domingo, 6 de maio de 2012

Os dois lados de um mesmo BRT

03/05/2012 - O Globo, Isabel de Araújo e Natália Boere

Obras do corredor expresso Transoeste só estão adiantadas no trecho entre Barra e Recreio

A os olhos dos motoristas que circulam pela Avenida das Américas entre a Barra e o Recreio, a inauguração do Bus Rapid Transit (BRT) Transoeste - que promete encurtar o tempo de viagem entre Barra e Santa Cruz - é uma questão de dias. No trecho, as estações estão em fase de conclusão, as faixas exclusivas dos ônibus, pintadas, e até mesmo o paisagismo foi finalizado. No entanto, atravessando o recém-construído Túnel da Grota Funda, a situação muda. Do outro lado, como em Santa Cruz e em Campo Grande, há trechos que ainda não foram duplicados e plataformas inacabadas. Apesar do prazo apertado, a prefeitura promete inaugurar a obra em 13 de junho, quando começa a Rio+20, conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável.

Antes mesmo da inauguração, problemas já começam a aparecer no trecho mais adiantado. As fortes chuvas inundaram o trecho recém-duplicado da Avenida das Américas, no Recreio. O ponto que virou um piscinão fica perto do Recreio Shopping. Não foi necessário interditar a via, mas o grande bolsão que se formou anteontem complicou a passagem dos carros e, apenas às 13h de ontem, foi removido por um caminhão de sucção.
A secretaria municipal de Obras informou que, após vistorias no trecho inundado, técnicos identificaram obras feitas em imóveis particulares fechando a rede de drenagem. Alguns proprietários já foram notificados pela Rio Águas. A secretaria argumentou ainda que o corredor Transoeste ainda não foi finalizado e que, antes da conclusão da obra, será necessário abrir uma nova vala, paralela à pista, para desaguar no Canal do Rio Morto.
Obra custará R$ 900 milhões
Ao custo de R$ 900 milhões, o BRT Transoeste terá 56km de extensão e promete reduzir pela metade o tempo de viagem entre Barra e Santa Cruz. Na segunda-feira, O GLOBO percorreu toda a extensão do corredor e observou que trabalhos de duplicação de vias e construção de plataformas estão longe da conclusão, apesar de a Secretaria de Obras garantir que até 13 de junho o corredor expresso e as 35 estações estarão prontos.
Diferentemente do cenário encontrado no trecho da Barra ao Recreio, a duplicação da Avenida das Américas entre a Avenida Alceu de Carvalho e Estrada do Pontal (de onde parte o Túnel da Grota Funda) nem recebeu asfalto ainda. As manilhas aguardam no acostamento para serem instaladas. Postes de iluminação tampouco chegaram.
Cenário igual foi encontrado no trecho da Avenida das Américas até a Estrada da Matriz. Os operários também vão ter que correr contra o relógio para concluir o trecho que vai ligar Santa Cruz a Campo Grande. O Transoeste deverá ser prolongado, a partir da Estrada da Pedra, por mais 7km na Rua Felipe Cardoso. O fato é que, até agora, o trecho ainda não recebeu asfalto e as plataformas nem base de sustentação ganharam. A secretaria também limitou-se a responder que essas etapas estarão concluídas até 13 de junho.
Para o fim de julho, o órgão prometeu concluir uma via de 11km que será construída na Avenida Cesário de Melo até a estação de Campo Grande. O projeto prevê ainda o compartilhamento entre os ônibus articulados do BRT e os demais veículos em 4km da Estrada da Pedra. O Transoeste terá, inicialmente, seis linhas (serviços). A maior parte delas (60%) vai trafegar exclusivamente na canaleta (via segregada do tráfego normal). O restante circulará por cerca de 33km em canaletas e 4km em pistas compartilhadas naquela estrada. A Secretaria municipal de Transportes garantiu que o volume de tráfego na Estrada da Pedra, de aproximadamente mil veículos/hora por sentido, não será empecilho à circulação dos ônibus do BRT Transoeste. Caso o sistema se torne sobrecarregado no futuro, a secretaria diz que poderá fazer a pista segregada também nesse trecho.
Preocupação com ônibus enguiçados
Na opinião do professor de engenharia de transportes da Coppe/UFRJ Paulo Cezar Ribeiro, se de fato o volume de carros limitar-se a mil veículos/hora não haverá problema no compartilhamento da via.

- O ideal era que o sistema de BRT fosse feito de forma exclusiva para o ônibus articulado. Com este volume de carros (mil veículos/hora), o tráfego não deve sofrer grandes transtornos. Vamos ter que aguardar a inauguração do sistema, para ver como a via vai se comportar - afirma o especialista.

A realização de obras do BRT Transoeste tem provocado engarrafamentos em alguns trechos da Avenida das Américas, mas os moradores da Barra têm sido compreensivos.
- O trânsito, às vezes, fica lento, mas sei que isso é temporário e por um bom motivo - disse o advogado Wagner de Oliveira.

Já o canteiro de obras em que foram transformadas as principais ruas de Santa Cruz tem testado a paciência dos moradores.

- Está um caos. Moro em Santa Cruz e trabalho na Barra. O tratamento é completamente diferente. Na Barra, todas as alterações no trânsito foram sinalizadas. Aqui em Santa Cruz, não temos placas nem ideia de quando as obras terminam - reclama o comerciante Carlos Alberto Portela.

A mureta que delimita o corredor exclusivo também é motivo de preocupação. Motoristas temem engarrafamentos no caso de um ônibus enguiçar. O subprefeito da Barra, do Recreio e de Jacarepaguá, Tiago Mohamed, diz que os corredores expressos terão um esquema de apoio, com carros e reboques pesados, distribuídos em bases operacionais ao longo do BRT.
- Também deixamos cruzamentos sem muretas, para permitir a saída de um ônibus com problemas na faixa exclusiva para uma das faixas centrais - explicou Mohamed.

Nenhum comentário:

Postar um comentário