domingo, 27 de maio de 2012

Ônibus do Transoeste começam a circular nesta terça

26/05/2012 - O Globo

empresários da Rio Ônibus testou sistema na manhã deste sábado

Frota de ônibus do BRT Transoeste faz testes com empresários do setor de transportes na Avenida das Américas Guilherme Leporace / O Globo

Uma equipe da Rio Ônibus realizou, na manhã deste sábado, uma viagem de teste com empresários do setor de transportes no Bus Rapid Transit (BRT) Transoeste, da estação Magarça, em Guaratiba, até o terminal Alvorada, na Barra da Tijuca. O novo sistema começa a operar em fase experimental nesta terça-feira, com ônibus circulando entre 10h e 15h, com partidas a cada 15 minutos. A previsão é que o sistema entre efetivamente em vigor a partir do dia 4 de junho, mas a data ainda não foi confirmada pela Secretaria municipal de Transportes. Nesta semana de testes, os veículos irão parar em apenas 12 das 24 estações existentes entre as paradas Maçarça e Alvorada. No total, serão 91 ônibus articulados circulando pelo BRT Transoeste entre Santa Cruz e o Terminal Alvorada, com um total de 59 estações e dois terminais rodoviários.

Segundo o presidente da Rio Ônibus, Lelis Teixeira, semana que vem uma equipe de Curitiba primeira cidade brasileira a adotar este sistema virá para dar treinamento aos funcionários da empresa, como motoristas e pessoal técnico. Ele afirmou ainda que, após a inauguração do sistema, haverá uma fase de transição, e as linhas convencionais continuarão circulando, por um período ainda não estipulado, para que os usuários se acostumem ao BRT.

Hoje, temos cerca de 250 ônibus convencionais circulando por esta região. Com a inauguração do BRT, estes ônibus passarão a ser apenas alimentadores, levando os passageiros dos bairros até as estações do BRT. Assim, haverá menos ônibus circulando nas ruas, melhorando o trânsito sensivelmente afirma Teixeira. Todos os ônibus do BRT usam combustível sustentável, têm ar-condicionado e aparelhos de TV, com programação especial, com conteúdo de serviços. Em cada estação, haverá monitores de TV, onde será informado a previsão para o tempo de chegada até a próxima estação. E uma informação importante é que a passagem vai continuar custando os mesmos R$ 2,75, e manteremos o Bilhete Único.

O diretor da Rio Ônibus falou também sobre a questão da segurança nas estações. Segundo ele, a entidade fez uma parceria com a Polícia Militar, e haverá um policial de plantão em cada estação. Outro ponto ressaltado por ele foi o Centro de Controle Operacional (CCO) do BRT Transoste, localizado no Terminal Alvorada, de onde uma equipe destacada especificamente para cuidar do sistema irá monitorar todo o percurso, durante 24 horas por dia.

Há câmeras ao longo de todo o trajeto, e as estações ficam distantes cerca de 500 metros uma da outra. Serão duas linhas na Transoeste: uma expressa, que irá parar em apenas quatro estações, de maior movimento; e uma do tipo parador, que passará por todas as estações disse. Nos horários de pico, pretendemos ter ônibus partindo a cada dois minutos, para evitar a superlotação.

Engenheiro responsável pela equipe que cuidará do funcionamento do BRT Transoeste, Alexandre Castro afirmou que, do CCO, será possível monitorar a demanda em todos os momentos do dia, aumentando ou diminuindo a frota em circulação de acordo com a necessidade. Segundo ele, a Rio Ônibus já está realizando treinamentos, simulando casos de quebras de veículos no corredor expresso:

Em caso de um veículo quebrar no corredor, estipulamos um prazo de seis minutos para que o primeiro atendimento seja feito por nossa equipe. E temos áreas de escape, para que um outro ônibus possa chegar ao local, a cada um quilômetro.

No último dia 17, o prefeito Eduardo Paes afirmou que o corredor expresso deveria ser inaugurado em 15 dias. A promessa da Secretaria municipal de Transportes é que, em junho, 31 das 59 estações estejam funcionando. Antes disso, haverá testes com ônibus circulando pela pista do BRT fora do horário de maior movimento e com passageiros utilizando o transporte. Porém, o projeto, que promete encurtar pela metade o tempo de viagem entre Barra Tijuca e Santa Cruz e que custou R$ 900 milhões, ainda depende de muitas obras. Quase metade das estações não está pronta. Algumas, em Santa Cruz e Campo Grande, por exemplo, se encontram na fase inicial e causam transtornos aos moradores da área.

O primeiro BRT carioca deverá reduzir pela metade o tempo de percurso entre Barra e Santa Cruz. Hoje, diz a prefeitura, as viagens demoram em média duas horas. O GLOBO percorreu toda a extensão do corredor no dia 17 e observou que as vias e as plataformas continuam em obras, havendo ainda muito a ser feito. A prefeitura informou que o BRT só estará em pleno funcionamento em agosto, com as 59 estações operando.

Um comentário:

  1. No momento estão dando nomes as estações do BRT,
    entretanto, o correto seria numerá-las a fim de que os passageiros tivessem noção aproximada da distância a ser percorrida e de sua localização no
    trajeto.
    Roberto-Tijuca-Rio

    ResponderExcluir