sexta-feira, 12 de abril de 2013

Sindicato critica decisão de proibir vans na Zona Sul


12/04/2013 - O Dia


Rio -  O decreto do prefeito Eduardo Paes proibindo, a partir de segunda-feira, a circulação de vans, Kombis ou microônibus na Zona Sul carioca caiu como uma bomba no Sindicato dos Permissionários dos Serviços de Transporte de Passageiros e Comunitário do Município do Rio de Janeiro (SindsVan-Rio).

Cerca de 100 mil pessoas usam o transporte alternativo somente na Zona Sul, que conta com 30 linhas e mais de 600 veículos.

“Ninguém nos comunicou que haveria essa proibição”, protestou Guilherme Bisserra, diretor jurídico do sindicato. Está marcada para o dia 29 audiência pública com o prefeito para discutir o assunto.

Vans que descumprirem decreto levarão multa de R$ 1.251,48 e serão apreendidas: 100 mil pessoas usam o transporte alternativo na Zona Sul | Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia

De acordo com o decreto de Eduardo Paes, publicado no Diário Oficial do Município, só poderão circular na Zona Sul as linhas que realizam o itinerário Parque da Cidade-Gávea e Parque da Cidade-Fashion Mall, que passam pela Favela da Rocinha e pelo Morro do Vidigal, ambos em São Conrado.

Centro está na mira

Ainda segundo Guilherme Bisserra, a decisão de Eduardo Paes vai totalmente contra o diálogo que o sindicato vem tentando fazer com a prefeitura do Rio.

“A decisão prejudica, principalmente, os que necessitam do transporte público em horários de pouca circulação de coletivos”, afirmou ele, que complementou: “O trabalhador que volta muito tarde do trabalho é dependente das vans. Além disso, durante o dia, os ônibus não conseguem dar vazão a grande quantidade de passageiros”, afirmou.


O lojista Eduardo Figueireido é contra o novo decreto: 'A proibição das vans não vai representar nenhuma melhoria para os moradores da cidade. Além disso, os ônibus estão sempre lotados, os maiores prejudicados são os trabalhadores que utilizam o transporte todo o dia' | Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia

Segundo a Coordenadoria Especial de Transporte Complementar, vinculada ao Executivo municipal, a proibição deve se expandir para outras regiões da cidade, como o Centro, mas ainda sem data definida.

As vans que forem flagradas serão lacradas e rebocadas, além de receber multa no valor de R$ 1.251,48. A fiscalização, diz a prefeitura, será feita por membros da Coordenadoria, do Detro, Polícia Militar, Detran e Guarda Municipal.

"Não falta transporte na Z. Sul", diz Paes

Segundo o decreto, o objetivo da proibição é reordenar o trânsito nos bairros de Botafogo, Urca, Humaitá, Leme, Copacabana, Ipanema, Leblon, Lagoa, Jardim Botânico, Gávea, Vidigal, São Conrado e Rocinha.

“O transporte alternativo deve servir para complementar o grande transporte. Você tem que colocar a van onde não tem transporte nenhum. Em alguns pontos das zonas Norte e Oeste, onde há uma dificuldade de acesso à rede, a van tem um papel. Na Zona Sul, pelo amor de Deus, o que não falta é transporte. Tem metrô, ônibus”, disse o prefeito.

Há pouco mais de 10 dias, um casal de turistas foi atacado após embarcar num van em Copacabana. A mulher foi estuprada pelos criminosos. Desde segunda, está proibido o uso de insulfilm em vans.

Nenhum comentário:

Postar um comentário