sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Passageiros reclamam da extinção de linhas de ônibus depois da implantação dos BRTs

Com os corredores Transoeste e Transcarioca, itinerários são mudados e coletivos saem de circulação

POR TAÍS MENDES

12/12/2014 - O Globo


A estação do BRT Transcarioca no Fundão: usuários reclamam do fim de linhas de ônibus e de mudança em itinerários - Hudson Pontes / Agência O Globo (04/10/2014)
PUBLICIDADE


RIO — Desde o início da operação dos BRTs Transoeste (junho de 2012) e Transcarioca (junho de 2014), oito linhas de ônibus foram extintas e 36 tiveram os itinerários modificados nas áreas por onde passam os dois corredores, o que tem provocado reclamações de passageiros. Nesse período, duas novas linhas foram criadas. Moradora da Cidade de Deus, a recepcionista Ágata Santana, de 22 anos, trabalha num curso de idiomas no Recreio dos Bandeirantes e diz que fazia o trajeto até o emprego, de van ou no ônibus 753 (Cascadura-Recreio), em 40 minutos no máximo. Com o fim da linha do coletivo e da circulação das vans, ela agora faz a viagem em uma hora e meia. Ágata pensa até em procurar emprego mais perto de casa.

— Sou obrigada a pegar um ônibus até o Terminal Alvorada (na Barra) e depois o Transoeste até o trabalho. Além de mais tempo, o desconforto também é maior. Os ônibus do BRT estão sempre lotados. Os moradores da Cidade de Deus estão sofrendo muito com o fim das linhas por causa do BRT. Não tem mais ônibus direto para a praia, Madureira, Praça Seca. Mas para o Tanque tem três linhas — reclama.

A empresária Rosana Limoeiro, dona da escola de idiomas onde Ágata trabalha, diz que ela não é a única a se queixar:

— Todos que moram na região da Cidade de Deus estão cansados, exaustos. O fim da linha prejudica muita gente.

Luana Furtado, analista de mídias sociais, mora em Bangu e trabalha na Barra. Ela conta que costumava pegar um ônibus até o centro de Bangu e depois um da linha 803 (Senador Camará-Barra), num trajeto de uma hora e meia até o trabalho. Com o Transcarioca, a linha 803 mudou o percurso e passou a fazer ponto final na Taquara. De lá, os passageiros devem pegar o BRT para seguir viagem até a Barra. Luana conta que agora o deslocamento passou a ser feito em duas horas. Além disso, ela é obrigada a pagar uma passagem a mais, já que o novo trajeto foge ao limite do Bilhete Único, que permite duas viagens em até duas horas:

ADVERTISEMENT

— Eu acho que a mudança não foi vantajosa para a população, porque agora o trajeto ficou mais longo, mais demorado e mais caro. Deveria ter havido um planejamento melhor da implementação do BRT e, consequentemente, das mudanças de trajeto das linhas de ônibus.

PASSAGEIROS SE QUEIXAM NA ESTRADA DOS BANDEIRANTES

Os usuários dos ônibus que passam pela Estrada dos Bandeirantes, uma das mais importantes de Jacarepaguá, também sentem falta de pelo menos quatro linhas, que deixaram de circular por causa do Transcarioca.

— Alteraram o trajeto da linha 332 (Taquara-Castelo) e reduziram as frotas da 368 (Riocentro-Castelo), da 348 (Riocentro-Praça Quinze) e da 810 (Piabas-Cardoso Fontes). E o pior é que o BRT não circula por toda a Estrada dos Bandeirantes. Um absurdo — disse Vânia Lima.

O servidor público Ruy Barbosa Nascimento, de 58 anos, mora no Pechincha e diz que, para ir até Cascadura, agora há apenas uma opção: o ônibus 766 (Madureira-Freguesia). Segundo ele, cinco linhas que passavam pelo Pechincha foram extintas e o BRT não passa em Cascadura:

PUBLICIDADE
 

— Tenho agora que pegar três ônibus: um até o Tanque, o BRT até Campinho ou Madureira e, de lá, uma terceira condução para Cascadura. Antes, levava no máximo 20 minutos no trajeto. Agora não faço por menos de 40 minutos.

SECRETARIA DEVE ENVIAR FISCAIS

A Secretaria municipal de Transportes confirmou que é preciso pegar três conduções para fazer o trajeto do Pechincha até Cascadura. Quanto às linhas retiradas da Estrada dos Bandeirantes, o órgão informou que pela via ainda circulam dois ônibus convencionais, o 348 (Castelo-Riocentro, via Linha Amarela) e o 368 (Castelo-Riocentro), além de cinco novas linhas alimentadoras (que levam para o BRT).

Ainda segundo a secretaria, o trajeto da Cidade de Deus ao Recreio pode ser feito hoje em tempo até menor do que antes do BRT. A opção é usar a linha 991A (Taquara-Alvorada, via Cidade de Deus). O trajeto leva de 15 a 20 minutos até o Alvorada, nos cálculos do órgão. Depois, conforme orienta a secretaria, é preciso embarcar no BRT Transoeste até o Pontal, uma viagem de cerca de 30 minutos. Até o Recreio, seriam 20 minutos. A secretaria informou que, ainda assim, uma equipe de fiscalização vai verificar se os horários estão sendo cumpridos.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/passageiros-reclamam-da-extincao-de-linhas-de-onibus-depois-da-implantacao-dos-brts-14811762#ixzz3LgOweAUR 
© 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário