quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Redistribuição de linhas de ônibus começa por Copa e Santa Cruz

Avenida N. S. de Copacabana estreia corredor exclusivo


O Dia - 22/09/2010


Rio - A redistribuição das linhas de ônibus vai começar por Copacabana e Santa Cruz. O bairro da Zona Sul será o primeiro a ter o número de coletivo e pontos encolhido e o da Zona Oeste será o primeiro a ter a oferta de transporte rodoviário ampliado, conforme noticiou o ‘Informe do DIA’ ontem.


Os dois bairros devem ser ainda os primeiros a receber corredores exclusivos para ônibus, com a Av. Nossa Senhora de Copacabana funcionando como teste a partir de janeiro. A Secretaria Municipal de Transportes conclui até o final do mês levantamento que definirá as mudanças e incrementará a fiscalização.
Foto: Severino Silva / Agência O Dia
Em Campo Grande, intervalo de algumas linhas de ônibus chega a uma hora. Filas são longas e obrigam passageiros a sair muito mais cedo | Foto: Severino Silva / Agência O Dia
Enquanto os projetos não saem do papel, filas intermináveis, coletivos lotados e espera para embarcar continuam a fazer parte da rotina de quem usa o transporte público na Zona Oeste. Para os moradores da região, novas linhas — sobretudo para Centro e Zona Norte — e maior frota resolveriam o problema.


Para chegar às 7h ao Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, no Fundão, a dona de casa Joelma Martins, 39 anos, sai de Campo Grande às 4h30. O motivo da antecedência é a pouca oferta de ônibus e as longas filas. “Para conseguir atendimento, tenho de madrugar. Fico no ponto mais de meia hora”, lamenta.


Já o soldador Alax Pitter, 21, precisa de duas conduções para chegar ao trabalho, porque não há ônibus direto para o Maracanã. “Os pontos não têm cobertura.


Ficamos na fila, no sol ou na chuva, por quase uma hora. Preciso sair três horas antes de pegar no trabalho para não me atrasar”, reclama.


Ontem, das 14h às 15h, apenas um ônibus da linha 871 (Campo Grande-Sepetiba), da Algarve, passou pela Rua Cesário de Melo. O mesmo panorama foi identificado com a linha 859 (Campo Grande-Base Área), da Ocidental.


Em Santa Cruz, a situação é igual. Faltam linhas para o Centro e os coletivos estão malconservados. Segundo o motorista Marcelo Araújo, 40, a linha 380 (Santa Cruz-Tiradentes), da Viação Zona Oeste, apesar de cadastrada, não passa pela Av. João XXIII; outras da empresa só operam na parte da manhã.


Viações líderes de queixas venceram licitação de linhas


Sete empresas dos 4 consórcios vencedores da licitação de ônibus do Município do Rio, que começa a operar em 30 de outubro, lideram a lista de queixas dos usuários, segundo a Subsecretaria de Fiscalização. Nos últimos cinco rankings elaborados pela pasta, Estrela Azul, Campo Grande, Rubanil, Pégaso (líder do consórcio Santa Cruz), Transurb, Madureira Candelária e Vila Isabel são as campeãs de reclamações.


Este ano, a Subsecretaria de Fiscalização abordou 943 coletivos e puniu 473. Anteontem, todos os abordados no Leme, Gávea, São Conrado e Barra foram retirados de circulação: dois deles eram piratas e todos operavam para a Amigos Unidos. Procurado, o Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio (RioÔnibus) não comentou as estatísticas.
Reportagem de Beatriz Salomão e Thiago Feres

Nenhum comentário:

Postar um comentário