domingo, 5 de fevereiro de 2012

Demolição de terminal de ônibus na Pavuna tira 2.400 pessoas de casa

05/02/2012 - R7

Em péssimo estado, construção será implodida porque corre o risco de desabar


André Muzell / Arquivo R7

Desativação do terminal da Pavuna era uma antiga promessa do prefeito Eduardo Paes

A demolição do terminal de ônibus da Pavuna, na zona norte do Rio de Janeiro, vai tirar 2.400 pessoas de casa no município e em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, na manhã deste domingo (5). Além da rodoviária, serão implodidos um centro comercial e um edifício garagem, correspondentes à uma área total de 8.000 m².

Em janeiro do ano passado, o R7 esteve no terminal da Pavuna e encontrou um cenário de total abandono e degradação, que foi noticiado em uma reportagem que denunciou o péssimo estado de conservação dos terminais de ônibus do Rio.

A Prefeitura do Rio resolveu demolir o terminal após a Defesa Civil constatar que as estruturas correm risco de desabar. A desativação do terminal era uma antiga promessa do prefeito Eduardo Paes. Em março de 2009, Paes decidiu desapropriar a rodoviária, até então administrada por uma empresa privada, e prometeu construir no local uma praça ou um parque.

Por conta da implosão, 900 imóveis terão que ser esvaziados: 100 no Rio e 800 em São João do Meriti. A Defesa Civil emitirá três alarmes sonoros avisando à população. A previsão é que o último destes sinais seja soado por volta das 7h55, para que, às 8h, aconteça a implosão.

As ruas do entorno serão fechadas ao tráfego das 7h30 ao meio-dia de domingo. As avenidas Sargento de Milícias e Professor Lindolfo Gomes serão reabertas apenas às 10h, enquanto a rua Cícero será reaberta ao meio-dia. A rua Doutor Bernardo Pinto Monteiro receberá toda carga de escombros e não tem previsão de liberação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário