sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Linha Vermelha vai ganhar BRS durante obras na Avenida Brasil, diz novo secretário de Transportes

Intervenções devem começar no mês que vem. Rafael Picciani vai propor reduzir número de linhas intermunicipais

POR ELENILCE BOTTARI

12/12/2014 - O Globo


A Linha Vermelha, onde a prefeitura quer implantar um BRS - Marcelo Piu / Agência O Globo (18/04/2014)

RIO — A Linha Vermelha ganhará um BRS (faixa seletiva) no começo de 2015, para receber parte dos coletivos que será desviada da Avenida Brasil com o início das obras do BRT Transbrasil, corredor exclusivo para ônibus que ligará Deodoro ao Caju e ao Centro. Ao falar sobre os desafios de sua pasta, o novo secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, explicou que as obras na Avenida Brasil, previstas para novembro, deverão começar em janeiro, aproveitando o período de férias.

— A implantação de um BRS na Linha Vermelha durante as obras vai melhorar o transporte público, mas vai piorar o transporte individual.

Outra medida que Picciani pretende adotar para reduzir o número de coletivos circulando na Avenida Brasil é a redução e reprogramação das linhas intermunicipais.

BOA RELAÇÃO COM PEZÃO

Para isso, Picciani — que era secretário de Habitação do estado e foi reeleito deputado estadual (PMDB) — aposta no bom relacionamento que tem com o governador Luiz Fernando Pezão.

— A obra é muito complexa e dependemos dessa interface com o governo do estado, para reduzir os transtornos provocados no trânsito com as obras do Transbrasil. Estamos montando um plano de fechamento parcial da Avenida Brasil, onde 80% das linhas que por ali passam são intermunicipais. Se não houver um acordo com o estado, para que o Detro nos ajude a reduzir essas linhas e a reprogramá-las, teremos mais dificuldades — afirmou o secretário, que também conta com a chegada dos novos trens encomendados pelo governo do estado, para desafogar o transporte rodoviário.

Segundo ele, a CET-Rio está concluindo um plano de contingência para o trânsito da cidade durante as obras que interditarão trechos das pistas centrais da Avenida Brasil.

— Não é uma operação simples. Os técnicos da CET-Rio estão muito empenhados em fazer tudo da melhor maneira, para que as inversões de pista, nos horários de pico, sejam rapidamente assimiladas. A população tem que estar consciente e precisa participar. Faremos campanha para incentivar a carona solidária e o uso do transporte público.

Para Picciani, o principal desafio será cumprir o cronograma de obras e entregar os BRTs, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Centro e outras obras nos prazos, reduzindo os transtornos para a população.

Entre os projetos e pedidos que pretende estudar está a implantação da lei 5.751/2014, de autoria dos vereadores Thiago Ribeiro (PMDB) e Carlo Caiado (DEM), que definiu critérios para a implantação do transporte hidroviário no complexo lagunar de Jacarepaguá:

— Temos esses canais na Barra e em Jacarepaguá, e não os utilizamos. O prefeito Eduardo Paes quebrou o paradigma de que o usuário utiliza um único meio de transportes de uma ponta a outra, entre a casa e o trabalho. A palavra é integração dos sistemas de transportes. Os cariocas poderão se deslocar utilizando BRT, VLT, trens, metrô, tudo isto com o bilhete único.

SEM EXPERIÊNCIA NO SETOR

Com apenas 28 anos e sem qualquer experiência no setor, o mais jovem secretário da história do Rio na área de Transportes garante ter "disposição suficiente" para dialogar com governos, parlamentares e especialistas. Assume a secretaria mantendo até mesmo um antigo titular, o ex-secretário Alexandre Pinto:

— Quero manter principalmente ele. É como um bonde a 300 quilômetros por hora que eu não posso frear para entrar. Tenho que embarcar nele mantendo a velocidade.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/linha-vermelha-vai-ganhar-brs-durante-obras-na-avenida-brasil-diz-novo-secretario-de-transportes-14811717#ixzz3LgOO2dn4 
© 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário