empresa é encampada pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, junto com outras 5 empresas de ônibus municipais e 11 da Região Metropolitana.


Linhas da Empresa em dezembro de 1985:


O Globo, 11/12/1985

No dia primeiro de fevereiro de 1986, inauguração da linha 110 (Rodoviária - Leblon), via Estácio e Túnel Rebouças.

Em maio de 1986, a Região Metropolitana do Rio de Janeiro  contava com apenas duas empresas operando o serviço de linhas especiais com ar-condicionado. O serviço era considerado decadente, com intervalos irregulares e péssimo estado de conservação dos veículos. Apenas as empresas Real (encampada em dezembro de 1985) com 9 linhas, e a Carioca, com apenas uma linha entre Caxias e o Centro, funcionavam. A empresa Redentor, também encampada, apesar de operar duas linhas, Taquara-Castelo e Praça Seca-Castelo, os ônibus circulavam sem ar-condicionado.  

Em 1987, a Real assume a operação da linha diametral 460 (São Cristóvão-Leblon) via túnel Rebouças.

Em 1990, a  Real Auto Ônibus era a única empresa a  operar linhas de “frescões” na cidade, com 45 ônibus em 4 linhas: 2016 (Castelo-São Conrado), 2017 (Rodoviária-Leblon), 2018 (Aeroporto Internacional – Alvorada), 2145 (Aeroporto Internacional – Aeroporto Santos Dumont).

A Real, no auge da operação dos “frescões” na década de 1970 chegou a operar com 80 veículos.

Em julho de 1993, renovando sua frota, a Real adquire 60 unidades do Volksbus, fazendo inicialmente a linha 460 (São Cristóvão - Leblon). Na época a empresa contava com cerca de 300 ônibus em sua frota.

No dia primeiro de março de 1994, início da operação dos primeiros 30 novos carros, pintados de amarelo,  das linhas radiais sul 121, 123, 125 e 132, das empresas Real e Saens Peña.


Acervo Panorama Coletivo

No dia 2 de fevereiro de 1995, inauguração  do Corredor Sul, entre o Centro e o bairro do Leblon, via Copacabana, com alguns trechos de faixas preferenciais para ônibus. Nesse mesmo dia a Real Auto Ônibus inaugura os ônibus GLS Bus Ciferal junto da nova pintura amarela. Além dos novos veículos, as linhas radiais sul recebem novos pontos de paradas separados das demais linhas,  e faixas preferenciais no Aterro do Flamengo e na rua Barata Ribeiro.

No dia 2 de dezembro de 1995, início da operação das duas linhas  de micro-ônibus seletivos batizados de "Lagoa Orla", S-504 e S-505, entre a Gávea o o centro comercial Rio Sul, operadas em "pool",  pelas empresas Vila Isabel, São Silvestre, Estrela Azul, Braso Lisboa, Alpha, Verdun e Real, com veículos modelo Carolina, em maioria, e Senior G4. Tarifa de 1,45 R$, quase três vezes o valor da tarifa de ônibus convencional. Em março de 1996, as duas linhas com frota de 16 veículos, com 15 assentos cada, transportavam uma média de 2.100 passageiros/dia.

No início de 1997, a Real Auto Ônibus adquire os primeiros micros Marcopolo Senior GV com ar-condicionado e poltronas reclináveis para uso em linhas especiais.

Em 1997, a linha 2011 é reativada, com a vista Rodoviária - Leme, mas sendo operada com ônibus convencionais com ar-condicionado.

No dia 22 de abril de 2002 a Real Auto Ônibus inaugura a operação de sua nova frota de ônibus com ar-condicionado e motor traseiro na linha 132 (Leblon-Central). No dia 24 de maio, a Linha 127 (Rodoviária-Copacabana) recebe os primeiros carros do mesmo modelo.


Linha 2011 (Rodoviária-Leme)  na Praia do Flamengo, em 2004. Modelo Marcopolo Torino com chassi Volkswagen Volksbus 17.240OT.

Em 2004, início da operação de mais 30 ônibus convencionais com ar-condicionado e motor traseiro, modelo Caio Apache Vip, na Real Auto Ônibus. 


Linha 2016 (Rodoviária - Mandala) em 2004.  Modelo Caio Apache Vip com chassi Volkswagen 17.240 OT

No dia 12 de janeiro de 2005, o prefeito César Maia proíbe o uso de ônibus convencionais com ar-condicionado nas linhas de frescões, cancelando um medida que ele próprio havia tomado há 2 anos atrás. Com o novo regulamento as linhas que até então operavam ônibus convencional  com ar puderam continuar a circular, desde que os veículos não fossem substutuídos por novos carros convencioanais com ar.

Em março de 2005, a Real diminui de 3 para 2 reais o valor da passagem dos ônibus especiais com ar-condicionado - "Frescões" - nas linhas entre o Centro e a Zona Sul. A passagem alcança o mesmo valor da passagem de metrô, e apenas 30 centavos mais cara que as linhas convencionais com ar-condicionado.

No dia 12 de junho de 2006, na linha especial 2015 (Castelo - Leblon), início da operação dos novos carros Marcopolo Ideale 770, montados sobre chassis VW 15-180 EOD, com motor dianteiro, novo lay-out externo, ar-condicionado, poltronas reclináveis e capacidade para 35 passageiros.

No final de 2006 alguns “frescões” da Real ainda circulavam com o antigo lay-out externo, em vigor desde o início da operação da primeira linha de “frescão” em 1975. Em 2007 apenas os micros das linhas especiais ciculavam com a antiga pintura.

No dia 5 de fevereiro de 2007,  início da operação da linha de integração metrô-ônibus Pan-07 -  Metrô Siqueira Campos – Barra da Tijuca, com tarifa de R$ 3,  operada pelas empresas Jabour, Real, Amigos Unidos, Pégaso  e  Redentor, com 4 carros com ar-condicionado por empresa, totalizando 20 carros.

Em abril de 2007, a  Real Auto Ônibus é a primeira empresa da cidade a operar os novos carros modelo Marcopolo Torino de quinta geração, com motor dianteiro VW 17-230 OD e suspensão deficiente, nas linhas 127 (Copacabana – Rodoviária) e 179 (Alvorada – Rodoviária).  Na linha 127 substituem os antigos modelos Marcopolo Torino de motor traseiro e ar-condicionado que operavam na linha desde 2002, que apesar de mais antigos eram mais confortáveis.

Em dezembro de 2007, a linhas 2016 (Castelo-Mandala) é prolongada até o Condomínio Barra Sul. 





Linha 175 (Central - Alvorada) via Sernambetiba, em 2004


No início de 2008 a  Real Auto Ônibus adquire 20 novos ônibus com carroceria Marcopolo Torino com motor dianteiro chassi VW 17-230 EOD, sendo 12 com ar-condicionado, entregues no mês de março, que entraram em operação na linha 2016 (Castelo-Barra Sul) substituindo os modelos Apache Vip com ar-condicionado de motor traseiro.

Em agosto de 2009, a Real Auto Ônibus inicia a operação de 40 novos ônibus especiais com ar-condicionado e nova identidade visual, pintados de azul marinho, apelidados de serviço “Premium”. Os novos carros, modelo Marcopolo com capacidade para 35 passageiros sentados, contava com poltronas reclináveis, monitor  de vídeo LCD, internet sem fio e janelas panorâmicas. Começaram a circular  pelas linhas Alvorada-Galeão, Leblon- Castelo e Leblon-Rodoviária. Os novos ônibus apesar de todos os ítens de conforto, não contava com suspensão adequada para o transporte de passageiros, sendo considerado um grande retrocesso em matéria de transporte, ainda mais nas ruas esburacadas do Rio de Janeiro. Os novos carros circulavam, inicialmente,  na linha seletiva do aeroporto 2018 (Alvorada-Aeroporto Internacional), com tarifa de 7 reais. Em função da  péssima qualidade da suspensão (a molas),  contribuíam, ainda mais,  na construção da imagem negativa “terceiro-mundista” da cidade, sem necessidade, pois a indústria nacional dispõe de veículos mais confortáveis. Mesmo os antigos modelos de “frescões” da mesma empresa, adquiridas na década de 1970,  eram mais confortáveis. Em novembro de 2013 a empresa começou a substituir a pintura dos carros “Premium” pela nova pintura para linhas especiais do município, com a mesma estampa azul , mas com a escrita “Executivo”.

Em agosto de 2009, a Real lança o modelo Caio Apache Vip II na sua frota.

Em outubro de 2011, a  Real recebe para testes um ônibus de piso baixo (low-entry) modelo Caio Induscar Mondego.

Em novembro de 2013, a linha 318  tem seu ponto final transferido do Castelo para a Central do Brasil.

Por volta de junho de 2015, a  Real  inicia a cobrança das passagens com os motoristas, nos ônibus antigos, mantendo a operação de uma única roleta. Até então só havia cobrança de passagens com os motoristas, apenas nos novos carros com ar-condicionado e duas roletas entregues a partir do final de 2014.

Em agosto de 2015, a Real Auto Ônibus recebe os primeiros ônibus articulados modelo Viale BRT Marcopolo com chassi Mercedes Benz 0-500 MDA Blue Tec 5, para operação no BRT.

Em 2018, no dia 8 de setembro, a Real reativa as linhas circulares 581 (Urca – Leblon) e 582 (Urca – Leblon), paralisadas desde 29 de dezembro de 2018, após o fim da Viação São Silvestre.



REFERÊNCIAS:

"Ônibus 112". Correio da Manhã. 1956, novembro, 9. Primeiro Caderno, página 5.

"Cartas à Redação". Correio da Manhã. 1957, janeiro, 18. Primeiro Caderno, página 6. 

“Ônibus”. Jornal do Brasil. 1963, outubro, 5. Caderno Automóvel. 

"Barra terá 15 novas linhas de ônibus". O Globo. 1981, setembro, 17. Página 15.

"30 Volksbus estão rodando na frota da Viação Real". Technibus. 1993, junho/julho. Página 10.

Marcelo Almirante
Página lançada em abril de 2018












Nenhum comentário:

Postar um comentário